Dá-lhe bagunça


- Por: Redação 1

Dá-lhe bagunça

Prezado Corvo, que mão de obra teremos para andar pelo setor Sul da cidade hein? A TV até que tentou ilustrar os percursos, mas é difícil saber no que isso vai virar. Que tristeza. 
Rubens V. V. Cardoso

O Corvo responde: para este colunista não é novidade, porque todos os dias é preciso passar pela obra e lidar com os obstáculos por ela impostos. Mas como diz a mãe do Corvo, depois que ficar pronto nem lembraremos dos incômodos. Ou será que não lembraremos mesmo? 

Retornos
Então vamos pensar: quem mora no Carimã e quiser chegar até a Av. Morenitas, terá que fazer o retorno na altura do Shopping Catuaí. Os comerciantes do Porto Meira estão espumando de raiva. 

Para o centro? 
E quem vem da Argentina e pretender seguir para o Centro de Foz, terá que entrar na BR 469, na direção das Cataratas, praticamente passar pela recepção do Hotel Carimã e fazer o contorno. Pensa a bagunça?  

Urbanismo e mobilidade
O Corvo recebeu uma porção de notas envolvendo o trânsito no Jardim São Paulo e adjacências. Foi preciso bastante fôlego para entender o que acontece. Dona Foztrans que dê um jeito logo. Nada pessoal, mas foi preciso circular pelos locais mencionados para entender a dor de cabeça nos motoristas. 

Tranca Rua
Corvo. O que está acontecendo lá no Foztrans? Será que estão consultando a equipe técnica antes de trancar trechos e tumultuar ainda mais o trânsito? O povo está “p” da vida com esses tranca-ruas.

(João Dantas – Parque Presidente)

O Corvo responde: João, o corvo conhece os técnicos do Foztrans e não acredita que estejam dando aval para muitas situações que vem ocorrendo. Aliás, várias pessoas já mandaram reclamações aqui. Lembramos que uma das primeiras foi o fechamento de um acesso da Avenida República Argentina para o Distrito Industrial, logo depois da Avenida Mário Filho, ali na área do Bairro 1º de Maio. Fecharam o acesso e abriram um retorno meia quadra antes, porém não é na esquina. É bem no meio da quadra mesmo. Agora os carros se enfileiram numa pista antes de entrar no retorno e se tenta atravessar é preciso acessar a pista do outro lado e só então entrar à direita. Se era para reduzir o trânsito pelo meio do bairro, deu tudo errado. Agora, o trânsito continua pelo bairro, em rua ainda mais estreita e a manobra na Avenida República Argentina complicou ainda mais.

Mais “tranca rua” 
O corvo também recebeu reclamações do povo que transita entre o Jardim Panorama, Jardim São Paulo, Bela Vista, Lindóia e adjacências. Com o asfaltamento de várias vias do Jardim São Paulo, a rua Marta Feiertag, se tornou uma opção para desafogar o complicado trânsito na rua Moreira Andrion – aquela com semáforo nos cruzamentos das avenidas João Paulo II e Francisco Ludolf Gomes. Quem saía do condomínio Mega Vila e demais bairros próximos, com destino ao centro, entravam na Feiertag na altura da Pôr do Sol e seguia até a João Paulo II.

Abaixo assinado
Quem não gostou foram os moradores de um trecho da rua no Panorama. Com um abaixo assinado, o Foztrans resolveu trancar a rua Marta Feiertag no referido trecho. Ocorre que o Panorama não é um condomínio fechado, ou seja, as vias devem atender a coletividade e não apenas um grupo. O pior é que transfeririam o fluxo para outra rua do Panorama, com mais sobrecarga nas avenidas. Isso resultou que parte do movimento passou a congestionar ainda mais a rua Moreira Andrion, ou seja, só piorou.

E dá-lhe mais TRANCA RUA!
Se chovem reclamações para a coluna do Corvo, o povo do Foztrans deve ter aberto guarda-chuvas. Depois de uma lombada elevada, construída em cima do acesso de uma empresa de serviços nas proximidades do estádio ABC, problema que persiste até hoje, o instituto resolveu criar outro pepino na rotatória da Avenida Costa e Silva. Por ser justamente uma “rotatória”, uma das funções seria dar vazão para o trânsito em todas as direções. Na contramão dessa lógica, segundo dizem, o Foztrans trancou uma das saídas da rotatória para o Parque Presidente. Resultado: Nos sentidos centro/bairro e Morumbi/Parque Presidente, quem se dirige a um supermercado de grande movimento pelas proximidades, passou a ser obrigado a entrar pelas vias da rodoviária, disputando espaço com os ônibus e outros veículos de carga e descarga. 

Pior ainda...
...os motoristas precisam fazer o retorno pelo viaduto complicando ainda mais o trânsito, bem num local que registra congestionamentos gigantescos em horários de rush. Outro dia o corvo ouviu as explicações do Foztrans, mas o problema é saber se elas convencerão a população. Segundo este pássaro soube ontem no final da tarde, o prefeito deve adotar providências sobre esses assuntos. E também fica o questionamento do corvo. Cadê os vereadores, representantes do povo? O corvo espera respostas! 

Bibiana pré-candidata
Alinhada ao Podemos, partido do lorde Paulo Mac Donald e dos senadores Álvaro Dias, Flavio Arns e Oriovisto Guimarães, a policial federal Bibiana Orsi, se animou e pretende disputar as eleições para a Câmara Federal. Nesta quarta-feira, 22, à noite, acontece um ato de lançamento da pré-candidatura nas dependências do Hotel Recanto. O corvo fica contente quando vê as mulheres ocupando espaço na política. E deseja boa sorte para Bibiana.

As eleições e a logística fronteiriça
O corvo vem acompanhando as movimentações políticas deste ano e prestando atenção em algumas bandeiras. O vereador João Morales, que na semana passada lançou pré-candidatura a deputado federal pelo União Brasil, vem defendendo um aproveitamento maior do potencial da logística de fronteira diante do intenso movimento de importação e exportação. 

Na prefa
Acontece que esse movimento já resultou na criação de um departamento específico na estrutura administrativa da prefeitura, e lá estão tratando do assunto. É um avanço. Chamando as pessoas certas para cuidar do departamento, a cidade tem muito a ganhar.

Potencial do Comércio Exterior
O corvo conversou com João Morales para entender melhor a proposta. O vereador “enxerga” o comércio exterior como “potência no desenvolvimento sócio-econômico da cidade e da região”. A começar pela criação de um setor específico para tratar do assunto é uma medida que segundo Morales, “trará uma melhor visibilidade e resoluções nos problemas enfrentados no dia-dia, como o fluxo de liberações de cargas, representatividade municipal nas discussões buscando sempre melhor fluidez nas operações”. Ele revelou que as atividades de comércio exterior respondem atualmente pela segunda maior arrecadação de impostos e geração de empregos diretos e indiretos. A gente já sabia, mas foi bom ouvir isso do vereador. Ele apontou que o comércio exterior na cidade equipara-se, e no momento até mesmo supera o setor de Turismo em razão do período pandêmico.

Negócios e crescimento
João Morales lembrou que “temos o maior porto seco da América Latina em movimentação de cargas. A expectativa é de que em breve será feita a licitação das novas instalações, como também a conclusão da construção da Segunda Ponte e da Perimetral Leste, além da possibilidade da Ferroeste, ampliação nas estruturas portuárias para aproveitamento hidrográfico, ampliação do aeroporto e criação do hub logístico”. Na opinião do vereador, “isso vai transformar nossa cidade em balcão de negócios internacionais, dando oportunidade para empresas que transformam matéria prima em produtos beneficiados, commodities - em produto final - trazendo a oportunidade da criação de emprego e renda, aumento do ISS como também do ICMS. Nossa cidade está em um ponto estratégico, não podemos mais ser um ponto de passagem de produtos, e sim em uma grande potência econômica e transformadora de produtos e pessoas através das oportunidades”.

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas