Brasileiros voltam movimentar Ciudad del Este após 7 meses de ponte fechada


- Por: Redação 1

Brasileiros voltam movimentar Ciudad del Este após 7 meses de ponte fechada

A boa presença de compradores brasileiros nas ruas, shoppings centers e galerias movimentou o comércio e animou os empresários de Ciudad del Este. Foi o primeiro final de semana após quase sete meses de fechamento da Ponte Internacional da Amizade, que liga a cidade com Foz do Iguaçu. As fronteiras entre Brasil e Paraguai foram reabertas na última quinta-feira (15) após um acordo entre os presidentes de ambos os países.

"Muito bom abrir a ponte de novo", disse o agente cultural Giovani Fagundes, que aproveitou as primeiras horas logo após a reabertura para ir até Ciudad del Este. "Fui mais para ver como estão os preços e reencontrar umas pessoas que não encontrava há mais de sete meses", completou. Segundo ele, "está a mesma coisa de antes" e a maioria não usa máscaras, conforme previsto nos protocolos de reabertura.

Para quem vai as compras em Ciudad del Este, é importante ficar atento a duas regras - só é possível passar a ponte a bordo de um veículo (carro, moto...) e estrangeiros tem até as 14h para entrar no Paraguai. Com as novas regras, que valem até dia 30 de outubro, muitos compradores cruzaram a fronteira de madrugada, começando a fazer suas compras nas lojas ao abrir as portas. 
A imprensa lembrou que a desvalorização do Real é um problema a mais para os brasileiros, alguns itens ficaram caros. Mas o clima tranquilo e ainda de euforia com a reabertura da fronteira. Em muitos locais se formaram filas para atendimento nos meios do protocolo sanitário obrigatório. Mesmo com o Dólar alto, a perspectiva geral é de que o fluxo de compradores melhore com o passar dos dias.

Recuperação
"Para nós é um grande sucesso, depois de 7 meses sem trabalho. Nossos colegas ganharam um pouco de dinheiro, alguns estão ganhando 130 a 150 mil guaranis por dia e isso é uma conquista muito grande", disse Éver Olmedo Alemán, líder dos mototaxistas. Que completou: "É o que esperávamos, sempre quisemos trabalhar, vamos deixar de pedir uma migalha ao Governo e começar o caminho para recuperar o que foi perdido".
Enrique Rolón, da Federação dos Taxistas de Ciudad del Este, disse que todos os associados estão trabalhando. Ele informou que tem clientes que ainda não puderam comparecer, mas que vão preparar a viagem para a fronteira ao longo da semana. 
"Estamos trabalhando, os colegas estão começando de novo a trazer dinheiro para casa. Com a resolução dessa questão de não podermos voltar ao país depois das 14h, temos mais possibilidades de trabalhar, estamos bem e esperamos que as coisas melhorem mais", resssaltou Rolón.


Ronildo Pimentel / Foto: Última Hora

 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas