Atualização da regulação do transporte de cargas impacta setor na tríplice fronteira


- Por: Redação 1

Atualização da regulação do transporte de cargas impacta setor na tríplice fronteira
Diretores do SindiFoz em reunião com técnicos da ANTT

Diretores do SindiFoz (Sindicato dos Transportadores Rodoviários de Cargas de Foz do Iguaçu) demonstraram nesta quinta-feira, 4, aos técnicos da ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestres) os desafios e obstáculos que precisam ser superados na atualização da regulamentação do transporte rodoviário internacional de carga: "Atendemos um convite da ANTT que encerra nesta sexta-feira (5) a tomada de subsídios que trata da atualização das normas técnicas e operacionais do transporte Internacional de cargas", disse o presidente do sindicato, Rodrigo Atílio Ghellere.
O convite para a reunião em Brasília, segundo Ghellere, deu-se pela representatividade da tríplice fronteira no transporte rodoviário internacional (Brasil, Paraguai e Argentina) devido ao alto volume de mercadorias transportadas. Nas contas da própria Receita Federal, o porto seco de Foz do Iguaçu recebeu quase 200 mil cargas de importação e exportação. É o maior volume registrado no alfandegamento terrestre na América Latina.
"O Sindifoz também expressou a preocupação em relação aos motoristas autônomos agregados perante as empresas que operam ao transporte Internacional, fato preocupante nesta atualização", completou Ghellere.
Acompanharam Ghellere, o advogado da entidade, Douglas Jacomel e o diretor executivo Edmilson Santos. O encontro reuniu a especialista em regulação e normas da ANTT, Giselle Coelho Neto, e o superintendente de Transportes Rodoviário e Multimodal de Cargas, José Aires Amaral Filho, que tomaram conhecimento de forma detalhada da problemática a ser superada na tríplice fronteira.
As contribuições levadas a ANTT serão avaliadas pelos técnicos da agência que devem considerá-las na apresentação da proposta de resolução da nova regulamentação da atividade. "Uma vez feitos os ajustes, será publicada a nova normativa ao setor de transporte rodoviário de cargas, que entre outras medidas, busca reduzir custo e burocracia aos operadores do setor", disse o advogado Douglas Jacomel.
"Ao oportunizar aos operadores do setor apresentarem suas dificuldades e sugestões de melhoria, a ANTT contribui para a construção de normas que refletem a realidade das operações, um grande passo em direção a acabar com um ambiente nada próspero, mas sim, que impulsione seus operadores ao crescimento, frente a seus pares dos países vizinhos", completa.

Da redação com assessoria

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas