Chuva causa alagamentos e deixa carros submersos em Foz


- Por: Redação 1

Chuva causa alagamentos e deixa carros submersos em Foz
Rio Boicy transbordou e inundou casas; família de sete pessoas ficou ilhada 

A forte chuva registrada na tarde de terça-feira (12) causou diversos transtornos em Foz do Iguaçu. O grande volume de água alagou vias e inundou casas em vários bairros da cidade. Dentre os locais mais afetados está a Rua João Rodrigues Ferreira, no bairro Cidade Nova; Rua Perdigão, na Vila A; Avenida Juscelino Kubitschek; e outros pontos no Jardim Primavera. 

De acordo com o Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), em apenas 30 minutos foram registrados mais de 60 milímetros de chuva no município. Desde o dia 1° de janeiro já foram computados 176 milímetros de pluviosidade acumulada. Esse volume já é superior à média esperada para todo o mês, que era de 173 milímetros. 

“A aproximação de uma frente fria deixou a tarde abafada e instável em grande parte do Paraná. O calor e a umidade contribuíram para a formação de tempestades isoladas, intensas e de curta duração como a registrada em Foz”, explicou a meteorologista, Ana Luisa Souza Castanheira da Cruz.

A chuva realmente foi rápida, mas os estragos foram grandes e mobilizaram equipes da Defesa Civil e Corpo de Bombeiros. Populares registraram algumas ocorrências em vídeos e fotos. Uma imagem divulgada nas redes sociais mostra uma viatura da Polícia Militar submersa em meio uma grande “piscina” formada pela chuva. Esta situação foi registrada na Avenida República do Líbano, no bairro Jardim Jupira. Outros veículos também foram arrastados pela enxurrada na região do bairro Vila Portes. 
O Rio Boicy, que atravessa várias regiões de Foz, transbordou com o grande volume de água. Vários imóveis foram inundados e os moradores ficaram no prejuízo com a perda de móveis e outros objetos. Uma família de sete pessoas está entre as vítimas. A Defesa Civil ofereceu abrigo aos atingidos, mas eles optaram por permanecer na residência. 

Também foram registradas quedas de árvores em alguns pontos. Equipes da empresa Vital fizeram o corte e o recolhimento dos galhos. Cabos elétricos foram derrubados e parte da cobertura de uma casa despencou. Na Rua Itararé, na região Norte, um muro cedeu com a força da água. Por sorte não houve feridos. Na Rua Perdigão o portão de uma casa também caiu.
Para auxiliar no mapeamento dos locais com maior risco de alagamentos, a Defesa utilizou um sistema de monitoramento por câmeras do Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM). Agentes da Guarda Municipal auxiliaram nas ações. Até o fechamento desta edição, as equipes ainda estavam na rua fazendo o levantamento dos estragos. 

Informe da prefeitura 
Em nota, a Prefeitura Municipal informou que o vice-prefeito, delegado Francisco Sampaio, acompanhou todas as ações da Defesa Civil na tarde de ontem. Em muitas regiões, foi verificada grande quantidade de lixo descartado de maneira irregular, o que dificulta o escoamento da água da chuva. 
Conforme o município, o mapeamento dos pontos críticos da cidade vem sendo feito por um grupo técnico da Secretaria de Planejamento e Defesa Civil, a fim de elaborar projetos que resolvam os problemas. 
A Prefeitura afirma ainda que já concluiu obras de drenagem no Vale do Sol, Jardim Evangélico e na região do Distrito Industrial. Estão em andamento obras no Jardim São Luís, Jardim Central, Profilurb e Jardim Lancaster. 

Da redação 
Fotos: redes sociais 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas