Coligação tenta impedir publicação de pesquisa contratada pelo GDia


- Por: Redação 2

Coligação tenta impedir publicação de pesquisa contratada pelo GDia
(Foto: Divulgação)

A empresa jornalística GDia contratou uma pesquisa eleitoral para apurar o atual estágio da corrida à prefeitura de Foz do Iguaçu. Levando em conta o resultado de outros apanhados e que estão sendo largamente utilizados em propaganda dos candidatos, bem como nos horários eleitorais, este meio de comunicação, por seriedade e responsabilidade, resolveu investir na contratação da empresa Alvorada Pesquisas, com a finalidade de um parâmetro mais seguro sem a intenção, a princípio, de divulgar o resultado. Apesar disso, o registro foi devidamente realizado sob o número PR-06990/2020, constante do Sistema de Pesquisas Eleitorais do TSE, e, com prazo, em caso de divulgação. Tudo foi feito em conformidade com os ritos necessários.

A Coligação “O Trabalho Continua” alegou, “em apertada síntese” que não foram respeitados os requisitos legais para registro e divulgação da pesquisa eleitoral, constantes na Lei nº 9.504/1997 e na Resolução TSE nº 23.600/2019, na forma de várias irregularidades. 

Em seu despacho, o Juiz Eleitoral Wendel Fernando Brunieri indeferiu o Pedido de Liminar que pretendia suspender a divulgação da pesquisa e também negou que a coligação acessasse os dados, em razão da suposta inadequação.

Não foi com surpresa que o jornal Gdia recebeu a notícia sobre a tentativa de impugnação do serviço contratado, afinal de contas, isso faz parte das diatribes políticas e eleitorais, onde partidos e coligações tentam acomodar o ambiente em acordo com suas preocupações. Isso às vezes, pode distorcer a realidade e induzir eleitores ao erro.

Lamentamos apenas, que uma atitude assim originou-se de uma banda política ligada à administração municipal, que durante os últimos anos, ganhou inconteste e total espaço neste veículo impresso divulgando as ações governamentais. Confiamos nas ações e por meio da nossa credibilidade, ampliamos os atos públicos. Lamentamos a falta de confiança, no momento em que os cidadãos desta cidade, mais esperam pela verdade, que por fim, se revelará nas urnas no próximo dia 15 de novembro.  

Apesar da medida considerada normal, o que não esperávamos era a preocupação ou qualquer espécie de medo com um simples apanhado de informações envolvendo 700 consultados, cidadãos desta cidade; num intervalo de confiança projetado em 95% e, margem de erro estimada em 3,7%. Temer um resultado assim, seria fechar os olhos para a realidade. 

Depois do episódio, a direção do GDia resolveu publicar a pesquisa, que conforme entendeu o juiz eleitoral, não há a menor dúvida de sua veracidade e nem das técnicas empregadas na apuração. Quem validou isso, afinal, foi a Justiça. 

Leia a decisão judicial na íntegra clicando aqui

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas