Drenagem no Jardim São Luiz já tem 95% das obras concluídas


- Por: Redação 1

Drenagem no Jardim São Luiz já tem 95% das obras concluídas
A previsão é que os trabalhos sejam concluídos nas próximas semanas.

As grandes obras de drenagem da Prefeitura de Foz do Iguaçu na bacia do Rio Mimbi para acabar com os problemas históricos de alagamentos no Jardim São Luiz já atingem mais de 95% de execução. A previsão é que os trabalhos sejam concluídos nas próximas semanas. 
“A execução destas obras para acabar com os problemas de alagamentos nesta região atende aos compromissos que firmamos com os moradores. São serviços extremamente complexos, mas que já estão na fase final”, disse o prefeito Chico Brasileiro. 

“Não tenho palavras pra descrever o quanto essa obra está sendo importante para nós da região, que sofremos por mais de 20 anos. Só temos que agradecer ao prefeito Chico Brasileiro, vereador Rogério Quadros e a todo o poder público pela atenção dada a nossa região”, comemorou o morador do Jardim São Luiz, Celso Gomes. 
Na tarde de segunda-feira (05), o secretário municipal de Obras, Cézar Furlan, esteve no local, acompanhando o andamento dos trabalhos: “Por conta dos aspectos do solo argiloso, afloramento de rocha e residências próximas ao canteiro de obras, foi um grande desafio fazer esta canalização. Mas, com muito trabalho e dedicação, chegamos à etapa final”, comemorou o secretário. 

Alta complexidade

A obra de drenagem na bacia do Rio Mimbi é uma das mais complexas em andamento executadas por uma prefeitura no Estado do Paraná. Dividida em três fases, as intervenções da Prefeitura envolveram a construção de um lago de contenção, canalização do Rio Mimbi, além da construção de dezenas de bueiros, entre outros serviços.

Por conta das dificuldades, em alguns pontos foi necessária a utilização de artefatos explosivos para fazer o rompimento das rochas. 
Com recursos da Caixa Econômica Federal, adquiridos por meio do programa de Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa), o investimento do município na obra é de R$ 6,8 milhões. 

AMN

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas