Alunos cegos e com baixa visão da rede municipal participam de aulas de goalball


- Por: Redação 1

Alunos cegos e com baixa visão da rede municipal participam de aulas de goalball
O projeto tem a parceria do Instituto Federal do Paraná /Foz


Estudantes da Escola Municipal Ponte da Amizade praticaram o esporte, que foi criado para pessoas com deficiência visual

Os alunos da Escola Municipal Ponte da Amizade passaram a tarde da última quarta-feira, 3, em uma atividade diferente e divertida. Os pequenos, que possuem deficiência visual, foram conhecer a equipe de Goalball do município – esporte criado exclusivamente para pessoas cegas ou com baixa visão.
As crianças puderam conhecer mais sobre a modalidade, entender as regras e, claro, brincar na quadra. O espaço é adaptado para a prática, com marcação em relevo para definir as posições em que os atletas devem jogar, utilizando uma bola com guizos que emitem um sinal sonoro para orientar a direção. 
Victor de Morais, 7 anos, se encantou com o esporte desde o primeiro momento e  não saiu de quadra até marcar muitos gols. “Essa foi a primeira vez que jogo isso e gostei muito. Quero fazer mais vezes”, disse o garoto.
O desejo de Victor pode se tornar realidade. As secretarias municipais da Educação e Secretaria de Esporte e Lazer estão formalizando um projeto para que os alunos da Escola Ponte da Amizade tenham oficinas de Goalball e possam praticar esportes com mais frequência.
“Esse primeiro encontro teve a intenção de reunir os pais, professores e as crianças para que elas vejam como o esporte é importante e pode fazer a diferença. Estamos elaborando essa ideia e vamos trabalhar para que aconteça”, disse o coordenador dos Centros de Convivência, Carlos Eduardo Rodrigues. 
O projeto tem a parceria do Instituto Federal do Paraná – Campus Foz do Iguaçu, local onde os atletas de rendimento do município realizam os treinos semanais.

Ensino de referência
A Escola Municipal Ponte da Amizade oferta atendimento especializado a pessoas com deficiência visual em Foz do Iguaçu desde 1989. As salas de recursos multifuncionais trabalham a coordenação motora, mobilidade e outras ações que contribuem para sua autonomia e a inclusão social.
A professora da sala de recursos, Angela Diniz, ressaltou a importância da integração das crianças com o esporte. “Queremos que eles desfrutem dessa maravilha que é o esporte, que é muito democrático. Hoje a nossa intenção foi confraternizar, mas desejamos realizar mais encontros para que essa felicidade no rosto das crianças se repita”, disse.

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas