Decreto de Jair Bolsonaro qualifica o aeroporto de Foz para privatização


- Por: Reciel Rocha

Decreto de Jair Bolsonaro qualifica o aeroporto de Foz para privatização

O Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu - Cataratas está qualificado para o Programa de Parcerias de Investimento (PPI) do Governo do Federal. A medida está prevista no Decreto 9.972 do presidente Jair Bolsonaro, publicado nesta quinta-feira (15) no Diário Oficial da União (DOU). A estrutura, que está recebendo obras de melhorias e ampliação, integra o Bloco Sul dos terminais aeroportuários que serão leiloados até o segundo semestre de 2020.
O decreto de Bolsonaro inclui empreendimentos aeroportuários, rodoviários, ferroviários, portuários e hidroviários no Programa Nacional de Desestatização (PND). Além do terminal de Foz do Iguaçu, outros três aeroportos do Paraná também estão qualificados - o Afonso Pena em São José dos Pinhais na região de Curitiba, Governador José Richa, em Londrina e do Bacacheri, em Curitiba.
O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, já havia adiantado em junho deste ano, a intenção do governo federal de transferir todos os aeroportos da Infraero para a iniciativa privada. De acordo com ele, na ocasião, a ideia é passar tudo para o setor privado até 2021.
A União estima arrecadar mais de R$ 2,2 bilhões com as concessões de nove terminais aeroportuários do Paraná, Santa Catarina (dois) e Rio Grande do Sul (três). De acordo com o programa de privatização, o lance inicial para a concessão do Aeroporto de Foz do Iguaçu, para um prazo de 30 anos, será de pouco mais de R$ 479,7 milhões. 
A informação tem como base um estudo encomendado pelo Departamento de Políticas Regulatórias, Secretaria Nacional de Aviação Civil e Ministério da Infraestrutura, sob a coordenação da servidora Michele Cerqueira. A análise do Bloco Sul de concessões de aeroportos atendeu solicitação do Instituto de Engenharia do Paraná (IEP).

Ronildo Pimentel / Foto: Infraero

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas