No Bico do Corvo
No Bico do Corvo
Concursos

Corvo, nesse final de semana parece que Foz foi a capital mundial dos concursos. Os donos de padaria agradecem, porque foi difícil até de comprar pão logo cedo; um povo se preparava para conquistar uma vaga no Foztrans; e outro, para votar nos candidatos ao Conselho Tutelar. Em dia de eleição para prefeito, não se viu movimento assim. Será que é bom ser conselheiro? Porque vi gente trabalhando mais do que se fosse para entrar na Câmara!
Nathali Ojeda

O Corvo responde: ser conselheiro tutelar é um exercício de grande importância e responsabilidade. Vários políticos se destacaram no setor. A eleição para a categoria parece ser um treino eficiente aos que pretendem almejar uma carreira política.  

Foz debate a Estrada do Colono
Sexta-feira houve uma reunião para discutir sobre "abrir ou não a Estrada do Colono". Foi na Fundação Cultural. O Corvo apareceu soturno, para variar, incógnito entre os participantes. O foco era discutir o Projeto de Lei nº 984/2019, de autoria do deputado Vermelho, mas em algum momento divagaram. Falaram da fragilidade do ecossistema e de um possível prejuízo ecológico, que causaria danos turísticos e econômicos aos municípios lindeiros ao Parque Nacional do Iguaçu. Quais prejuízos parece que não souberam bem explicar. Vermelho não pôde comparecer, informaram. 

Constituição 
A abertura da estrada, segundo uma das participantes, descumpre a Constituição da República Federativa do Brasil. Ou seria constitucional separar duas regiões? Essa  inconstitucionalidade é controversa e negada por muitos juristas. Abordaram também uma "consequente" perda dos títulos de uma das "Sete Novas Maravilhas Naturais do Mundo", da New 7 Wonders, e "Patrimônio da Humanidade", nominação concedida pela Organização das Nações Unidas. Quais os prejuízos de ficar sem os títulos e de que forma isso ocorreria também ficou difícil de explicarem. Até o momento, não se sabe de imposição dos órgãos em relação ao projeto do Vermelho e de Alvaro Dias. Ambos tratam da sustentabilidade, uma regra levada a sério em todo o planeta. O título da New 7 Wonders, por exemplo, foi uma alavanca para atrair mais visitantes.  

O bioma
A área do Parque Nacional é "destinada exclusivamente à conservação de espécies endêmicas da fauna e da flora dos remanescentes da Mata Atlântica — o segundo bioma mais biodiverso do mundo". Na discussão, apesar da proibição da exploração, há uma estrada muito movimentada no interior do parque, que recebe visitantes de todo o planeta e provavelmente de outras partes do Universo. Se depender do pensamento radical, nada disso poderia acontecer. Enfim, a discussão foi tranquila, mas por certos aspectos muito distante das questões econômicas e regionais. Enfim, todas as visões são importantes em momento assim, até mesmo quando não há unilateralidade. Um recente apanhado de opiniões tabula que mais de 80% da população lindeira é favorável à abertura do trecho de 17 km entre Serranópolis do Iguaçu e Capanema.

Estrada-parque
Enquanto os setores discutem, independentemente de prós e contras, a ideia de uma estrutura de estrada-parque avança. Uma instituição internacional, especializada em obras assim, evocando total proteção à fauna e flora, teria realizado uma varredura na área. Da maneira em que está, o parque é um terreno fértil para caçadores e extrativistas, e isso se confirma pelas ações da Polícia Ambiental. Uma estrada-parque ajudaria no monitoramento da área, sobretudo se vier a possuir torres de observação.   

Áreas protegidas
Quem conheceu a área do reservatório de Itaipu, assim que ele encheu, sabe dimensionar a grandeza do trabalho dos biólogos, até conquistarem este status de Reserva da Biosfera. Na época falavam em "mata ciliar", mas acabaram criando florestas tropicais, nas quais vivem e proliferam muitas espécies. Quando a água atingiu as margens, em quase todo o entorno do lago, o que havia era barro vermelho, sem um pé de árvore plantada. Trinta anos depois, fez-se um paraíso.   

Criminalidade
O ministro Sérgio Moro destacou a redução da criminalidade no Paraná e elogiou a atuação do governo. Tomara que ele não afrouxe a ofensiva de endurecer nas regiões de fronteira.

PM
Contaram para este colunista que a PM "chegou chegando" esses dias a uma localidade remota da cidade. Havia um fuzuê e, segundo um relato, um cara desfilava com um fuzil. Os policiais chegaram e o que se via era marmanjo correndo para o mato. Apesar da criminalidade, os bandidos ainda respeitam a farda. 

Operação Paraná II
Alguns locais de Itaipulândia eram muito usados pelos traficantes e contrabandistas. Houve épocas em que construíam até submarinos para a travessia do lago. Com os exercícios, todos ficaram pianinhos, igual tico-tico na toca. 

O bafo da aranha
O Roger Meireles sempre colabora com este Corvo! A Polícia Rodoviária Federal abordou, na noite de sexta-feira, na BR-277, dois super-heróis. A fiscalização bateu firme por causa do rodeio. O Homem-Aranha foi submetido ao teste do etilômetro e, como ele só bebe Coca-Cola, não detectaram a presença de álcool em seu organismo. Ele estava acompanhado de outro super-herói, conhecido como Deadpool. Eles vinham de uma apresentação em uma cidade próxima. Após a fiscalização, foram liberados. 
 

Rodando
Prezado Corvo, os ônibus com ar-condicionado estão fazendo o maior sucesso! Foram objeto de "turismo municipal" no final de semana. Investi num passeio com a família e fomos até o aeroporto. Só assim para os barrigudinhos lá de casa verem um avião de perto. E, Corvo, quem estava feliz mesmo era o motorista, usando uma camisa branquinha, impecável! Gostei, Corvo!
José Raimundo Silva

O Corvo responde: a novidade está mesmo chamando a atenção e recebendo aprovação dos usuários, apesar do susto, porque andaram espalhando que os ônibus seriam recolhidos. Segundo o procurador-geral do município, Osli Machado, nada de irregular há na isenção para o transporte. 

Subsídios
As autoridades iguaçuenses precisam abrir mais a cabeça quando o assunto é baratear os custos do transporte. Em muitas cidades, é normal isentarem as empresas de impostos e, em muitos casos, até investem na compra de combustíveis. E poderiam propor mais economia. Um exemplo: por que ônibus de transporte público precisa de licenciamento e emplacamento?     

É verdade
Corvo, o que vocês descreveram foi a pura verdade sobre o acidente entre caminhões na Avenida das Cataratas. Vi com esses olhos que a terra há de comer. O motorista fez foi um milagre, a poucos metros de um dos cruzamentos mais movimentados da cidade. Se não desse jeito de parar a carreta, certamente teríamos vítimas mortas, sem contar o que poderia acontecer quando o monstrengo chegasse ao Boicy sem freios! Precisamos tirar esses caminhões do centro da cidade com urgência, Corvo!
Marlene Galvão Martínez

O Corvo responde: sim, são vários os relatos do esforço do motorista para parar o veículo carregado de feijão. Graças a Deus só ocorreram perdas materiais. O acidente aumentou a pressão pelo início das obras da tão sonhada Perimetral Leste. 

Refresco
Corvo, ainda bem que a chuvinha do final de semana aliviou o calorão que estava torrando o chão em Foz. Na semana passada, dava para fritar ovo no asfalto. Veja aí, Corvo, nos dê notícias de como será o verão sem o horário de verão!
Paulo Roberto Lima

O Corvo responde: prezado leitor, o verão será muito quente. Acredita-se que superará as médias de anos anteriores. E haverá muita chuva também. Sobre o horário de verão, o Corvo está um pouco triste, porque gostava muito de ver o dia dormir mais tarde. Era uma delícia aproveitar as tardinhas para dar aquela caminhada!

Seu Chico
O jornalista Chico Alencar expressou, e muito bem, o tormento pelo qual passa. Chega a dar um arrepio imaginá-lo atado numa cama, porque quem o conhece sabe que é ligado no 220. Segundo o Corvo soube, foi um tombo aparentemente inofensivo, um escorregão, mas que causou um grande estrago no fêmur e um atraso na vida do Chico, com muita dor e sofrimento. Como ele é um homem de fé, devoto de São Francisco de Assis, e é bem cuidado pela Clarisse, isso vai passar! Calma, Chico, daqui uns dias você estará bem! 

Acidentes

Este colunista já publicou uma foto, na edição de ontem, gentilmente fornecida pelo advogado Eduardo Bareta, porém, no decorrer do período, surgiram versões sobre o "impressionante" acidente ocorrido na Avenida das Cataratas, na noite de quinta-feira (3). Não há uma outra forma de dimensionar um choque entre duas carretas, cada uma pesando mais de 30 toneladas. Segundo relatou um estudante de faculdade próxima, o veículo transpôs a faixa elevada normalmente, mas depois começou a ganhar velocidade.

 

Heroísmo
Foi o que praticou o motorista da carreta, antecipando a tragédia que poderia causar, caso não "se virasse nos 30". Segundo ele, Iuti Oda Sartori, apesar das boas condições de manutenção de seu caminhão, o pedal do freio se soltou. Ele viveu segundos de aflição e desespero. E como é que faz para conseguir parar um monstrengo daqueles, uma carreta Scania de 28 toneladas, sem o pedal do freio? O condutor parece que fez a coisa certa. 

Desvio
Situação: o homem está ao volante, não existe mais pedal de freio e há uma descida pela frente, com uma porção de veículos disputando a pista, a começar pelos que estavam estacionados no semáforo! Foi o que enfrentou o Iuti. Em fração de segundos, ele foi para o outro lado da pista, encostou os pneus na mureta e, quando se viu livre dos veículos menores, jogou o caminhão bem no meio da carroceria do outro. Evitou o pior. Palmas para ele.

E a perimetral? 
É a pergunta que todo mundo faz quando acontecem acidentes assim, de arrepiar o cangote! Não se pode garantir que não ocorrerão acidentes lá na perimetral, afinal será mais uma estrada, mas pelo menos não se vislumbra o que em geral ocorre nas ruas centrais de Foz, com caminhões batendo, atropelando, pegando fogo e tombando o tempo todo.  

Narguilé e cigarro eletrônico
De onde alguém tirou a ideia de que fumar cigarro eletrônico "não dá nada"? Pelo visto, isso é pior que a nicotina causada pela mistura paraguaia. Segundo os cientistas, em suas recentes descobertas, fumar cigarro eletrônico dá no mesmo em que ficar confinado num local onde há incêndio. A fumaça tóxica mata mais rápido que o fogo! 

Apoio
E pensar que os vereadores da nossa cidade ainda apoiam a iniciativa de abrirem casa para fumarem narguilé! Isso é sim uma pouca-vergonha. Deveriam antes consultar o sistema de saúde e os pais dos fumadores. Atrás do narguilé vem o crack, a maconha, a cocaína... Narguilés e cigarros eletrônicos são imensamente prejudiciais à saúde! 

Enquanto isso...
No setor político, por estes tempos, é que pensam se arriscarão um voo eleitoral ou não. Enfim surgiu o nome de um primeiro pré-candidato a vereador. No geral, colocam os nomes para a prefeitura e depois é que resolvem disputar a Câmara. Mas o Sérgio Caimi fez diferente, preferiu abrir o jogo com transparência e comunicou aos amigos que disputará vaga para a vereança. Em sua preferência, está a disputa por uma vaga pelo PSD. A decisão é pessoal, mas ele fez um comunicado que circulou entre os amigos via redes sociais. Sorte a ele, porque é um bom nome!  
 
Padroeira peregrina

Já que a imagem de Nossa Senhora retorna a Foz, vamos aproveitar e pedir que a cidade não se converta num escombro, após a guerra eleitoral que alguns estão evocando. Que Deus e a mãe de Jesus nos ajudem!  

Ciclistas
Corvo, eu uso a minha bike para passear e praticar exercícios, mas sei de muita gente que faz isso como ganha-pão. Penso no que essas pessoas enfrentam no trânsito. Na noite de terça-feira passada, passei o maior sufoco no trevo do Boicy. Deram uma arrumada na faixa de ciclistas, no sentido Cataratas, mas os veículos sobem em cima e não deixam espaço. O resultado é que eu e minha filha quase fomos atropelados. 
Rômulo Silva Dalcoccio

O Corvo responde: prezado, o assunto é mesmo delicado, tanto que os vereadores levaram ao plenário um projeto que visa à conscientização em proteção aos ciclistas. É muito grande o índice de acidentes envolvendo bicicletas. E pensar que é um meio muito bom para as pessoas se locomoverem. 

Prevenir sempre foi melhor que remediar 
Novamente nossa aprazível e peculiar cidade sendo ridicularizada em "rede nacional" no que tange à atuação (passado ou presente) de determinados legisladores, separando obviamente o joio do trigo! Parafraseando o lírico Gonzaguinha, "não estamos com a bunda na janela pra passar mão nela". Respeito é bom e todos nós gostamos... Não seriam fatos e personagens isolados que destruiriam a credibilidade desse poder constituído em nossa cidade, primordial para a licitude das ações provenientes do Executivo. O papel extraordinário da imprensa deve ser sempre louvável, agraciado, respeitado. Porém não só de críticas se alimenta uma sociedade que busca a construção de uma existência mais compatível com a dignidade humana para todos. Não sou "assessor", mesmo assim, dias atrás, reverenciei um projeto que deu certo, das "faixas elevadas". Ou seja, existe sim bom proveito do dinheiro público, falta-nos é um pouco mais de vergonha na cara e passarmos também a fiscalizar aquilo que é  nosso; quem sabe começaremos a prevenir o que remediamos durante anos, evitando dessa maneira o que a Rede Bandeirantes fez, em outra ótica: simplesmente passou a mão na nossa bunda, que há tempos está exposta na janela escancarada da hipocrisia. Revoltarmo-nos com aquilo que poderia ser evitado nos torna ainda mais submissos e coniventes com o mal. Parabéns aos legisladores que honram esta cidade, não podemos generalizar, devemos é valorizar quem nos valoriza; são pouquíssimos nessa legislatura, todavia existem.
Murillo Schneiberg

O Corvo responde: prezado, a sociedade lutou para usufruir uma dádiva que foi arduamente conquistada, a liberdade de expressão. Cada um lida com isso ao seu modo. As redes sociais exercem um papel desnudo, em que impera o desconhecimento quanto às leis e à preservação da honra alheia, mesmo assim é possível discernir, por meio da capacidade de compreensão, o que é verdade ou não. Na internet, convivemos com o advento das "fake news" e, no âmbito geral, quando o assunto é comunicação, alguns veículos são simplesmente exatos, perfeitos no resumo dos fatos; outros nem tanto. Há quem relate o acontecimento opinando, e é assim que a opinião pública é moldada, por meio dessa nuance de complexidades. Instituições, lamentavelmente, são moldadas diante dos atos das pessoas que as integram, e diante disso possuem ou não credibilidade. O Poder Legislativo luta pela restauração da imagem, bem como o Executivo e o meio político em geral. De qualquer maneira, exercer o papel crítico, independentemente do lado ou posição, é uma forma de expor o pensamento. Há espaço para isso, e você faz isso muito bem. Obrigado pela colaboração.  

Cruzamento medonho
Corvo, você já passou pela Avenida João Paulo II e tentou acessar a Rua Xavantes, principalmente nos horários de pico? Olha, é numa aventura! E não há uma sinalização eficiente. O lugar precisa mesmo é de um semáforo! Dá essa força, Corvo!
Márcia Lupe

O Corvo responde: prezada, pelo que sabemos, há um estudo para a implantação de semáforos em Foz. Este colunista não sabe informar se é o caso do cruzamento mencionado, que é de fato bem perigoso. Vamos procurar informações!   

 

A casa dos sonhos
A natureza ensina. O fotógrafo Roger Meireles produziu mais uma obra digna de galeria. O pássaro joão-de-barro retorna para sua casinha levando o alimento, certamente para filhotes. É uma imagem de simplicidade, possivelmente conhecida por todos, mas de sensibilidade. É o que tentamos fazer todos os dias, por meio daquilo que nos é convencionado.

 

Iluminação Rosa 
Itaipu está toda vestida de rosa, aderindo à campanha de conscientização sobre o câncer de mama. O DGB, general Silva e Luna, considera que a prevenção é "algo tão valioso e que não podemos descuidar nunca". O câncer de mama está entre os mais comuns, porém é o que mais mata, por falta de prevenção. Quem quiser conferir a usina iluminada nas cores da campanha tem até o dia 26 de outubro (sábado). As saídas são feitas às 19h30, e a duração é de uma hora e meia. (Foto: Nilton Rolin/Itaipu)

 

Leitura e exercício
Nosso amigo Abel, que cobriu as missões militares na região, ofereceu exemplares do GDia para os oficiais comandantes que faziam a observação dos exercícios. Militares brasileiros, paraguaios e argentinos ficaram a par das notícias impressas em Foz. À direita, o general de divisão Penteado, comandante da 5ª Divisão de Exército, de Curitiba, e ao lado o general de brigada Eickhoff, comandante da 15ª Brigada de Infantaria Mecanizada, de Cascavel. 
 

Operação militar

Corvo, que operação militar é essa nas cidades do lago? Bah, que baita mobilização! Eu fui visitar uma tia em Itaipulândia e achei que estava havendo uma invasão ou coisa parecida. Havia soldados mais aparamentados que o Rambo. Bonito de ver a cachorrada latindo atrás dos tanques de guerra! 
Madson Vergamino Venâncio  

E os paraguaios?
Então, Corvo, quando eu li as primeiras informações sobre as operações conjuntas entre militares brasileiros e paraguaios, achei muito interessante, porque penso que isso nunca aconteceu. Na verdade, fiquei foi muito feliz. Depois parece que desistiram. Mas ao que vejo as operações continuam. 
Luiz Peixoto

O Corvo responde: prezados leitores, trata-se de um importante exercício militar, uma tarefa indispensável para o reconhecimento do terreno e estratégias de defesa. É a missão dos militares. Os exercícios conjuntos em Itaipu não foram cancelados, apenas transferidos para ocasião mais conveniente, pois como sabemos o país vizinho vive uma crise política. Segundo publicamos na edição de ontem, quinta-feira, há 300 soldados envolvidos e cerca de 40 blindados atuando em simulação. 

 

Pedágio
Corvo, fiz questão de fotografar e lhe enviar um comprovante do pedágio que eu paguei na praça de São Miguel. Em geral nunca leio o que está escrito nesses papéis, e eles vão direto para a lixeira do carro, mas minha filha deu de ler e me mostrou: "O valor do pedágio foi reduzido em 30% porque recursos provenientes de corrupção foram recuperados pelo Ministério Público Federal e aplicados em benefício do usuário". Como você mesmo diz, que barbaridade isso, hein Corvo? Pelo visto a lição está sendo bem aplicada. 
João Roberto Lages (Tijolo)

O Corvo responde: prezado oleiro e queimador de barro, a menção deve fazer parte dos termos de ajustamento de conduta com o MPF, bem como a publicação de anúncios e avisos. Apesar da diminuição de 30%, há quem tenha feito as contas e, na ponta do lápis, as concessionárias ainda lucram um bom dinheiro. 
 

ZPE
Uma comissão do Senado Federal, a que propõe o desenvolvimento regional, aprovou o projeto de lei que cria a Zona de Processamento de Exportação em Foz. É um trabalho do senador Alvaro Dias, diga-se, e que pode proporcionar muitos avanços para a cidade. É o caminho para aportar uma porção de investimentos e prevê a transformação da cidade em área de livre comércio. Isso é mais que uma reivindicação, é um sonho antigo. 

Produção
Com a ZPE é possível receber empresas dedicadas à produção de bens exportáveis. Com isso, Foz poderá criar novos distritos industriais, porque haverá tributação especial. O incremento vai aumentar a competitividade no ramo das exportações, gerando empregos e difundindo novas tecnologias. Como disse o senador Flávio Arns, relator da matéria, "as ZPEs ajudam a melhorar os indicadores sociais e econômicos das áreas estimuladas. Contribui para a redução de desequilíbrios de desenvolvimento entre regiões".

Quebra histórica
Parece que não foi um bom negócio plantar trigo na área rural de Foz. Alguns agricultores estão em estado de desespero, porque gastaram bem mais do que vão conseguir arrecadar. Uma quebra de 70% é um chute muito dolorido na canela de quem se preocupa em produzir alimentos. A estimativa era de 31 toneladas, nos aproximadamente 500 hectares dedicados ao cultivo. 

Clima
Qualquer pessoa que possui um jardim em Foz tem dimensão dos estragos causados pela geada. O jardim do Corvo, por exemplo, parece uma palhoça, toda queimada e ressecada. Imagina como ficam as lavouras? Além do mais, não houve chuva suficiente. Que dureza. O Corvo está apurando como pode ser o resultado de outras culturas. 

No parque
Um dos cenários mais lindos do planeta receberá a 1ª Corrida do Turismo. A prova será no dia 10 de novembro, com largada prevista para as 7h30. A onça-pintada será  mascote da prova; tomara que ela não esteja faminta. Calma, é só uma homenagem. A alusão se faz ao sucesso do trabalho desenvolvido pelos biólogos. Onças andam roubando a cena em Foz.

Regulamentação
O assunto está só no começo, e há quem considera que haverá polêmica. O projeto do Executivo que altera a Lei 4.641, que regulamentou o transporte remunerado privado individual de passageiros, busca adequar a prestação do serviço. O prefeito Chico espera que os motoristas vinculados às operadoras (Uber, 99, Cabify, entre outros) façam a inscrição como "motoristas profissionais autônomos" ou "microempreendedores individuais". Os operadores terão os tributos unificados, ISSQN + INSS, e para tanto desembolsarão uma parcela única na casa dos R$ 60. Há quem não concorde, para variar. 

Dentro do litro
Pensa, um cara dirigindo caminhão totalmente embriagado e sem carteira? Que barbaridade, hein? Ficou na barreira da PRF e de lá foi para a delegacia. Depois, quando acontecem acidentes, pessoas assim nem se lembram. O pior é que casos desses não são raros. Lamentavelmente. 

Disputadíssima
É neste domingo, 6 de outubro, das 8h às 17h, a votação para a escolha dos conselheiros tutelares. A busca pelos votos é tão intensa que essa é a segunda maior eleição da cidade, só perde para a escolha de prefeitos e vereadores. As urnas estarão em 20 escolas municipais, com 47 urnas em todas as regiões da cidade. O pleito contará com 200 mesários, além da comissão organizadora. De acordo com o CMDCA, estão aptos para votar em Foz do Iguaçu 168.622 eleitores. Cada morador terá direito a escolher um membro para o Conselho Tutelar, e para isso basta digitar o número do candidato na urna. Para votar, é necessário estar em dia com a situação eleitoral e apresentar o título de eleitor e um documento oficial com foto. Quem disse que título serve apenas para a escolha de políticos? 

 

Parlamento Jovem
Hoje, às 9h, haverá a Sessão Simulada do Projeto Parlamento Jovem — Edição 2019, com eleição da mesa diretora e atuação dos vereadores mirins. É um projeto do Tribunal Regional Eleitoral em parceria com o Poder Legislativo. O evento é aberto a todos e será realizado no plenário da Câmara Municipal de Foz do Iguaçu. Há jovens que levam jeito para o desempenho da política desde criancinha. 
 

 

Ação bucal
As equipes de Saúde Bucal da Secretaria Municipal de Saúde e estudantes de Odontologia do Centro Universitário Dinâmica das Cataratas (UDC) fizeram uma visita muito especial ao Lar dos Velhinhos na última quarta-feira. Além de promover a avaliação e os cuidados com a dentição dos idosos, o grupo entregou um aparelho televisor à instituição e itens de higiene bucal. Os moradores da casa mais querida da cidade agradecem! 
 

Chá da Bondade
Este jornal foi um dos homenageados ontem duramente o evento solidário conhecido como Chá da Bondade; na verdade um esforço de voluntárias muito dedicadas. Agradecemos o convite e o carinho! Somos parceiros incontestes de eventos assim!
 

Competição

Corvo, o povo cai de pau no Bolsonaro sobre o que diz. Mas veja o que fala o presidente norte-americano: "Atirem nas pernas deles", referindo-se aos imigrantes que tentam pisar no território dos EUA. Líderes políticos falam o que querem, e muita gente aplaude porque pensa igual. 
Paulo Fonseca

O Corvo responde: quem diz o que quer ouve o que não quer. É a lei natural da convivência. Se a maioria concordar com o que os líderes dizem, eles não terão problemas em seus projetos políticos. Isso depende muito da cabeça das populações, grau de instrução, PIB e outra série de informações. Em geral, quem fala demais dá bom dia a cavalo.  
 
Quantos candidatos? 
Prezado colunista, você escreveu que, juntamente com amigos, vocês identificaram mais de 30 pré-candidatos à prefeitura no ano que vem? Será que há tanta gente lelé da cuca assim em Foz? Não consigo entender como alguém ainda tem disposição para encarar o serviço público, totalmente engessado, com quase toda a arrecadação utilizada para cobrir folha de pagamento. Quem está na política sabe disso, que o orçamento está comprometido. O engraçado é ver que no fim cinco ou seis acabam disputando o cargo para valer. A seleção dos candidatos deveria ser diferente. As comunidades é que deveriam indicá-los, não os partidos políticos. 
João Carlos Figueiredo (Traça)

O Corvo responde: prezado, assim é a democracia. As pessoas se voluntariam porque acreditam que podem melhorar o ambiente em que vivem. Problemas com a falta de recursos, orçamento estrangulado, enfim, a saia-justa do Executivo, são velhos conhecidos dos políticos. E é aí que as pessoas competentes se destacam, quando conseguem administrar sem recursos. Com dinheiro é fácil, sem ele é um desafio. Imagina se diante das dificuldades ninguém disputasse as eleições? No mais, as indicações seguem os ritos legais, e para mudar isso só mesmo outra reforma política. Mas como as reformas são realizadas pelos "políticos" tudo sempre continua na mesma. 

Invasões
Pois então, Corvo, outra invasão? Para algumas pessoas parece fácil arranjar uma casa para morar: basta invadir um terreno e tudo está arranjado; lá vai a prefeitura construir habitações para abrigar os "necessitados". E eu que passei a vida juntando um dinheirinho para comprar um terreno e quase me matei até erguer uma casinha, meu maior orgulho? A maioria da população fez assim, batalhou pelo teto. Chego a chorar quando lembro o que eu e minha mulher passamos, com os filhos pequenos. Mas ando com a cabeça em pé! Essas invasões são calculadas, em alguns casos oportunistas, arquitetadas por pessoas que conhecem esse terreno da apropriação indébita. Pensa? Uma invasão ao lado da nova ponte? Isso não tem cabimento. É área federal, de segurança nacional, uma nova entrada do país! Vai ficar bonito uma invasão lá, né? 
Mário Oduvaldo França

O Corvo responde: o que admira é saber que invadem áreas que estão em dia com os impostos e, pior, com projetos de desenvolvimento encaminhados. E o mais triste é ver pessoas necessitadas, usadas como massa de manobra. Sim, quem faz a invasão está de alguma forma aparelhado e, em algum lugar, isso poderá custar um processo, e dos bem cabeludos, porque certas ações subvertem a ordem. O déficit habitacional é um problema sérios das administrações, ainda mais quando há migração, como é o caso de Foz. E há uma outra questão: a especulação imobiliária, de gente que invade terrenos e depois comercializa a área invadida. 

A Câmara furou
Que rolo este assunto dos ônibus com ar-condicionado, hein Corvo? Quando não é uma coisa, é outra! O povo não quer saber do nhenhenhém, quer conforto para se locomover, a começar pelo preço da tarifa. Só faltava agora recolherem os ônibus. Assim está difícil. O prefeito ilumina a cidade, e ameaçam retirar as lâmpadas; colocam ônibus com ar-condicionado, e eles ficam meio ano na garagem; e agora mais essa? Que coisa! Tudo em Foz parece parto de burro.
Manoel Silva

O Corvo responde: o leitor e colaborador quis dizer parto de mula, certo? O burro, ao que sabemos, é parido. Sobre os ônibus, o assunto está em análise. Ao que parece, houve tropeço no sistema de votação. Há dúvidas sobre a condução do artigo 101 da Lei Orgânica do Município, que pede a necessidade de dois terços dos membros para matérias de isenção ou anistia de tributos municipais. Houve, sim, um conflito de interpretação, e a presidência tentará desfazer o nó sobre a isenção de ISSQN às concessionárias do serviço de transporte coletivo urbano, o que seria uma compensação para viabilizar a implantação de ar-condicionado em parte da frota. Enquanto isso, o mundo gira e a frota do Consórcio Sorriso roda. Se a Câmara furou, Beni terá de fazer curso de borracheiro para consertar.  

Sem Câmara
Marcelinho Moura efetivou o seu pedido de exoneração do cargo de diretor-geral da casa legislativa de Foz. Como ele já havia antecipado; e este colunista, publicado, a decisão é espontânea e, segundo ele, "simboliza a transparência com a qual irá resolver uma situação na Justiça". Em outras palavras, Marcelinho fez o que muita gente deveria: sair para se defender. Coisa ruim é alguém legislar sob suspeita de haver cometido irregularidade.

"Quartel Industrial"
O município de Foz quer fazer uma "Doação com Encargos" para o Corpo de Bombeiros. Trata-se de uma área de 11,3 mil metros quadrados no Distrito Industrial, onde será construído um "Quartel Industrial", ou um centro de treinamento, além de um novo posto do 9º Grupamento do Corpo de Bombeiros de Foz do Iguaçu. A área industrial está crescendo, e os soldados do fogo estão distantes. Em caso de sinistro, coisa que não é difícil acontecer em aglomerações industriais, ficará mais fácil atenderem às ocorrências.

Licença sanitária
O prefeito Chico providenciou uma alteração no dispositivo da Lei Complementar nº 82, que "institui o Código Tributário Municipal e estabelece normas gerais de direito tributário aplicáveis ao Município". A medida atende a mais um ponto do Programa Destrava Foz, com a renovação automática da licença sanitária anual, mas para empresas que atuam nas atividades de baixo risco. Há milhares de negócios assim.

Elevadores? 
Segundo informaram a este colunista, a Secretaria de Planejamento e a Comissão de Acessibilidade da prefeitura estão exigindo a instalação de elevadores para acesso de cadeirantes até os mezaninos que são utilizados para abrigar estoque, onde geralmente é necessário fazer uma ginástica até chegar lá. Sem o equipamento, não haverá alvará de funcionamento! Vai ver, o elevador é para facilitar o sobe e desce de mercadorias. O Corvo, ao contrário dos proprietários das empresas e bares da cidade, adorou a ideia, porque está pensando em instalar em Foz uma fábrica de elevadores!  

 

Vacina em casa
Em Foz, idosos e portadores de necessidades especiais podem receber a vacinação em casa durante as campanhas realizadas no município! Isso é garantido pela Lei Municipal 4.195/2014. Quem se enquadrar nesse grupo e desejar o benefício, precisa realizar um cadastro nas unidades de saúde, com apresentação de atestado médico. Sob os protestos deste Corvo, é considerada pessoa idosa aquela que possui idade igual ou superior a 60 anos! O Corvo disse isso para uma vizinha e apanhou com o guarda-chuva. Ela afirmou: "Tenho 60 anos e me considero muito jovem! Ir ao posto de saúde é uma forma de me exercitar, lubrificar as juntas. No lugar de colocarem as pessoas para se exercitarem, querem que elas "amorfem", sentadinhas na varanda, esperando o médico?". Bom, é a opinião da Dona Virgínia. Outras pessoas pensam diferente. 
 

Flagrante 
Um policial militar teve muito trabalho para conter um jovem. Foram várias as tentativas de imobilização, rolando inclusive no chão. As imagens ganharam as redes sociais. Uma coisa é nítida: apesar das cenas fortes, o policial fez de tudo para não machucar a pessoa, que tentava a todo custo resistir. 
Missa
Os amigos e parentes do nosso Marujo convidam para a Missa de Sétimo Dia, a ser realizada na Igreja São João Batista, neste sábado, dia 5, às 19h30.

Alerta! Fake news


06
02.19.19 

COLUNA DO CORVO

Uma família tradicional de Foz do Iguaçu foi atacada por um blogue do Paraguai, e a notícia começou a circular nas redes sociais. Um dos integrantes da família garantiu que a notícia é falsa e foi espalhada por um concorrente comercial. Ele já constituiu advogado e vai acionar o blogue na Justiça paraguaia. Aviso aos blogueiros e usuários de redes sociais e afins: transmitir notícia falsa também é crime, e o pessoal está de olho.

Fracasso de vendas
Este Corvo escreveu que o ex-procurador Rodrigo Janot poderia faturar algum com a venda do seu livro, que, aliás, já rendeu a maior polêmica. Mas pelo visto as vendas correm o risco de fracassar, porque os 20 capítulos estão na íntegra circulando pela internet. O Corvo recebeu e já leu 14, em apenas um dia. Como será que isso foi vazado? Vai ver anteciparam o fracasso. Tomara não seja um livro fake, com os conteúdos alterados. Isso é um perigo. 

Lula não quer
O ex-presidente não quer conversa pelo fato de não concordar com o que lhe foi imposto. Disse que prefere ficar na cadeia a fazer acordo para o regime semiaberto. Bom, se ele cumpre pena em Curitiba, depois de rejeitadas as chances de transferência, o que vai fazer na capital paranaense durante o dia? As más línguas dizem que ele sairá da sede da PF, atravessará a rua e ficará junto com os "companheiros" o dia todo protestando. 

Em Foz
Nada o impede de tentar uma transferência para a PF de Foz do Iguaçu. A namorada trabalha em Itaipu. Lula poderá, durante o dia, atuar no Sindicato dos Rodoviários, núcleo remanescente do PT na cidade. Tomara que não dê bobeira em alguma mesa do Bar do Juca.   

 

Concurso de miss
Corvo, nunca vi isso. No sábado me disseram que fariam um grande evento para a escolha da mais bela mulher iguaçuense, e o evento já foi na segunda-feira, assim em cima do laço? Por que tanta pressa, hein seu Corvo? Me explica? 
Marcello Dias

O Corvo responde: como se aproxima a escolha do Concurso Miss Paraná, precisaram fazer as coisas acontecerem para Foz ter uma representante, afinal a cidade sediará o evento. Foram apenas cinco candidatas, e venceu a Thawany Faria. Ela representará a Terra das Cataratas! 
 

Mais uma invasão
Mal saiu a decisão sobre a invasão da área conhecida como Bubas, houve nos últimos dias a tentativa de invadirem uma das áreas mais promissoras da cidade, exatamente onde será a cabeceira da nova ponte com o Paraguai, ao lado do Marco das Fronteiras. É área privada e com todos os impostos em dia. Algumas pessoas foram usadas como massa de manobra por um conhecido artífice da grilagem urbana em Foz do Iguaçu. A polícia teve trabalho para debandar os invasores. 

Origem suspeita
O movimento de invasão se deu em razão de um morador das redondezas, pleiteante de uma ação "usucapião" em um pequeno lote. Na esperteza, e na base da indução, no lugar de requerer o espaço onde vivia, foi maldosamente orientado a encampar toda a área, mas os proprietários reagiram impedindo a instalação de barracas no local. Até onde isso vai, hein? Invadem áreas particulares, sem mais nem menos, e fica por isso mesmo? 

Dona Copel
E tem mais: hoje, se um cidadão precisar requerer um padrão de luz terá de enfrentar um processo no qual é imprescindível a apresentação de documentos imobiliários. O grileiro fez um padrão em área que não lhe pertence, e a Copel ligou a luz? Como pode isso? A área em questão está destinada a dois grandes investimentos, anunciados inclusive pelo general Silva e Luna, recentemente.    

Pedágio barato
A notícia da redução do preço do pedágio deixou muita gente feliz. O caso é saber quanto tempo isso vai durar, porque não é a primeira vez que reduzem os valores mediante encrencas na Justiça. 

Ainda é caro
Então vamos contextualizar, fazendo comparação com outras praças. Em algumas estradas, duplicadas, seguras e bem sinalizadas, o pedágio custa R$ 4,50, no máximo. Os trechos mais baratos da BR-277, por exemplo, com a redução, custarão R$ 8,80 e R$ 9,50. Ainda é muito caro pelo tipo de estrada que oferecem, sem duplicação, sem terceira faixa, sem acostamento. Em suma, os nossos pedágios, apesar do refresco, ainda são muito caros. 

Solução perdulária
Fechar a fronteira com o Paraguai? Essa seria a iniciativa mais pontual de combate ao crime e repressão ao contrabando de armas? Palmas para o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, pela brilhante solução! "Vamos fechar a fronteira com a Bolívia, o Paraguai e a Colômbia. Não comercialmente, mas policialmente. Eu colaboro, mando policiais para a fronteira. E também vou pedir a outros estados que mandem policiais para lá. Não é possível que o Brasil continue sangrando com a entrada de armas e ninguém faça nada." Merece o prêmio "Abacaxi do ano". 

Esperneio
Que tal ele "mandar" fechar o Galeão e os portos em seu estado? Segundo os últimos levantamentos, é por onde ingressam mais armas e drogas no país. Que barbaridade, hein? Vivemos a era da verborragia hemorrágica. No lugar de enviar policiais para a fronteira, poderia reforçar um pouco mais as portas de entrada para o Rio. Seria uma maneira de deixar o resto do país em paz. Que o Rio de Janeiro vive uma guerra urbana, isso todo mundo sabe; encontrar maneiras de combater e proteger a população, além de falação, parece ser um problemão.    

Itaipu e a educação
A verba de R$ 1,4 milhão para implementos em favor das escolas é um dinheiro muito bom, considerando que as práticas são fundamentais, como na área socioambiental. Há vários projetos em escolas que deram muito certo, por isso merecem ampliação. É possível que os diretores e professores façam valer o fruto de muitas feiras de ciências. Este colunista conheceu vários projetos que precisam de uma alavanca, porque farão a diferença. Itaipu é que está fazendo valer, quando investe no setor. 

 

Ricardinho
Iniciou-se uma primeira rodada de visitas dos pré-candidatos às redações. O arquiteto e urbanista Ricardo Oliveira apresentou suas credenciais com evidência ao pleito, defendendo as cores do PV. Até ontem, numa roda de amigos, foram identificados cerca de 34 pré-candidatos; uma barbaridade! Não demora, entre postulantes à vereança e à prefeitura, haverá mais concorrentes que eleitores. Mas o Corvo deseja sorte ao amigo, porque é boa-praça e sangue-bom. Ricardinho é do bem!   


Despedida do Marujo
Corvo, quando uma pessoa é muito querida, as manifestações são muitas, como o caso do nosso querido Argemiro dos Santos, uma figura histórica. Ele amava a cidade. Estive em seu funeral, e todos se sensibilizaram com a despedida, o toque de silêncio e as expressões de gratidão, porque a amizade deve ser gratificada. 
Neilor Peçanha (Batata)

O Corvo responde: prezado leitor, o grande Argemiro foi lembrado à altura pelos amigos, por meio de inúmeras manifestações nos veículos de comunicação e redes sociais. Foi um grande iguaçuense, desportista, músico... Prestou inúmeros serviços à sociedade. Deixa-nos uma linda história de vida para contar, e assim gravaremos seu nome na parede da memória.


 

Um singelo adeus ao Marujo
Um singelo adeus ao Marujo

Argemiro dos Santos, o Marujo, foi uma figura ímpar, pensa-lo é uma maneira de recompor a aura iguaçuense. Falar da história da cidade sem citá-lo, ou consultá-lo, era uma temeridade, porque além de conhecer os fatos, os narrava com riqueza de detalhes, foi assim quando me ajudou a construir Ara’puka, meu primeiro ensaio sobre a região, sua colonização e os aspectos que vivenciei nos anos 80. Meu amigo Marujo ajudou a reconstituir, com justiça, a figura do pintor primitivista e marinheiro Antônio Cabral de Mendonça.

 

No mais, Marujo era a simplicidade, humildade, uma vida resgatada da impressionante narrativa, do premiado “Menino 23”, diga-se uma lembrança muito desconfortável. Eu peço licença para saltar sobre o filme, mesmo fazendo uso do impressionante e maravilhoso trabalho dos fotógrafos Thiago Lime, Mário França e Lula Cerri, porque prefiro lembrar, aqui, o Marujo dos iguaçuenses, inclusive reconhecido como Cidadão Honorário. Há uma desproporção na honraria; ele abraçou muito mais a cidade do que ela deveria tê-lo abraçado. Mas enfim, a vida é assim, passa, e, um dia chega ao fim.

 

Em certa ocasião, acompanhei os saudosos Toninho Cirillo e Mário Du Trevor, até um bar que ficava na Rua Jorge Sanwais, exatamente onde hoje há o estacionamento da UDC. Era uma casinha de madeira, pintada de azul claro, onde os frequentadores jogavam sinuca naquelas mesas de colocar fichas. O bilhar parou e o ruído das bolas deu lugar à música. Todos foram para o lado oposto do ambiente e lá estavam José Leopoldino Neto, Toto Palma, sargento Rachid, Roberto Simões, Raul Quadros, o professor Mosquito, Mário Du Trevor e o Marujo, com seu trompete e ao lado o filho “Baca”, um grande baterista, que se foi em 2001. Foi uma noite inolvidável e pelo visto, até os vizinhos aprovavam, porque naqueles tempos as pessoas abriam as janelas e de debruçavam contemplando as canções e serenatas.

 

Aos sábados íamos à Banca do Abel, convencionada como o segundo endereço da confraria denominada “Garganta do Diabo”. Não era raro encontrar por lá o Marujo, com o seu instrumento de sopro e ele até dava uma canja. O motivo de sua presença, era o fato do bar ficar próximo ao Cemitério São João Batista e casualmente, quando algum amigo falecia, o Marujo fazia as honras no momento do enterro; se fosse um militar era toque de silêncio, dependendo, seriam canções lendárias, como Carinhoso, de Pixinguinha e João de Barro (Braguinha).

 

A propósito, numa visita de Braguinha, com sua esposa Astrea, à Foz, passei pela casa do Marujo e lá estava ele acomodado em sua cadeira na varanda. Fui entrando, ele sorriu e saiu correndo para buscar o trompete. Correram lágrimas de todos, a começar pelo autor. Foi uma visita rápida, mas coberta de emoção.

 

Com a idade avançada, mas com as lembranças vivas, dava uma vontade imensa de ir visitar o Marujo, mas era muito complicado imaginar que a visita romperia a sua zona de conforto. Mas eu dava um jeito; me sentava numa das mesas do extinto Pacová, a que dava para a lateral de sua casa de onde ele mandava ver no trompete, aos finais de tarde. O curioso é que os músicos do bar, paravam, enquanto o marujo tocava. Era aplaudido de pé por quem estava lá.  

 

Fico pensando: como o Argemiro Marujo foi o último de sua marcante geração, ficou difícil de alguém soprar uma melodia em seu funeral. Certamente o vento o embalou com as mais lindas canções que podemos imaginar, como fossem ondar de um mar infinito a navegar. Aqui vai o meu abraço e meus mais profundo sentimento de pesar à dona Guilhermina, com quem o Marujo desfrutou 69 anos, também aos filhos Fátima e Darlei dos Santos.   

 

Rogério Romano Bonato 

 

(Ilustração: cena do filme Menino 23)

 

Seu Nilton

Se até a publicação desta nota o vice-prefeito Nilton Bobato ainda não tiver "batido o martelo" com o MDB é porque surgiram novas oportunidades em outras casas partidárias. O Corvo ficou sabendo de outros convites, alguns até auspiciosos. Mas como a conversa de Bobato com os caciques emedebistas foi longa e profunda, pode ser que o destino seja certo. 

E daí?
Mas se o Nilton entrar no MDB pode ficar complicado para compor chapa de novo com Chico rumo à reeleição. Como sabemos, Requião Filho e Ratinho falam idiomas diferentes. Nesse caso, quem será o vice do Chico? Será que Ratinho vai empurrar o Phelipe Mansur? Seria no mínimo uma situação inusitada, levando em conta que eles disputaram as últimas eleições.  

Chico fica
Houve um zunzunzum de que Chico Brasileiro poderia sair do PSD. Pelo visto, isso não passa de especulação. Pelo contrário, disseram para este colunista que o prefeito e o governador — do mesmo partido — afinaram os bicos e estão entendendo-se muito bem, com a ajuda do deputado Hussein Bakri, inclusive. "O cenário mudou da água para o vinho depois que eles passaram a conversar mais", confidenciou uma fonte ao Corvo.

Dilema
Como Ratinho "criou" o Phelipe Mansur no governo, deve conversar com ele sobre os seus rumos políticos, ou pelo menos manter certo interesse na situação. Há outros nomes no PSDB de olho na discussão. Segundo este colunista apurou, a turma está empurrando o empresário Paulo Pulcinelli ao embate, mas parece que é difícil ele desviar o foco dos negócios. Mas que seria um candidato muito forte, disso ninguém duvida.   

Tanta gente
É sempre assim, em ano pré-eleitoral a lista de nomes aparece quilométrica. Há bem mais que sete candidatos; o Corvo identificou o dobro desse número, porque além dos nomes mais em evidência há os lançamentos de satélites, ou seja, de gente sem a mínima condição de competir, mas que entra na briga para aparecer.   

Encrenca
Pensa um partido estruturar-se, vendendo uma imagem de novo na política, postando-se como reserva moral e tudo o mais e, do nada, dois ou três tranqueiras batem à porta, esperando conseguir filiação? Acreditem, isso está acontecendo em Foz. Depois de levarem um clássico pé no "culote", ou melhor, na "buzanfa", alguns aventureiros de plantão estão buscando legenda a todo custo. Estão levando é porta na cara, o que é muito bom. Estava na hora de isso acontecer em Foz. 

Unhas quebradas
A encrenca na Secretaria da Saúde teria sido tão frontal que até hoje ainda há pedaços de unhas lascadas, marcas de batom e pó de arroz pelas paredes. As briguentas são boas de berro, porque eles foram ouvidos até do outro lado da rua. 

Céu colorido
Corvo, os balões fazem um espetáculo à parte no céu de uma cidade como Foz do Iguaçu. Que bom se fosse sempre assim! Mas eu estive olhando a internet, e como tem gente que escreve bobagens. Ficam misturando alho com bugalho. Houve quem sugerisse levar os políticos nos balões para eles olharem mais a cidade! Pois eu garanto, Corvo, não voei de balão, mas já tive a oportunidade de ver a cidade do céu, e ela é bem bonita, exuberantemente verde! As pessoas precisam amar mais o local em que vivem, reclamando menos e tomando iniciativas, em vez de ficar esperando pelos políticos. 
Jandira Ramão Gonçalves

O Corvo responde: prezada professora, as redes sociais são uma selva e, naturalmente, alguém sempre sai da casinha, mas pense que as pessoas estão exercendo o direito à livre expressão. Sim, Foz do Iguaçu merece ser amada, porque, apesar dos problemas, iguais aos de outras cidades, é um lugar muito bonito e, como a senhora escreveu, "exuberantemente verde". 

Sumiço
Corvo, muita gente deveria fazer como fez o dono da farmácia, em busca da espiritualidade, o que ajuda a refrescar a alma. Ele, na verdade, realizou uma façanha, o que todo mundo tem vontade de fazer: desprendeu-se da materialidade e encarou a aventura de ir em busca da paz, visitando a "mãe do Brasil", Nossa Senhora de Aparecida! Esse homem não merece críticas nem brincadeiras, pois sem querer nos deu um exemplo! Tomara que ele tenha encontrado conforto diante dos sufocos que as pessoas enfrentam na vida.
Thadeu Silva

O Corvo responde: prezado, suas palavras são muito bonitas, mas o que o comerciante fez virou notícia, e isso atiça o imaginário das pessoas. Largar o carro com os vidros abertos e sumir, sem avisar a família, causou certa preocupação, porque há quem sempre pense no pior. Vamos imaginar a angústia da família. Então quando ele apareceu deu aquele alívio e, claro, muita gente brincou com a situação. Mas no fim, conhecendo bem o caso, ele fez uma coisa bacana, apesar do susto que aplicou em muita gente. 

Exercício
Corvo do céu, esse exercício das Forças Armadas do Brasil e Paraguai é muito bacana, mas chega a dar um friozinho na espinha de muita gente. É que não estamos acostumados com essa movimentação de tropas, carros blindados, embarcações e fotos como as que vocês publicaram na capa do jornal de sexta-feira; o que, aliás, gostei muito. Será que está acontecendo algo que não sabemos para realizarem um exercício assim? 
Reginaldo Francisco Mendes

O Corvo responde: prezado, as Forças Armadas precisam de atualização e experiência de mobilização. Graças a Deus o Brasil possui uma tradição em não enfrentar guerras, mesmo assim deve estar preparado, porque o mundo é cheio de maldade, como ocorre em ações terroristas, por exemplo. Até o dia 3 de outubro haverá exercícios, e é bom que a sociedade saiba que será muito bem defendida quando precisar. Foz do Iguaçu é uma terra de paz, mas devemos olhar para os grandes centros e, definitivamente, entender e acreditar que vivemos uma guerra contra o crime. 

Carro paraguaio
Corvo, vamos parar com essas ilusões de que o Paraguai investirá no desenvolvimento de carros elétricos. Isso nem passa pela cabeça dos políticos de lá. É mais fácil lançarem um veículo movido a mandioca. O país não possui nem rede de abastecimento. 
Célio Fernandes

O Corvo responde: ilusão é pensar que o Paraguai não possui planos de modernização. Quem acredita nisso vai engasgar com a mandioca, isso sim. Há muitos países e multinacionais de olho no desenvolvimento dos nossos vizinhos, e é provável que as redes de abastecimento aconteçam antes das nossas. O Brasil, por exemplo, ainda acredita nas fontes alternativas de combustão, por meio do etanol e até gasolina.   

Village Iguassu
O empresário Guilherme Paulus esteve em Foz, no final da semana passada, para preparar o lançamento do mais belo condomínio da cidade, o Village Iguassu, que fica no entorno do campo de golfe, ao lado de uma estrutura maravilhosa. É, sem dúvidas, um lugar de sonhos para se viver. A campanha está no ar! Opa, e nas páginas do jornal também! 

 

Outubro Rosa
A Secretaria Extraordinária de Direitos Humanos, com a ajuda da estrutura municipal, inicia um dos períodos mais importantes para o esclarecimento sobre a prevenção ao câncer de mama. A programação será lançada amanhã, às 19 horas, na Fundação Cultural. O Outubro Rosa ajudou a salvar muitas vidas. Conscientizar é a melhor forma de prevenir.
 


 

Câmara Municipal

O Corvo foi à Câmara um dia desses em que se encerrara o período de sessões e trombou com uma porção de seres vivos voando e fazendo zumbido. Traduzindo: moscas. Daí veio o pensamento, onde estarão os nossos intrépidos representantes? Será que se voluntariaram ao apagar das queimadas? Estariam tentando baixar o preço do gás de cozinha? Visitando os bairros? Ou seguiram o prefeito Chico em sua rotina de viagens? A visita rendeu uma notinha despretensiosa e ela, maldosamente, atiçou os mais de 300 pré-candidatos a vereador que se preparam para o teatro de guerra eleitoral, no ano que vem, além de interessados na rotina de atacar os vereadores e a instituição. Isso não é justo. Logo, este colunista não quer ser o destruidor da paz reinante do Legislativo, sendo assim resolveu apurar mais a fundo o que se passa e recebeu da assessoria de imprensa uma resposta. Em suma, não aconteceram apenas cinco sessões, como foi publicado aqui.

As sessões
Além das cinco sessões, as ordinárias, realizam ainda as extraordinárias e as reuniões rotineiras das comissões permanentes. Em algumas semanas, esses encontros técnicos ocorrem diariamente, para análise das proposições e a elaboração dos pareceres. Em setembro foram 12 sessões plenárias somando o total de 89 neste acalorado ano de 2019.

Atuação do nosso Legislativo
Segundo os nossos nobres representantes, e a sua eficiente assessoria de comunicação, a atual legislatura é a mais atuante dos últimos anos. Nestes nove meses de trabalho em 2019, foram apresentados 352 requerimentos, 156 projetos de lei e 1.307 indicações. Vejamos os números, mas para isso o Corvo fez questão de criar um pequeno comparativo, constatando que de fato o número de reuniões plenárias aumentou bastante em relação à Legislatura anterior. Se bem que é difícil fazer qualquer comparativo com aquele período, no qual parece que a cadeia esteve mais cheia que o plenário. Pois bem, em 2016 realizaram 143 sessões (na legislatura anterior). Em 2017 foram 183; em 2018, 194; e por fim, em 2019, até o momento, ocorreram 89 sessões.

Proporcionalidade dos trabalhos
No âmbito das proposições (requerimentos e indicações), os números são os seguintes: na legislatura anterior, em 2016, 1.124 proposições. Em 2017 foram 2.288; 2018, um total de 2.297; e em 2019 já são 1.659 proposições, até este mês. Já em matéria de projetos, na legislatura anterior, em 2016 apresentaram cem projetos; em 2017, já na atual legislatura, foram 199, quase o dobro; 2018 foram 186; e 2019, até setembro, 156 projetos.
Vai ver este colunista passou pela Câmara quando havia um intervalo. Debaixo de tanto trabalho e atividades, nossos parlamentares também são filhos do Grandioso e precisam de uns minutos de descanso. 

Reconhecimento a um projeto que deu certo
Creio ser de "bom grado" acompanharmos todos os projetos que estarão diretamente inseridos em nosso cotidiano, oriundos do Poder Legislativo. Assim como muitos causam perplexidade coletiva remetendo-nos ao "desejo democrático" de tecer críticas severas. Por outro lado, seria de  "bom grado" ainda reverenciarmos positivamente projetos que trouxeram resultados satisfatórios e, principalmente, uma significativa economia ao erário, como o projeto consolidado das faixas elevadas, de autoria do vereador Edílio Dall'Agnol. A diminuição dos acidentes, tal qual uma maior conscientização dos condutores, demonstra-nos que é possível sim, por meio de medidas simples, alcançarmos um bem coletivo.
Murilo Schneiberg

O Corvo responde: prezado Murilo, os vereadores são eleitos para nos representar e fiscalizar o Executivo. E a população deve fiscalizar seus representantes, seja na Câmara ou na prefeitura. Mas você, leitor, relatou um fato verdadeiro e importante: as faixas elevadas foram sim ideia do vereador Edílio Dall'Agnol. Em 2012 ele apresentou um projeto e, de início, a proposta era instalar cinco faixas, mas conseguiram fazer quatro. A iniciativa trouxe muito mais segurança no trânsito e hoje, onde existe o incremento, o índice de acidentes caiu consideravelmente. De outra maneira, é um conforto para os pedestres. As faixas estão inclusive ajudando a educar os motoristas, que hoje dão preferência aos que querem atravessar as ruas. 

Seu Chico
O jornalista Chico Alencar está atravessando um desconforto muito grande devido a um acidente doméstico. Ele escorregou e trincou parte do fêmur e precisou passar por cirurgias, em que colocaram uma placa para manter o osso no lugar. Na última quinta-feira, ele enfrentou o quinto procedimento cirúrgico, no Hospital Municipal. Chico não consegue movimentar-se, e como é muito ativo e inquieto a placa vive deslocando-se, o que causa muita dor e o faz entrar na faca. Mesmo assim está confiante na recuperação, mas infelizmente não consegue escrever a coluna. Conhecendo o amigo, imaginamos a aflição que ele sente ao não poder se aproximar da máquina de escrever. Sim, Chico ainda usa um equipamento desses. Ele datilografa, não digita. No leito, quietinho, com a ajuda da Clarice e dos filhotes, ele aproveita e manda um abraço para todos os amigos e leitores. Torcemos por você, Chico! 

Bosque Guarani
Uma ONG voltada para a vida animal quer apresentar um projeto de revitalização do Bosque Guarani. O projeto inclui a expansão da unidade, segundo informaram a este colunista. Mas vão expandir para onde? Só se inventarem um segundo andar, porque o bosque está localizado no coração da cidade, cercado de residências e negócios comerciais. O terreno baldio ao lado é objeto de especulação imobiliária, portanto não está em vias de desapropriação. 

Remodelação
Na realidade toda a região no entorno do Bosque Guarani está precisando de uma mexida, e isso inclui o Terminal de Transporte Urbano, a sinalização nas ruas e a segurança permanente. Os terrenos baldios bem que poderiam ser murados. Pelo momento, é a área preferida dos ambulantes e pedintes, o que não conforta em nada a aparência para os visitantes, que não são poucos. Está errado imaginar que turistas não usam o transporte público.  

Ar-condicionado
Corvo, em quais linhas os ônibus com ar-condicionado circularão? Penso que haverá pelo menos um carro assim no trajeto até o Parque Nacional, não é? Digo isso porque muitos visitantes estão optando pelo transporte público. 
Naiara Duarte 

O Corvo responde: em consulta ao Foztrans, haverá quatro ônibus novos, com ar-condicionado, operando na linha 120, a que atende a Avenida das Cataratas e BR-469 até os portões do Parque Nacional, passando pelos principais hotéis e aeroporto. Serão ao todo oito ônibus, quatro com ar-condicionado. Farão o trajeto intercaladamente. A tarifa será a mesma. 

Thomas Cook
Uma das maiores empresas que atuam no turismo mundial quebrou como uma bolacha de água e sal. E fez aquele barulhinho crocante, que muita gente até gosta de ouvir. A empresa britânica abriu as pernas em razão da concorrência na internet, em que os pacotes são expostos com muitas e inacreditáveis oportunidades, o que já fez muita gente perder dinheiro. É possível que outras grandes operadoras estejam no mesmo caminho, de quebrar, igual bolacha, engolidas pela internet. 

O que vem antes? 
Sim, o que veio antes, o ovo ou a galinha? O delator ou o delatado? A discussão na suprema corte é exatamente essa, e a maioria dos ministros entende que o delatado precisa falar por último, assim poderá defender-se de tudo o que foi dito e entregue contra ele. Se decidirem que será assim, depois do voto e argumentações do presidente do Supremo, muita coisa pode mudar no curso de processos como os da Lava Jato. Para alguns ministros, isso reforçaria a tese do Estado de Direito, para a minoria enfraqueceria o sistema, depois de tantos esforços contra a corrupção. Preparem-se para resultados emocionantes na semana que vem.  

Tesourada
A arquiteta Brenda Barattini, de 28 anos, foi condenada a 13 anos de prisão na Argentina por ter cortado o pênis e parte dos testículos de seu amante. Ela usou uma tesoura de jardinagem. O crime aconteceu em novembro de 2017, na cidade de Córdoba, e Brenda aguardava julgamento presa. O amante era casado com outra mulher e passou por diversas cirurgias de reparação. Durante o processo, a arquiteta assumiu que tinha planejado o ato e que tinha a intenção de machucar o amante, mas não de matá-lo. Ela foi condenada por tentativa de homicídio. Brenda disse que agiu dessa forma como vingança, porque o amante a "tratava como um troféu" e tinha compartilhado vídeos íntimos dela com os amigos. Vixe! Que barbaridade! Como hoje é sábado, o Corvo publicou, até porque houve recentemente algo bem parecido em Foz do Iguaçu, mas a tesoura não estava afiada o suficiente. Que sorte, hein? 

 

Maria da Lenha
Na Bolívia, os tribunais populares funcionam que é uma beleza! Quando o maridão agride a esposa, em vez de ser preso, enfrenta uma conciliação pública e "zera" a agressão. O vídeo viralizou, com o maridão sendo submetido à "Lei Maria da Lenha", à base de vara de marmelo no traseiro! Pensa se a moda pegar?! 
 

Orquestra de cordas 
Taí um programão para o final de semana: a Orquestra Cordas do Iguaçu fará apresentação do Concerto Clássicos do Rock, no Catuaí Palladium Shopping Center. O evento acontecerá no sábado, dia 28 de setembro, às 19h, na Praça de Eventos do shopping, e é gratuito. Bandas como Led Zeppelin, Metallica, Alice Cooper, AC/DC, Pink Floyd, Bon Jovi, Scorpions, Queen e Iron Maiden serão homenageadas. 

 

Ideologia 


O presidente Bolsonaro foi à ONU e falou sobre os riscos do socialismo e sua derrota, evocou algumas questões do passado, apoiou a democracia com a ênfase dos anos 60, nos tempos da guerra fria. Isso faz tempo, né? Tratou de impor a sua ideologia, pressionando a ideologia dos contrários. Mas vamos aqui questionar: se o discurso do presidente fosse antes submetido aos brasileiros, ou pelo menos a uma banca de pessoas com conhecimento na área diplomática (não vale a opinião do filho que pretende ser embaixador nos EUA) e economia global, o conteúdo seria aprovado? Dificilmente. O Brasil está andando, as reformas estão acontecendo, a economia está reagindo, porque nada consegue afundar este país. O que falta é melhorar o tom da fala, vender mais, fazer negócios bem estruturados e, pelo menos, lutar para equilibrar as diferenças sociais. A força de trabalho está onde existem mais problemas, nas classes menos privilegiadas, onde impera o crime e a ausência do Estado. Seu Bolsonaro faria um governo muito melhor se apenas trabalhasse, reduzindo a pobreza, combatendo o crime, estimulando a produção, investindo na educação, provendo o atendimento na área de saúde, com a boca fechada. O mundo já está cheio de problemas para ser desafiado, por isso é tempo de agregar, e não de dividir. Bola pra frente, presidente, ocupe o seu tempo pensando nos nossos problemas, e não em suas gafes e nos efeitos que elas causam em sua popularidade. Ainda há tempo para acertar. É a mensagem do Corvo pós-exposição mundial. 

Empregos
O país chega ao quinto mês consecutivo mantendo um saldo positivo na geração de empregos. É um dado importante, porque inspira crescimento, com os mercados reagindo, e isso causa otimismo. Quando o Brasil superar o período de reformas, os reflexos não serão tão imediatos, mas as coisas acontecerão ao seu tempo, com alguns setores avançando mais que outros. Vivemos essa realidade, de preparar um futuro melhor. É o momento de planejar e pensar em investir. 

Fenômeno
Ao passo que há geração de empregos, também ocorrem desligamentos, e as pessoas estão partindo para os negócios próprios, com grandes chances de sucesso, caso a economia se equilibre. Os pequenos negócios gerarão mais postos de trabalho, e é por aí o mapa do crescimento. Por enquanto o cenário ainda é delicado, porque vivemos o vácuo no qual discutem as novas regras na Previdência, trabalho é a pauta de mais mudanças, portanto é necessário um pouco de pensamento positivo e força de opinião, para ajudar no modelamento ideal das propostas. Se a população manifestar-se, a margem de erro na elaboração dos projetos será menor. O Corvo dormiu bem e amanheceu muito otimista nesta sexta-feira! Que venha o final de semana!

Leilão
Muita gente já está de olho no arremate de vários bens apreendidos nas recentes operações contra os crimes fiscais. O leilão será em Foz do Iguaçu, com vários carrões nacionais e importados. Segundo uma informação, os bens estão em fase de cadastramento. Os veículos brasileiros vão para o leilão; os estrangeiros, independentemente do estado, se novos ou não, vão para desmanche, porque os motores serão pinados. O ministro Sérgio Moro deverá prestigiar o evento, que pretende fazer uma limpa nos pátios onde estão as apreensões. 

Obras de arte
Segundo uma fonte, estão também organizando um superleilão de objetos de arte, no qual incluiriam as apreensões nas mansões de doleiros e políticos envolvidos em escândalos financeiros. As obras foram periciadas e possuem altíssimo valor de mercado. O leilão pode ocorrer até mesmo fora do país, em empresas especializadas, porque elas atraem compradores aptos aos lances elevados. Difícil é imaginar como casas do porte da Sotheby's Auction anunciarão um leilão assim, de bens desapropriados de corruptos. 

Explosões
A interdição da pedreira no Porto Belo é um alívio para os moradores da região. Os estrondos advindos das explosões eram ouvidos até na Vila A, o que dizer de como era a vida da vizinhança. Os procedimentos faziam a terra tremer, causavam rachaduras nas paredes e danos psíquicos aos que vivem no entorno. Que barbaridade. Até os órgãos de fiscalização "dançaram", por omissão. A decisão poderá causar mudanças nos quadros ambientais do Governo do Estado. 

Giacobo no governo
De olho no Senado, Fernando Giacobo pensa em assumir uma secretaria no Governo do Estado. É o que confirmou uma fonte a este colunista. O deputado estaria interessado na Casa Civil. Se Ratinho Jr. fizer a mudança, mandará de volta para a Assembleia o Guto Silva, o que despertaria um enigma a ser decifrado pelo deputado Hussein Bakri, que exerce papel fundamental nas ações do governo. Bakri se "vira nos 30", estilo que é diferente do Guto. Essas mudanças devem ser um dilema para o governador. Para não complicar, é provável que ele deixe tudo como está. 

Bakri em Foz
Ao mencionar o deputado Bakri, hoje haverá uma prestação de contas dos atos do governo intermediados por ele. Será na Câmara Municipal às 13h30. Se precisa fazer prestação de contas, a lista não deve ser pequena. 

Reforma
Os analistas dos movimentos palacianos garantem que é cedo para o governador fazer uma reforma. Mas segundo a opinião de alguém que anda bem próximo de Ratinho, há uma possibilidade de ele fazer a mexida, levando em conta a avaliação do primeiro ano de governo. 

Reforma em Foz
O final do ano se aproxima e 2020, ao que indica, iniciará pegando pra capar! Chico estaria estudando um mexe-mexe, trocando secretários de posição e colocando reservas. Como ele é o técnico desse time, poderá fazer as mudanças que desejar, só precisa ficar de olho no placar. Por enquanto, segundo uma pesquisa que não foi divulgada, ele está levando por 2 x 1. 

2 x 1
Esse é o placar mais injusto e perigoso em qualquer jogo, porque é de fácil virada. Nos gramados, quem não se lembra da inversão de um resultado assim, em questão de minutos, até segundos? Acontece quando o time acredita que já ganhou e fraqueja as canelas.  

Licitação
O vereador Márcio Rosa quer que as concorrências públicas sejam transmitidas ao vivo, o que de fato dará mais transparência. É uma ideia eficiente. O problema é colocá-la em prática, porque transmitir exige todo um aparato. A transmissão em si não custa nada, porque pode ser realizada num canal YouTube, por exemplo, mas como a prefeitura vai fazer para a população saber? No mais, a audiência das transmissões é bem limitada, certamente sintonizarão os atos os interessados e os fiscalizadores. Mas é uma medida importante. Se a prefeitura instalar apenas três câmeras na sala, daquelas que captam áudio, será possível acompanhar os certames. 

Emoção
As concorrências públicas são um tanto chatas, a começar pela leitura dos editais. Há quem durma durante isso. No mais, um certame desses, dependendo, pode ser realizado ao longo de vários meses, como foi o processo de escolha das agências de publicidade. O Corvo pediu uma cópia do projeto do vereador Márcio Rosa. A ideia é colaborar. 

O sucesso do Paraguai
Um país que consegue crescer mais do que a China naturalmente se torna alvo de pessoas propondo investimentos. A agenda do presidente Marito deve ser muito atribulada nesse sentido. Ele já recebeu até um "representante fake" da Lamborghini, com o "papo laranja" de desenvolver tecnologia de veículos elétricos. Acontece que o país vizinho divide o laboratório de Itaipu no desenvolvimento de veículos movidos a eletricidade. O que falta é ampliar a rede de abastecimento. 

 

Projeto ousado
O Paraguai possui tanta energia elétrica que poderia fornecê-la de graça à população. O governo estuda subsídios muito atraentes para atrair grandes negócios, inclusive na área automobilística. Faz tempo o país apresentou o Aguará (foto), um protótipo conversível que fez sucesso na Expo Paraguay. Isso foi em 2012. De lá para cá, apesar dos investimentos abaixo da média, outras inovações surgiram. Para se ter ideia, o Aguará, no seu projeto original, mantém uma autonomia de 210 km e precisará de um pouco mais de R$ 11 para cobrir essa distância. Enquanto isso, no Brasil é provável que o custo da energia elétrica aumente tanto que sairá mais barato andar de Maverick V8 movido a gasolina. 
 

No Joãozinho
É onde dos amigos se encontram, no point "mais família da cidade". Em noite especial, Helder Peixoto, Mário Jackson, Helber Tadeu e o Rocha, amigos de longa data das "vilas C", reencontraram-se relembrando os velhos tempos e os bons momentos vividos no bairro. E haja história para contar! Um papo aqui, um espetinho ali, uma cervejinha aqui, um espetinho ali, e assim foi. 

 

Bolsonaro e o discurso 

Corvo, sem paixões, vamos fazer aqui uma reflexão a respeito do discurso do nosso presidente, Jair Messias Bolsonaro, na abertura da Assembleia Geral da ONU. Votei nele, defendo muitas de suas ideias, endosso muitas coisas que ele diz, mas fiquei com aquela pulguinha atrás da orelha, porque o achei muito agressivo. Uma coisa é falar para os brasileiros, outra é convencer o mundo quanto às posições de nosso país. E ontem, quarta-feira, pela manhã, vi nos telejornais que ele se equivocou em alguns dados, como a área ocupada pela agricultura. Pelo que vejo, os assessores forçaram na caneta, porque um presidente não escreve um discurso sozinho, não acha? 
Maria Helena das Cruzes

O Corvo responde: o Corvo não trata de assuntos assim com "paixões". O jornalismo requer certa frieza para lidar com alguns temas. Embora os aficionados pelo presidente não tolerem críticas, é preciso reconhecer que ele não foi bem em seu pronunciamento. Desperdiçou uma grande oportunidade de mostrar um Brasil mais preocupado com a natureza, com seu povo e como procura lidar com os problemas. Seria até bem mais simples. Mas a impressão que se tem é que o presidente usou a tribuna da ONU para falar aos brasileiros, e não para o mundo, e é esse o ponto mais alto da crítica. Nosso presidente usou da arrogância ao tratar de temas internacionais, causou ofensas desnecessárias e tentou combater uma ideologia com outra. No mais foi um discurso longo, com algumas repetições e equívocos de informações. Mas também não vamos aqui crucificá-lo, Bolsonaro defendeu nossa soberania e reconheceu que lidamos com muitas situações graves na área criminal. Na próxima ele acerta. 

Trump e o impeachment
Os Democratas de lá anunciaram a abertura de um processo de impeachment do presidente dos Estados Unidos. Se os cabelos loiros dele já eram arrepiados, pensa agora? Trump não quer dar informações sobre o bate-papo com o presidente ucraniano para prejudicar oponentes. Os norte-americanos não toleram isso, a intromissão em seus negócios de Estado. Taí um recado para o seu Bolsonaro. 

Obama again?
Segundo um site nova-iorquino, houve uma euforia sobre a possibilidade de Barack Obama candidatar-se em caso de uma nova eleição. Alguns blogues brasileiros deram ênfase à informação. Isso é praticamente impossível de acontecer, porque, segundo a Vigésima Segunda Emenda à Constituição dos Estados Unidos (Amendment XXII, no original em inglês), aprovada pelo Congresso do país em 1947 e ratificada em 1951, nenhuma pessoa poderá ser eleita mais de duas vezes para o cargo de presidente. Obama, portanto, não poderá concorrer a um terceiro mandato para chefe da Casa Branca. E como lá não são chegados a alterar emendas, vai ficar por isso mesmo. Antes da promulgação do texto não havia essa limitação. Franklin Delano Roosevelt, que esteve no poder de 1933 a 1945, foi o único presidente americano da história a cumprir três mandatos. Mais uma para o almanaque que inutilidades do Corvo!

Sucuri
Corvo, se tanta gente foi condenada na Operação Sucuri, por que só saiu o nome e a foto do Japonês da Federal? É alguma perseguição? Puxa vida, hein! 
Eleonora Tadeu 

O Corvo responde: de forma alguma. Não se trata de perseguição. Os réus, bem como o Newton Ishi, que virou meme e máscara de carnaval, tiveram os seus nomes publicados por várias vezes em matérias desde 2003. Eles ainda podem recorrer. O Japa da Federal teve o destaque em razão de ser uma figura muito conhecida. No ano passado ele endossou apoio a vários candidatos, aparecendo inclusive nas propagandas eleitorais. 

Muitas moedas
Que coisa, hein Corvo, parece que acharam o cofre do Tio Patinhas sob as águas das Cataratas do Iguaçu! E sabe mensurar o valor dos mais de 300 quilos de moedas encontradas? E por que será as pessoas atiram moedas? Será que não imaginam que prejudicam o meio ambiente? Vai que um peixe ou um sapo morre engasgado.  
Márcia Jucimeyre 

O Corvo responde: as pessoas atiram moedas por superstição, em busca de sorte na vida. A propósito, existe um roteiro, registrado inclusive, que atraiu ninguém menos que Steven Spielberg às Cataratas. Ele ficou uns dias hospedado no hotel que há no Parque Nacional, decerto para imaginar um filme. No enredo, gnomos que habitam cavernas encobertas pelas quedas d'água recolhem as moedas e ajudam pessoas em todos os continentes a realizarem seus pedidos. Mas sabemos que isso é logicamente um mito, e a prova são as moedas que não foram recolhidas. De outra maneira, com a seca, surgem algumas cavernas, mas não há vestígios de gnomos, ETs ou outras criaturas místicas. Vamos deixar a criatividade por conta do Spielberg. Ainda bem que o parque é bem protegido, do contrário algum ex-prefeito já teria mandado dragar a área por causa das moedas.  

JetSmart
É sem dúvida uma grande notícia saber que a companhia chilena realizará voos até Foz. Como as passagens serão de baixo custo, é provável que se estabeleça uma espécie de "ponte aérea" entre Santiago e a Terra das Cataratas. Vai ficar mais barato, por exemplo, ir até lá para tomar um vinho. Para ir ao Chile atualmente, dependendo dos voos normais, operados pela Gol e Latam, leva-se entre sete e dez horas. Com um voo direto, a distância de 1.786 km pode ser reduzida para duas horas e 12 minutos, voando a 800 km/h.

Antonov
Algumas pessoas telefonaram para o Corvo para relatar que ouviram o estrondo causado pelas turbinas do superavião que pousou no Aeroporto Guarani. Deve ser mesmo uma aeronave muito barulhenta, porque segundo informações ela passou bem longe de Foz, pousou no sentido contrário, na direção do Lago de Itaipu. E no mais, Mingua Guazú nem fica tão perto assim. 

Fogo no mato
Com a estiagem, há terrenos pegando fogo em Foz e, claro, as pessoas denunciam quem meteu fogo no mato. A caixa postal do Corvo se encheu de denúncias. As reclamações são recorrentes no Corpo de Bombeiros, pois  atear fogo propositalmente na vegetação é um crime. A Lei de Crimes Ambientais, nº 9.605 de 1998, em seu artigo 54, descreve o crime de poluição, que consiste no ato de causar poluição, de qualquer forma, que coloque em risco a saúde humana ou segurança dos animais ou destrua a flora. É normal saber que as pessoas queimam o lixo doméstico, que emite fumaça, causa risco de incêndio, destrói a vegetação e pode causar a morte de animais que ocupem as redondezas. Denuncie!   

Rocha pura
Corvo, vi pelas fotos e fiquei curioso, tanto que tentei ver meio de perto as obras da Ponte da Integração. Que baita paredão de pedra natural, hein? Pensando bem, o solo de Foz deve ser assim muito rico em minérios. Isso deve ajudar bastante na segurança da obra.
Olegário Furtado 

O Corvo responde: prezado, as barrancas dos rios Paraná e Iguaçu, em toda a extensão na região, são de formação rochosa. Se isso é bom para a construção, o Corvo já não sabe informar, mas é certo que o solo de Foz é bem firme. É possível ver os rochedos em épocas de pouca vazão. 

Mais uma
E parece que a Justiça fechou outra pedreira ontem. Deve haver matéria no corpo do jornal. A exploração de minerais corria solta, e muitos acabam depredando áreas ambientais. Com mais uma pedreira fora de combate, o preço da pedra deve subir.  

Sumiço
Um empresário, dono de farmácia, simplesmente desapareceu. Saiu de casa para trabalhar e não voltou; e, segundo a reportagem na TV, deixou inclusive abertos os vidros do automóvel, que ficou estacionado numa rua do centro de Foz. Daí todos os tipos de especulações passaram a acontecer. Disseram até que foi abduzido por OVNIs que, segundo diz a crença, aparecem pela cidade lá pelas bandas da zona rural. 

Nomes das oncinhas
Corvo, você é mesmo um bicho bem porreta! Um dia depois do lançamento da campanha para a escolha dos nomes dos filhotes de onça, você já matou a charada: disse que seria Pytu e Poty! Depois dessa, será que não poderia me dar uma força com os números da Mega-Sena? 
Márcio Januário

O Corvo responde: se esta humilde ave adivinhasse o futuro, já teria acertado na loteria faz tempo. É evidente que os nomes foram escolhidos pelas crianças, pela simplicidade de assimilação, em acordo com o regionalismo e influência tupi-guarani. Entre Panambi, Porã, Arandu e Marangatu, só poderia dar Poty e Pytu. Em 6 de setembro, este colunista escreveu: "O Corvo vai fazer uma aposta em Poty e Pytu, nomes fáceis e bem assimilados pelas crianças que participam do concurso".