Argentina também quer uma ponte com o Paraguai na Tríplice Fronteira


- Por: Redação 1

Argentina também quer uma ponte com o Paraguai na Tríplice Fronteira
Atualmente a ligação entre Iguazú e Porto Franco é feita por balsa


Depois que a ponte da Integração chegou a 50% das obras, as autoridades argentinas se espertaram e anunciam também uma ponte ligando Puerto Iguazú a Porto Franco, no Paraguai. O projeto já estaria em andamento, segundo a Rádio Iguazú.

Esta ligação é uma aspiração antiga dos moradores de Porto Franco, Ciudad del Este e Puerto Iguazú. Esta semana os presidentes Mario Abdo Benítez e Alberto Fernández conversaram sobre o projeto e decidiram levar adiante as negociações.

Atualmente, a travessia entre as duas cidades é feita por balsa. A ligação na região é apenas por meio de Foz do Iguaçu, pela Ponte Tancredo Neves, entre Argentina e Brasil, e Ponte da Amizade, entre Foz e Ciudad del Este, no Paraguai. Uma segunda ponte entre Foz do Iguaçu e Presidente Franco, no Paraguai, está sendo construída.

 “Após 50 anos estamos construindo duas pontes entre o Paraguai e o Brasil (Ponte da Integração e uma na fronteira com o Mato Grosso do Sul). Vou dizer ao presidente Fernández que a integração entre Paraguai e Argentina não pode ficar atrás da integração entre Paraguai e Brasil”, comentou o presidente paraguaio quando participava de um evento na usina de Yaciretá.

A Rádio Iguazú afirmou que já existe um projeto sendo finalizado e entrevistou o engenheiro Miguel Vega. Ele afirmou que o projeto já existe há mais de 20 anos, mas que foi preciso redimensiona-lo para atender as demandas crescentes da região.

 “Tecnicamente está sendo analisado o projeto, há propostas distintas e conversas de uma nova localização. A minha ideia é poder colocar novamente a proposta para quem tem poder de decisão” salientou o engenheiro na entrevista.

De acordo com Vega, a ligação entre Argentina e Paraguai na tríplice fronteira ganha força com o projeto de construção da Rota Bioceânica, que vai ligar o Oceano Atlântico ao Pacífico. A rodovia passa pelo estado do Paraná, no Brasil, chega ao Mato Grosso do Sul, corta o Chaco paraguaio e chega ao Chile. Também estão sendo desenvolvidos projetos para construção de uma ferrovia entre os dois pontos.

“A Rota Bioceânica vai permitir que o Paraguai se converta em um aliado estratégico não só para nossos países vizinhos, senão para toda a região. A Rota Bioceânica será a maior rodovia da América do Sul, grande parte passando pelo Chaco Paraguaio, para que um país sem acesso ao mar se converta em uma conexão entre o Oceano Atlântico com o Pacífico e desenvolver a logística para que a região se torne mais competitiva” comemorou Mario Abdo Benítez.

Localização
O engenheiro Vega acredita que a melhor localização da ponte seria próximo ao Porto Península, no lado argentino, e em Presidente Franco, ficaria ao sul do Parque Moisés Bertoni, ligando a Rua Monday, que conecta a rede viária da cidade paraguaia. “Essa é a ideia, mas ainda tem muitos pontos a serem resolvidos” disse o engenheiro.

Da Redação

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas