Centro Integrado de Operações de Fronteira de Foz vai atender todo o país, diz Sergio Moro


- Por: Redação 1

Centro Integrado de Operações de Fronteira de Foz vai atender todo o país, diz Sergio Moro
O ministro Sérgio Moro inaugurou o Centro Integrado de Operações de Fronteira (CIOF) de Foz no dia 16 de dezembro

O Fusion Center, como é tratado o Centro Integrado de Operações de Fronteira (CIOF) de Foz do Iguaçu inaugurado no dia 16 de dezembro de 2019, vai se valer da posição estratégica da Tríplice Fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina, para atender todo o país. "Será ele o nosso laboratório para integração das agências de aplicação da lei na Justiça e Segurança Pública", disse o ministro Sérgio Moro.
"Acreditamos que é um modelo promissor", ressaltou Moro, em entrevista ao Estadão.  O CIOF, em uma área de 600 metros quadrados no Parque Tecnológico Itaipu (PTI), recebeu investimentos de R$ 2,9 milhões de Itaipu Binacional. A estrutura é inspirada na experiência dos EUA dos Fusions Centers, que reúnem em um mesmo local representantes e bancos de dados de diversas agências encarregadas da aplicação da lei e da segurança pública.
Moro destacou, ao jornal que o Centro Integrado já reúne agentes das polícias Federal e Rodoviária Federal, Receita Federal, polícias locais, Coaf, Depen, entre outros. "E a lista tende a aumentar", ressaltou. "Integramos assim inteligência e bancos de dados de diversas agências. Isso vai incrementar a velocidade de investigações e operações". 
A legislação existente no país, de acordo com o ministro, é suficiente para o centro operar. "O centro, apesar de estar em Foz, atenderá todo o país, pois a região da Tríplice Fronteira é estratégica", afirmou. O Fusion Center é, na prática, uma força-tarefa permanente dedicada a combater certos tipos de crimes, disse. 

Ampliação
No caso, o Centro Integrado de Operações de Fronteiras irá combater os crimes transnacionais, de fronteira. Nada impede, de acordo com Moro, que a experiência seja replicada com outras finalidades, como a criação de um centro dedicado ao enfrentamento do crime organizado em uma região específica. 
"Mas ainda queremos aprender com o modelo de Foz do Iguaçu, antes de ampliar a experiência", explicou o ministro, ao responder sobre a possibilidade de montar estruturas semelhantes em regiões de insegurança no Rio de Janeiro e São Paulo, por exemplo.
Juiz de Garantias

Ronildo Pimentel
Foto: Geraldo Bubniak AEN

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas