Empresa incubada do PTI-BR transforma-se em franquia nacional


- Por: Redação 1

Empresa incubada do PTI-BR transforma-se em franquia nacional

 Os sócios Edna Pelegrini de Sá e João Felipe Santos atuavam no ramo de soluções inteligentes para o setor hoteleiro. Com o início da pandemia, o turismo foi um dos setores mais afetados com o fechamento de hotéis, locais turísticos e a impossibilidade de fazer viagens. Foi preciso pensar em alternativas para driblar a crise inesperada. 
O desafio Inova Oeste apareceu como uma oportunidade para desenvolver novas ideias e soluções inovadoras. O projeto de Edna e João foi aprovado e três meses depois já iniciaram um novo empreendimento, com o apoio do Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR): um minimercado com sistema inteligente que permite o cliente comprar sozinho (self-checkout), na comodidade de seu condomínio. 
A iniciativa começou em São José dos Pinhais (PR), em seguida já foi expandida para Foz do Iguaçu. O sistema causou um impacto tão positivo que rapidamente já surgiram propostas em outras cidades, inclusive para franquias. 
“Já na inauguração da primeira unidade fomos procurados para a venda de franquias. Abrimos um novo horizonte para um mercado muito maior que não imaginamos, a princípio. Hoje, com o apoio do Parque Tecnológico, já temos um modelo de franquia. Atualmente são 4 franquias em funcionamento na região de Curitiba, 15 unidades em Foz do Iguaçu, uma em Manaus e outra em Toledo. Até o final do ano estaremos com cerca de 30 unidades”, comemorou Edna Pelegrini de Sá, CEO da BitMarket. 
De acordo com João Felipe Santos, gerente técnico da BitMarket, a ideia de desenvolver minimercados autônomos, dentro de condomínios, foi promover maior segurança e comodidade para as pessoas durante o período de pandemia.  
“Oferecemos itens de cesta básica, produtos de limpeza, produtos alimentícios. Nosso trabalho é baseado na confiança e honestidade, pois é um sistema de self-checkout. A pessoa pega os produtos numa prateleira ou refrigerador e paga em um totem com cartão de crédito ou de débito. Nosso controle é feito a partir de câmeras e de vendas”, explicou João Felipe. 

Incubação 
Os sócios da BitMarket destacaram a importância do processo de incubação para os resultados da empresa. 
“Entrar no ecossistema do PTI nos ajudou a amadurecer o negócio. Tivemos várias consultorias e parcerias para melhorar nossos serviços. O apoio do PTI foi fundamental, pois tivemos suporte para selecionar e depurar melhor as ideias. Com isso tomamos melhores decisões e conseguimos crescer em pouco tempo”, Edna.  
De acordo com o analista de negócios do Parque Tecnológico, Wilmar Ribeiro Junior, a Bit Market é uma solução com grande potencial, com uma equipe com perfil multidisciplinar e bem alinhada a nova dinâmica e padrões do mercado. 
“Nosso trabalho consistiu em ajudar a modelar o empreendimento para escala e contribuir para que a empresa posicionasse seu negócio estrategicamente”, disse Wilmar. 

Inauguração no PTI-BR 
No dia 08 de dezembro, será inaugurada uma das soluções do BitMarket no PTI-BR. O minimercado vai atender todo o ecossistema do Parque Tecnológico. 
Buscando suprir as demandas específicas, a BitMarket adaptou sua solução para oferecer mais opções alimentícias (lanche natural, salgados, brownie no pote e máquina de café).

Assessoria
Foto: Bit Market

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas