882 casos, vixe!


- Por: Redação 1

882 casos, vixe!

O Corvo já perdeu as contas sobre os recordes de contágio, mas não há assim uma recordação de que os números superaram 800 infecções por covid-19 em apenas 24 horas. Foz ultrapassou 50 mil casos. 

Olho nos números
No final de semana, a ocupação de leitos na UTI estava na casa dos 43% e a luz do painel passou de verde para vermelha. Se o índice aumentar, podem escrever que a cidade terá medidas um pouco mais duras de distanciamento. 

Berreiro
Aí o povo vai apelar para brigar com o atendimento, com a prefeitura, mas na hora de se cuidar, imaginando que a variante era poderosa, poucos deram bola. Por sorte a população está em boa parte imunizada, do contrário viveríamos outra saia justa coletiva. 

Tuc...tuc...tuc...
A situação é um perigo, porque mesmo com a divulgação dos números altos, muita gente ignora os perigos do contágio. Rolaram muita festa ao longo do final de semana, dá-lhe prejuízo no sono dos que preferiam descansar. Das duas uma: se não são punidos pela aglomeração, deveriam levar autuação por perturbação do sossego. 

Em frente de casa
O Corvo mora em local ainda bem tranquilo, e, a vizinhança comunga do sossego e sussurros dos grilos e cigarras. Mas tem um povo nas redondezas que não pensa igual e dá-lhe volume no som, de madrugada. Claro, não há alternativa a não ser “incomodar” a PM, já com tanta coisa para fazer. Curtição tudo bem, algazarra não! 

Moro x Bolsonaro
Na política nacional ocorrem alguns movimentos interessantes. O ex-juiz, ex-ministro Sérgio Moro está ganhando bastante exposição e há explicação: ele aparece nos jornais não pelos méritos de sua empreitada, mas pela aposta dos adversários de Bolsonaro na divisão dos votos. Será que isso cola?

Lula e a garota propaganda
Por mais Dilma Rousseff justifique ou esperneie que foi injustiçada com o impeachment, os analistas políticos avaliam que ela não é assim uma “Brastemp” em matéria de figura, para doar apoio ao Lula. A rejeição de Dilma ainda é estelar. 

Na semana
Nos próximos dias os brasileiros recordarão a despedida de duas cantoras fenomenais, Elis Regina e Maysa. Vivemos 40 anos sem uma e 45 sem a outra. É assim que estamos condenados a morrer de saudade, afinal, elas se despediram muito cedo, mas as suas interpretações ainda estão no topo do sucesso e das recordações. Um dia o Corvo terá um perfil eletrônico para reproduzir áudios e vídeos. Mas muita gente lembrará também uma grande figura política, ninguém menos que Leonel Brizola, cujo centenário será festejado dia 22 de janeiro.  

Dona Carol
Corvo, não aprovo em 100% a vereadora Carol Dedonatti, porque não sou lá de eleger representantes de setores; como é que fica o resto? Vereadores, deputados, senadores, enfim, os legisladores, devem atuar em todos os lados, não apenas em área específica, como a Carol, que dá atenção à fauna doméstica. Mas em uma coisa temos que concordar: seus adversários passaram da medida. Estão exagerando nos insultos e quando isso acontece, o feitiço acaba se virando contra o bruxo. 
Leonardo C. V. Paiano 

O Corvo responde: isso é verdade. Mas os legisladores em geral, embora defendam setores, votam e participam das discussões de toda a sociedade. Um projeto quando é analisado, requer atenção de todos, independentemente a área. 

Sorvete caro
Corvo, Verão, calor e o mormaço dos últimos dias pedem sorvete. Há muitos endereços em Foz, inclusive até fábrica, elogiada pela qualidade. Mas veja, você, certa ocasião indicou uma sorveteria, que fica na Rua Bartolomeu de Gusmão e que hoje conta com uma filial na Vila A. O local é de fato digno de elogios, mas os proprietários bem que poderiam melhorar o atendimento, porque do contrário, o sucesso todo vai derreter. O produto é muito caro, cerca de 12 reais uma casquinha com apenas uma bola de sorvete, mas eu levo meus filhos lá, porque vale a pena. Além do mais, sou gestante e até sonho com o que há lá em ermos de sabores. O que não dá, é atendente de cara feia, “mandando” passar antes no caixa, para depois pedir. Até entendo, mas poderiam esboçar um pouco mais de simpatia. 
Luana R. G. Rangel

O Corvo responde: prezada, o Corvo realmente elogiou a sorveteria, como sempre faz todas as vezes em que um novo negócio se instala na cidade e precisa de uma força. O Corvo é viajado e garante que o negócio em questão, não perde para as casas tradicionais italianas, como a “Il Massimo del gelato”, que fica em Milão e o “cornetto” com uma “palla” sai bem menos do que em Foz. Mas devemos entender que há o investimento, os produtos, a mão de obra especializada e coisa e tal e aí amigos, vale a livre concorrência. Agora, cara feia de atendente é algo ruim, independentemente das delícias que são servidas. Vai ver alguém fugiu sem pagar, o que obrigou a casa mudar a forma de atendimento da gelateria. 

Aniversariante
O Corvo quer parabenizar o grande Matheus Veloso, diga-se, conhecido também conhecido como “Vermelhinho”, ou simplesmente Matheus Vermelho; ele aniversariou no último sábado e recebeu os abraços de amigos e familiares, a começar pelo paizão deputado! Felicidades bambino! 
 

Reparação
O nosso amigo Bico do Corvo, sempre muito eloquente e sábio nas análises, se equivocou em sua última coluna ao tecer comentários sobre muçulmanos. A possibilidade de transplante de coração de porcos em humanos é um marco na ciência e enche de esperança todos que dependem dessas descobertas para viver mais. Dada a notícia, o Corvo teceu estigmas que se distanciam da realidade. O islã proíbe o consumo da carne de porco, mas caso haja risco de morte seu consumo é permissível. A realidade é que um dos médicos responsáveis pela descoberta é inclusive muçulmano, o Doutor Muhammad Mohiuddin que é Diretor do Programa de Xenotransplante Cardíaco da Faculdade de Medicina da Universidade de Maryland (UMSOM), e esteve diretamente envolvido na cirurgia. 

Assim, ao invés de mostrar que o Islã prega o avanço da ciência, como de fato historicamente se comprova, a coluna preferiu estigmatizar os muçulmanos com frases lacradoras ao estilo “mármore do inferno”.  Somado a isso, dou mais um puxão de orelha: o colunista induz que todos os habitantes do Oriente Médio são islâmicos, anuviando a riqueza cultural da região onde há cristãos, muçulmanos, judeus, ateus e outras denominações. Inclusive em Foz do Iguaçu, a diversidade religiosa deve ser respeitada, pois os muçulmanos são também iguaçuenses. E como sempre contamos com esse respeito e com a verdade desta coluna jornalística respeitada, não poderíamos deixar de corrigir tal equívoco na certeza de que o Bico do Corvo nos manterá como leitores assíduos.   
Mohamad Barakat é cidadão iguaçuense, brasileiro de origem libanesa, ex-vereador e ex-diretor de Relações Internacionais em Foz do Iguaçu 


O Corvo responde: prezado amigo, a coluna pede desculpas, embora a intenção jamais tenha sido ofender. O tom é de humor e não de “brincadeira”, afirmando respeito à etnia em vários trechos, citando inclusive o Alcorão. Pelo desagrado, desconforto e incômodo, mais uma vez pedimos desculpas. O Corvo arde na tábua quente do capeta, diante de seu deslize.

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas