Coisa de bicho


- Por: Redação 1

Coisa de bicho

O requerimento do vereador Galhardo que transita pelos corredores da Câmara, pede "informações" sobre a desativação do zoológico Bosque Guarani. O assunto deixa muita gente de cabelo em pé. O líder do governo, Kalito Stoeckl, tratou de explicar que o espaço não é mais adequado para abrigar animais e, por isso, é necessário arranjar outro local. A questão é que isso não é fácil e o processo é demorando. Se depender de algumas pessoas, os bichos já estariam soltos nas matas da região. 

30 horas em debate
O Legislativo está matando no peito o debate sobre a jornada de 30 horas para os profissionais de enfermagem e realizou uma boa audiência pública, proposta pela vereadora Anice Gazzaoui. O problema é que o assunto é antigo, quase igual um bode na sala do Prefeito (que também já defendeu publicamente a redução de jornada) mas esbarra em questões burocráticas. O próprio Secretário de Administração, Nilton Bobato, foi à Câmara e chamou a causa de "justa" mas completou "o problema é que o programa saúde da família estabelece o cofinanciamento somente com as 40 horas, então somente uma Lei federal resolveria isso". Ou seja, o debate ainda vai longe...  

Temporada de apócrifos 
Há quem diga que corre pelo corredor da Câmara ao menos três tabloides apócrifos e escritos para atacar os vereadores. Na verdade, e ao que parece, o efeito é dominó e a cada semana surge mais um, respondendo o anterior. Isso nunca acaba. Por razões assim, esta coluna recomenda aos leitores que gostam de política, que acompanhem os veículos sérios, porque além de possuírem nome, mantém credibilidade. A boa imprensa pode até ser recheada de humor, como o Corvo faz, mas, sempre, com responsabilidade. 

Cachorrada
Duas agendas prometem movimentar a cachorrada e a gataiada nos próximos dias. Na sexta, uma audiência pública na Câmara, vai debater a Leishmaniose, que é endêmica na cidade e, no domingo, organizado pela Prefeitura, um evento chamado Rockão vai acontecer na Feirinha da JK, abrindo a Semana Municipal da Proteção e Bem-Estar dos Animais. 

Visitantes eleitorais
No embalo pré-eleitoral, agora é a vez da Deputada Federal Gleisi Hoffmann começar a circular na cidade. Ela, que já foi vista algumas vezes por aqui nos últimos meses, começa uma série de entrevistas e visitas mais políticas. Ao que parece, a cidade ganha um novo "visitante" toda semana. É bom os candidatos locais se espertarem, porque como aconteceu nos últimos anos, os votos podem voar daqui para outras bandas. 

Ponte aberta
A região está em festa com o anúncio da reabertura da Ponte da Fraternidade, e, com a possibilidade de a turma ir dar uma dentada num bife de chouziro, tomando um vinho ou cerveja de litrão na feirinha de Puerto Iguazú. Sem falar que isso vai ajudar, em muito, o turismo de Foz. Aos poucos a vida vai voltando ao normal e o futuro retomando seu rumo. Boa notícia!

70% das obras
Se a nova ponte já chegou aos 70%, o que falta é o vão livre. As colunas de concreto são monumentais e serão mais um cartão postal à incrementar o horizonte. 

Natal de Luzes
Estamos beirando outubro e a Decoração de Natal está roubando a cena. O Corvo viu uma porção de fotos e matérias nos veículos e redes sociais. O Natal parece mesmo ser o da retomada! E será, um dos mais bonitos dos últimos tempos. 

Futebol feminino
Eis que num final de semana, ou melhor, num domingo, o maridão desta Corva que vos escreve, estava doidinho procurando um canal de Tv que transmitisse o jogo entre Corinthians e Palmeiras, só que entre mulheres. Francamente elas estão correndo atrás da bola com muito mais categoria. 

Palavra Livre
O nosso colega Beto Maciel escorregou e torceu o pé. O incidente tirou ele de cena e por tabela a coluna Palavra Livre, que vinha alegrando e informando os iguaçuenses, com os acontecimentos políticos em todo o Estado. Mas ele já avisou que volta a enviar a coluna ainda nesta semana.

Viagem das arábias
Há quem diga que o prefeito Chico anda escolhendo a comitiva para uma possível viagem à Dubai, nos Emirados Árabes. Já há uma disputa entre assessores, diretores e secretário, pelas poucas vagas disponíveis. Estamos acompanhando e vamos divulgar aqui a seleta lista de escolhidos. Um aviso: lá bebida alcoólica sói se for embaixo da cama. 

Shawarma
Quem anda pela Avenida Brasil, no final de tarde, já viu que o local anda muito movimentado nos últimos dias. Esta colunista que vos escreve, descobriu, que as reuniões que acontecem na pastelaria em frente à Câmara, pela manhã, também são realizadas em frente uma barraca de "shawarma". Dia desses, dois "políticos influentes" e dois assessores estavam ali, debatendo temas importantes da cidade. Olhando para as colunas de carne, igual cachorro olha para as máquinas de frango assado. 

Agenda lotada 
Tem vereador da base fazendo berreiro, reclamando que não consegue reunião com o Prefeito de jeito nenhum e que o Chefe do Executivo, está sempre ocupado. Um deles confidenciou a esta colunista, que só apareceu no Orçamento Participativo para arriscar uma conversa “de pé de ouvido” com o alcaide. Mesmo assim não conseguiu. Que empenho hein? 

O motivo 
Um dos motivos, segundo interlocutores, é o excessivo número de pedidos da Câmara para a Prefeitura, ou seja, as famosas indicações, que foram se acumulando e agora a população está cobrando. Tá difícil. 

Como funciona?
Cada vez que um vereador visita alguém, ou, alguém visita um vereador, isso gera uma demanda; e para não dizer “não”, o edil faz uma "indicação" e depois fica andando pelo bairro com o papel assinado, dizendo que já mandou a batata quente para as mãos do prefeito. Mas como o próprio nome já diz, a “indicação” não é nada mais que um pedido. Como a prefeitura tem seu cronograma de trabalho, na maioria das vezes o pedido não é atendido. "Tem lugar que eu nem tenho coragem de voltar", confidenciou um parlamentar.

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas