Entenda como a esterilização pode evitar o câncer de mama em cadelas e gatas

 Entenda como a esterilização pode evitar o câncer de mama em cadelas e gatas


- Por: Eliane Luiza Schaefer

 Entenda como a esterilização pode evitar o câncer de mama em cadelas e gatas

COLUNA PET

Outubro Rosa

A esterilização realizada antes do primeiro estro (cio), reduz drasticamente o risco de tumores mamários. No caso das cadelas reduz para 0,5%, ou se for realizado após um estro reduz para 8%. 50% dos tumores que se desenvolvem nas cadelas são mamários, 45% são malignos. Nas gatas, os tumores mamários são o terceiro tipo de tumor mais comum, em que 90% são malignos. No geral, gatas e cadelas não esterilizadas (castradas), possuem um risco sete vezes maior de desenvolverem neoplasias das glândulas mamárias, comparativamente com as esterilizadas.

As cadelas entram em cio ou período de estro aproximadamente uma vez a cada seis meses e dura cerca de 21 dias. A duração pode, no entanto, variar dependendo da raça e de outras condicionantes.

A gata é um animal poliéstrico sazonal, ou seja, numa mesma época reprodutiva apresenta vários períodos de cio e a atividade sexual não é contínua ao longo do ano. A sua época reprodutiva está ligada ao número de horas de luz diárias; durante esta fase, as gatas entram em cio periodicamente, sendo o intervalo entre cada de aproximadamente 12 a 21 dias, até ficarem gestantes. O período de estro dura entre 4 a 10 dias e reconhece-se através de comportamentos característicos – o seu miar torna-se constante e intenso, rebolam no chão frequentemente, têm maior tendência para se roçar e arqueiam o dorso enquanto desviam lateralmente a cauda quando acariciadas.

Sim, os contraceptivos orais e por via injetável são uma alternativa à esterilização. No entanto, não são recomendados como método preferencial, visto poder ser falível e possuir efeitos secundários graves. Quando administrados por um período prolongado (ou não), provocam distúrbios hormonais que podem levar ao desenvolvimento de quistos ováricos, infecções uterinas, tumores do útero e tumores mamários. Desta forma, só é recomendada a sua utilização como método de recurso e por um curto espaço de tempo. Para além das desvantagens acima mencionadas, o uso de contraceptivos a longo termo torna-se mais dispendioso do que a esterilização cirúrgica.

 * Esterilização diz respeito a um termo comum para ovariohisterectomia e orquiectomia. Este procedimento cirúrgico visa a remoção dos ovários, tubas uterinas e útero, no caso das fêmeas (ovariohisterectomia), e a remoção dos testículos (orquiectomia), no caso dos machos. Ambos os procedimentos são realizados sob anestesia geral por um médico veterinário.

Desmistificando a castração

Os benefícios relacionados a esterilização (castração), são diversos, dentre eles:

• Deixam de existir os cios;

• Cessa a ocorrência de perda de sangue da cadela;

• Evita gravidez indesejada, que pode comprometer a saúde do animal e gerar despesas, bem como responsabilidades com a ninhada;

• Deixa de demonstrar comportamentos de ansiedade e irritabilidade associados ao cio, como por exemplo, o miar frequente no caso das gatas;

• Reduz a incidência de tumores mamários;

 • Previne piometra (infecção bacteriana do útero);

 • Elimina probabilidade de tumores uterinos e/ou nos ovários; • Acaba com pseudociese (gravidez psicológica).

 

Artigo Bichos S.A

Imagem:Divulgação

 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas