Escolas e CMEIS de Foz terão sistema de energia solar no próximo ano


- Por: Redação 1

Escolas e CMEIS de Foz terão sistema de energia solar no próximo ano
Foz foi escolhida pelo Projeto Zero Energy desenvolvido pelo Governo do Estado com a GBC Brasil 

Foz do Iguaçu é uma das sete cidades paranaenses selecionadas para receber o Projeto Zero Energy, desenvolvido pelo Governo do Estado, através da Copel, com a GBC Brasil (Green Building Council). Com isso, 40 escolas e CMEIS (Centros Municipais de Educação Infantil) receberão, a partir do próximo ano, a implantação de sistema fotovoltaico, gerando energia mais barata, eficaz e menos prejudicial ao meio ambiente.
Os investimentos são oriundos de operações de crédito junto à Agência de Fomento do Paraná, no limite de até R$ 3,9 milhões e também contam com a participação da Copel, que desenvolve o projeto e entrará com R$ 6,3 milhões, totalizando um investimento de R$ 10,3 milhões.

Origem
A discussão para a implantação do projeto iniciou no ano passado, e os painéis fotovoltaicos devem ser instalados ao longo de 2021. A previsão é que, em três anos, todo o investimento se pague, tornando a iniciativa autossustentável não apenas do ponto de vista energético, como também financeiramente.
O projeto de eficiência energética foi apresentado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior na abertura do Greenbuilding Brasil 2020, maior evento da América Latina sobre sustentabilidade na construção. O projeto incentiva o desenvolvimento sustentável, como preveem os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU).
O objetivo é ampliar a ação para a iniciativa privada e organizações não governamentais para expandir o projeto e instalar usinas solares em até 5 mil prédios públicos. 

Cidades
O Governo do Estado investe R$ 45,7 milhões na iniciativa, que contempla as cidades de Balsa Nova, Fazenda Rio Grande e São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba; Cascavel e Foz do Iguaçu, no Oeste; e Maringá e Paranavaí, no Noroeste. Desse total, R$ 28 milhões são destinados a fundo perdido pela Copel.

AMN

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas