Demissões na Prefeitura agravam a crise econômica em Ciudad del Este


- Por: Reciel

Demissões na Prefeitura agravam a crise econômica em Ciudad del Este

A crise econômica em Ciudad del Este, tende a se agravar. A Prefeitura iniciou esta semana a demissão de quase 900 servidores contratados nos últimos três meses, no governo interino da ex-prefeita Perla Rodríguez. Nos últimos 12 meses, o aumento do dólar espantou os consumidores, levando ao fechamento de mais de mil lojas do centro comercial e o encerramento de até seis mil postos de trabalho. Ao todo, a Prefeitura irá exonerar 861 pessoas, segundo lista elaborada a partir de contratos assinados nos últimos três meses, procedimento ilegal, uma vez que não havia previsão orçamentária correspondente. Se mantivesse todos os contratados, o recém-eleito Miguel Prieto, não teria como pagar salários e 13° já a partir de agosto. De acordo com a imprensa paraguaia, para a função pública, a legislação trabalhista do país proíbe a contratação de funcionários sem contar com previsão orçamentária. A norma estabelece ainda que os primeiros seis meses de trabalho são considerados período de experiência, e qualquer das partes pode rescindir o contrato. Ronildo Pimentel / Foto: La Nacion

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas