No Bico do Corvo
No Bico do Corvo
Os benefícios do covid-19

Quem diria, precisou acontecer uma pandemia para os brasileiros se darem conta de que alguns procedimentos devem ser usuais, como lavar as mãos, usar repelente e evitar aglomerações. Tomara que isso seja inserido no comportamento cotidiano. Vamos incluir o protetor solar. 

Custo
A cesta básica, provavelmente, deverá ser incrementada com outros produtos. Se a ideia é imunizar a população daqui em diante, itens de limpeza engrossarão a lista. E isso vai aumentar as despesas de muita gente. Manter em casa álcool, repelente, desinfetantes poderosos, protetor solar e produtos assim causará um considerável furo no orçamento e afetará diretamente os que mais sofrem com a falta de grana, os idosos. 

Ainda falta
O advento do coronavírus desenvolveu um almanaque de sobrevivência, e por tabela as pessoas passaram a cuidar mais até dos banheiros depois que descobriram que fezes são altamente contaminantes. Mas, francamente, este Corvo foi fazer uma boquinha rápida num restaurante de Foz, e o banheiro deveria entrar na lista da calamidade. Todos os cuidados na rua foram por água abaixo depois de frequentar aquele WC. "Pelamor"...  

Mobilizações questionadas
Com o vírus, sofre o maior instrumento democrático, "a manifestação popular". Todos os eventos estão temporariamente cancelados. Isso vai aumentar o interesse nas redes sociais. Diminui o presencial, aumenta o eletrônico. 

Inseto doméstico
O tal Aedes aegypti demonstra ser um perito na safadeza, folgado, pois já se adaptou de tal maneira que se acha no direito de se tornar um bicho de estimação do iguaçuense. E pelo visto tem gente fazendo criação. Do lado da casa do Corvo tem uma obra, e os pedreiros deixaram baldes, recipientes de fazer massa e latas abertas por todos os lados. Depois o empreiteiro fica nervosinho quando recebe uma multa da Vigilância Sanitária. Verificar os canteiros de obras passou a ser uma exigência de profissionais responsáveis.  

Secura
Com a ausência de chuvas (ficamos praticamente duas semanas sem elas), muitas pessoas relaxam, acreditando que isso ajuda erradicar o mosquito da dengue. É mito. Se há calor, eles estão zumbindo por aí. Até o frio não intimida mais essa praga. 

17 leitos
O prefeito, o secretário de Saúde e todas as pessoas no governo estão preocupadas com o covid-19 e disponibilizaram 17 leitos de UTI. Pode parecer pouco, mas levando em conta a epidemia de dengue essa "disponibilidade" pode é fazer uma falta danada para os casos infectados pelo mosquito e que são diagnosticados como hemorrágicos. Se o covid-19 acertar Foz em cheio, será mais eficiente alugar um hotel, de preferência bem afastado da cidade. 

Negativo e duvidoso
Ainda há quem insista que Bolsonaro omitiu o resultado do teste para coronavírus. O que reforça a dúvida é o fato de ele não apertar a mão das pessoas. Mas há quem não esteja nem um pouco preocupado em pegar a doença do presidente. "As pessoas é que vão apertar a mão dele, abraçá-lo e até beijá-lo", disse uma fonte ao Corvo. 

"Mata-veio"
O covid-19 ganhou este sugestivo apelido, "mata-veio", sobretudo os que possuem o organismo frágil ou são acometidos por doenças comuns entre os idosos. Ir à casa da vó, no domingo, está deixando de ser um programa entre famílias. A preocupação é a transmissão por parte dos mais jovens.
 
65 anos
Sexagenários que se cuidem, tratem de higienizar a bolha e dar um jeito de viver nela pelo menos uns 20 dias, período em que o vírus deve amenizar no país, se as regras forem cumpridas de acordo com o figurino. O fato de ninguém morrer por causa da doença no Brasil, pelo menos até o fechamento desta coluna, já é motivo de alívio.  

Nas escolas
A velha brincadeira "beijo, abraço ou aperto de mão" foi definitivamente extinta dos recreios. Em Foz mais ainda, porque a partir de hoje as aulas serão canceladas por 15 dias. Nesta segunda-feira haverá uma aula explicativa de como se proteger do covi-19. Várias medidas foram expedidas em decreto. Leia na edição de hoje. Entre elas a proibição de aglomerações com mais de cem pessoas e o início das atividades de UBSs móveis. 

Mulher de político
Alguns candidatos e até mesmo gente em exercício não diminuíram em nada o contato com o povo. Um vizinho de um vereador relatou ao Corvo que ontem, ao chegar em casa, a mulher estava de máscara esperando-o no portão e aplicou um banho de mangueira, esfregando o homem com vassoura piaçaba. Usou uma caixa de Rinso para purificar o vivente!  

Álcool gel 
O produto está aos poucos retornando para as gôndolas dos supermercados, o problema é o preço. O Corvo comprou dois frascos ao valor de R$ 12,99; um absurdo! Antes do surto epidêmico, o valor era R$ 4,22. 

Álcool 80
Muitos estão felizes da vida ao utilizar álcool para limpeza da casa e pelo fato de constar 80% no rótulo, pois acreditam que isso é eficiente contra o covid-19. Segundo o Corvo apurou, não é. Não mata o vírus, apenas resseca a sua parede exterior. Além do mais, o produto causa o mesmo efeito nas pessoas, ou seja, resseca as mãos. 

Máscara improvisada
As máscaras cirúrgicas também sumiram do mercado. Segundo o dono de um mercadinho, o produto — que antes custava R$ 0,50 no máximo — estava sendo oferecido a R$ 3,50; um assalto à mão armada. Um amigo do Corvo improvisou: colocou elásticos nas extremidades do absorvente íntimo da patroa e saiu por aí, protegido. 
 

Caso Marielle
O Corvo viu um rabicho de uma reportagem em que um investigador dizia que a morte da vereadora e do motorista já havia se convertido na apuração mais difícil da história da polícia no Rio de Janeiro. Lá se vão dois anos, e nada. Francamente, deveriam ter entregue o caso para a Polícia Federal; a esta altura saberíamos quem de fato foram os assassinos, os mandantes e a motivação da barbaridade. 

Bolas do Ronaldinho
Em nada espanta a revelação de que havia milhares de bolas de futebol com a estampa de Ronaldinho Gaúcho. E se ele seria o astro de um evento, nada mais barato e fácil do que premiar os participantes com o objeto que o fez famoso. A curiosidade aí é usarem a mesma foto dos passaportes fakes.  

Férias
Dalia Lopes, segundo uma informação, estaria curtindo o final do verão num luxuoso apartamento em Balneário Camboriú. Bom, o que há de informações assim circulando nas redes sociais? Quem ligou para este Corvo, com o prefixo 43, suplicou para não ser identificado. Se a Interpol já foi solicitada, provavelmente encontrará a socialite. 

Dr. Godofredo 
O falecimento do médico Godofredo Marques causou comoção em muitos meios iguaçuenses. Além de habilidoso profissional, era muito querido pelos colegas e amigos, um grande "boa-praça" para quem o conhecia. Uma tristeza. Aqui vai um abraço na família e o mais profundo sentimento de pesar.

 

Covid-19 e o mico


O presidente é de certa forma a voz da nação. Quando ele aparece e diz algo, trata-se de um esclarecimento público importante, por isso, quanto mais verdadeiro, melhor. Bolsonaro desdenhou do coronavírus e tratou do assunto com desprezo, e muitos brasileiros acreditaram nele. No fundo ele quis tranquilizar o país, repassando para a opinião pública o que os técnicos da área de saúde lhe informaram. Mas a situação mudou e aparecer de máscara na TV, ao lado do ministro da Saúde, foi hilário. Os mais simples não avaliam situações assim com ironia, e pensa o nó na cabeça do povo?

Quem estava doente? 
Será que o ministro recomendou o uso da máscara ou ficou com medo de contágio? Luiz Henrique Mandetta é médico ortopedista, então se o presidente quebrar uma perna no Palácio do Planalto ele será bem mais eficiente, mas por causa da crise do covid-19 está fazendo forçadamente pós em infectologia. Bom, há o histórico da viagem aos Estados Unidos e um infectado no avião presidencial, em que havia outros ministros, militares e políticos. O governador Ratinho, inclusive, e outros paranaenses.  

Companhias contagiosas
Todos sabemos das diatribes envolvendo o secretário de Comunicação, Fábio Wajngarten. No fim, permanecendo no cargo, tornou-se um dos homens fortes do governo. O que ninguém esperava era ele voltar ao centro das atenções por um motivo tão diferente, o de contrair o covid-19 e fazer parte da comitiva aos Estados Unidos. Convenhamos, é uma situação das mais inusitadas. 

O pânico de Trump
Que situação, hein? Segundo os jornais norte-americanos, Donald Trump anda com máscara em alguns setores da Casa Branca, tem um médico a tiracolo e faz exames correntes para saber se está imune. O homem treme com medo do coronavírus. Mirem suas atitudes! E quem diria, num encontro com a comitiva presidencial brasileira, havia um contaminado no ninho da águia. Que barbaridade! Se contrair a doença, tomara que não mande jogar um míssil em Brasília. 

E os paranaenses 
E o governador Carlos Massa Ratinho Junior integrou a missão internacional brasileira e participou do Seminário Empresarial Brasil-Estados Unidos. Como já escrevemos, foi no mesmo avião. Ele não apresentou sintomas, nem um espirro. O governo expediu nota informando que realizou os exames, e o diretor-presidente da Invest Paraná (Agência Paraná de Desenvolvimento), Eduardo Bekin, também. Se houver contágio será "o strike". O coronavírus deu uma ré no planeta.   

Dengue em Foz
Algumas pessoas consideram que a manchete da edição de quinta-feira deste jornal foi muito negativa para a cidade: "Casos de dengue disparam, e Foz vive uma das piores epidemias de sua história". E é mentira? Fica difícil um jornal omitir-se frente a uma situação assim. A revelação de um boletim com 14,4 mil notificações e mais de 2,5 mil casos confirmados serve de alerta, e quem sabe assim a população faça a lição de casa. O governo federal falhou ao não enviar o veneno para os veículos fumacê, mas as larvas e os mosquitos proliferaram graças à displicência de muita gente. Apesar da crise, Foz ainda não superou os 14 óbitos de 2016.  

Método Wolbachia
O que é isso? É quando inserem um microrganismo no Aedes aegypti e ele se torna um Wolbito, saindo por aí afetando a capacidade dos colegas malignos. É um procedimento bem caro, mas que funciona e pode até mesmo erradicar o mosquito que transmite as doenças. A população, por sua vez, vai precisar redobrar os cuidados com repelentes, porque vai ser difícil saber qual é o pernilongo assassino.  

À espera do covid-19
Uma fonte revelou a este Corvo que não é de hoje que o Hospital Municipal está preparado para o caso de o coronavírus afetar a população. As providências já foram tomadas, mesmo que boa parte dos leitos esteja ocupada com infectados pela dengue. 

Tragédia
O Corvo já escreveu e nunca é muito repetir: a epidemia de dengue causou uma baixa na imunidade de muita gente, sem contar os que ficam doentes só de pensar em levar picada do mosquito. Tristeza e depressão deixam o vivente vulnerável. Mas pensando no covid-19, além dos infectados com a dengue, há milhares de pessoas em tratamento por outros males; muitos idosos fazem parte da lista. É chato ficar escrevendo esse tipo de coisa, mas comentar é uma forma de alertar, fazendo com que as pessoas pelo menos se previnam, limpem as mãos, desinfetem os banheiros; façam alguma coisa para se protegerem. 

Regra para idosos
Uma leitora ligou para o Corvo, pediu para não ser identificada e disse: "Não saio mais de casa, fico com as janelas abertas para ventilar, bebo água direto nas garrafinhas [no bico], mando deixarem as compras na varanda, não aperto a mão de ninguém, não compartilho bomba de chimarrão e deixei de frequentar até novena". É exagero? Não é, isso tem nome: precaução. 

Proteger-se de que jeito?
Outra leitora, também idosa e que pediu para não ter o nome publicado, afirmou ao Corvo: "Vou me proteger de que jeito? Minha filha virou a cidade de cabeça para baixo e não achou gel nem máscaras. Não havia isso nas farmácias, supermercados e nem nessas lojas especializadas em materiais de limpeza. Cortei umas camisetas velhas e estou improvisando, igual fazíamos antigamente". 

Água no bico
Faz tempo que japoneses, coreanos e até chineses não usam copo ao beber água. Viram direto no bico. É uma medida muito higiênica, sobretudo depois de lavar e desinfetar a garrafa. Não adianta deixar de usar o copo e acabar pegando uma leptospirose.

Pecúlio/Nipoti
Quando alguém dizia "esse barulho todo da Pecúlio e Nipoti não vai dar em nada", torcíamos o nariz, porque a lista de denúncias era algo inimaginável. E o tempo foi passando, e as denúncias revertidas em favor dos réus. O mérito é dos advogados. A recente decisão, da quinta-feira, ocorreu aos 49 minutos do segundo tempo e, sim, deve beneficiar os réus. 

Reni dando pulos...
...de alegria. Dependendo, é provável que concorra às eleições de outubro. O Corvo começou a ler a lista de réus e parou pela metade, porque boa parte dos mencionados tinha convicção de um resultado positivo, favorável. 

A Câmara quer...
Os vereadores, apesar das crises de saúde e da grana, esta que falta no bolso da população, querem o cumprimento de uma lista nada pequena, por parte do Executivo. Chico vai precisar se virar nos 30. Com tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo, poucos gostariam de estar na cadeira do Palácio Cataratas, uma espécie de panela de pressão de uns dias para cá.  

Asfalto no centro
Em pleno rush, havia pequenos engarrafamentos em razão de desvios em algumas ruas. Será que em caso de reparo no centro da cidade não seria possível trabalharem de madrugada? Haja buzinas! Alguns motoristas não possuem tolerância para obras de pavimentação.

A greve
Será que haverá greve por esses dias? Se não houver manifestação, pode ser um pouco mais confortável, porque o mundo está evitando agrupamentos. Não há jogos de futebol, reuniões na paróquia, e há quem esteja debruçado na possibilidade de cancelar aulas em todos os níveis. A Olimpíada de Tóquio pode ser adiada. Os organizadores do movimento programado para a próxima quarta-feira devem repensar. 

Home office
Por causa do coronavírus, muitas pessoas deixaram de comparecer aos postos de trabalho e reforçam a categoria "home", quando é possível trabalhar em casa, sem a figura presencial. Há patrões que adoram a novidade, porque o rendimento aumenta, há economia com vale-transporte, luz, limpeza e até mesmo com telefonia e internet. A moda vai pegar e, quando a gripe passar, pode ser que todo mundo fique trabalhando em casa. 

Avanço
As atividades conhecidas como "home office" estão em prática faz bastante tempo, a começar pela área do jornalismo. A novidade é que agentes públicos estão aderindo; há funções administrativas que não requerem deslocamento até as repartições. Como a população vai entender isso, são outros quinhentos. A internet faz desses milagres.

Sexta-feira 13

Muitas pessoas nem saem de casa, mas para o Corvo a data é igual às outras, porque há mais com o que se preocupar, como o leitor vai saber ao ler a coluna. É, a coisa está ficando feia...   

A briga será boa
A corrida em busca da cadeira de presidente dos Estados Unidos da América está monopolizando a atenção do planeta. Os democratas Joe Biden e Bernie Sanders empolgam os delegados do partido e ganham simpatia da população. Isso será um osso bem duro para o republicano Donald Trump roer. A esta altura ele já deve saber que pode perder a Casa Branca. 

Dupla dinâmica
Biden e Sanders cativam nichos diferentes e se fizerem uma dobradinha a parada será dura para a reeleição de Trump. Joe Biden deve ser o cabeça da chapa e terá em sua plataforma uma espécie de continuidade do projeto de Barack Obama, coisa de que o povo de lá sente saudades, pelo menos no tocante ao diálogo e flexibilidade ante as instituições. O ranço "Trump" é algo bem difícil de suportar, embora muita gente aprove. O norte-americano é belicista por natureza, e o posicionamento do atual presidente está confundindo a cabeça de quem gosta de uma guerrinha. Esperavam que Trump detonasse os inimigos e o mundo, no entanto ele fez o contrário. 

Decisões duras
Trump vai praticamente parar o planeta com essa determinação de impedir voos entre Estados Unidos e Europa por 30 dias. As pessoas não imaginam como será isso na prática. E convenhamos, quando um presidente norte-americano toma uma decisão dessas, é porque o coronavírus deve ser muito mais letal do que se imagina. O que será que há em matéria de verdade omissa? Com a declaração de "pandemia", talvez fiquemos sabendo. 

Dengue + covid-19
Foz vive uma das maiores epidemias de sua história, com toda a estrutura de saúde comprometida, e não demora teremos um estágio beirando ao desesperador, com a possibilidade de um estado de "calamidade" e fora de controle. É o pior lugar onde se pode chegar. Esperamos que isso não aconteça. Mas vamos aqui raciocinar: se o coronavírus chegar à cidade e afetar pessoas debilitadas pela dengue, a prefeitura terá de abrir outro cemitério. É trágico, mas é verdade. 

Infestação comunitária
O Corvo não quer causar alarde, mas médicos e amigos que atuam no sistema de saúde estão muito preocupados, porque está para se iniciar um processo de infestação comunitária — quando a doença é propagada pelo ar. É por isso que o número de infestados está praticamente dobrando de um dia a outro. 

Na China
A sociedade médica é antenada, as informações correm no meio com velocidade supersônica. A China está conseguindo dominar a situação, porque descobriu que a melhor maneira de tratar os pacientes é entubando de imediato, assim o infestado permanecerá num estado controlado. Nos hospitais, os que mais sofrem são os enfermeiros, porque se contaminam com o processo de higienização dos pacientes.   

Mutação
Falam tanta coisa sobre esse covid-19 que não sabemos o que é mito, exagero, invenção maldosa ou realidade. O leitor deve ter ouvido em algum lugar que todas as pessoas gripadas serão examinadas. Pois bem, segundo uma informação, o sequenciamento genético da nova versão do "corona" apresenta uma possibilidade funesta: de se manifestar em qualquer gripe ou doença que causa baixa no sistema imunológico daqui em diante. Se isso for verdade, é aí que a vaca vai para o brejo. 

Cura
Outro aspecto que nos chama a atenção é o desespero dos laboratórios mundiais em encontrar uma vacina para combater o covid-19. Todas as tentativas bateram na trave! A busca pela cura se tornou uma soma de esforços até entre inimigos mortais. Bom, por enquanto, não vamos deixar o fantasma no apavorar. O ideal é arranjar um jeito de se proteger. Alguém tem uma bolha tamanho XGG para vender?

Efeitos constatados
Este colunista foi ao supermercado e constatou um comportamento diferente, de pessoas evitando aglomerações, uso de máscaras e um aumento na procura de alguns produtos, como o papel higiênico. No Super Muffato próximo ao batalhão, a gôndola de papel higiênico possui praticamente uma marca em demonstração. O local, em geral, é colorido por várias opções de produtos. Qual a razão de o papel higiênico tornar-se o item mais em evidência toda a vez que aparece uma crise? Bom, nem é preciso fazer pesquisa para saber, pois de medo a disenteria é um efeito colateral crônico e coletivo. Por favor, haja papel! 

Estoque
Há sinais de estoque, e isso se observa no estacionamento dos supermercados. Além do papel higiênico, a água, produtos de limpeza, macarrão e enlatados estão abastecendo as despensas. Um motoqueiro que faz entregas revelou a este colunista que os pedidos aumentaram em todos os ramos, a começar pelo gastronômico. Conferindo, os restaurantes estão mais vazios, como o comércio de um modo em geral. E assim vai... 

O dólar 
A moeda americana está estratosférica; bateu a casa do R$ 5 ontem. Logo, isso influirá em muitos produtos e não afetará apenas quem usa esse dinheiro para viajar ou fazer compras no exterior. Muitas matérias-primas são importadas. Triste é a ação dos especuladores, que aumentam os produtos mesmo sem a incidência do dólar. Do jeito que vai, quem não sofrer com a dengue, H1N1, covid-19, sarampo, mordida de cachorro e outros males, corre o risco de fazer regime forçado ou morrer de fome, porque os preços estão para perder o controle.

Ataques
Fora as doenças que já existem, mosquitos e esses vírus macabros, o "jornalismo profissional" está sendo mais atacado que boi em tanque de piranha. A onda de maior incidência ocorre nas redes sociais, uma espécie de "terra de ninguém" para os ignorantes. Aliás, nessa selva, basta manifestarem uma opinião séria, imparcial e cercada de fontes, que aparece um imbecil contestando, agredindo, descredibilizando o que é verdade, distorcendo os fatos. Uma pena, porque a internet não merece. É um meio que se usado para o bem pode contribuir para salvar a humanidade ou o planeta que ela habita. No entanto, a ignorância está causando efeitos contrários. Liberdade de expressão é uma coisa, idiotice é outra. 

Ar seco 
O clima está levando muitas pessoas para os ambulatórios públicos, porque secura do ar é coisa séria nesta região. Com a dengue, fica difícil encontrar atendimento, daí o investimento em umidificadores e nebulizadores aumentou. Algumas farmácias, no lugar de promoção, começaram a aumentar o preço. Um nebulizador, que antes custava R$ 50, no máximo R$ 60, não é encontrado por menos R$ 100. 

Animais e plantas
E os humanos não são as únicas vítimas do ar seco; plantas e animais sentem o peso climático. Os jardins murcham e, com isso, recebem água mais vezes por dia, o que acaba atraindo os insetos, entre eles o maldito mosquito da dengue, já batizado de Muriçoca phantera tigris. Pensa? Bicho mais medonho. O Corvo já contou 25 amigos infectados por esse bicho lazarento. 

Cumprimentos
O coronavírus está complicando a vida dos políticos, e eles estão tentando encontrar uma forma de conquistar os eleitores sem apertos de mão, beijos, abraços e até tapinhas nas costas. No mais, com medo da dengue, faz tempo que alguns expoentes da nossa representatividade não aparecem em alguns bairros. 

Desculpas
E, para variar, alguns compromissos estão sendo adiados, e a culpa é das doenças e da pandemia. Um gerente de banco falou que uma porção de devedores se defende assim: "Não vou porque peguei dengue". Ou: "Estou gripado e não quero pegar coronavírus". Quem não sabe usar aplicativo que fique atento; doenças, por enquanto, não dilatam o vencimento das contas.   

Botecos felizes
Apesar dos alertas sobre concentrações populares e o gradual sumiço das pessoas em alguns locais, os donos de alguns estabelecimentos estão felizes, sobretudo os que vendem bebidas alcoólicas. Segundo o dono de um boteco, a freguesia está enchendo a cara, pelo fato de acreditarem piamente que Deus protege as criancinhas e os bêbados. Um frequentador disse: "Curei um câncer bebendo uma pinga com limão todos os dias; que venha o novo coronavírus".  

Creche
Enquanto o mundo gira, a Lusitana roda! Quem não se lembra dessa expressão? Ontem o Corvo deu uma conferida na creche do Buenos Aires — e, de uma maneira muito especial, pelo céu, por meio do brinquedinho novo do Roger Meireles. Ele possui um superdrone, tecnologia de ponta, devidamente licenciado pela Aeronáutica. Confiram a foto. A população do Jardim Cataratas está fazendo romaria para acompanhar o feitio da obra, porque ela beneficiará diretamente a região. Cadê a ponte ligando os bairros, seu Chico? 
Foto do corvo 1

 

Vai devagar, Corvo

Olá, Corvo, você pegou pesado com o governo em sua coluna de ontem; disse que o Congresso está à espera dos projetos do governo. Não é bem assim. Dei uma pesquisada e descobri que tem muita coisa na pauta e que não anda nem a pau. Lá há o Plano de Equilíbrio Fiscal, a privatização da Eletrobras, a autonomia do Banco Central, a Lei das Finanças Públicas, o Pacto Federativo e uma porção de "marcos legais". Vá com calma quando diz que o governo não trabalha.
AP (O leitor pediu para não ter o nome revelado.)

O Corvo responde: prezado, analisamos atentamente a sua lista, e não consta nela o que o Corvo escreveu, ou seja, as "reformas". Se o governo cobra urgência nas reformas, deve pelo menos enviá-las para a discussão.  

Paraguai fechado?
O presidente Marito decretou uma quarentena, em razão do coronavírus, proibindo concentrações, eventos e agrupamentos que possam facilitar a propagação da doença. Muitos estão achando que as fronteiras se fecharam, e choveram telefonemas. E, ao contrário do que muitos imaginam, o Paraguai possui muitas condições de lidar com essa novidade pernóstica. Assunção abriga centros médicos de excelência e profissionais muito capacitados na área da infectologia. 

Quarentena paraguaia
O período de atenção máxima para o covid-19 no país vizinho é de 15 dias; o prazo pode ser prorrogado dependendo da situação. O quadro é dos mais preocupantes porque o Paraguai vive uma epidemia de dengue. 

Tripla pancada 
Então vamos imaginar o que passa pela cabeça dos comerciantes, empregadores, investidores, pessoas que colocaram a vida no estigma da prosperidade em CDE. Claro, não vamos nos esquecer dos trabalhadores: primeiro, todos sofrem com as altas do dólar. Alguém revelou ao Corvo que ontem havia comerciantes praticando o câmbio na casa dos R$ 5. Cidade vazia e lojas esfaqueando os poucos clientes. 

... e mais...
Além do dólar, existe um outro problemão: com a China bancando a "incubadora" do coronavírus, as exportações deram um tempo. Por sua vez, os comerciantes não conseguem repor os estoques, e pode faltar muitos produtos, a começar por aqueles que são mais procurados pela clientela. E há o mais recente fator, proibindo aglomerações. Nesse caso, muita gente pergunta: e como fica Ciudad del Este, um formigueiro ao ar livre?
 
Quádrupla pancada
Bom, o dólar alto, por si, tratou de resolver o problema das aglomerações, porque o que mais se vê são ruas e galerias vazias. Até o homem que vende maquinha de choque está economizando bateria. E por fim, com toda essa crise, esse marasmo, com dúvidas e temores, os paraguaios resolvem fazer protesto na cabeceira da Ponte da Amizade. Não vai demorar até ouvirmos notícias de suicídio. A crise já está começando a causar demissões e, pior, a quebra do giro. Há quem já tenha baixado as portas. 
 
A moda dos documentos
No contraponto dessa tragédia paraguaia, os brasileiros dão uma de Ronaldinho Gaúcho e utilizam documentos de terceiros para tentar driblar a fiscalização. O que chama a atenção é a cara de pau de alguns compristas, os quais apresentam documentos até de crianças. Que barbaridade!  

Adnan El Sayed
Pontual a coluna do economista. Ele fez um panorama sobre a alta do dólar e matou muitas das dúvidas. Considerando as condições geográficas de Foz, o conteúdo ajudou a desmitificar e erradicar o besteirol dos neófitos. O termo "neófito" se ajusta ao catecumenato economês, ou seja, de iniciantes na carreira, que ao acreditarem saber das coisas, ou no pseudodomínio no assunto, espalham uma porção de bobagens. 

Corona trágico
Mas com ou sem bobagens, o coronavírus pode causar um estrago nos planos de muitos. Cruzeiros estão sendo cancelados; novos negócios, estagnados; contratações, postergadas; enfim, está criando-se um clima pré-depressivo e não se fala em outra coisa nos noticiários. Vai ver é em razão disso que a OMS demorou para declarar uma "pandemia". Segundo os analistas de mercado, o anúncio poderá acelerar o que seria um crash mundial. Vamos ajoelhar e rezar para isso não acontecer. Tomara que não passe de alarmismo.

Sem açúcar e sem afeto
Há uma impotência, quase uma inércia no ar, porque as pessoas estão assustadas com a possibilidade de contrair dengue, ou pegar o covid-19, e esse temor é que está tornando-se epidêmico, mais até que as doenças. Há quem não encontre mais graça em nada e acredite no fim dos tempos. É uma situação muito ruim. E o pior é que não dá nem para ir rezar, porque as igrejas estão apinhadas de fiéis e os padres estão gastando a grana do dízimo com álcool gel e máscaras. Mas como os padres e pastores são obedecidos, pode ser que sejam competentes em orientar o rebanho. 

Mais médicos
Com tantas doenças, onde países como o Brasil arranjarão profissionais na área de saúde? O que vai acontecer, infelizmente, caso esse vírus (covid-19) se propague ou saia do controle, é um aumento significativo de óbitos na melhor idade, porque muitos possuem doenças crônicas, portanto um mar de fragilidades. É triste, mas a possibilidade de isso ocorrer é muito grande. Há imbecis e fake news disseminando essa crueldade, como se o vírus fosse criado propositalmente para diminuir a população de idosos, porque eles custam muito para os sistemas de saúde. Manter os velhos é um problema sério na China, por exemplo. Aqui não acreditamos nessas notícias, mas elas nos põem a pensar.   

Comportamento no calor
Lá no início dos alarmes contra o covid-19, havia uma expectativa de o vírus não suportar altas temperaturas. Parece que o bichinho está adaptando-se, porque há novas suspeitas a cada dia e o mapa da incidência confirmada só aumenta.  

Ratinho turístico
Em meio às incertezas e um stop nos planos de viagens, pacotes, etc. e tal, o governador do Paraná fez a lição de casa: foi aos Estados Unidos e vendeu o que há de melhor no Paraná, o turismo, porque ele movimenta a economia e atrai investimentos. Tomara que essa visão se reflita nos orçamentos da pasta, elevando as verbas de divulgação.

Prêmio internacional 
O Corvo está na torcida para a Itaipu fatiar WTM latino-americano, uma premiação muito importante; olha o título do prêmio: "Melhor Destino para o Turismo Responsável". Apenas para lembrar, por enquanto, os passeios pela binacional continuam normalmente.

Ovos de Páscoa
Médicos europeus estão recomendando a ingestão de chocolate, porque o cacau possuiria propriedades imunológicas contra o coronavírus. Isso é mito. O cacau é poderoso, mas nem tanto. Com certeza foi algum fabricante do produto que, na "esperteza", está tentando aumentar a venda na Páscoa. Uma prova disso é o espaço ocupado nos supermercados.  

Multas do Estarfi
Francamente, ganhar pontos na carteira com o carro parado e sem estar ao volante é algo que merece ser revisto. Levar multa pelo estacionamento irregular, pelo fato de não pagar o Estarfi, é uma coisa; é uma situação até justa, uma vez que a ideia é causar rodízio de vagas, mas somar pontos na carteira? O Luiz Queiroga está trabalhando um tema importante. Bem, dilatar o prazo de pagamento são outros quinhentos. Quem não paga em dez dias dificilmente pagará em 20. 

Transporte escolar
A Polícia Rodoviária Federal está fiscalizando veículos de transporte escolar, logo é de se imaginar que tais veículos trafeguem em estradas. Se para andar na cidade, ônibus que leva crianças precisa estar em dia, nas estradas mais ainda. Alguém ligou para o Corvo reclamando da fiscalização. Acontece que é uma atividade de enorme responsabilidade, e alguns acreditam que não. Imagina?
 

 

Povo sabe escrever

Corvo, o que percebo é que os seus leitores são bem cultos, pessoas que sabem escrever muito bem. Se cada um escrevesse um livro, como sabem escrever para o senhor, teríamos muitos escritores famosos na cidade. Parece que o senhor é um colunista privilegiado.
Neilor R Brandão Filho

O Corvo responde: prezado, assim como o conteúdo da sua carta, na verdade um e-mail, quase todos os textos enviados para esta coluna são editados. Alguns são verdadeiramente corretos e não necessitam de reparos, mas muitos, nem tanto, e o que vale é a ideia, a expressão. Este colunista não vê problema algum em ajeitar aqui e ali; aliás, isso é uma honra! Interagir com os leitores e publicar seus pontos de vista é mais do que um privilégio. Obrigado pela ponderação. 
  
O que são as reformas?

Corvo, parece que agora a culpa da crise no Brasil é a falta das "reformas". Ouço isso a todo momento nos noticiários. É um tal de reforma disso pra cá, daquilo pra lá, e francamente o povão não entende absolutamente nada. Ontem, no jornal Bom Dia Brasil, a comentarista Miriam Leitão abordou isso e também a falação, insultos e o que atrapalha o país. Concordo com ela, está na hora das lideranças pararem com o disse que disse e "focarem" nas atividades para as quais foram eleitos. 
Nadir V P Constantino

O Corvo responde: o país é regido pela Constituição Federal, e ela é composta por artigos, emendas, atos e disposições, e esse conjunto de leis permeia os códigos, ou seja, tudo ocorre entre as linhas da legalidade. A última revisão aconteceu no episódio Constituinte de 1988, quando o presidente era o deputado Ulysses Guimarães. Sérgio Spada representava Foz na ocasião. O tempo passa, alguns assuntos vão sendo atropelados, e isso requer uma adaptação à realidade. A conduta de setores administrativos, legislativos, judiciários, tributários, trabalhistas, tudo requer uma revitalização, e o produto final dessas análises, dos pilares que movem o país, é convencionado como reformas. 

Cadê as reformas? 
O governo se queixa da necessidade de agilidade nas "reformas", mas o Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, disse que até o momento os textos não foram enviados para a discussão na Casa de Leis. No caso, quem está adiando o processo de mudança, tão esperado pela sociedade, é o governo. Logo, reclamar da lentidão é um tiro no pé. 

Contrassenso 
Se por um lado setores do governo induzem a população pensar que a lentidão ocorre no Legislativo, aparece o ministro da Economia, Paulo Guedes, e diz que "a resposta à crise são as reformas". Segundo ele, os pacotes serão enviados ao Congresso nesta semana, com a chegada do presidente Bolsonaro. 

Quais reformas
O Brasil discutiu a reforma da Previdência, e ela levou quase um ano para ser concluída. Mas para dar celeridade ao desenvolvimento, é necessário discutir a reforma tributária, na qual estão as taxas e impostos que pesam nos ombros dos contribuintes e incidem sobre produtos de todas as naturezas. Há a reforma administrativa, com novas normas para o setor público lidar com concorrências, contratações, enfim, para romper o gesso que há em muitas frentes. E no mais há outras reformas que urgem, como a política, a econômica, a orçamentária, a trabalhista e a revisão da reforma eleitoral. Provavelmente o país não consiga reformar tantas coisas até o final deste governo. 

Lá vem a Globo
Olá, Corvo, bom dia! No meio dessa confusão toda aparece a dona Globo com uma novela abordando o imperador D. Pedro II, como isso fosse importante. Tiraram o homem do poder por causa da bagunça, e o que será que vão mostrar para o povo? Vão dizer que a monarquia é a solução para o Brasil? Lamentável. E já começam a novela das 6h atiçando os ânimos com o Paraguai, mostrando uma desavença entre Solano Lopes e o monarca brasileiro! 
Luciana R P Silva

O Corvo responde: prezada, apesar de romancear certas situações, as propostas históricas da Rede Globo são bem adequadas, como foi a abordagem sobre D. Pedro I e Dona Leopoldina. Fazendo aqui um reparo, o período em que Pedro II governou o Brasil foi um dos mais prósperos, justos, ricos e de uma segurança institucional que merece sempre ser lembrada. O Corvo não é monarquista, mas estuda correntemente a história e suas revisões, por meio dos trabalhos de campo de muitos historiadores. O segundo império foi considerado uma dádiva para a democracia, com ênfase nas liberdades, desenvolvimento, artes e ciência. Pedro II era "o cara", reconhecido por todo o mundo. O primeiro encontro entre o imperador e o ditador paraguaio é histórico; aliás, um incidente que despertou os desejos expansionistas de Francisco Solano López, que invadiu o Brasil e Argentina, iniciando o maior conflito ocorrido na América do Sul, a Guerra da Tríplice Aliança. 

Rasteira
Aliás, vale aqui um comentário: a Proclamação da República foi um ato gerado por intrigas, mentiras, induções, controvérsias e rixas pessoais. O Marechal Deodoro da Fonseca era amigo pessoal do imperador e resistiu a todo o momento numa afronta à monarquia. Ele não queria alterar o regime. Foi induzido ao erro por uma chuva de informações, difíceis de serem checadas. Na época os meios de comunicação eram rudimentares, existiam jornais e com a circulação em suas cidades. No mais, tudo acontecia via telégrafo. Deodoro prometeu ouvir o povo, mas isso aconteceu em plebiscito 103 anos depois. E no mais, ofereceram uma soma milionária a D. Pedro e sua família, e ele perguntou: "Esse dinheiro sai de onde? Do Tesouro Nacional? Se for assim é ilegal, não aceito". Um dos homens mais importantes e respeitados em sua época, ele morreu pobre, com um saco de terra de seu país servindo de travesseiro. Triste.    

Imbróglio no Republicanos
Parece que a expulsão do vereador Jeferson, do Partido Republicanos, não aconteceu como disse o presidente do Conselho de Ética do partido. Uma fonte informou ao Corvo que a briga era antiga entre Brayner e o Diretório Regional, e quando abriram as janelas partidárias o vereador comunicou o presidente local e enviou um pedido de desfiliação, recebendo um "OK" de Sidnei Prestes. Alguns membros do partido, descontentes, levaram o "processo de expulsão" adiante. Mas essas confusões são normais nos bastidores, ninguém quer sair, ou ficar, por baixo da carne seca. O fato é que Jeferson Brayner deixou o partido e segue a vida; por sua vez, o Republicanos entra no processo de organização frente ao período pré-eleitoral. 

Mulheres na Câmara
A Câmara Municipal montou uma lista de mulheres a serem homenageadas e, segundo a opinião de muita gente, a escolha foi cuidadosa e muito bem realizada, contemplando com justeza quem de fato trabalhou em prol da sociedade. O Corvo descobriu que uma madame estava a todo custo pedindo para ser homenageada, e os vereadores não caíram na lábia dela. Benfeito.

Bom momento
Corvo, penso que sempre é bom repetir o bom momento que a cidade enfrenta, com tantas obras grandes e boas perspectivas. Nunca será "muito" falar da segunda ponte e mostrar o seu estágio ou comentar os projetos da perimetral, duplicação da BR-469 e tudo o mais. Há gente que não sabe nada sobre isso, e essa alienação chega a irritar. Um vizinho veio dizer que isso é tudo falácia e é divulgado por causa das eleições que se aproximam. É o caso do "cego que não quer ver". Que situação! 
Ronaldo C T Peixoto

O Corvo responde: as grandes obras e projetos são constantemente acompanhados por nossa redação, e a cada etapa fazemos questão de divulgar, por respeito aos nossos leitores. A foto de capa ontem será histórica, porque nos dá uma dimensão dos pilares da nova ponte e quando começaram a ser erguidos. 

Decisão salomônica
O funcionário de uma empresa teria sido atacado por um cãozinho. Na época este colunista recebeu informações sobre o caso. Na verdade, o bichinho apenas latiu, o que é um instinto, independentemente do porte. O resultado entre a defesa e o ataque foi a morte do cão, o que gerou profunda comoção entre os familiares. O juiz de Direito Rogério Vidal foi sensível em sua decisão de responsabilizar os autores e o dano. Que isso sirva de exemplo para quem maltrata animais, como é o caso de vizinhos que tentam envenenar gatos e cães que de alguma forma "os incomodam". Decisão "salomônica" é aquela considerada criteriosa e sábia, mesmo que não agrade aos dois lados. 

Ar seco
Atenção, atenção, quem sofre com a secura do ar que se prepare, encontrando formas de aliviar o ambiente. Bacia com água, panos molhados ajudam, mas a hidratação é fundamental. O Corvo, por exemplo, dorme com um nebulizador ao lado da cama. 

Recomendação
O Corvo fez uma pesquisa, e os dez mandamentos para evitar o sofrimento nesta época do ano são os seguintes: 1. Lave a roupa de cama com mais frequência; 2. Coloque pelo ambiente toalhas molhadas e recipientes com água; 3. Invista em plantas purificadoras; 4. Invista em um umidificador de ar; 5. Não utilize o ar-condicionado (isso particularmente é difícil); 6. Mantenha os cômodos arejados; 7. Faça uma limpeza úmida; 8. Aspire o pó de sofás, poltronas e objetos que não possam ser lavados; 9. Não deixe objetos que possam acumular poeira; 10. Lave cortinas, almofadas e tapetes.

 

Petróleo cai

As bolsas de valores abriram em baixa ao redor do planeta, e o problema é a queda no preço do petróleo. Muitas pessoas esboçam felicidade, esperando que os preços dos combustíveis baixem no país. Isso faz parte de um insistente sonho, que dificilmente se tornará realidade. O preço do etanol também é alto, e o governo não vai querer concorrência. É o fim da picada. Essa gente não tem pulso quando o assunto é baixar o preço da gasolina. 

Baque geral
Que combinação mais explosiva, né? Queda no preço do barril de petróleo e alta no índice de infectados pelo coronavírus! Isso é mais poderoso que chá com folha de maracujá. Brochante total! No Brasil os casos aumentam; o que pensar se o tal vírus escapa do controle? É, como diria um saudoso amigo, "o mundão veio" anda meio travado...

Itália desértica
O maior exportador do vírus para o Brasil é a Itália, país no roteiro de milhares de brasileiros, sobretudo os que sonham em conhecer a região da Toscana e cidades como Milão, Turim e Veneza. Segundo uma análise, o sofrimento entre os italianos se dá por uma simples razão: é um país com uma população idosa muito grande. Não vai demorar para fecharem as portas totalmente. O Corvo ligou para um amigo e, segundo ele, até os ritos funerais estão proibidos. Se a pessoa morrer, vão buscar e enfiar num congelador até a onda diminuir. Pensa? 

Pós-vírus
A cúpula da economia mundial admite que pode haver uma recessão em razão da "pandemia" velada, causada pelo novo coronavírus. A OMS insiste em prolongar o anúncio pandêmico. Muitos países esperam por isso, porque os governos poderão gastar sem licitar. Na Itália, por exemplo, a rigidez administrativa pública é tão grande que não conseguem adquirir nem equipamentos de oxigênio para os pacientes.   

Acordo
A fabricação de armas e equipamentos para garantir a defesa foi o foco do encontro entre os governantes do Brasil e Estados Unidos. Fizeram, ao que parece, um troca-troca de tecnologias. Quando isso ocorre, em geral, damos a eles tudo o que possuímos de mais novo, e recebemos em troca o que há de mais obsoleto. E o seu Trump ainda tirou sarrinho do Bolsonaro.  

USA and Brazil
E vão usar essas armas contra quem? Onde? Só se for contra os bandidos nos morros e favelas; as facções criminosas. Tomara que não seja contra a população. O que o Brasil mais precisa dos norte-americanos é grana, para tentar equilibrar o crescimento da pobreza. Nem precisaria ser dinheiro emprestado, bastaria o parceiro comercial deixar de lado algumas sobretaxas dos nossos produtos e liberar a entrada de outros. 

Startups
Alguns leitores enviaram a mesma pergunta para o Corvo: o que é uma startup? Isso deve ter acontecido em razão dos investimentos de Foz num "condomínio" para o setor. Este colunista diria que é uma "inovação"; uma ideia diferente do que há por aí; isso é coisa antiga nos Estados Unidos e Inglaterra, quando pequenos empresários tentavam empurrar novos conceitos e, na hora de formalizá-los, iniciavam um negócio empresarial com filosofia ímpar ao mercado.  

Globalização
Startups são meios criados em conformidade com os efeitos da globalização, certificada na virada do milênio. Em Foz, o que mais há é gente com ideias para inovar, o caso é fazer cada uma deslanchar. Há iniciativas que não vão adiante nem pegando no tranco. O importante é tentar e seguir tentando. O Corvo, por exemplo, é uma "startup" na área da comunicação, porque vive inventando um jeito de sobreviver. 

A "Marcha"
Lindo o evento realizado no sábado, reunindo uma quantidade expressiva de participantes clamando e chamando a atenção pelos direitos da mulher. O empoderamento começa por aí, e o bacana foi a participação de muitas crianças em um evento importante para muitas famílias, com os homens de casa apoiando integralmente a iniciativa. Se as mulheres forem recebidas com igualdade, já será um avanço, e quando isso acontece na família é quando a proposta solidifica. 

Arte
Este colunista recebeu algumas consultas sobre a autoria do desenho que estampava (faixa) a Marcha das Mulheres; uma composição muito adequada e comportada de mulheres de todas as etnias, o que é a cara de Foz do Iguaçu. Até o fechamento da edição não descobrimos quem realizou o belo trabalho. De antemão, o Corvo dá os parabéns.  

Ocupação hoteleira
Segundo a opinião de alguns empresários na rede hoteleira, o número divulgado quanto à taxa de ocupação em 2019 não confere. Há quem insista que foi menor, até pela falta dos "feriadões". Na matéria publicada na página 05, da edição de ontem, o conteúdo se fez claro quando apontou que a média foi de 59,8%, com pico de 71,2%. Foi o Sindhotéis quem repassou a informação. 

Uns e outros
O que acontece é simples: muitos estabelecimentos trabalham com ótima captação no mercado, realizam promoções, vendem o peixe como precisa ser comercializado, investem em publicidade, redes sociais, fortalecem o destino, mantendo até escritórios em São Paulo e Rio. Há casos em que a ocupação foi maior, até mesmo que o "pico" percentual divulgado, e as empresas até fazem questão de divulgar esse sucesso todo, porque é saudável. Em contrapartida, muita gente reclama de barriga cheia, e meter o pau no sucesso é uma forma de sonegar a realidade, ou de fazer entenderem que o segmento é "uma dificuldade". Quem não faz nada e vive agarrado nas ações dos outros corre esse risco. Vamos parar de reclamar e trabalhar, porque isso é que faz bem. 

2020
E sem feriados, a cidade bateu recordes de visitação. É por essas e outras que nos irritamos quando alguém dá de reclamar. Neste ano, os feriados prometem elevar o percentual de ocupação, como este colunista já escreveu no final do ano passado e bem lembrou o Polaco, Neuso Rafagnin. Chamam o presidente do Sindicato de Hotéis de Polaco desde criancinha, mas o cara é carcamano legítimo! 

Visit Iguassu
É o melhor instrumento para o desenvolvimento do setor turístico e de negócios, por isso é importante fortalecer a entidade, com mais empreendimentos hoteleiros participando dela. Falar em Visit, Cristiane Santos é a nova diretora-executiva da instituição. Este colunista antecipou a mudança na sexta-feira. A executiva tem essa missão de congraçar mais apoiadores e, ao mesmo tempo, trazer negócios (leia matéria nesta edição).  

Sem corona
Foz, até o momento, está livre do vírus maldito, que está fazendo o planeta parar de girar. Tomara que, por causa disso, o mundo não resolva mudar-se para a fronteira, trazendo junto a doença. A não incidência nos pacientes suspeitos foi atestada pela Fundação Oswaldo Cruz.  

Orçamento Participativo
Se o prefeito Chico conseguir cumprir todas as promessas que o seu governo fez nas reuniões com as lideranças de bairros, no chamado Orçamento Participativo, não apenas corre o risco de ser reeleito como concorrerá ao título de "santo milagreiro". Nome de santo e de papa ele já tem. Mas como ele garante que vai atender às súplicas das localidades, vamos acompanhar isso de perto. Vai Chico, destrave e resolva!

Expulsão
A notícia de que o vereador Jeferson Brayner "deixou" o partido Republicanos causou um certo frisson nos bastidores da política. Segundo o Rodrigo Goularte, que é o presidente do Conselho de Ética do partido, Brayner foi expulso, por contrariar as posições da agremiação, "desviando o foco" das diretrizes partidárias.

Duelo
Com a revelação, eis que surge um novo duelo entre filiado e organização partidária, como outros tantos arranca-rabos do passado. O partido expediu inclusive cópia do ato de expulsão, devidamente reconhecida pelo diretório. Saia dessa, Jeferson, explique o caso. Ninguém é chegado em bola nas costas.  

Pula-pula
A pulação de um partido a outro está em franca temporada. É igual quando a gente entra no mato e vê uma porção de bichos e pássaros fazendo o sassarico. A política é mesmo uma fauna! 

Análise corajosa
O Corvo recebeu de um leitor que pediu para não ter o nome divulgado: "Seu Corvo, nem conheço a pessoa, mas estou começando a gostar muito da opinião do colunista Rodrigo Duarte. Ele escreve de maneira que a gente entenda a raiz das análises. Tem gente que tenta explicar as situações para os leitores e acaba causando mais dúvida. Rodrigo explica, e de uma maneira muito tranquila". Parabéns ao causídico e colunista. Está dado o recado. 


Crise Ronaldinho
Chega a dar dó ver um ex-jogador, craque, envolvido numa muvuca daquele tamanho. Mas sejamos francos: o que mais há em Foz do Iguaçu, por exemplo, é brasileiro com identidade e documentos paraguaios; quase 350 mil pessoas estão do lado de lá da fronteira, ou trabalhando, ou estudando, ou vivendo por meio de negócios dos mais diversos. Contaram para o Corvo que o ocorrido com o Ronaldinho Gaúcho causará uma espécie de efeito "Santa Maria", com relação ao cancelamento de documentos entregues a brasileiros. 

Efeito tardio
Há no Congresso paraguaio senadores e deputados empenhados em reduzir o número de documentos, e o episódio vestiu como uma luva. E o bicho vai começar a pegar nas instituições que expendem identidades, passaportes e documentos que comprovem residência. Estima-se que o número de falsificações seja grande. O curioso é que os papéis são verdadeiros, falsa é a emissão, sobretudo em duplicidade. Há cidadãos cujo número de identidade é usado por até três pessoas.

Cartas para o Corvo

Eita que o povo deu de escrever na semana passada e mesmo no final de semana. O Corvo publica algumas das cartas e tenta responder a todas, o que é uma atenção aos leitores e colaboradores! Um bom dia e uma grande e auspiciosa semana! 

Domingão das mulheres
Corvo, adoro sair aos domingos pela manhã com o meu calhambeque. Aliás, é o único dia em que gasto um pouco de gasolina e dirijo um veículo. Vou pelas vias arborizadas, admirando os jardins das residências. Mas ontem foi uma manhã um tanto diferente, porque no bairro onde moro, Jardim São Paulo, havia uma porção de atletas serpenteando as ruas. Tive até uma pequena dificuldade de chegar ao açougue, mas adorei ver o movimento; gente sadia, até os gordinhos tentando cumprir o trajeto. E havia mesmo muitas mulheres, porque era o dia delas! 
Mauro J V Paes 

GM em ação
Corvo, pensa na dificuldade de organizar um evento como o que ocorreu para festejar o Dia das Mulheres. E, claro, isso só acontece com o esforço de quem controla o trânsito, como é o caso da PM, GM e Polícia Rodoviária. Ontem os guardas municipais tiveram muito trabalho, com viaturas e motos para todos os lados. Um detalhe, mesmo num evento importante e em dia tão especial, com sol desde as primeiras horas, clima aprazível, havia os engraçadinhos buzinando e reclamando no trânsito. Puxa vida, que falta de educação e pobreza de espírito.
Eliza Fátima Campos
 
O Corvo responde:
este colunista também viu a bela iniciativa que foi deslocar uma competição para os bairros. Em geral elas sempre acontecem na Avenida das Cataratas, Paraná ou JK. Para algumas localidades, foi uma festa ver os participantes encarando o desafio. 

Ronaldinho em fria
Que barbaridade isso, hein Corvo, o carinha vai participar de um evento e se mete numa baita enrascada? E colocaram até algemas nele e no irmão! Será que precisava tanto? Afinal de contas, Ronaldinho Gaúcho é uma figura pública e até com status de autoridade, porque foi nomeado Embaixador do Turismo! E não entendi nada, primeiro o Ministério Público disse que ele não fez nada e teria sido induzido, mas depois as autoridades roem a corda na decisão? É difícil. 
Paulo Guilherme R Santos   

O Corvo responde: imagine um jogador famoso do Paraguai, ou uma celebridade, entrar no Brasil com passaporte e identidade falsos. Seria o suficiente para sacudir o coreto, e o assunto acabaria em escândalo, afinal de contas teriam praticado um crime federal. E por que no Paraguai seria diferente? A decisão da Justiça deu foi credibilidade aos meios judiciários. Diga-se que os juízes não haviam se manifestado, e a reviravolta aconteceu no Ministério Público depois que um novo promotor encarou o rojão. Não interessa, Ronaldinho e o irmão, induzidos ou não, praticaram o crime e devem ser responsabilizados pelo que fizeram.  

Marito e as obras da ponte
Corvo, publicamente o presidente do Paraguai admirou as obras da nova ponte na margem de seu país. Mas uma pessoa que estava por perto disse que ele reclamou quando viu o estágio mais adiantado do lado brasileiro. E, de fato, quem for ao canteiro de obras do lado brasileiro não verá quase nada acontecendo do outro lado do Paranazão.
Geraldo B R Silva

O Corvo responde: prezado, o Corvo foi apurar essa questão do cronograma dos dois países. O lado brasileiro está bem mais adiantado porque há uma estrutura aparente; já os paraguaios, segundo informação, precisaram trabalhar nos acessos, porque possuem uma condição geográfica diferente. Mario Abdo Benítez, presidente da nação guarani, tem todo o interesse de fazer a obra andar. Os benefícios para os paraguaios serão maiores do que para os brasileiros.  

Saltos Monday
Corvo, com a possibilidade de automóveis utilizarem a nova ponte, será um regalo para quem não conhece as belas cataratas paraguaias, que merecem mais atenção dos órgãos de turismo daquele país. Quem vê uma foto do Monday pensa que é um pedaço das nossas Cataratas do Iguaçu, de tão belo que é. Vale a pena ir até lá, Corvo!
Paula Giusti

O Corvo responde: prezada, conforme as autoridades paraguaias, há um estudo para o desenvolvimento de um grande parque ambiental no entorno do atrativo. O projeto, segundo informações, está captando recursos internacionais. Mas o Corvo vai apurar o que de fato ocorre. Sim, vale a pena conhecer o belo conjunto de quedas d’água. Quem vai até lá se certifica de que a Região Trinacional é muito bem servida de "cataratas".

Cataratas sem água
Por mencionar quedas d'água, o principal atrativo de Foz está diferente, mas isso não deixa de encantar os turistas e visitantes. Há quem faça as malas e viaje às pressas, ou para ver as cheias, ou a baixa vazão. As Cataratas do Iguaçu são um espetáculo o ano inteiro.  

ACIFI e o reconhecimento
Corvo, francamente, fazia muito tempo que eu não passava em frente à sede da ACIFI, e como sou meio desligada levei um baita susto com o novo edifício. Tudo bem, a gente viu nas notícias, mas ao vivo tudo é muito grande! A imponência da nova sede mostra a importância da entidade para a nossa sociedade. Parabéns aos diretores que seguem no cargo. Estão fazendo um belo trabalho. 
Leda J Pereira

O Corvo responde: muitas pessoas realmente se espantam quando se deparam com o edifício inaugurado no ano passado. E é assim que a cidade se transforma, por meio de pessoas dedicadas, corajosas e que não perdem de vista o dever da iniciativa. 


Polo automotivo
Então, seu Corvo, às vezes a gente dá uma passada rápida nas fotos do jornal. Pode brigar comigo, mas sou assim: começo a ler o jornal de trás para a frente, e as fotos são que chamam a minha atenção. Depois é que eu vou ler as matérias. No sábado, quando vi a foto da página 12, com aquele pátio enorme de veículos, pensei: será que haverá um novo leilão de carros apreendidos? No fim era o pátio de uma montadora. É para ver como o volume de carros apreendidos é grande, por isso fiz confusão.
Marcelo Ruiz

O Corvo responde: prezado, a maneira como lê o jornal não é o mais importante; cada um possui um hábito diferente de leitura. Já a comparação entre o pátio de carros apreendidos em Foz e os das montadoras nos oferece muitas semelhanças. A matéria em questão tratou sobre a modernidade do polo automotivo paranaense. 

Sem jatinhos
Senhor Corvo, viu qual a desavença entre o Bolsonaro e os deputados e senadores agora? É por causa do uso dos jatinhos. Só falta prejudicarem o homem porque ele quer economizar combustível das aeronaves. Por que esse povo não usa avião de carreira?
José Carlos Dario

O Corvo responde: quase todos os deputados e senadores utilizam voos das companhias aéreas. No caso, os jatinhos são caros e, além do combustível, há uma lista de outros custos. O governo quer diminuir o uso das aeronaves, o que é uma medida aprovada pela população. Há países em que autoridades se deslocam por conta própria, como qualquer mortal e sem a mesma ajuda de custo que os políticos brasileiros desfrutam. Contaram para o Corvo que Bolsonaro está pensando em usar os aviões de carreira. Seria um bom exemplo. 

Estrada do Colono
O Corvo recebeu a informação de que outra empresa internacional estaria pesquisando a reabertura da estrada que corta o Parque Nacional. Seria um serviço encomendado para avaliar quais os impactos de uma estrada-parque naquela área. Um estudo assim será fruto de um debate saudável entre os prós e os contras à reabertura do trecho de 17 km, que encurta uma distância de 250 km. A queima de combustíveis, a borracha dos pneus, o óleo na pista e os acidentes, provavelmente, causaram mais prejuízos à natureza.  

Duplicação da BR-469
Este colunista recebeu muitas comunicações sobre os benefícios da duplicação da BR-469. Óbvio que uma estrada melhor causa o desenvolvimento. Quando uma via é pavimentada ou melhorada, recebe mais movimento e atende melhor ao trânsito. Para uma cidade como Foz, que recebe gente de todo o mundo, prover conforto e segurança aos visitantes é muito importante. De quebra a população é beneficiada. Publicaremos as notas no decorrer da semana.

 

Mico estelar

O que o Ronaldinho Gaúcho e o irmão aprontaram em terras paraguaias foi "a lambança". E todo mundo pergunta: se não é necessário passaporte para entrar no país vizinho, qual a razão de falsificar documentos paraguaios? O sarro come solto nas redes sociais.

Idiotice
Isso está cheirando a agrado de lambe-botas, do tipo alguém que ofereceu os documentos com a finalidade de "ganhar moral" com o ex-jogador, sem esperar que o caso virasse um escândalo internacional. Ou tem gato na tuba. Enfim, houve sim uma defecada tripla, pois além da falta de necessidade dos documentos é difícil explicar passaportes verdadeiros com informações falsas, o que causou a derrubada de autoridades. Que barbaridade! 

Embaixador
Com situações assim, o Brasil volta a ser lembrado como a República da Banana, dos tempos do Zé Carioca. Mais uma para o lombo do Bolsonaro, que "nomeou" o ex-jogador "Embaixador do Turismo" brasileiro. Fazer turismo com documentos verdadeiros ainda é bem melhor.   

Pegada
Viu, seu Corvo, quando a polícia quer, desmonta as quadrilhas e coloca um monte de gente na cadeia. Essa operação contra o tráfico de armas e munições é um golpe contra as facções, porque elas ficam peladas. Armas são mais importantes do que tudo para essa gente. Parabéns aos policiais!
Mário D'Almeida W Fortes

O Corvo responde: prezado, não é "quando a polícia quer" que as operações acontecem; elas são fruto de inteligência e meses de investigações, escutas e profissionais trabalhando duro para deflagrar a operação. O leitor está correto, desarmar o tráfico de armas é um croque na moleira dos grupos criminosos. Sem armas, até as milícias sentem o tranco. 

Duque de Caxias
Corvo, eu não poderia deixar de expressar a minha opinião sobre o caso, até porque você comentou e o jornal publicou aquela bela foto na capa, que ilustra bem a situação. Se as famílias foram retiradas do conjunto às pressas, da noite para o dia, por causa do risco de desabamento "a qualquer momento", como os edifícios continuam firmes e fortes? Fico pensando na vida dos moradores. 
Martha P Vasconcelos

Solução
Sobre o Duque de Caxias, a Caixa Econômica Federal não iria retirar os moradores sem que houvesse um alerta. É isso que precisamos saber, quem foi que criou o alarme e, no fim, acabou causando tanto incômodo, mudando a vida de centenas de pessoas.
José Ruiz R Salgado

O Corvo responde: a desocupação do Conjunto Residencial Duque de Caxias e o dano causado aos moradores são uma história muito triste e que, se fosse narrada em detalhes, em livro ou documentário, faria muita gente chorar. O que dói é saber da demora pela solução. O episódio já acendeu a primeira velinha. 

Juca e "o fico"
O diretor-presidente da Fundação Cultural, Juca Rodrigues, sairá de férias, e isso foi o bastante para formar uma onda sobre sua possível saída. Escreveram um pouco de tudo nas redes sociais; e, claro, isso mexeu com os servidores e demais funcionários que atuam na área cultural da cidade, afinal de contas é um cargo de relevante importância. O Corvo investigou e descobriu que a amizade dele com o prefeito é muito sólida e que, em situações assim, ficar ou sair depende muito do nomeado. É o Juca quem diz: "Diga ao povo que fico!", como fez D. Pedro I. 

E o Juca fica? 
Ao que consta sim, mas a novidade é que devem ocorrer alguns ajustes na entidade, sobretudo no último ano da gestão do Chico. Ser diretor-presidente da Fundação Cultural não é tarefa fácil; existem pedras, pedregulhos e rochas pelo caminho, além de arapucas, ratoeiras e tudo o mais que a oposição e os descontentes engrenam. Quem está fora da fundação acha que é fácil fazer as coisas. Não existe o "achismo", o cargo é muito engessado e, em muitos casos, é necessário prover milagres. Quando o assunto é cultura e a diversidade que há no setor, é difícil agradar a todos, até aos que estão contentes. 

Grande concílio 
Contaram para o Corvo que alguém está organizando uma agenda de conversas entre os vereadores e o prefeito. Como há uma certa animosidade, os encontros estão sendo realizados em três etapas, ou com três grupos diferentes. O curioso é que um vereador apareceu nos três encontros. Calma, isso tem explicação: no tempo de uma semana, ele precisou "cambiar" de posição de tal forma que acabou transladando em todas as facções políticas da cidade. Ou isso seria excesso de esperteza? 

Reforminha
Como sabemos, a reforma política do Chico lembrará a Viúva Porcina, que foi sem nunca ter sido. Se depender da conversa com os vereadores, Chico terá de mudar todos os secretários e ainda criar umas cinco ou seis secretarias. Eita dificuldade! Mas ao que parece as conversas estão começando e pelo menos terminando. Todos sabem das chances do Chico na luta pela reeleição, ainda mais se correr sozinho. 

Novo não!
O discurso do ex-prefeito Reni foi emblemático: ele vendeu "o novo", ou seja, uma cara nova para a administração pública municipal; provocou o espírito de mudança, para tirar do poder a então hegemonia de Paulo, ao apoiar o Chico Brasileiro. E deu no que deu. O assunto marcou tanto o iguaçuense que se alguém aparecer fazendo campanha falando em "nova cara na política" é capaz de levar um corridão de ganso. O problema aí é escolher um "velho" que não esteja enrolado.  

Ratinho na missão brasileira
O digníssimo Carlos Ratinho Junior deve ser o único governador a integrar a missão brasileira que vai hoje aos Estados Unidos. Foi a Presidência da República que avisou. É uma viagem, sobretudo, de negócios. Haverá encontros dos mais diversos, com atividades oficiais e acordos entre os dois países. E, ao encontrarem o líder supremo do mundo terrestre Donald Trump, como será que o presidente Bolsonaro o apresentará? Little Mouse? Tomara que não seja induzido por algum assessor a dizer Small Rat. Tudo é possível com uma porção de pessoas dando palpites.

Mosquitos
Corvo, fico de cara, tem um boteco no Profilurb que é uma desgraça. Ficam jogando sinuca até tarde e bebem igual a gambás. Pensa numa gritaria e gargalhadas a noite toda? Menos mal, antes tinha uma cancha de bocha lá e era bem pior. Outro dia dei de entrar num estabelecimento para comprar uma latinha de refrigerante e percebi que o local é cheio de garrafas a céu aberto e uma sujeira medonha. Como isso passa pela Vigilância Sanitária? E olhando mais detalhadamente vi umas telhas viradas para cima e, em meio ao lodo, uma porção de larvas de mosquito. E prepare-se, Corvo, ninguém lá pegou dengue! Será que álcool no sangue não deixa a doença vingar?
HLB (A leitora pediu para não ter o nome revelado.) 

O Corvo responde: não entre nessa, o mosquito pica pessoas em todas as condições, a começar pelos desatentos. O fato de não cuidarem dos estabelecimentos, isso pode gerar multas de acordo com o grau de infestação. Se as condições de higiene não forem boas, o local pode ser lacrado. Quem não cuida de casa ou do comércio, como deveria, vive por conta e risco das endemias. Dengue mata! 

88 anos
O nosso glorioso 34º BIMec comemorou 88 anos. Parabéns! Quem estuda a história da cidade fica confuso em definir o que veio antes, se o município ou o batalhão. E é uma trajetória muito bonita de muitos serviços prestados à comunidade, desde os tempos de Companhia de Fronteira. Os casos e causos que envolvem a corporação renderiam um belo livro! O Corvo está pensando em escrever, nas horas de folga. 
 
Mudança no Visit 
A profissional Cristiane Santos assume a Diretoria Executiva do Visit Iguassu. Ela, além de competente, conhece o setor e está na vanguarda da captação de negócios, atividade que Foz precisa desenvolver e liderar a todo custo. Criatividade e conexão com os mercados não faltam para ela. Cristiane exerceu a profissão na casa nos tempos do ICVB. Vale o ditado: "A boa filha a casa torna". O GDia publica matéria completa sobre a transição no Visit, na edição de segunda-feira. O que se pode antecipar é que o Felipe Gonzalez marca um golaço!

​​​​​​​Gringos em ação

Pois que situação, hein seu Corvo? O mundo pegando fogo, perdido entre a dengue e o coronavírus, e os noticiários preocupados com as eleições nos Estados Unidos! Parece que o mundo é dividido em dois: os EUA e o resto. No dia em que pararmos de dar atenção a esses gringos, pode ser que as coisas andem em países emergentes como o nosso.
Célia A A Tolentino 

O Corvo responde: prezada, a ascensão à presidência norte-americana diz muito ao planeta, uma vez que os Estados Unidos são os maiores parceiros comerciais de muitos países, entre os quais o Brasil. As eleições lá monopolizam a mídia porque projetam o futuro em matéria de relações internacionais.   

Sanders ou Biden?
Eis a questão. O Corvo fez uma rápida pesquisa: Bernard "Bernie" Sanders, 78 anos, é um pacifista, conhecido pela simplicidade e amabilidade com os próximos. Destacou-se em cargos públicos, é um homem culto, de família judaica, exerceu profissões de carpinteiro e jornalista. É formado em arte e ciências políticas pela Universidade de Chicago. Foi um ferrenho opositor à Guerra do Vietnã e trabalhou na causa dos veteranos. É senador. Já Joseph Robinette "Joe" Biden Jr., 77 anos, foi vice-presidente de Barack Obama. É católico, advogado e possui muita experiência administrativa e legislativa, conduzindo episódios importantes no Senado. Não leva a pinta de belicista, mas endossa seu país como o "xerife" mundial, pela paz. Com dois "democratas" assim, a situação começa a endurecer para o republicano Donald Trump. Os especialistas garantem que ele teme mais Biden, tanto que fez força para envolvê-lo em escândalos. É briga de cachorro grande.  

Trégua
Enquanto isso, no "Brazil", o Congresso Nacional dá uma trégua ao presidente Bolsonaro, e tudo em nome dos 30 bilhões de emendas impositivas. Que barbaridade! Como dizia a vovó do Corvo: "O dinheiro move montanhas". 

Opinião pública
Apesar do besteirol e situações vexatórias, a população apoia o presidente Bolsonaro quando o assunto é encrencar contra o uso de 30 bilhões em emendas impositivas. O valor é muito alto, se comparado ao volume de verbas utilizadas pelo governo em ações de desenvolvimento nos estados e cidades. O grosso da arrecadação, como sabemos, paga funcionários, aposentadorias e mordomias difíceis de serem controladas. 

Saia-justa
Mal entrou no governo, a atriz e agora secretária de Cultura Regina Duarte se vê em meio ao tiroteio. A ala bolsonarista quer que ela se declare ou seja mais esfuziante com relação ao governo. Se fizer isso levará tijoladas da ala cultural em cima do muro, que briga por investimentos em leitura, cinema, produções culturais e afins. Sim, existe gente séria e que não gosta da coloração partidária. Por enquanto, Regina tramita nesse bosque. 

Novo veículo
Itaipu está no foco da indústria automobilística. Além do desenvolvimento de produtos elétricos, com marcas importantes, a binacional é palco de lançamento de veículos como o novo Duster, da Renault. Na verdade, Itaipu conta pontos quando o assunto é imagem e credibilidade. O valor da "locação" será revertido para entidade social, o que é uma diretriz da direção brasileira. 

Exemplo
Disseram para o Corvo que na Europa, em meio à transformação dos veículos para a eletricidade, inclusive com prazo determinado, as ações de desenvolvimento no laboratório de Itaipu são recorrentemente comentadas pelos executivos de muitas marcas mundiais. Falou em carro elétrico no Brasil, a palavra Itaipu está na ponta da língua e da tecnologia. 

Polo Astronômico
Quem gosta de olhar as estrelas e "viajar" no espaço sideral por meio dos telescópios ficou um pouco triste com a notícia do fechamento provisório do Polo Astronômico, que fica no PTI. Essa tristeza tem explicação, porque num passado recente, quando algo fechou para revitalização em Itaipu, demorou para receber visitantes, como foi o caso do Ecomuseu. Mas sobre isso o Corvo tem uma boa notícia: embora não divulguem uma data, os gestores do PTI e Itaipu sabem a importância dos atrativos e darão atenção máxima ao assunto. 
 
12 mil casos
A desgrama do mosquito da dengue picou com eficiência 11.700 pessoas até ontem. Hoje, o número deve ter aumentado. O bicho está solto na Região Norte da cidade, e graças à mudança da temperatura pode ser que a situação possa ser controlada mais rapidamente.  

Dengue mata mais
O mundo teme o coronavírus, mas no Brasil a dengue foi o que matou pra valer. No ano passado cerca de 700 brasileiros disseram adeus à vida. É provável que o número seja superado em 2020. 

Supermosquito
O tal do Aedes aegypti é tinhoso, pica até pensamento. Uma autoridade sanitária garante que o mosquito está mais poderoso, desenvolveu imunidade contra alguns venenos e está adaptando-se em qualquer líquido. Deve criar até em resto de cerveja e cachaça, cujas garrafas ficam de boca para cima nos botecos. Donos de alguns estabelecimentos não se dão o trabalho de virar as garrafas nos engradados porque o resto de bebida cai e cria odor.  

São Paulo e o corona
O estado é o mais populoso, logo há a possibilidade de maior incidência de portadores do vírus, até porque muitos executivos viajam e o povo adora fazer turismo. Tomara que não registrem contágios ou situações que esbocem a falta de controle, porque aí sim haverá grande esculhambação. 

Santos inundada
O que acontece com a baixada santista é algo que não sabemos dimensionar, apenas assistindo televisão ou acessando as notícias. É coisa dantesca, de morros deslizando, cobrindo vilas, estradas, soterrando famílias. Foi assim em muitas cidades neste ano, mas em Santos nunca se viu algo semelhante. Os técnicos culpam a impermeabilização por meio de asfalto e edificações amontoadas, mas choveu cem milímetros a mais em relação a outros períodos. Em Santa Catarina estão esperando chuvas fortes, por isso a Defesa Civil está antecipando-se, sobretudo no Vale do Itajaí. 

Pé de guerra
Chico que se cuide e trate de mostrar habilidade com os professores e servidores da área de educação. Chegou ao ouvido do Corvo que até os líderes da categoria estão enfrentando dificuldades em segurar a turba. É, amigos, ano político tem dessas coisas. A oposição estaria trabalhando a cabeça de vários diretores e professores. Mas se o governo acertar as reivindicações, o movimento acalma. 

Mês das mulheres
Corvo, a gente fica ouvindo, lendo e vendo notícias sobre a violência dos homens contra as mulheres. E cada coisa que acontece, hein? Mas se depender de mim, essas coisas jamais ocorrerão em casa, pois lá a patroa não vai precisar ir fazer BO porque quem apanha sou eu. Dona Chica é chegada no pau de macarrão e vara de bambu, tá louco! Mas é triste ver o que certos "machões" aprontam. 
Edivaldo Jonas P Salgueiro

O Corvo responde: prezado, o mês de março está manchado com o sangue feminino, afinal os números divulgados atingem patamares de grande preocupação. Pensa, mais de cinco mil BOs registrados em um ano? Dois mil casos de violência doméstica? Para variar, ontem, um delegado supostamente tirou a vida da esposa e enteada, uma menor de 16 anos. Que situação, hein? O que impressiona é o fato de haver grande conscientização, no entanto os números aumentam. 

A vez do Sky
Demorou, mas parece que agora vai funcionar para valer. As duas lojas francas devidamente instaladas estão praticamente prontas para receber o público. A novidade é que um grupo econômico poderoso, com unidades espalhadas em vários aeroportos, está avaliando a possibilidade de fincar um pé na fronteira. Segundo este pássaro apurou, essa intenção deve alavancar de vez o projeto no Porto Meira, onde tudo deve acontecer depois da nova ponte.   

Chilenos em Foz
Pelo jeito ficou interessante para os chilenos visitarem Foz. O Corvo deu uma viajada e conferiu pelo caminho uma porção de veículos com placas do Chile, mais até do que de paraguaios e argentinos. Os mecânicos, eletricistas e profissionais no ramo da manutenção de veículos estão felizes, porque os chilenos possuem a mania de dar uma geral no carro antes de pegar a estrada para voltar.

Cartas ao Corvo

Falta espaço para este colunista publicar todas as cartas, informações repassadas via telefone e até bilhetes de leitores. Fica a cargo da edição do jornal o crivo sobre os conteúdos, pois alguns estão fora do contexto jornalístico. Na verdade, há notas impossíveis de publicar, porque são ofensa da primeira à última palavra. O Corvo adora receber informações e "cartas" de leitores, mas aqui vai um pedido: escrevam claramente e, se possível, sem causar crimes contra a honra das pessoas. Há como criticar sem ofender.  

Esquadrilha
Os aviões da FAB farão uma apresentação para comemorar o aniversário do Gramadão, nosso maior palco de encontros, eventos públicos, feiras, diversões, concursos... Tudo acontece por lá. Quando a Esquadrilha da Fumaça se apresenta em Foz, praticamente a cidade toda consegue ver, mas quem apreciar as manobras no Gramadão terá visão privilegiada. 

Em outras épocas
Quando a Esquadrilha se apresenta, um oficial fica no chão narrando as manobras, ensinando os termos técnicos normalmente expressados pelos pilotos. Em certa ocasião, quando o Dobrandino era prefeito, ele fez questão de agradecer o grupo após a performance: "Muito obrigado por este belo espetáculo, a ‘quadrilha’ da fumaça nos enche de orgulho".  

Álcool gel
Corvo, li sua nota sobre o álcool gel e vi o vídeo do apresentador do programa Auto Esporte. Se a gente andar com os vidros fechados e derramar meio litro de álcool nas mãos, é possível que o bafômetro reaja. Mas eu sei de antissépticos bucais que causam o mesmo efeito, e até mesmo quando a gente passa certos produtos na higienização do veículo. Acontece que se um policial pedir para o motorista fazer o teste, a pessoa vai sair do automóvel e ficar uns instantes ao ar livre, o que é suficiente para eliminar a química impregnada. Agora, se o condutor ingeriu bebida alcoólica, a reação do bafômetro será inevitável. E no mais, os policiais sabem quando um bebum está ao volante.
Márcia Albuquerque G Dias

O Corvo responde: prezada, no calor de Foz do Iguaçu é difícil circular com os vidros abertos, logo é possível ativar os reagentes. Segundo informaram a este colunista, os bafômetros usados nas blitze ou pelos policiais são mais sensíveis e diferenciam a tolerância química. Mesmo assim, a reportagem do Cesar Urnhani não deixa de ser interessante. Mas o objetivo é usar de todos os meios para não se infectar com os vírus que estão por aí. 

Radicais livres
O Corvo conversou com um infectologista (ele pediu para não ser exposto), e há muito mais do que vírus, bactérias, endemias e outras formas de contágio, mas há também uma incidência muito grande de "radicais livres", impurezas que afetam o sistema imunológico das pessoas. Umas, obviamente, são mais vulneráveis que outras. Olhando para uma situação assim, a saída é viver numa bolha ou comprar uma roupa de astronauta.   

Super-Bakri
Corvo, a montagem que você fez do deputado Hussein Bakri revelando o traje de Super-Homem fez o maior sucesso nas redes sociais em Curitiba. Por que vocês não agitam essas coisas na internet? Com certeza a postagem teria bombado. Quero aproveitar e parabenizá-los pelo bom jornalismo e humor sadio, sem ofensas.
Luiz H Riquelme 

O Corvo responde: prezado, estamos nos preparando para lançar um novo pacote eletrônico, e ele está sendo idealizado com muitos cuidados, porque deverá atuar em redes sociais de maneira eficiente. O GDia está em fase de testar as ferramentas, e não demora tudo estará funcionando com a conexão que o leitor cobra. No mais, agradecemos a sua opinião sobre o nosso trabalho. Obrigado!

Bakri  & Fruet
O homérico arranca-rabo entre os deputados Hussein Bakri e Soldado Fruet ainda continua gerando farpas nos bastidores. Para muitas pessoas, que não entendem a natureza da encrenca, a situação é um pouco nebulosa. Fruet se queixa do apoio do governo ao líder na Assembleia, o deputado Bakri, ao "distribuir benefícios" em todas as regiões do estado. Na verdade, o deputado soldado sente o incômodo de Bakri atuar em seu domicílio, Foz do Iguaçu. 

Eleitor que se atente
Se Foz fosse uma cidade mais antenada e menos complicada ao escolher seus deputados, pode ser que políticos de outras regiões não fizessem o que consideram uma "lambança". Uma cidade de porte como Foz do Iguaçu deveria manter pelo menos três deputados estaduais. De outra maneira, ninguém se queixa pelas atividades e parceria de outros deputados; pelo contrário, a população agradece. Pedir favores e emprestar deputados é uma prática antiga da cidade.   

 

Recrutas
Todos os anos há uma festa no 34º BIMec, sobretudo quando a unidade recebe recrutas. E como entrar para as Forças Armadas e escolas militares é algo em evidência nos atuais tempos, pode ser que eventos de recepção aos soldados ganhem um bom espaço nos veículos de comunicação. E eis que entre os familiares orgulhosos ao entregarem os filhotes ao Exército Brasileiro estavam os jornalistas Christian Rizzi e Daniela Valiente, acompanhando o jovem Enzo.
 

 

 

ACIFI segue...
...trabalhando! Não foi surpresa a manutenção da atual diretoria, afinal de contas o trabalho está tão afinado com a realidade que os associados entenderam que Ismail e Venson devem permanecer à frente da entidade. A Associação Comercial e Empresarial de Foz tem acumulado créditos quando o assunto é prover o desenvolvimento. 

Mais policiais
O governador Ratinho disse que é fundamental a presença física, quando o assunto é "fazer segurança". E lá vem concurso! O bom mesmo seria apurar o DNA dos melhores colocados antes de entregar a farda. O que a população não merece é bandido disfarçado de policial, infiltrado pela inteligência do crime, evidente diante da quantidade de afastados pelo envolvimento. 

Janela partidária
O que é isso, Corvo, essa tal janela? Será esta a razão da correria dos políticos? Ano eleitoral causa esses efeitos antes de pedirem voto. Mas o que eu sei é que alguns ficarão fora das eleições porque estão encontrando portas e até as janelas fechadas.
Paulo R F Barbosa

O Corvo responde: a janela permite que políticos em cargos eletivos mudem de partido sem problemas ou punições. Quando a janela se abre, começa uma espécie de dança das cadeiras, por meio de convites e o oferecimento dos serviços de nossos valorosos postulantes. Uns se dão bem, outros nem tanto.

Duque de Caxias
Taí um assunto espinhoso, pois tocaram os moradores de suas moradas, debaixo de alertas de desabamento, e depois de saírem, na base do sofrimento, sem ter para onde ir, os conjuntos continuam firmes e fortes, ou seja, não desabaram conforme a gritaria. Trata-se de um episódio muito sórdido que mudou a rotina de muitas famílias — e, pior, sem solução. Isso não pode passar em branco.  

Pavimento no Monjolo
O povo que mora nas imediações do Monjolo articula uma reunião para debater a compra de uma estátua para o prefeito Chico Brasileiro. As ruas com nome de artistas e compositores estão recebendo um tratamento asfáltico muito necessário, como é o caso da Rua Jardel Filho, onde está instalada esta empresa jornalística. 

Duas partes
Como sabemos, e a cidade toda também, é uma região de população árabe, onde está inclusive a mesquita. O lugar estava tão esburacado que havia "brimo" consultando a NASA para alugar jipe lunar. Por enquanto a "parte de cima" do bairro Jardim das Bandeiras foi toda pavimentada, faltando agora a parte de baixo, onde está o Parque do Monjolo. Para usar o automóvel naquele local, é preciso, depois, percorrer o caminho juntando os parafusos que se soltam, tamanha a buraqueira. 

E o Jardim Tarobá?
Corvo, li no jornal que a prefeitura está realizando um trabalho de revitalização asfáltica na área conhecida como Monjolo. E como é que fica a nossa vila? Moro na Rua Guarani, e a buraqueira é histórica. Tem amigos que nem vêm na minha casa por causa do estado das pedras rejuntadas, porque elas cortam os pneus. É uma pena isso, porque é um bairro muito bom, e os moradores ficarão muito gratos.
Maria José L Silvério

O Corvo responde: prezada, este colunista conhece bem o bairro onde a senhora mora, um local que merece atenção em matéria de pavimentação. O que acontece é que as ruas são estreitas e as pessoas estacionam nos dois lados, o que dificulta até a passagem do caminhão de coleta ou veículos maiores. Segundo apuramos, o asfalto vai chegar lá também.