Banda iguaçuense lança produção independente durante a pandemia


- Por: Redação 1

Banda iguaçuense lança produção independente durante a pandemia

A banda paranaense “Cidrais”, após participar do projeto Aceleração Musical Labsonica, lançou na última sexta-feira (11), o novo single “Talvez” em todas as plataformas digitais. Produzida de forma independente, durante a pandemia, a música autoral é um exemplo do fortalecimento da arte e da poesia entre os jovens, além de ser um exemplo de criação com os limites de isolamento social.

 Segundo a banda, por ser composta por três irmãos, a frequência dos encontros não teve impacto durante o isolamento. Para Larissa Cidral, Binho Cidral e Vinicius Cidral, a arte ultrapassa as barreiras da dificuldade, mas comentam a realidade de fazer as produções no meio de uma pandemia. “Nós temos tomado todos os cuidados para realizar os projetos, contamos com equipe reduzida, tripés e ajuda de pouca gente. Nós mudamos a forma de fazer as produções, mas não mudamos nosso conteúdo”, diz Vinicius.

 “Nós somos muito próximos e procuramos juntos uma forma de ressignificar  a quarentena e encontrar alguma estabilidade nesse momento”, comenta Larissa.
 “A arte independente acontece de uma maneira muito autônoma e estamos descobrindo um caminho e construindo ele no agora”, explica Binho.

 O single foi apresentado, em primeiro momento, no Festival Labsonica – Edição Toca do Bandido – festival nacional online em parceria com a Oi Futuro. A Cidrais, única banda selecionada no Paraná, participou do projeto Aceleração Musical Labsonica junto com outros 20 artistas independentes de diversos estados do Brasil.

 Na música – agora disponível em todas as plataformas – a banda mistura um violão minimalista que, somado ao som grave dos beats produzidos por Gabriel Muller (Quintal Produções), apontam para novos horizontes mais experimentais da banda, trazendo uma reflexão profunda sobre as relações pessoais e a realidade. O som grave, a reflexão em ciclos, o tempo de introdução, cada detalhe contam e revelam as sensações dúbias propostas pela composição-poema de Vinicius Cidral – membro da banda.

 “Circular  em novos nichos e ampliar o reconhecimento do trabalho é o anseio do coletivo. Com o lançamento do single ‘’Talvez”, poderemos ampliar a fanbase e alçar voos ainda mais altos com o projeto autoral e o fortalecimento da poesia independente jovem brasileira”, comenta a banda. “Estamos abertos a trocar e evidenciar as fragilidades para construirmos caminhos de fortalecimentos coletivos e conscientes”.

 O projeto artístico de Talvez conta, ainda, com o diretor Felipe Fonseca, do Estúdio 172, que dirigirá o projeto recentemente selecionado pelo edital Sesc Convida para a produção de um videoclipe.
 
Um dos objetivos do projeto é fortalecer a cultura como um canal de transformação. “Quando passamos pelo processo de luta contra o câncer com a nossa mãe encontramos na música, na troca sensível, esse refúgio e uma potência individual e coletiva”, diz Vinicius Cidral.
Conheça a Cidrais
 
A Cidrais é uma banda de irmãos e um coletivo de arte. Desde muito cedo, Vinicius, Larissa e Binho Cidral criam de maneira livre e criativa suas composições e arranjos. Naturais de Foz do Iguaçu, foi em 2013 que os irmãos, pela primeira vez, se formaram como conjunto musical, na cena alternativa de Porto Velho, Rondônia, em um festival de rua chamado “Acústico Lo-Fi”. Mas foi em 2016, já em Curitiba, que os três decidiram se dedicar às composições autorais, mesclando sons de MPB, POP e Indie.
 O processo de desenvolvimento como banda se deu durante o tratamento de câncer da mãe dos artistas. A dor, o dom e a criatividade foram atributos em comum entre os irmãos. Fizeram da arte um refúgio. Das músicas, acalento. Além de servir como consolo e uma forma de encarar um momento delicado de forma mais leve, os irmãos cativaram, com suas composições, familiares, amigos e até outros pacientes.

 As composições de Vinicius Cidral ganharam forma e contundência nas vozes de Larissa Cidral e Binho Cidral. Foi dessa forma que transformaram um momento delicado em algo bonito e artístico, como o fazem hoje durante a pandemia.
 O período vivido pelos irmãos resultou nos primeiros trabalhos da Cidrais. O EP ACALENTO (2018) e EP AFLORAR (2018), frutos da produção colaborativa e independente, apresentaram músicas recheadas de sensibilidade, delicadeza e poesia. No mesmo ano, foram convidados para abrir o show do cantor “Silva”, na Ópera de Arame, dividindo o palco com a banda Tuyo, também de Curitiba. No último e mais recente trabalho, EP ENCANTO, a banda experimentou a integração total de outras formas de linguagem: o cinema, a moda e o teatro surgiram para adicionar camadas ainda mais sensíveis nas novas canções.

 ‘’Cada música é a possibilidade de descobrirmos: onde mais pode chegar a poesia? Nessa música saímos de uma perspectiva positiva e estamos mais provocativos. É como se sempre ecoasse que “talvez a gente seja mais do mesmo”, e nós queremos ser? O que podemos fazer para mudar?”, reflete Binho Cidral.
 
  O trabalho da banda está disponível para ouvir em todas as plataformas digitais.

Acompanhe a banda nas redes sociais:
www.cidrais.com
www.instagram.com/cidraiss
www.youtube.com/cidrais

Da assessoria
 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas