Acabou né? 


- Por: Redação 1

Acabou né? 

Seo Corvo, ouço algumas pessoas falando como estivessem se preparando para encarar as urnas. Isso já passou não acha? Essas eleições foram um porre de se aguentar, porque aconteceu mais lavação de roupas sujas do que a discussão das necessidades da população. Chega disso. Só quero ver o povo trabalhar e devolvendo as nossas esperanças em uma vida melhor. 
Márcia H. R. Galvão

O Corvo responde: isso mesmo professora, a população quer o barco remando, o bonde nos trilhos, o mundo girando no sentido correto. Chega de lamúrias e situações superadas. Foz encontrará o eixo e isso não vaio demorar. 

Natal
Senhor Corvo, achei bacana a iniciativa de levarem a festa de final do ano para o lado da Catedral. O clima será bem mais natalino, adequado aos cristãos. Vamos receber o menino Jesus em grande estilo! Feliz Natal!

O Corvo responde: depois de um ano tão complicado, cheio de incertezas e sofrimento, a população merece se encontrar com o Natal, porque a lição que aprendemos e a renovação nas esperanças é o combustível para vencer as adversidades. Será uma linda festa! 

Lista 
Várias pessoas ligaram para este colunista e também para a redação, pedindo a lista de “todos” os candidatos à vereador, com suas respectivas votações. Isso é informação, mas ocupa um espaço danado do jornal. “Eu quero essa lista, para pendurar nas paredes da minha oficina e de vez em quando olhar a quantidade de votos que essas pessoas fizeram, assim, saberei me defender de conversa mole de algumas pessoas”, disse um mecânico. Segundo ele, logo depois da eleição apareceu um infeliz se dizendo suplente de vereador e por isso queria desconto na troca de uma bateria. Mais tarde, o dono do negócio descobriu que o “cliente” fez menos de 20 votos.

Esquecimento
Muita gente não quer pensar de lembrar nunca mais da aventura eleitoral, mas o cidadão tem o direito de fazer comparações, analisar e se for o caso, dar palpite no campo da política, porque isso sim é algo que precisa ser discutido ao longo dos exercícios. A pluralidade é boa, melhora o nível de opções, por isso, é bom saber quem tem chances, futuro, ou está na hora de pendurar as chuteiras. O problema é que se o GDia fosse publicar lista, ocuparia pelo menos quatro páginas e mesmo assim os nomes ficariam ilegíveis e ao lado da lista, o leitor precisaria pendurar uma lupa. Sendo assim, resolvemos disponibilizar a lista completa em nossa página eletrônica, basta acessar https://resultados.tse.jus.br/oficial/#/divulga-desktop/votacao-de-candidatos-por-partido;e=426;cargo=13;uf=pr;mu=75639

Não há vexame
Muitas pessoas se expressam na emoção e acabam exaltando opinião acalorada sobre a votação de alguns candidatos, na base do sarrinho. Isso faz parte do folclore eleitoral, mas não há nada de feio, pelo contrário; com muitos ou poucos votos, as pessoas estão movendo a máquina democrática e colaborando com o futuro da nossa cidade. Esse mundo de candidatos e candidaturas, partidos e tudo o mais, é um luxo de se ver. Ruim seria se as pessoas se escondessem.    

Conhecimento
O GDia iniciará na próxima semana uma conversa com todos os eleitos em Foz do Iguaçu, do prefeito, vice, aos vereadores. É uma maneira de iniciar a nova legislatura, antecipando como os nossos ilustres escolhidos nos devolverão o voto. É certo que muitos não sabem e não conhecem os ritos legislativos, mas com a ajuda dos funcionários da Câmara, chegarão lá rapidinho. O que deu para perceber é que o senso de humildade é grande entre os eleitos. 

Presidência
A briga promete ser boa e a população está de olho naquilo que prevalecerá, se a escolha de um presidente novo, sem experiência, ou aproveitarão o conhecimento de Rogério Quadros e Anice. Como Quadros já exerceu a presidência, pode ser que Anice seja uma forte concorrente. Mas isso também vai depender do grau de influência do governo, que possui uma maioria que fará a diferença nas votações. 

Um novíssimo (a)
Mas o Corvo andou “avoando” pelos anais legislativos e descobriu que há uma corrente muito forte no sentido de elegerem para presidência alguém com menos de 30 anos. Será uma situação inédita, mais ainda se for uma mulher. Algo assim revolucionaria o modus operandi e a abordagem da Casa de Leis com a população, o que precisa acontecer urgentemente. 

Resposta
A renovação, com a não reeleição de 13 membros da atual legislatura é uma maneira de apontar para o desgaste na área política. Além do trabalho legislativo, a postura dos eleitos deve agregar valor ao setor. Novas atitudes podem fazer a diferença.

Nova ponte
Um engenheiro disse ao Corvo, que nesta mesma época, no ano que vem, teremos a imponência da nova ponte com o Paraguai rasgando o nosso horizonte, ou o visual para quem observa o Rio Paraná, ao longo. 

Cartão postal
A Ponte da Amizade já foi uma das imagens mais impressionantes da região (ainda é), porque além de uma obra de destaque quando foi inaugurada, dividiu a atenção nos folhetos de divulgação com os demais atrativos. Num futuro próximo, essa atenção se dividirá, mas potencializará ainda mais a importância de Foz nesse contexto de relacionamento. 

As lojas francas
Faz alguns dias, este colunista está revirando a internet em busca de informações sobre o incremento das lojas francas no Sul, especificamente em Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A apuração dos fatos não é em nada agradável, pelo contrário, o que se vê e desânimo e reclamações. Algumas empresas estão avaliando o encerramento das atividades. Mas o que acontece lá, pode ser diferente da situação em Foz. 

Diferencial
Foz do Iguaçu tem nome e atrai gente de todo o planeta, bem como brasileiros de todas as regiões. Com a pandemia, melhorou o interesse pelo turismo interno e Foz é a menina dos olhos de muita gente que espera viajar. Por este aspecto, as lojas francas prestarão um grande serviço, porque se alinham ao interesse de quem viaja e busca produtos de qualidade. Ontem este colunista soube de uma operação de transferência, ou seja, uma empresa quer abandonar os confins sulistas e se mudar para a nossa região.

Balançando
Segundo uma fonte de Assunção, tem ocorrido reuniões para avaliar um possível fechamento da Ponte da Amizade, nem que seja em alguns dias da semana. Pode parecer piada, mas há quem acredite que regular o movimento em dias alternados pode ser uma solução. Será? Isso não aumentaria o movimento? 

Iguazú
O governo federal argentino pode sim atender a reivindicação dos empresários de Puerto Iguaçu, foi o que disse um jornalista amigo do Corvo, que trabalha em Buenos Aires. Segundo ele, uma fonte teria revelado: “é a saída para tentar repor tudo o que aquela gente perdeu ao longo deste ano, só indo lá para testemunhar a tragédia comercial enfrentada pela comunidade”. Seria mais um atrativo, além dos couros, salames e azeitonas.

Astronauta
É impressionante o fascínio que o ministro Marcos Pontes causa no público infantil. E isso não se dá apenas pelo fato dele ter visitado o espaço e sim porque é um baita cara, sempre sorrindo, animado, acreditando inovação por meio das tecnologias. 

Números altos
Todo mundo sabe do aumento dos casos de covid-19 e óbitos em Foz do Iguaçu, o problema é a depuração desse aumento, ou o que teria provocado o problema, além do relaxamento da população nas regras de distanciamento. A raiz disso pode ser desde as eleições até a abertura da ponte, mas devemos nos atentar que os números aumentaram, e, muito, nas Região Leste do Paraná, Curitiba e cidades circunvizinhas. Não é Foz do Iguaçu, com o relacionamento de fronteira que se destaca. O mundo vive esse fantasma de uma segunda onda de Covid-19. 

Borat
O Corvo teve um tempinho de ver alguns filmes e por indicação de amigos, assistiu a segunda produção envolvendo o personagem Borat, um repórter do Cazaquistão, criado pelo humorista britânico Sacha Baron Cohen. O que chamou a atenção, foi o fato de aparecer o presidente Bolsonaro no enredo. O filme foi produzido neste ano e aborda, dentre outras os efeitos da pandemia. Um sarro geral. Para quem gosta dos absurdos provocativos criados pelo Sasha Cohen, a película é um prato cheio.


 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas