CCZ estuda inseticida para driblar falta de veneno do fumacê em Foz


- Por: Reciel Rocha

CCZ estuda inseticida para driblar falta de veneno do fumacê em Foz
O CCZ  está desde maio deste ano sem receber o inseticida usado no fumacê

Os técnicos do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Foz do Iguaçu estão agilizando estudos de um novo inseticida para combater o mosquito transmissor da dengue e outras doenças durante o verão. As altas temperaturas do período, aliadas a incidência de chuvas, facilitam a proliferação do Aedes aegypti que ocorre, na maioria das vezes, dentro dos quintais das casas. Nos últimos três meses, a cidade teve 61 casos confirmados da doença.
O CCZ de Foz do Iguaçu está desde maio deste ano sem receber, do Ministério da Saúde, o produto utilizado nos veículos para produzir o fumacê. A estratégia, que ajuda no controle do mosquito, consiste em passar um carro que emite uma 'nuvem' de fumaça com baixas doses de agrotóxico. A técnica é utilizada em períodos de epidemia de doenças como a dengue, a zika ou a chikungunya. 
De acordo com o presidente do Comitê Municipal de Combate e Controle da Dengue, Jean Rios, os testes estão na eminência de serem concluídos. A metodologia Aerosystem será aplicada até a normalização do fornecimento do inseticida pelo Ministério da Saúde, problema que ocorre em nível nacional, informou.
"A metodologia consiste em um inseticida a gás para ser aplicado dentro das casas", destacou Rios. O presidente do Comitê informou que o produto está sendo analisado por uma equipe do CCZ, capacitada para esse tipo aplicação. "Que é a chamada OI - operações com  inseticidas", ressaltou.

Ronildo Pimentel

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas