Demissões na Prefeitura agravam a crise econômica em Ciudad del Este

Foz do Iguaçu terá ato em apoio ao presidente Bolsonaro no domingo, 26
23 de maio de 2019
Corvo
23 de maio de 2019

Demissões na Prefeitura agravam a crise econômica em Ciudad del Este

A crise econômica em Ciudad del Este, tende a se agravar. A Prefeitura iniciou esta semana a demissão de quase 900 servidores contratados nos últimos três meses, no governo interino da ex-prefeita Perla Rodríguez. Nos últimos 12 meses, o aumento do dólar espantou os consumidores, levando ao fechamento de mais de mil lojas do centro comercial e o encerramento de até seis mil postos de trabalho.

Ao todo, a Prefeitura irá exonerar 861 pessoas, segundo lista elaborada a partir de contratos assinados nos últimos três meses, procedimento ilegal, uma vez que não havia previsão orçamentária correspondente. Se mantivesse todos os contratados, o recém-eleito Miguel Prieto, não teria como pagar salários e 13° já a partir de agosto.

De acordo com a imprensa paraguaia, para a função pública, a legislação trabalhista do país proíbe a contratação de funcionários sem contar com previsão orçamentária. A norma estabelece ainda que os primeiros seis meses de trabalho são considerados período de experiência, e qualquer das partes pode rescindir o contrato.

Ronildo Pimentel / Foto: La Nacion

Share

Leia mais sobre este conteúdo e outras informações na edição impressa.

GDIA