Associações feitas entre a Tríplice Fronteira e o terrorismo serão debatidas pela Unila


- Por: Reciel Rocha

Associações feitas entre a Tríplice Fronteira e o terrorismo serão debatidas pela Unila


No dia em que o ataque ao World Trade Center completa 18 anos, nesta quarta-feira (11), um debate em Foz do Iguaçu (PR) vai abordar as conexões feitas entre a Tríplice Fronteira e o terrorismo internacional. O assunto, que ficou em evidência após a queda das Torres Gêmeas, voltou à tona desde 2018 com diversas ações focadas no Hezbollah.
Com o tema “Velhas e novas vinculações: o atual cenário político atual e o nexo Tríplice Fronteira-Terrorismo”, o evento será às 9 horas no Espaço Florestan Fernandes 3, no Parque Tecnológico Itaipu (PTI). A iniciativa é do Grupo Tríplice Fronteira e Relações Internacionais, da Universidade da Integração Latino-Americana (Unila), em parceria com o Núcleo de Pesquisa em Relações Internacionais da Universidade de São Paulo (USP).

Discussão emergente
A proposta do debate é ampliar o conhecimento sobre a temática, tratado no âmbito dos governos. “É importante trazer o debate para a região da Tríplice Fronteira e, felizmente hoje, podemos fazer isso por meio da atividade de pesquisa desenvolvida na Unila”, afirmou o Professor Doutor Micael Alvino da Silva, docente do Mestrado em Relações Internacionais (PPGRI) da Unila e especialista no assunto.
O professor fará a mediação do debate após a palestra, que será proferida pela Profa. Dra. Isabelle Christine Somma de Castro, pós-doutoranda do Departamento de Ciência Política da USP. Na universidade, ela coordena o projeto “A conexão entre o terrorismo internacional e a Tríplice Fronteira durante as administrações George W. Bush e Barack Obama (2001-2016)”. Desde 2018, o objeto também é pesquisado pela especialista na Universidade de Columbia, nos  Estados Unidos.

Da redação com assessoria
 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas