Festival em Foz revive a mística punk que agitou o Brasil nos anos 1980

Bolsonaro apoia projeto de Vermelho para reabrir a Estrada do Colono
24 de maio de 2019
Professora PhD da Texas Tech University inicia curso no Colégio Anglo-Americano
24 de maio de 2019

A velha mística do punk rock que agitou no mundo nos anos 1970 e o Brasil na década de 1980, será revivida no próximo sábado (25) em Foz do Iguaçu. Quatro bandas programadas no 1º Grito Punk vão levar ao palco da Casa Urbana, a partir das 22h, clássicos do gênero que marcaram gerações. Um dos destaques do festival é a volta da Extrema Agressão, que está completando 23 anos de fundação.

Os mais novos talvez tenham poucas informações, mas os mais velhos não esquecem. No início dos anos 1980 o punk chegou com força no Brasil, principalmente como uma crítica ao regime militar implantado no país com o golpe de 1964. À frente do movimento bandas lendárias como Restos de Nada e mais tarde Cólera, Ratos de Porão, Garotos Podres, Inocentes, Replicantes, Aborto Elétrico, Olho Seco, entre tantas outras.

E é este clima nostálgico que o Grito Punk quer reviver no próximo sábado em Foz do Iguaçu. No Palco da Casa Urbana irão se revezar bandas conhecidas do cenário underground local e regional. Extrema Agressão, Extreme Grace, Mal Pagos e Reação Química vão apresentar clássicos do punk rock e músicas autorais. O evento teria muita poesia com Jimy Carter, Genir Terra e Meon Luciano.

 

Da assessoria / Foto: Divulgação

Share

Leia mais sobre este conteúdo e outras informações na edição impressa.

GDIA