A Obesidade, o Outubro Rosa e o Novembro Azul


- Por: Reciel Rocha

A Obesidade, o Outubro Rosa e o Novembro Azul

No Dia Mundial da Obesidade, conheça a importância de homens e mulheres cuidarem da saúde, para diminuir as chances de desenvolver câncer

O Dia Mundial da Obesidade é lembrado no dia 11 de outubro. A Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que um em cada oito adultos em todo o planeta é obeso e projeta para 2025, uma estimativa na qual cerca de 2,3 bilhões de indivíduos estarão com excesso de peso, sendo mais de 700 milhões de pessoas com obesidade. As crianças com sobrepeso e obesidade podem chegar a 75 milhões (e entre elas, milhões de crianças com hipertensão arterial e aumento do acúmulo de gordura no fígado).

A obesidade interfere em todo o organismo, e predispõe a pessoa ao risco de desenvolver câncer. “Como os meses de outubro e novembro são especiais para tratarmos da conscientização sobre prevenção e diagnóstico precoce do câncer, neste dia em que se fala da obesidade, é fundamental informarmos à população sobre os riscos da obesidade no que diz respeito à possibilidade de ela influenciar negativamente no desenvolvimento do câncer”, explica o médico urologista de Foz do Iguaçu, Dr. Gustavo Cruz. 

O câncer de próstata no Brasil é o segundo mais comum entre os homens e é o segundo tipo mais comum também entre os que afetam os homens e as mulheres, segundo dados do INCA.  O câncer de próstata é considerado como um câncer da terceira idade, já que cerca de 75% dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. 

A próstata é uma glândula que só o homem possui e que se localiza na parte baixa do abdômen. Ela produz parte do sêmen, líquido espesso que contém os espermatozoides, liberado durante o ato sexual. Ela é um órgão pequeno, tem a forma de maçã e se encontra logo abaixo da bexiga e à frente do reto (parte final do intestino grosso). A próstata envolve a porção inicial da uretra, tubo pelo qual a urina armazenada na bexiga é eliminada.
Obesidade pode causar até 13 tipos de câncer!
Segundo documento de posicionamento do INCA, feito em 2017 e atualizado em junho de 2019, cerca de 13 em cada 100 casos de câncer no Brasil são atribuídos ao sobrepeso e à obesidade, sugerindo uma carga significativa de doença pelo excesso de gordura corporal. 

Os 13 tipos de câncer aos quais o excesso de peso corporal está fortemente associado são: esôfago (adenocarcinoma), estômago (cárdia), pâncreas, vesícula biliar, fígado, intestino (cólon e reto), rins, mama (mulheres na pós-menopausa), ovário, endométrio, meningioma, tireoide e mieloma múltiplo e possivelmente associado aos de próstata (avançado), mama (homens) e linfoma difuso de grandes células B.


Combata a obesidade:
Uma vida mais saudável! “Alimentação adequada e a prática de exercícios físicos são fundamentais no combate à obesidade e, como consequência, na diminuição do risco de câncer”, finaliza o urologista, Dr. Gustavo Cruz.

 

Dr. Gustavo Zepka Cruz

Médico Urologista graduado pela Fundação UFRS, Residência médica em cirurgia geral no hospital São Vicente de Paulo/RS e Hospital das Clínicas de Porto Alegre. Também foi Preceptor da Residência Médica de Urologia do Hospital Central da Aeronáutica. Membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia e Membro da Sociedade Europeia de Urologia.

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas