No Bico do Corvo
No Bico do Corvo
Seu João, seu João...

Está havendo muita especulação nas redes sociais; e, francamente, não seria diferente. Mas ao que parece, o João Miranda misturou a vida pessoal com a de político, e isso não dá certo. Autoridades precisam dar exemplo agindo como cidadãos normais, de preferência sem privilégios, como furar fila em eventos e outras situações enfrentadas pelos cidadãos mortais. O problema de Miranda teria sido um "carteiraço" em PMs e a ameaça de tentar resolver a situação com o comandante. Levou um desacato e usurpação do poder, com tráfico de influência. 

De plantão
Disseram para o Corvo que as autoridades carcerárias estão mandando isolar e lavar recintos, na expectativa de receber pelo menos oito hóspedes ilustres neste final de ano. Pensa no furdunço? Alguém vazou isso para o Corvo. Pode ser apenas uma especulação, mas da última vez que aconteceu precisaram arranjar até um Papai Noel para amainar a choradeira no presídio.  

Monitoramento
O exercício do poder é um pouco mais delicado do que alguns imaginam. Para ocupar cargo público, a pessoa não precisa "se precaver", sem falar ao celular, ou temer gravações, fotos espiãs e tudo mais. Basta agir corretamente, respeitando as leis e os princípios. Quem ultrapassa essa linha é que corre perigo. Pior são os que, apesar das lições, continuam a perpetuar os mesmos erros. Acham que a polícia e o MP estão dormindo? 

Campanha
O Corvo acreditou que as coisas estavam meio calmas, tratando-se de um final de ano pré-eleitoral. Qual o quê? Na noite da quarta-feira, um grupo de pessoas se reuniu para analisar as peças publicitárias que serão exibidas em 2020, com a intenção de abrir os olhos dos eleitores. Alguém fotografou e enviou algo para o Corvo, mas não vamos publicar para não estragar a surpresa. 

Gramadão
Prezado Corvo, depois de ler a sua coluna e olhar as fotos do Natal de Itaipu, no Gramadão, esperei escurecer na quarta-feira, juntei os "pirralhos" (palavra que está na moda) e toquei de Fusca até a Vila A para ver as luzes. Qual a minha decepção, já passava das 20h30 e metade da decoração ainda estava apagada. Sem chance esperar, porque moro longe (Três Lagoas) e precisava voltar. Mas tem outra coisa: é difícil ver os enfeites passando pela rua, porque todo o visual é tapado pelos caminhões de vender lanches, um atrás do outro rente à calçada, onde também não dá para caminhar por causa das mesas. Vou dar uma dica: poderiam fechar a mão que dá acesso à Vila B, o que daria para organizar uma grande praça de alimentação, desviando o trânsito em duas mãos apenas, na pista que passa em frente ao Gramadão. Ficaria show! Dá a minha dica aí, Corvo! 
Valdomiro Pinheiro (Miro da Lagoa)  

O Corvo responde: prezado Miro, campeão mundial de fubeca de vidro, suas ponderações serão enviadas para a Comunicação Social da binacional. O Corvo tem recebido comentários similares, ao longo do ano, sobre a concentração de foods trucks naquele local, especialmente quando há eventos. Fora a obstrução do visual, há crianças que saem correndo no meio da pista, o que é um perigo. No mais, outro leitor apontou uma sugestão que pode ser eficiente, sobre a criação de uma praça de alimentação na área que há em frente. Sobre a iluminação, o Corvo vai saber quais os horários em que as luzes estarão acesas.

Solução
O caso já está nas mãos do Foztrans. O diretor-superintendente do instituto, Fernando Maraninchi, tem participado de reuniões em Itaipu e está, com sua equipe, apresentando vários projetos para uma "Praça de Alimentação" só com foods trucks, que deverá atender à região da Vila A. Há, segundo ele, dois locais em estudo, ambos nas proximidades do Gramadão. O estudo prevê rede de energia elétrica, pontos de água e esgoto para os ocupantes, sanitários e um espaço confortável para os frequentadores. Em breve teremos mais detalhes das providências.  

 

Na Praça da Paz...
O Corvo deu um giro pela cidade e no momento em que passou em frente ao Gramadão toda a iluminação estava acesa. O destaque é para a enorme "bola", na qual as pessoas paravam até para tirar fotos. Originalidade nota 10! Já quase em frente à prefeitura, na Praça da Paz, o que havia era uma enorme concentração aguardando a abertura do Natal. Durante um longo período, o que mais chamava a atenção, em matéria de iluminação, era o giroflex da PM, mas isso mudou depois com os fogos de artifício e as luzes, com ênfase para a grande árvore que foi bancada pela iniciativa privada. Mais uma vez o nosso Natal foi salvo pelos corações sensíveis dos empresários que acreditam no espírito que deve haver em momentos assim. 
 

Simpatia
Mas quem está mesmo roubando todos os holofotes é o Papai Noel. Que figura foram arranjar neste ano! Há quem jure que se trata o bom velhinho de verdade, tamanha a descontração e desempenho. É tudo de verdade nele, da barba ao sorriso! 

E o churrasco? 
Tá difícil. Não é só o preço da carne que assusta a gauchada, e sim a falta de produto. O Corvo foi a um supermercado e não gostou do que viu. O governo conseguiu uma proeza: devolver o movimento aos açougues, onde há produto e uma boa negociação com o açougueiro, algo longe da mecanização das gôndolas refrigeradas. 

 

Enquanto isso...
...nas terras do "Sol Nascente", leia-se Japão, China, Coreia, Vietnã e Laos, o churrasco corre solto! É um regalo, imaginando que antes as fontes de proteínas eram gafanhotos, larvas, formigas, escorpiões e outros bichos. Agora se lambuzam com costela, maminha, picanha e, entre as novas iguarias, o povo do Oriente se delicia com o prato preferido: filé-mignon, carne brasileira da melhor qualidade! Pelo menos pararam um pouco de comer cachorro. O que falta é o brasileiro importar os insetos e tocar goela abaixo da população. Calango a turma já come, e não é de hoje. Que barbaridade! 


Japonês gaúcho
E a carne anda tão farta que a prefeitura de Tóquio está enfrentando uma maré de preocupações, em precisar ampliar áreas para a instalação de novos CTGs. Com o fenômeno, as ervateiras estão com o sorriso rasgado, pois o chimarrão caiu no gosto dos que habitam o outro lado do mundo. Detalhe, como os "terraplanistas" explicam a localização do Japão? 
     
Trevo do Charrua
O Foztrans está no olho do furacão, porque precisa arranjar solução para os problemas viários, a exemplo da praça de alimentação para os food trucks, como comentamos em outra nota. A novidade é que apresentaram uma solução muito viável para não interromper o fluxo no já polêmico trevo da BR-277, altura do CTG. Com a iniciativa, o problema está solucionado, restando saber se o DER irá aprovar. 

Rotatória
Antes dos políticos açodadamente exararem opiniões sobre intervenções na rotatória do Charrua, convinha buscarem informações técnicas perante a PRF. A cidade agradecer-lhes-ia.
Luis Marcelo Mafra

É amanhã!
O Foz Cataratas Futsal está afiando as unhas na busca pelo título! "Bora" adquirir os ingressos que ainda restam, e o ginásio deve bater recorde de público, com gente grudada até no teto. O GDia terá a cobertura total do jogo na edição de segunda-feira e com uma surpresa para os torcedores e leitores. 

Funil
Uma carreta, superpesada, carregada, teve um problema e trancou a Avenida das Cataratas, ao lado de um hotel e em frente ao shopping. O problema deve ter acontecido na bomba de óleo diesel. O combustível escorreu e chegou bem perto da recepção do hotel, lotado de hóspedes. O cheiro no local se tornou insuportável. Pior, depois de guincharem o veículo, o óleo ficou um tempo espalhado pela pista, e o piso virou um sabão. Duas motos caíram e um automóvel rodopiou. 

Pérola do humor
Quem é chegado aos sarrinhos e gosta de acompanhar a desgraça alheia que se prepare. Um pessoal de bom astral está lançando uma novidade cibernética e radiofônica que vai balançar o coreto. Não é este o nome, mas todos conhecem o grupo "Só pra contrariar", então a sacada é do tipo "só pra sacanear"! Mas não vamos aqui entregar a rapadura. Segunda-feira a cidade estará antenada. Aguardem! 

Zumbi venceu
O governo não nomeou o Sérgio Nascimento de Camargo. Benfeito, pois quem tem a boca muito grande não entra em festa no céu! É no que dá "obrar" no lugar de falar. 

Lá vem o Moro
O ministro deve chegar no domingo, porque alguns empresários estariam organizando um jantar informal para ele. Na última estada, o ministro fez muitos amigos e se tornou praticamente "alguém de casa" para a comunidade iguaçuense. Segunda ele inaugura o Centro Integrado de Operações de Fronteira. A iniciativa andou pra valer e deve ajudar muito a área de segurança.

Serpentário

O general Luiz Eduardo Ramos disse que não é difícil incomodar as pessoas em Brasília. Para ele, basta andar próximo do presidente. Que novidade? Esse ciúme é coisa antiga. Em que governo isso não aconteceu? Nos tempos do PT, andar perto de Lula ou Dilma, era declaração de guerra. Mudam os homens, os sentimentos, nunca.

Acirramento
Artistas de todos os setores, da literatura aos palcos, estão ressabiados com os colegas que fazem parte da estrutura de governo. Para alguns produtores, eles "enlouqueceram". Isso advém das declarações. Boca fechada ainda é um ótimo remédio. 

Terraplanistas 
O Corvo foi buscar no dicionário a palavra "terraplanistas"; são pessoas que acreditam que a Terra é plana. E não são poucos. Então vejamos, a humanidade levou 300 mil anos até descobrir que o Planeta Terra é redondo, e foi por meio de um processo de pura inteligência, e, agora, querem dizer o contrário? Puxa vida, será que essa gente nunca subiu num avião, não compreende o fuso horário, o dia, noite, a posição do Sol? Que barbaridade? Quanta besteira hein? Isso é efeito de cérebro plano, achatado, como acreditam ser o planeta. O ovo por exemplo, é plano, depois que cai na frigideira.  

Pacote
A prisão em segunda instância é um tema que será muito discutido num futuro próximo. O Senado tem uma visão quanto ao tema e a Câmara outra. Os deputados, inclusive, estão divididos. É uma ilusão acreditar que resolverão o assunto com facilidade. Os prazos estão sendo protelados e há quem garanta, que isso chegará em 2021. O ano político pode postergar ainda mais a decisão. Enquanto isso, os condenados deitam e rolam, aproveitando a liberdade. 

Foz e Paris
As reformas das previdências causam furor onde ocorrem. Em Foz isso está causando a mobilização dos servidores, muitos dos quais em nada contentes com as novidades. Não demoram, farão como na capital francesa, onde as greves já paralisam os serviços públicos. Segundo informaram este Corvo, o caldeirão está em ponto de fervilhar. 

Obras do Chico
Corvo, não sejam tão chupa ovo, puxa saco! O prefeito Chico Brasileiro tem os seus méritos, a começar por organizar as questões fiscais, mas muitas de suas obras receberam ajuda do Estado e União, graças ao empenho de nossos representantes, como é o caso do deputado Vermelho. Vai devagar que o pote é de porcelana. 
Jaime Queiroz

O Corvo responde: prezado, este colunista tratou a informação de um modo geral, e, em momento algum desmereceu o esforço dos nossos nobres representantes. Houve gestões em que deputados trabalharam e prefeitos não aproveitaram. Vamos reconhecer, então, que os esforços em prol da cidade estão sendo levados à sério.

Câmara acelerada
Os vereadores estão dando um duro no sentido de vencer números das últimas legislaturas. É uma maneira de chamar a atenção e reverter a imagem negativa impregnada num passado nem tão distante. Por mais favoráveis as decisões na Justiça, fica aquele ranço, porque a notícia ruim é igual chiclete em asfalto quente. Gruda. A Câmara deve fechar o ano com números acima da média, quando o assunto é a criação de projetos e de certa forma, interação com a comunidade. A presidência de Beni Rodrigues está ganhando esse destaque, o que é bom, levando em consideração o ano eleitoral que se aproxima, com muita gente com sangue nos olhos e faca nos dentes.    

Lágrimas de jacaré
Um empresário metido na política andou desabafando para os amigos: "é triste, a gente se dedica, doa o tempo, se empenha, mas não fazem nada como a gente quer. Não tenho mais estômago para esse segmento medonho, bruto, ingrato". É verdade, a política é para os políticos e infelizmente, é difícil entrar no meio e já querer mandar, sentar na janelinha como dizem. Algumas pessoas são muito competentes da vida profissional e revelam uma face desconhecida quando atual numa selva onde todos querem ser o leão. Quando o assunto é política, ninguém quer ser a zebra, o macaco ou a girafa; querem ser predadores, por isso, não adianta choramingar.  

Esfriamento
Dezembro é um mês onde as faíscas ficam tímidas. O redemoinho político parece que dá um tempo. O Corvo ligou para algumas pessoas querendo saber as perspectivas de 2020 e a resposta da maioria foi: "vamos primeiro deixar o ano entrar, depois analisaremos com calma". Isso que é cautela hein? Pelo jeito estão certo. Vamos curtir o governo do Papai Noel. 

Maravilha
Prezado colunista o Gramadão ficou simplesmente lindo este ano, com enfeites dos mais diversos, a começar pelas árvores de Natal. As crianças lá de casa adoraram, porque é um local que iremos aproveitar ao máximo para curtir este clima tão especial. 
Rafaela H. Silveira

Luzes e luzes
Corvo o que vai sendo apresentado em matéria de decoração nos impressiona. E fico pensando em como a tecnologia avançou para proporcionar a "felicidade natalina", a começar pelo advento do "LED". Não faz muito tempo, a gente ficava horas ligando fios nos soquetes, que recebiam lâmpadas coloridas e isso dava um trabalhão. Hoje já vem tudo pronto, com mais brilho e o importante: economia de energia. Me chamou a atenção o túnel de luz que foi instalado em frente ao restaurante Castelo Libanês. Vale a pena conferir. 
Maria A. Soares

O Corvo responde: prezada, o Natal nos causa essa sensação de "luz", num sentido mais abrangente; é a vontade de trazer as estrelas mais para perto. Mesmo depois de tanta polêmica, os enfeites foram surgindo e nos causando boa impressão. Como esta coluna fechou antes da abertura da festa na Praça da Paz, não foi possível comentá-la, mas isso fica para amanhã. Sim, muitas empresas deram o seu toque mágico por meio da decoração.

Os jogos
Corvo, o governo do Estado fez um balanço positivo dos Jogos na Aventura e Natureza, mas francamente, é o tipo de evento bom apenas para quem participa, porque a população quase não viu nada. Bacana seria uma exposição maior, assim a população prestigiaria. 
Evaldo Gonçalves

O Corvo responde: prezado, o governo fez um balanço interessante da competição; 26 municípios participaram e outros 39 querem ingressar na próxima edição. Devemos levar em conta a realização de um primeiro evento, mais um teste do que outra coisa. Todas as avaliações se mostraram satisfatórias, inclusive por parte dos comitês esportivos. Os jogos ganharão volume e visibilidade nos próximos anos. 

Apenas dúvidas
Prezado colunista, longe de corrigir o trabalho de vocês, mas ontem, por casualidade, eu comprei três exemplares do seu jornal com o intuito de causar um debate em sala de aulas. Penso que fiz um investimento de R$ 6,00, porque as discussões foram muito acaloradas sobre diversos temas, a começar pelo Natal. Devo antes de tudo, parabenizá-los pela qualidade, afinal, não é toda a cidade que possui um jornal assim tão atuante. Mas se me permite Corvo, tenho duas dúvidas a compartilhar com vocês: na manchete "Jogos da Aventura e Natureza reuniu mais de 20 mil atletas", não seria conveniente usar "reuniram" dado ao plural nominal do evento e na conjugação de duas áreas? Não está errado, mas dois alunos questionaram. Outro caso em debate linguístico foi: "Boletim confirma dois casos de dengue grave em Foz do Iguaçu". Sei que se se trata da gravidade da doença, mas para os que estão aprendendo a dominar o idioma, é natural que surjam dúvidas assim. Espero que perdoe essa minha intromissão.
Lúcia Vera S. Pereira

O Corvo responde: nobre professora, é uma honra debater assuntos desta natureza. Primeiramente, os "Jogos da Aventura e Natureza" é o nome do evento, logo, ele reuniu os atletas. E no caso da "dengue grave", é assim que denominam a forma mais complicada da doença, conforme o publicado na matéria, e que sabemos, a senhora deve ter explicado aos alunos. O nosso idioma pátrio é de fato um tanto complicado, por isso, trabalhamos a prerrogativa culta, independentemente das dúvidas que possam ocorrer. As dúvidas são normais e também ocorrem erros, por isso, há metas no processo de revisão dos impressos. Agradecemos sua nota e nos sentimos felizes em saber que o nosso jornal é discutido em suas aulas.   

Novela das 9
O Corvo deu de olhar um capítulo na nova novela, Amor de Mãe. Os autores devem entrar num consenso e cada um escrever o seu texto. "Amor de Mãe" está mais para "Éramos Seis"; as tramas se confundem. No mais, a atriz Regina Casé mostra a razão de ser tão premiada. Está roubando a cena.  

Carlos Osório
Este colunista sentiu muita tristeza ao saber do falecimento do amigo Carlos, pessoa irradiante e muito querida por todos. Ele, sempre que podia, dava uma passada pela redação, falava um pouco sobre tudo e nos causava aquela sensação de sempre estar de bem com a vida. Devido a correria do final de ano, o Corvo ficou sabendo do ocorrido lendo o jornal ontem, diante disso, transmite hoje os votos de pesar e condolências à família, em especial ao irmão Dari. Estamos de fato muito sensibilizados com o acontecido.

Calor
Felizes dos pássaros que habitam o Parque das Aves, lá até sorvete de frutas ganham no Verão. Para o desespero deste Corvo, nem água gelada oferecem na redação. Não é só o Faustão de reclama do local de trabalho, seo Darley que trate de dar um jeito e refrigerar as coisas por aqui. O aquecimento global está fazendo uma esculhambação na vida dos penosos.
 

Corrida eleitoral

Corvo, tenho lido as suas notas sobre os sobressaltos políticos de Foz e, em muitos aspectos, concordo com a sua opinião. Mas sobre o atual governo, não sei se será fácil assim para o seu Chico se reeleger. Os eleitores estão um tanto sazonais, mudam muito fácil de opinião, e a gratidão é mínima pelos serviços prestados. Para a população, isso não é nada mais que a obrigação dos nossos políticos, sendo assim a opinião pública muda como o vento. 
Altamir Gonçalves

Sucessão
Você tem razão, Corvo, quando escreve que a maior obra do Chico é aquela que não aparece, ou seja, devolver a capacidade de solvência para a cidade, por meio de certidões, o que possibilita repasses e convênios. Não poder buscar recursos é a falência de uma cidade. Neste ponto o Chico trabalhou, porque recuperar Foz depois do antecessor parecia algo impossível. E o Reni morreu pela boca, porque quando assumiu disse que o Paulo havia deixado um bilhão de dívidas. Mentira da mais braba; quem deixou dívidas foi ele. 
Marcos SW Garcia

O Corvo responde aos leitores: prezados, ainda é cedo para analisar o panorama eleitoral. Este colunista escreve com base naquilo que escuta. Uma recente pesquisa nos ofereceu um rumo de pensamento, mas os dados são insuficientes para uma análise mais completa. Sobre a capacidade de endividamento da cidade, Chico foi sim competente. Pagou o que estava emperrando o desenvolvimento e ainda foi para cima da realização de um programa de obras, o que parecia impossível. Mas também não devemos deixar de avaliar a capacidade que Foz possui de dar a volta. É uma cidade poderosa em matéria de crescimento e nada é capaz de afundá-la. Isso está provado após o fatídico e malfadado governo de Reni Pereira.

 

Creches
Os CMEIs são uma das marcas do atual governo municipal. Chico realizou várias obras assim. Uma creche muda a vida das famílias, porque os pais podem trabalhar, e isso faz a diferença. O Corvo fez questão de acompanhar uma obra dessas, a do Jardim Buenos Aires. No início do ano era um campo, hoje a estrutura está completamente erguida. Essas obras andam rápido. 
 

Aplicativos de transporte
O prefeito alterou, acresceu e revogou os dispositivos da Lei nº 4.641, de 23 de julho de 2018, que versa sobre o serviço de transporte remunerado privado individual de passageiros em Foz do Iguaçu. A demanda recebeu parecer favorável das comissões de Legislação, Justiça e Redação, e de Economia, Finanças e Orçamento. O projeto tramitou em regime de urgência atendendo a reivindicações dos representantes dos aplicativos.

Gás 
A vereadora Nanci Rafagnin Andreola quer obrigatoriedade a inspeção de segurança nas instalações comerciais e residenciais que utilizam gás combustível. A norma inclui os food trucks espalhados por toda a cidade, além de entidades civis e profissionais. Segundo a vereadora, é importante uma inspeção severa a cada cinco anos. 

Proteção animal
O Projeto de Lei nº 148 de 2019, do vereador Celino Fertrin, declara de utilidade pública a Associação Protetora dos Animais Casa Sofhia. A entidade presta ações voluntárias em defesa da causa animal e vem conseguindo excelentes resultados. No mais, possui toda a documentação necessária para ser declarada de utilidade pública. Com a aprovação do projeto, a entidade pode buscar subsídios públicos. Como sabemos, dinheiro público não pode ser repassado a quem não apresenta documentação. Muitos protetores vivem chorando falta de apoio, mas também não se coçam para colocar a casa em dia. 

Licença-maternidade
Está na Câmara um texto que atende à decisão da Justiça com relação aos direitos iguais entre adotantes e gestantes, quando o assunto é a prorrogação de licença-maternidade para servidoras públicas. O projeto garante às gestantes e adotantes os mesmos direitos de prorrogação de 60 dias da licença-maternidade no âmbito da administração pública. A licença normal de 120 dias já é assegurada. 

Novos projetos
Recursos economizados pela Câmara vão fazer parte de um fundo financeiro para a construção da nova sede. O Projeto de Lei nº 168 de 2019 institui o "Fundo Financeiro da Câmara Municipal de Foz do Iguaçu" e começou a tramitar com a finalidade exclusiva de garantir o orçamento para a nova sede do Legislativo. Os recursos são provenientes da economia da Câmara com redução de despesas. Em 2019, estima-se que economizaram cerca de R$ 4 milhões. No lugar de devolverem, a grana vai ficar guardadinha. 

Vende-se a atual sede 
Além dos recursos "economizados", a mesa diretora está quebrando a cabeça para encontrar formas de vender a atual sede — que, segundo uma avaliação preliminar, possui alto valor comercial. A venda do imóvel pode praticamente sacramentar o novo espaço, que será no Centro Cívico, onde estará também a prefeitura e suas adjacências.  

Economia
Essas alternativas de construção e a realização do Centro Cívico possibilitarão uma economia significativa para o bolso do cidadão. Só a prefeitura gasta mais de R$ 3 milhões por ano apenas com aluguéis. A sede própria também dará menos dor de cabeça ao cidadão quando precisar deslocar-se a mais de uma secretaria. Hoje, umas estão distantes das outras. 
  
Interesse
No mais, os vereadores querem saber a quantas anda a decoração de Natal; o abandono de veículos nas ruas e logradouros públicos; a sincronização dos semáforos e a contratação de bombeiros civis. Os vereadores, "vírgula", tudo isso quem quer saber é o Rudinei de Moura, que está numas de tirar o atraso em razão do tempo em que ficou fora.  

Trevo 
A vereadora Anice Nagib Gazzaoui quer saber do diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) informações sobre o já polêmico fechamento do trevo entre a BR-277 e a Avenida Garibaldi. Contaram para o Corvo que a população está pensando em queimar pneus no local, como forma de chamar a atenção. 

Previdência
Corvo, nos causam estranheza as alterações que estão sendo realizadas às pressas por meio do Projeto de Lei Complementar nº 26/2019, de autoria do Poder Executivo municipal, pois esse projeto não altera somente as alíquotas como tem sido noticiado, observa-se que ele exclui da base de contribuição o adicional por tempo de serviço por decênio (adicional de permanência), verba de caráter permanente e que deveria estar incidindo na contribuição previdenciária; exclui da base de contribuição patronal os inativos e pensionistas, ou seja, aumenta a alíquota patronal, mas reduz a base de cálculo; revoga a Lei nº 4.445/2016 (Lei dos Aportes); caso o projeto seja aprovado o fundo previdenciário sofrerá redução do superávit, ou seja, irá piorar a situação do fundo previdenciário. 
PJB (O leitor pediu para não ter o nome publicado.)

Qual a razão da pressa?
Corvo, nota-se que o prazo legal para adoção das medidas da Emenda Constitucional nº 103/2019 é até 31 de julho de 2020, então por que a urgência desse projeto de lei, tendo de ser votado no final de ano, ao "apagar das luzes", faltando com transparência, publicidade e amplo debate. Há fortes indícios de omissão no dever de informar todas as alterações que se pretende com esse projeto de lei quando noticiam somente o aumento das alíquotas, como se isso fosse tudo o que se está pretendo alterar! Mas não, na verdade exclui direitos dos servidores, desobriga o Executivo a cumprir com os aportes mensais para a redução do déficit atuarial do fundo financeiro, piorando mais ainda a situação caótica do Regime de Previdência dos Servidores Municipais.
RBG (O leitor pediu para não ter o nome divulgado.)

O Corvo responde: a reforma da Previdência municipal está causando um certo rebuliço na cabeça de muitos servidores. O Corvo recebeu várias notas tratando do assunto. Taí uma boa oportunidade para o município responder às incógnitas. O espaço está aberto.  

Lojas francas
Corvo, será que essa modalidade de comércio é a salvação da cidade, para darem tanta importância assim? Quem resolveu encarar a abertura de um free shop deveria ter imaginado que haveria burocracia e que não seria algo tão simples e fácil. 
Jonas Valverde

O Corvo responde: não há como deixar de noticiar e reclamar dessa situação, porque muita gente acreditou na liberação das lojas francas como fosse a salvação da cidade. No entanto, isso está tornando-se uma dor de cabeça para os investidores e frustrando a população. Isso acontece por duas razões: a geração de empregos e a oferta de produtos.

 

Gramado na China

O ex-secretário de Turismo Sergio Lobato Machado estava no sacrossanto recinto de seu lar, de pernas para o ar, trocando os canais da televisão pelo controle remoto. Passou por uma imagem parecida com a cidade de Gramado, mas não deu lá muita importância, porque estavam falando em mandarim. Curioso, voltou ao canal e viu que se tratava de uma publicidade da cidade gaúcha, chamando os chineses para o Natal. Pensa? Até lá os gaudérios resolveram atiçar o povo. Pudera, a China possui quase 1,4 bilhão de habitantes, e desse número milhões adoram viajar. Foi o bastante para Sérgio ligar para os seus amigos do trade. 

Gramado e Foz
Acontece que Foz do Iguaçu tem realizado uma série de contatos de negócios no setor do turismo. Várias comitivas oficiais e empresariais passaram por Foz e prometeram potencializar o segmento, pois fazer turismo é algo importante entre os chineses, até porque o Estado subsidia parte das viagens. E Lobato está certo em se agitar com o que viu: Foz deve beliscar uma lasquinha desse movimento, porque, se não possui o que Gramado oferece em termos de festas natalinas, detém atrativos de arregalar os olhinhos orientais. A cidade poderia pegar carona na promoção dos gaúchos, do tipo: "Passe uma noite de Natal em Gramado e sete dias de emoção em Foz do Iguaçu"! A distância entre as cidades é de 564 km pelo ar e de 819 km por estrada. Um pulinho...   

Esforço privado
E quem disse que Foz não terá a sua tão sonhada árvore de Natal? Graças ao esforço de empresas e empresários, a cidade contará com uma bela estrutura com 28 metros de altura, na Praça da Paz. Depois da pendenga política, e da frustração com o resultado, deu-se o impasse de Foz amargar mais um Natal praticamente às escuras, ou aos moldes do improviso dos anos anteriores. O prefeito Chico Brasileiro e o diretor-presidente da Fundação Cultural recorreram aos empresários, e eles partiram para resolver a questão, reunindo um grupo considerável de parceiros, o suficiente para sacramentar a ação.

O projeto
A árvore não será em nada diferente daquela que foi anunciada em outubro, mas que teve o certame licitatório cancelado. As empresas Cataratas do Iguaçu S/A, Blue Parck, Panorama Home Center, CellShop (Paraguai), Óticas Carol, Plaza Foz Hotel, Pietro Angelo Hotel, Rafain Centro, Mabu Termas Grand Resort, Recanto Cataratas, Hotéis Vialle (centro e Avenida das Cataratas), Cataratas Park Hotel, Loteadora Nova Esperança, Ouro Branco e Sindetur Foz, Fundo Iguaçu e Visit Iguassu assumiram a importante responsabilidade.   

Natal do futuro
Foz precisa urgentemente montar uma comissão permanente para tratar do Natal. Engana-se quem acredita que isso vai funcionar nas mãos do governo. A iniciativa encaixa muito melhor nas mãos do setor privado, organizando e captando recursos para um evento crescente e que atraia muitos mais visitantes. Quem der uma volta pela cidade notará que há outdoors de outras cidades anunciando Natais iluminados. Maringá é um desses locais.    

Paraguaios preocupados?
As lojas francas desagradam a alguns comerciantes do lado de lá. Mas, segundo apurado, eles são minoria. Os mais arrojados acreditam exatamente no contrário, que a concorrência vai atrair mais visitantes e todos sairão ganhando. Um especialista no setor disse que Foz tem tudo para se tornar um dos pontos comerciais mais empolgantes da América Latina. E isso pode acontecer rapidamente. 

Mil dólares
O fato de a cota de compras no exterior aumentar para US$ 1.000 deixou muita gente com o sorriso rasgado em CDE; e isso apesar da diferença cambial. A ideia do governo é estimular trabalho e geração de renda para milhões de brasileiros. O estafe econômico não acredita que a liberação possa causar danos à indústria nacional.  

Roda-gigante
O Rio de Janeiro inaugurou a sua, que fica ao lado da zona portuária. A novidade já se tornou uma das mais eficientes ferramentas para se olhar a Cidade Maravilhosa do alto. O giro completo, em cabines que levam até oito pessoas, dura 15 minutos. Cadê a super-roda-gigante que seria instalada nas imediações do Marco das Fronteiras? Ele chega antes ou depois da nova ponte? Contaram para o Corvo que o projeto continua, bem como o da grande free shop planejado para existir lá.   

Viaduto novo
Não houve uma inauguração, e sim a abertura das pistas, o que, aliás, já está irritando algumas pessoas. Em geral, obras assim são realizadas por profissionais que não conhecem as cidades onde os projetos são implantados. Diante disso, mal funcionou e o "aterroduto" passará por um arranjo nos acessos. Se a finalidade era facilitar o acesso à cidade, ficou melhor apenas aos que vão até o Paraguai. 

Nome
Muita gente não sabe ao certo como definir o viaduto; uns chamam pelo nome, Lyrio Bertoli; outros dizem que é "Viaduto da Costa e Silva". Este Corvo, com respeito, prefere o termo "aterroduto". Mas, na verdade, a finalidade oficial do objeto inaugurado é: "Adequação da capacidade de interseção entre a rodovia BR-277 e Avenida Costa e Silva". Pelo menos é o que diz a placa.  

Movimento
E pelo visto a abertura das pistas foi uma medida acertada, atendeu ao movimento de quem vem à fronteira comprar para o Natal. Mas, na tarde de sexta-feira e manhã de sábado e domingo, foi preciso deslocar uma equipe da PRF para controlar o trânsito de curiosos. Muita gente tirou o possante da garagem para conferir a novidade. Num determinado momento, parecia que a cidade toda estava em cima do pontilhão. Que barbaridade!  

Quem fez?
Na sexta-feira, ao caminhar pelo Viaduto Lyrio Bertoli, ao lado de secretários e do deputado Hussein Bakri, o governador foi textual em dizer que a obra começou em seu governo. Não foi bem assim. Ela foi concluída e em boa parte realizada em sua gestão. O novo viaduto foi anunciado em 2016; em agosto de 2017 definiram o processo de licitação, e as obras começaram em 2018. Ratinho chegou ao Palácio Iguaçu apenas em 2019. A obra saiu, portanto, do papel nos governos de Beto Richa e Cida Borghetti. Cida foi quem tocou a coisa para valer, porque obras assim só entram para a fase da materialidade depois de todo um processo administrativo. E, no mais, a governadora estava em campanha pela reeleição.    

Agradecimentos
Ratinho foi gentil ao lembrar os políticos da cidade, agradecendo ao prefeito Chico Brasileiro e aos deputados Giacobo e Vermelho. Isso quer dizer que reina a paz no curral eleitoral do Oeste. Dizerem que Chico não foi convidado para a caminhada inauguratória é um genuíno produto fake news. O governador não quis deixar a abertura em branco, aproveitou o fato de visitar a região e liberou pessoalmente o tráfego. Foi um pedido de Bakri, depois de ouvir empresários e a população. Chico não estava presente em razão de outro compromisso, por isso a parte cerimonial foi adiada. Ratinho concordou, mas, de veneta, resolveu olhar o viaduto e praticou um ato simbólico.  

Guilhotina natural
Corvo, quem passar pela Rua Bento Munhoz da Rocha, próximo a um daqueles cruzamentos entre várias esquinas, vai perceber que uma árvore está prestes a cair, e se isso acontecer pode machucar alguém. Fiz questão de registrar o estado da pobre árvore. Será que o ideal não seria cortá-la de vez e evitar um desastre? 
Maria José Silva

O Corvo responde: os leitores estão enviando fotos de árvores antigas. Algumas possuem as raízes para o lado de fora da calçada, inclusive. O ideal seria informar à prefeitura. Em todo o caso, vamos publicar, pois assim ajudamos a apressar as providências. 
 

Zé Hamilton
Na altitude dos seus 84 anos, auge da intelectualidade para muitos, o repórter José Hamilton Ribeiro, no Globo Rural, deu uma aula de jornalismo ao abordar a sobrevivência dos tamanduás brasileiros. Tratou da luta contra a extinção, uma forma de reparação humana após devastar quase todo o mundo animal. Para alguns bichos, isso é tarde. Aqui vai um abraço do Corvo ao amigo e professor.  

Visita
A rapaziada tricolor sub-17 visitando a Cellshop. O Jorbel Griebeler fez a recepção pessoalmente. O Fluminense enfrentou o 3 de Febrero ontem. A equipe carioca venceu os paraguaios por 2 x 0. 

 

 

Tragédia

A sociedade está traumatizada com o brutal assassinato de uma professora aposentada e de seu filho, um advogado. São várias as versões, entre elas, uma suposta dívida. Que horror! A pobre mãe teria juntado dinheiro para livrar o filho da pressão e como o valor não foi suficiente, deu-se o impiedoso desfecho. Os corpos foram fuzilados e o veículo queimado. Em Foz, seis assassinatos foram registrados em uma semana. Haverá muito trabalho para a polícia investigar no final do ano.  

Furdunço
O cara foge da penitenciária, leva uma mulher para um motel, se desentende e mete fogo no quarto, se enfia no forro, manda bala nos bombeiros e depois pede a ajuda da esposa, para intermediar uma negociação com a polícia? Só no cinema a gente vê coisa assim. A bagunça parou a região leste da cidade, na manhã de ontem. 

 

Viaduto
Corvo você é porreta, levantou a bandeira para abrirem o viaduto antes da inauguração e as autoridades atenderam. No mais, queria aproveitar a oportunidade e fazer um baita elogio para a foto de capa da edição de ontem, ela nos deu uma dimensão do quão belo é o novo viaduto e que isso agrega muito valor na entrada da cidade. No fim, o novo acesso se transforma num "portal". 
Luciano R. S. Balbinatto

O Corvo responde: prezado, vamos colocar cada coisa em seu lugar: o novo viaduto tinha data para ser inaugurado, inicialmente ontem, sexta-feira, 06. Acontece que prefeito e governador foram atropelados com outros compromissos e a data para a cerimônia de entrega da obra ficaria para o dia 16. Por intermédio do deputado Hussein Bakri, sabendo da ansiedade da comunidade e necessidade de atender ao trânsito, especialmente num final de ano, ele fez uma gestão no governo para liberar o acesso. Bakri tem os méritos pela abertura da pista antes mesmo da inauguração. As fotos do viaduto foram realizadas pelo Roger Meireles e elas nos apresentam um ângulo que dificilmente os usuários terão, porque ele utilizou até um drone para dar qualidade e dimensão ao material. No mais, o Corvo vai publicar a foto sem cortes, diferente que como foi publicada na edição de ontem.

Portal
Alguns leitores ficaram empolgados com o viaduto, mas a cidade não pode perder de vista a necessidade de um portal na BR 277. E é aí que o Corvo faz outra revelação: O deputado Hussein Bakri conversou com o governador para a viabilização de um baita projeto na entrada da cidade, um pouco antes de Três Lagoas, o que será um regalo e tanto na área do Turismo. Se por um lado, os visitantes já possuem um belo aeroporto, merecem também algo que melhor identifique a Terra Das Cataratas, ao chegar pelo solo. O "portal da cidade" é uma das obras na lista desde a passagem do Cabeza de Vaca. A população não deve desistir de cobrar.

 

Assentamento
Segundo uma informação, a oposição ao Chico na Câmara estaria fracionada em três pedaços. Dois tentam uma aproximação com o Executivo e um estaria em dúvida e a exigência é o rompimento do governo com o vice Nilton Bobato. Taí um tipo de imposição meio complicada. Os cenários nem estão montados para se exigir algo assim, e pode ser, a ruptura aconteça naturalmente. O novo partido de Bobato dificilmente se integre aos PSD. Candidatura própria tem sido o lema de Requião Júnior.

Decisão
Um advogado disse a este colunista que as pendências jurídicas de Paulo Mac Donald estão por um fio. Há esperança dele virar o ano livre, leve e solto, o que será um drama para quem anseia disputar as eleições do ano que vem. 

Pesquisa
Um instituto fez uma apuração de números que dá base ao pensamento popular de uma forma bem ampla. As perguntas rondam o governo municipal, nomes que estão na cabeça dos eleitores, quais seriam os candidatos mais cotados e até uma avaliação sobre a influência dos veículos de comunicações. Se isso não possuir um fundamento político, o corvo põe a pata para cortar. 

Novos candidatos
Não é novidade que algumas pessoas novas no metiê eleitoral andaram lançando candidatura. Normal. Uma desses pré-candidatos resolveu fazer uma pesquisa no formato "caixa de sapato". Como é isso? Ele fez uma enquete, as pessoas preenchem um papelito e colocam na caixa. Depois é que as respostas são apuradas. Não há indução. Pois bem, das quase 200 cédulas preenchidas, nas imediações do Terminal de Transporte Urbano, apenas um apresentava com um "x" marcando o autor da pesquisa. 199 afirmaram não o conhecer. Já na alternativa perguntando se votariam nele, ou não, a resposta foi uma tragédia. O resultado foi "zero votos". Será que depois disso, ainda insistirá em permanecer no páreo? 

Cavalinhos
A corrida eleitoral de Foz parece páreo dos cavalinhos do Campeonato Brasileiro, uns se acotovelam, correndo na frente, outros vão se estranhando no segundo pelotão e há os que se arrastam nas últimas colocações. Segundo um entendido, a maioria está apenas tentando ficar na vitrine, na intenção de disputar a vereança. 

Desânimo
A estimativa de gastos com campanhas políticas estão estratosféricos. Para encarar um embate para vereador, o candidato deve possuir no mínimo um milhão de reais e ainda corre perigo de ficar de fora. A pesquisa do momento garante que a renovação na Câmara será em torno de 58%. Só louco para entrar numa saia justa dessas.  

"Gestão Integrada"
Quando usaram essa palavra pela primeira vez em Foz, muita gente fez cara de espanto, como ouvissem um palavrão daqueles bem cabeludos. É que o setor de Turismo, no passado, sempre foi tão dividido que "gestão integrada" era a maior das utopias. Não era raro ouvir: "esse Piolla é um sonhador". Faziam até apostas sobre a impossibilidade de algo tão ousado. Aliás, isso é um defeito da cidade, de desacreditar as coisas, sem pelo menos tentar; uma deformação que aos poucos vai mudando. 

Entrosamento
O processo de gestão integrada, no fim, deixou de ser um bicho de vinte cabeças, para se tornar a solução dos problemas, visando metas, num projeto de superação que elevou o movimento de 600 mil visitantes e turistas/ano, para dois milhões. E esse número será superado. Com a integração, cada peça foi se colocando em seu devido lugar, como o Comtur, a remodelação do Visit, o Fundo de Turismo e tudo isso hoje, vislumbra um futuro que deixou de ser incerto, para uma cidade que possui um dos conjuntos de atrativos mais espetaculares do planeta. Por isso amigos, o ideal é apostar na realização e não contra ela. E a realidade é que a Gestão Integrada do Turismo faturou um baita prêmio nacional.

Movimento
Provavelmente os hotéis terão ocupação acima da média neste final de ano. Isso deve-se ao aumento de voos para Foz e o crescente interesse pela região de fronteira no final do ano. Natal e Reveillon já ocupam a segunda posição no ranking de épocas do ano mais visitadas. A Semana Santa ainda está no topo. 

Natal caro
Com a alta do dólar, os produtos da cesta de Natal estão pelo olho da cara. Castanha portuguesa nem pensar. Um estabelecimento estava cobrando R$ 120,00 o quilo da iguaria. Sai mais barato servir caviar e baba de andorinha.

Nacionais
Até os produtos nacionais como a castanha do Pará estão pela hora da morte. Como o produto também entra na lista de exportação, ficou bem mais caro entre os brasileiros. A ceia será bem menos farta, pelo visto. 

Simplicidade
Como foi a Santa Ceia? Bom, ela não teve peru, nem chester, menos ainda confeitos e carnes assadas. Jesus e os apóstolos eram hebreus e celebraram a Páscoa judaica, portanto, os alimentos eram ovos, sementes secas, ramos de alho poró, ervas amargas, óleo de oliva, pão de centeio e um osso de cordeiro; um ritual para lembrar o cativeiro no Egito. Com o preço das carnes e demais produtos, é bem provável que muitas pessoas apelem para o cardápio galileu. Seria um bom exemplo.  

Competência
Merecida a Moção de Aplauso à 6ª SDP, afinal, há uma superação no atendimento e no cumprimento da missão por parte da Polícia Civil. Mas há de se destacar o profissionalismo do delegado-chefe, Dr. Rogério, cuja competência é compartilhada - por ele - com a equipe. Uma prova do valor que há, é a permanência desses valorosos profissionais à frente da estrutura em Foz. 

Sonho Dourado
O Corvo deu uma espiadela no comércio e a conclusão é que a população e os empresários estão esperançosos com o movimento do final de ano. Por enquanto, muitas pessoas estão na fase da "comparação" dos preços. E é aí que começa a concorrência. Quando isso acontece, é bom para quem compra. Mas o lucro é institucional e vai parar direto no colo da ACIFI, que soube organizar a campanha. A entidade pesquisa antes de dar um passo.

 

​​​​​​​Acabou-se o que era doce

Lugar de Itaipu é em Foz do Iguaçu (e no Paraguai). O escritório em Curitiba será totalmente fechado. Isso deve acontecer no dia 31 de janeiro de 2020. A binacional realizou estudos, e o resultado surpreendeu: não será necessário sequer um escritório de representação. A turma que vem de Curitiba se espalhará nas várias áreas na fronteira. E ainda tem gente fazendo bico, mas vai precisar pisar no quadradinho. Quando general manda, soldado obedece. 

E a namorada?
Boa pergunta. Quando a moça vai começar a bater cartão? Pelo visto nunca mais na vida, pois assinou o PPDV, que entre outras significa um programa de desligamento. Agora ela vai ter tempo para se dedicar ao namorado, na cansativa tarefa de beijá-lo até virar príncipe. Difícil, hein? Vai ter de tomar um Dreher.  

Figurinhas
A cultura brasileira, além de ser muito rica e diversificada, possui muitos representantes competentes, pessoas com qualidade intelectual e capacidade de sobra. Difícil é essa gente aliar-se a governantes e suas ideologias. Em razão disso nos restam os Dantes Mantovanis da vida e suas asneiras. Onde é que foram buscar esse cara? Para ele, o rock ativa a droga, o sexo e a indústria do aborto. E o maestro crê que o planeta Terra é plano. No mínimo é uma situação estranha para um governo que tem como ministro um astronauta! Marcos Pontes, por favor, vá conversar, urgentemente, com esse novo presidente da Funarte!  

Na biblioteca...
Para o Rafael Nogueira, nomeado presidente da Biblioteca Nacional, "livros didáticos estão cheios de músicas de Caetano Veloso; Gabriel, O Pensador; Legião Urbana". E no final da frase ele completa: "Depois não sabem por que está todo mundo analfabeto". Que barbaridade. Ele teria de viver mais uns 500 anos para adquirir a qualidade alfabética de um Caetano Veloso. E quem diria, os pesquisadores da biblioteca fizeram uma busca e não encontraram referências sobre o novo chefe. "Ele não possui conhecimento no ramo dos livros", disse uma bibliotecária manifestante.  

Calça de veludo...
Corvo, sou pobre, não tenho título em clube, e se tivesse, cadê os clubes? Não possuo piscina em casa, e as crianças se refrescam no tanque de lavar roupa. Então, quando chega o verão, o recurso é ir lá na prainha de Três Lagoas. E numa tarde dessas dei uma escapada até lá. Meus filhos correram para a água e simplesmente atolaram no barro. Não teve jeito, voltamos e aconteceu algo bem curioso: meu filho mais novo está tingido de vermelho, e não há sabonete que consiga limpar a pele do coitadinho. O barro impregnou por tudo e fiquei até com medo de isso acarretar algum problema de saúde, pensa? Será que nosso balneário vai ficar assim o verão todo? 
Maria do Rosário Galvão

Chico Brasileiro
Corvo, li a sua análise e concordo, mas em partes. O atual prefeito entrou na disputa sabendo o que enfrentaria, ou será que ele não imaginava? Outros disputaram a eleição, mas depois de uma baita confusão a prefeitura sobrou para o Chico. Ele tem sim um volume de obras em sua gestão, o problema é que o mais importante não é algo que a população vê, no caso a sanidade financeira do município. Será que ele vai convencer os eleitores? As pessoas são mais materialistas. 
João Grego Rocha

O Corvo responde: se vai convencer, ninguém sabe, tudo depende de como apresentará isso em campanha, na qual os balanços também são ferramentas de convencimento. Quem viveu a era do antecessor viu tudo o que aconteceu, e depois acompanhou a gestão do Chico, pode ser que entenda a situação. De qualquer maneira, há marqueteiros muito eficientes e que sabem mostrar os feitos governamentais em épocas de campanha. Veremos. 

O Corvo responde: quem usa as prainhas não leva sorte. Primeiro precisam lidar com a falta de estrutura, reforma de quiosques, churrasqueiras, banheiros e a reposição da areia, em cima do "terrão" vermelho. Algumas prefeituras fazem a lição de casa, outras não. Daí, quando o clima esquenta e o povo vai refrescar-se, não há água, por causa da estiagem. Itaipu precisa mover as turbinas e, naturalmente, o nível do reservatório baixa. Só há um jeito de isso ser resolvido: esperar São Pedro abrir as torneiras lá por Minas Gerais, São Paulo, Goiás e Mato Grosso do Sul, onde estão as cabeceiras dos rios. 

Perigo
A falta de opção para os banhistas leva muita gente para as barrancas dos rios Paraná e Iguaçu, e é aí que ocorrem acidentes, porque no Paraná a correnteza é muito forte. E há também outro perigo, porque as crianças, especialmente, vão brincar nas águas dos riachos, quase todos contaminados, além dos sobressaltos repentinos quando chove. Nem todo mundo tem dinheiro para se divertir em balneários com bilheteria. 

Comissão de Natal
O requerimento do vereador Luiz Queiroga é importante para organizar os próximos eventos natalinos, e isso não ocorre apenas na área de iluminação e decoração. Uma comissão, com várias cabeças pensantes, poderá antecipar-se e ajudar a planejar a festa de final de ano, propondo até eventos como shows. Tomara que a comissão esteja montada antes de outubro do ano que vem. Se neste ano foi difícil organizar o Natal, no ano que vez será pior, porque os gastos são muito restritos em ano eleitoral.

Corridão
Contaram para o Corvo que um integrante das gravações para o programa de Luciano Huck achou um quati "muito fofo" e deu de querer abraçar o animal, como fosse bicho de pelúcia. O que se viu foi o rapaz correndo e o quati atrás, mostrando os dentes. Apesar das placas e avisos, as pessoas acham que dá para pegar quati igual a gato. Não dá não. 

Também vou de bike
Corvo, francamente, fiquei muito interessada na promoção das bikes, porque, além do preço ser acessível, a marca é muito boa e aro 29. Achei que era até uma pegadinha. Taí um ótimo presente de Natal para eu dar para o meu marido, para ver se ele diminui aquela pança. Mas, Corvo, me passe o endereço da empresa, porque tentei ligar e o celular parece que estava congestionado... Hehehehehe. 
Lúzia Silvestri

O Corvo responde: é verdade, até o Corvo recebeu uma porção de ligações de interessados em pedalar. E pelo visto a oferta é mesmo muito atrativa, pois este colunista pesquisou e constatou que o produto é muito bom. Detalhe, a empresa "Vá de Bike", além de garantir o produto, presta serviço de manutenção e fornece acessórios e tudo o que o ciclista precisar para deixar a "magrela" completa. Detalhe: buscam e devolvem as bikes em casa, sem incomodar os proprietários. O celular é (45) 99956-7212, e a "Vá de Bike" fica na Rua Tibagi, 94, travessa da República Argentina (próximo da Caixa Econômica Federal). 

Ponte no Paraguai
A chegada das máquinas para iniciar os trabalhos na margem paraguaia, em Presidente Franco, entrará para a história como um grande evento! Soltaram até rojões enquanto o comboio passava. E a festa foi tamanha que muitas pessoas levaram cadeirinhas de praia e passaram o tempo todo olhando o movimento, ao sabor de um refrescante tereré. 

Comércio
Como a construção da nova ponte se tornará uma espécie de novo ponto turístico para os moradores de Alto Paraná, um mirante para os curiosos, muitos comerciantes se agilizaram e estão instalando barraquinhas de alimentos como o tradicional pollo grelhado com mandioca. 

 

Nas redes sociais
O presidente do Paraguai, Mario Abdo, também é assíduo nas redes sociais. Ontem ele registrou a movimentação das máquinas, o que "é uma realidade esperada por mais de 30 anos". Ele publicou inclusive uma bateria de fotos. 
 

Na feirinha
Por sua vez, o presidente Bolsonaro visitou a feirinha de importados de Brasília, que leva o sugestivo nome de Paraguai. Ele considera o local acolhedor e "o pastel sem igual". Bolsonaro é chegado em pastel de palmito. Mas, segundo uma fonte, o presidente foi conferir de perto outra coisa: uma equipe está analisando a possibilidade de permitir a criação de mais locais onde poderão ser vendidas quinquilharias importadas, o que movimenta a baixa renda e gera um monte de empregos. Informais ou não, Bolsonaro disse que quer ver o povo trabalhando. 

"Bunitinho"
O cara se tornou um fenômeno, foi participar de uma festa e acabou abatido pelo BOPE. Uma situação controversa para fechar a semana das tragédias em bailes de comunidades. Que barbaridade! 
 


 

Chico e o asfalto

Depois de adquirir a dita-cuja usina, que demorou para funcionar, o prefeito tem mais é de mostrar a sua utilidade. Era tão calamitosa a situação do "leito carroçável" da cidade que, na ponta do lápis, montar a usina sairia mais barato. Foi o que um economista disse ao Corvo. Mas como ele não entende nada de pavimentação, coçou a cabeça antes de afiar o lápis. O Corvo quer fazer esse comparativo. Se o governo pavimentou 60 km em Foz, qual o preço final com a usina e quanto uma empresa cobraria pelo mesmo serviço? Taí uma boa chance para a prefeitura defender a ideia. 

Desafio
E é bom que o Chico vá acostumando-se, porque perguntas como esta da pavimentação serão corriqueiras ao longo do próximo ano, quando haverá eleições municipais. O povo perguntará; e os adversários, também. 

Os números são favoráveis? 
Se partirmos do princípio do qual a cidade foi "largada" no governo Reni, Chico até que conseguiu vencer muitos obstáculos pelo caminho. A cidade não tinha crédito, devia uma vela para cada santo e nada funcionava, praticamente. Hoje as coisas estão andando. O que resta saber, no resumo da ópera, é qual o tamanho da lista de providências realizadas pelo governo. Isso sim pode fazer diferença quando for apresentado aos eleitores. 

Protestos
O governador Ratinho Júnior prova o gostinho amargo daquilo que nenhum governante quer: briga com servidores que resultam em gente machucada, ensanguentada, reclamando da truculência policial. Quando o policial bate, a mão que dói é a do governador. Álvaro Dias e Beto Richa que o digam. 

Impasse
A discussão da reforma da Previdência estadual ainda promete outros capítulos, e a greve pode durar um tempo bem maior. Infelizmente, o que tira a legitimidade de um protesto assim são as camisetas do PT, CUT, bonés do movimento dos sem-terra e a intromissão política oposicionista. Será que não dá para protestar de maneira mais direta, questionando os pontos divergentes da reforma? 

Mudança
Ruim é a Assembleia Legislativa mudar-se para a Ópera de Arame e baixar as portas para a população. Vai ver, Ademar Traiano fez a opção por conhecer bem a ferocidade de quem não concorda com alguns atos legislativos. 

Privatização
Depois do processo, quem vencer as licitações não precisará mais pedir a bênção do Instituto Chico Mendes, pelo menos nos rigores atuais. Mas se engana quem acredita que a coisa vai rolar solta, pois não vai. As leis ambientais continuam valendo. Haverá sim um projeto maior de sustentabilidade. 

No alvo
O processo de privatização dará mais liberdade às concessionárias e, quem sabe, elas poderão concluir projetos esperados pelos frequentadores, como é o caso da melhoria das trilhas, passarelas, mirantes e até uma forma alternativa de transporte no interior da mata, do tipo VLT. Mas mãos da iniciativa privada as coisas andam bem mais rápido.

Caminho do Colono
Com a privatização de uma unidade tão importante, o conceito protecionista radical sofreu um abalo. É agora que os projetos de estradas ecológicas caminharão; elas se tornarão empreendimentos na área de influência, porque poderão alinhar-se aos projetos de turismo. Se a iniciativa privada fizer a estrada, naturalmente cobrará pela utilização. Quem não quer um negócio assim?  

Melhorias
O Corvo entrou em contato com o Adélio Demeterko, da Cataratas S/A. Segundo ele, "o governo deu um passo muito importante para o desenvolvimento do potencial socioeconômico que os parques oferecem". Ele disse acreditar no início de um ciclo de desenvolvimento no setor do turismo em todo o país. 

Enfim uma loja franca!
A Receita Federal autorizou a abertura da empresa Sky Duty Free, que fica na Rua Marechal Deodoro. Habilitado, o estabelecimento atuará no regime aduaneiro especial. Se uma estrutura venceu os obstáculos, é certo que as outras irão pelo mesmo caminho. Agora é frequentar para avaliar. 

É um bom negócio?
Há quem garanta que, por causa da tributação, abrir uma loja na modalidade franca é uma espécie de roleta-russa, com duas balas no tambor. A instabilidade do dólar também é um fator de risco, e os preços não serão tão competitivos com Ciudad del Este, mas podem ganhar de muitos produtos oferecidos no free shop argentino. Mas para quem prefere escapar do tumulto, comprar na recém-liberada loja franca poderá ser um bom negócio, até porque devem fazer algum tipo de promoção para a abertura. 

Muita gente feliz!
Na ação penal da Operação Nipoti, a juíza da 3ª Vara Federal Criminal acolheu o pedido do advogado Rodrigo Duarte, que inclusive é colunista deste jornal, revogando todas as medidas cautelares persistentes, há quase três anos, contra os seus clientes. Na mesma decisão, a meritíssima entendeu por estender a benesse a dezenas de outros réus em idêntica situação, ou seja, que ainda se encontravam proibidos de: viajar ao exterior; afastar-se da comarca por mais de oito dias sem prévia autorização; exercer funções públicas; conversar com outros réus; e adentrar a prefeitura ou a Câmara Municipal. 

Na BR-277
Outro acidente chocou quem utilizou a BR-277, ontem pela manhã, no trecho até Cascavel. A Polícia Rodoviária Federal expediu um vídeo explicando a triste ocorrência. Uma caminhonete deu de frente com um veículo transportando bobinas de papel, que acabaram espalhando-se por todos os lados. Detalhe, ocorreu nas proximidades de Céu Azul, onde vários acidentes aconteceram neste ano. É o chamado "trecho maldito", um local onde as ultrapassagens são muito perigosas, mesmo onde a faixa permite essa manobra. No mais, aquele pedaço de estrada sofre com o impacto do vento que é canalizado por uma cadeia que colinas que cercam as plantações, os veículos ficam instáveis e balançam muito. Se a pista fosse duplicada, possivelmente o índice de colisões não seria tão grande. 

Sequestro
Corvo, alguém me contou o que andam fazendo com o povo que ainda pratica o comprismo no Paraguai. Essas pessoas adquirem eletrônicos, perfumes e outras mercadorias, que serão depois revendidas nos grandes centros. Pois bem, um olheiro segue os passos dos compradores e identifica em que veículo estão. Quando eles pegam a estrada, em geral na madrugada, são abordados pelos "piratas do asfalto"; os produtos, roubados; e os ocupantes, levados para um cativeiro. Depois de amarrados, eles são obrigados a entregar os cartões de crédito com as respectivas senhas. Um bandido vai ao banco e faz a retirada, e as coisas se complicam em caso de a senha não dar certo. Só depois é que essas pessoas são liberadas. Pensa, Corvo? E dizem que isso acontece com frequência. 
LPN (O leitor pediu para não ter o nome divulgado.)

O Corvo responde: prezado leitor, várias denúncias neste sentido já foram enviadas para o jornal e a este colunista. O esquema deve ser muito grande, porque não faz muito tempo descobriram um ponto de monitoramento das gangues. Parece absurdo, mas por meio de um binóculo, do tipo militar, os bandidos observavam o movimento num posto da PRF. Quem viaja na madrugada corre mais riscos. Vários grupos foram desarticulados nos últimos meses. 

Contrabando
Enviaram uma nota ao Corvo perguntando o que muita gente quer saber: se o contrabando e o tráfico aumentaram. O que de fato aumentou foi a quantidade de apreensões, o que de certa forma diminui a ação dos criminosos. Quando a polícia apreende mais, quer dizer que trabalha mais, o que não é nada bom para o lado oposto. Muitas das ações são baseadas em inteligência e apresentam um bom resultado. 

Coleta seletiva
Senhor Corvo, fiquei em dúvida, é "seleta coletiva" ou "coleta seletiva"? Deixaram um saco bem grande pra gente juntar lixo reciclável em casa. E também nos deram explicações de como fazer. Puxa vida, uma coisa tão fácil e simples, e como não pensaram nisso antes? Veja, é uma iniciativa muito barata e, pelo que vejo, patrocinada por Itaipu. Eu e minhas vizinhas vamos fazer a nossa parte. 
NRS (A leitora pediu para não ter o nome identificado.) 

O Corvo responde: prezada leitora, "seleta coletiva" tem até mais significado. O nome inventado pela senhora pode pegar! O município deve trabalhar a campanha em toda a sua área de abrangência, o que possibilitará uma nota ambiental interessante para a iniciativa. Mas isso só vai funcionar se a população assimilar o programa e cumprir com a obrigação agindo coletivamente, como faz a senhora e suas vizinhas.

 

Vou de bike
O Corvo vai, e muita gente também. A empresa iguaçuense "Vá de Bike" vai ajudar bastante na iniciativa de fazer as pessoas pedalarem, sobretudo se depender de uma promoção que acabou de lançar: bike aro 29, a sensação do momento e o melhor objeto de consumo de quem gosta de ciclismo, por apenas R$ 960. O Corvo já vai dar um jeito de adquirir duas unidades. Interessados, ligar para (45) 99956-7212.
 


 

A nova ponte no Paraguai

A movimentação de operários, máquinas e equipamentos já começou na margem paraguaia. Alguns problemas iniciais foram sanados, e o que há agora é uma grande sinergia para alcançar o mesmo estágio de construção do lado brasileiro. A empresa Exacta Despachos Aduaneiros empresta seu know-how para a importante iniciativa binacional.  
 

Estrada do Colono
Quem pensa que o assunto está adormecido se engana. As tratativas vão a todo o vapor, e os projetos passam com folga no Congresso. Uma evidência disso é o fato de o MPF reagir e expedir nota posicionando-se contra alterarem a lei que institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (SNUC), criando as "estradas-parque". Mas, segundo uma informação, até os procuradores estão divididos, porque há quem defenda o turismo sustentável, como ocorre em muitos países, onde fogo no mato faz tempo não acontece. Nem por meio de raios. 

Cassinos
Corvo, está mesmo na hora de reabrirem os cassinos no Brasil. Minha avó trabalhou no cassino da Urca, no Rio, e vivia contando os fatos que aconteciam lá, com artistas e gente famosa do mundo inteiro. Sem esses locais, os brasileiros vão deixar dólares em outros países. Mas me explica, loteria pode, né? Então pode cassino também. Por que a bancada evangélica não fecha a Mega-Sena? No mais, esses cassinos perto de Foz já eram, acabou-se os glamour, viraram ratoeiras de levar a grana da gente. 
Valdirene R Hass

O Corvo responde: este colunista tem recebido muitas reclamações dos cassinos fronteiriços; pode ser que esteja acontecendo algo com a tão propagada qualidade. De qualquer maneira, o Brasil lucraria muito com as casas de jogos, a começar pela geração de empregos.  

Estacionamento irregular
Corvo, existem muitas outras maneiras de penalizar quem usa irregularmente o Estrafi, sem que seja necessário somar pontos na carteira do motorista. A multa já é o bastante! Poderiam até colocar travas nas rodas, como em outros países, guinchar o veículo, tudo isso sairia mais barato do que perder a carteira, sem cometer uma infração grave. Os vereadores deram uma bola dentro. Devem derrubar essa medida. 
Marco Antonio L Silveira

O Corvo responde: prezado leitor, os vereadores apresentaram um projeto de lei para transformar a multa em pecúnia, porque entendem que as infrações não são graves. Atualmente a pena é de cinco pontos na CNH e mais a multa de R$ 195,23. O referido projeto prevê apenas a multa, que será de R$ 168,48. Não há violação do Código de Trânsito, sendo assim qual a razão de anotarem cinco pontos na carteira? Mas aqui entre nós, só leva multa quem não cuidar ou deixar de regularizar o "papelito" deixado no vidro do carro pelas moças do Estarfi. O perigo é quando alguém faz sacanagem e some com a multa. 

Viaduto
Corvo, você está cheio de razão, qual o motivo de não liberarem o trânsito no viaduto novo? Se ele está pronto, é uma obra realizada com o dinheiro do povo, a inauguração é puramente simbólica e pode até ficar para depois, como ocorre em muitos casos. Viaduto liberado já!
Norivaldo Assumpção

Inauguração
Então, Corvo, o viaduto está pronto e será que vão chamar a dona Cida Borghetti e o Beto Richa para a inauguração? Pelo que me lembre é uma obra dos tempos em que estavam no governo, ou estou errado? 
João Batista G Araújo

O Corvo responde: pode ser que até a conclusão desta coluna o trânsito já esteja liberado no acesso ao viaduto. Além de políticos atuando nisso, e da cobrança dos usuários, a Polícia Rodoviária também espera pela liberação. Respondendo ao segundo leitor, dificilmente iriam convidar os ex-governadores para uma inauguração, em especial o Beto Richa, que está proibido de se aproximar dos atos públicos

Transporte escolar  
Pelo visto há fumaça saindo das operações de transporte de estudantes em Foz, e onde fumega há fogo. Pelo menos dois vereadores estão questionando o Executivo sobre informações no setor, Márcio Rosa e Queiroga. 

De olho
O transporte escolar continua sendo uma pedra no calçado de algumas pessoas. Segundo informações, o setor está dividido, e o povo do bem é ameaçado pelos que ficaram fora. Há quem não se conforme em perder essa teta, da vaca pública. Não vamos esquecer que algumas pessoas foram presas em razão de irregularidades no transporte escolar na região. 

Policiamento
Um leitor cobrou o policiamento próximo às áreas comerciais de Foz, e a PM anunciou o reforço do efetivo, como este jornal publicou em sua chamada de capa (edição de ontem). O reforço pode ajudar a atrair os moradores após o horário convencional. Por causa da importunação, algumas pessoas estão deixando até de caminhar pela Avenida Brasil no período noturno. 

Dono da rua
Corvo, já li várias cartas de leitores, e até mesmo notas produzidas por você, sobre aquele indivíduo que cobra para cuidar dos veículos no alto da Avenida Brasil. Não adianta, ele faz ponto lá e se julga o soberano, com direito a ofender as pessoas. Me disseram que ele já atirou até pedras em motoristas. Afinal, a rua é dele ou do povo da cidade? 
Joana Maranhão

O Corvo responde: prezada, parece que a sua informação não confere. O referido cuidador de carros, e explorador do estacionamento, grita, resmunga, fala alto e sozinho, mas não há ocorrências sobre agressões praticadas por ele. Pelo contrário, sabe-se de motoristas que andaram judiando do coitado, o que é lamentável. Apesar dos tormentos que aparentemente causa, não se justificam ações violentas contra a pessoa em questão.   

Canja do Galo
Rotary Club de Foz do Iguaçu — Grande Lago está promovendo reuniões para organizar a Canja do Galo Inácio. Há três anos, a entidade passou a ser a tutora definitiva de um dos eventos mais tradicionais da cidade e que está voltado para a infância e nutrição. O nome da entidade que será prestigiada no ano que vem será divulgado nos próximos dias. 

20 anos
A Canja do Galo Inácio vai superar duas décadas! Ajudou, portanto, uma entidade carente a cada ano, bem como projetos que amparam milhares de jovens em Foz do Iguaçu. Começou pequena, graças à ajuda de vários voluntários, e hoje está transformada numa instituição, um bem cultural e social iguaçuense. O evento é realizado na tarde/noite da terça-feira de carnaval, por meio de uma cozinha montada em meio à folia, onde as filas dobram o quarteirão para provar da iguaria, que dizem foi abençoada pelo saudoso padre Germano Lauck. É uma iniciativa muito organizada, movida pelo espírito de importantes doadores. O Rotary deverá anunciar a entidade e lançar a marca para 2020.

Obras de Foz

Corvo, ontem eu li que o viaduto na entrada da cidade será inaugurado dia 6, próxima sexta-feira. O texto diz que é uma obra esperada há mais de 20 anos. E me diga, qual obra não é esperada nesta bendita cidade? Faz tempo que a população espera uma porção de coisas. E daí quando algo sai fazem a maior festa; os políticos tiram uma casquinha e fazem uma onda. E é sempre assim que acontece. Como as coisas parecem tão difíceis em Foz? 
Maria J H Cordeiro

O Corvo responde: Foz é uma cidade que cresce muito rápido e precisa de velocidade nas demandas públicas, e quando elas não acontecem vão acumulando-se. No mais, os tropeços ajudam a atrapalhar, como foi o caso da duplicação da BR-469, que, além de não sair, deixou uma porção de buracos. No mais, quando o assunto é o emprego de recursos públicos, desponta a nossa falta de representatividade. Agora Foz está experimentando a diferença que faz um deputado federal cutucando os ministérios em Brasília. Paralelamente, tivemos sorte com a nomeação do DGB de Itaipu, com alguém que se apaixonou pela cidade e está matando todas as necessidades no peito. Se tudo correr bem, em 2020 veremos muitos resultados e teremos mais inaugurações. 

A inauguração do viaduto
O GDia publicou foto de capa, com legenda, informando que o Viaduto Lyrio Bertolli seria inaugurado na próxima sexta-feira, dia 6. A informação foi prestada pelo DER, mas as autoridades resolveram mudar a data devido à impossibilidade de participação de várias pessoas. Chico Brasileiro, por exemplo, tem outro compromisso na agenda. Na conversa entre a prefeitura, o deputado Hussein Bakri e a Casa Civil, a inauguração pode ser transferida para dia 16, mas a data ainda é imprecisa. 

Bola nas costas? 
Mudanças acontecem, ainda mais num final de ano, e a turma do DER, em Cascavel, não fazia ideia da alteração no calendário de inauguração. Ontem é que ficaram sabendo sobre o adiamento. 

Funcionamento
A novidade é que existe uma séria possibilidade de abrirem a porteira para o trânsito antes da inauguração, o que deixaria a cidade e os usuários felizes da vida! Não dá para pensar no viaduto pronto, ajardinado, iluminado, sinalizado e fechado aguardando a disponibilidade das autoridades que irão inaugurar! Abrir é o mais importante; o ato simbólico pode ficar para depois.    

Chico aproveita
O prefeito Chico Brasileiro deve andar rápido. Precisa inaugurar o que está em andamento no máximo até julho. Há um entendimento de que prefeitos não podem inaugurar absolutamente nada a partir de 1º de janeiro, quando se inicia o ano eleitoral, mas uma emenda constitucional diz que os gestores, se forem candidatos, não podem nem passar na frente das inaugurações, três meses antes das eleições. A prefeitura de Foz possui muitas obras iniciadas; resta saber se atenderão aos prazos. 

Folha x Bolsonaro
O jornal publicou texto assinado pelo secretário de Comunicação Social da Presidência, Fábio Wajngarten. Com o título "O infame editorial", a Folha de São Paulo foi literalmente descascada na edição de ontem. Foi uma resposta ao texto maledeto cujo nome é "Fantasia de imperador". Pois na correria, o Corvo nem havia lido esse editorial medonho, mas a encrenca acabou despertando a curiosidade. Tem dessas coisas, a resposta em tom de defesa aumentou a leitura do ataque.  

Olha o Trump aí, gente! 
O presidente norte-americano disse que vai retomar as tarifas de aço e alumínio do Brasil e Argentina. A conversa com os argentinos vai ficar um pouco mais difícil, agora que eles são socialistas. Mas com Bolsonaro pode ser diferente, pois nosso ilustre presidente pode muito bem usar de sua influência com o Donald, para aliviar a tensão. Será que o Trump lembra que ele é presidente do Brasil? Agora, dizer que o nosso país e a Argentina desvalorizam o dólar para lucrar com exportações, isso é uma afirmação um tanto temerária. E o que compramos, isso não conta? 

Pancadão
Paraisópolis saiu das cenas de novela para virar tragédia. As festas realizadas lá atraem milhares de pessoas todos os finais de semana, e mais de 300 eventos similares são realizados na capital paulista, a grande maioria nas favelas e locais onde não há "portas de emergência". As mortes ocorreram em becos sem saída, onde os jovens se afunilaram para tentar escapar da ação de repressão. O governador disse que não vai diminuir a pressão. 

300 milhões
É uma grana muito boa e se ela for injetada em compras de Natal será um alívio para muitos comerciantes. O Corvo conversou com algumas pessoas que garantem preferir segurar parte do dinheiro para as obrigações de janeiro, e haja contas para pagar: impostos, materiais escolares e assim vai. A maioria diz que vai "gastar na casa", em pequenas reformas e pinturas, jardins... Isso não é gasto, é um grande investimento.

Brigadistas
Corvo, francamente, quem assistiu ao Fantástico e ouviu os brigadistas acredita que aquelas pessoas cometeram os crimes ambientais? Difícil. Pessoas com a consciência focada na proteção não desviariam desse caminho. Que situação, hein? Essa história está mal contada. 
Luciana R Franzelatto

O Corvo responde: é um caso que merece muita atenção e investigação. Se não foram os brigadistas, a polícia precisa identificar os criminosos e reparar a honra dessas pessoas, porque foram erroneamente detidas.   

Proteção
É muito bom saber que a população de onças aumenta no Parque Nacional. Isso é um prêmio para os ambientalistas e técnicos que lutam para tirar o bicho do risco de extinção.    

Paranoia
Alguns argentinos não se conformam com a existência de uma colônia árabe na fronteira. Vivem espezinhando o assunto em tom de ameaça, evocando os riscos sobre a existência de focos do Hezbollah. Agora vão apelar para o novo presidente, recém-eleito. E o que ele vai fazer? Bombardear Foz do Iguaçu e Ciudad del Este? Vai mandar Brasil e Paraguai expulsarem os imigrantes e descendentes? Oras, vamos acabar com essas asneiras. 

Proteção
Dizem que teremos grandes ondas de calor em janeiro e início de fevereiro, e com isso chuvas pesadas a todo o instante. Com o aguaceiro e o clima quente, a proliferação dos mosquitos e suas doenças... Para não morrer de dengue temos de caçar o mosquito, porque nesta temporada não haverá veículos de fumacê, logo vamos usar também repelentes e protetores solares, evitando as ondas de radiação. Está difícil. Vamos viver em bolhas! O Corvo topa, desde que elas venham equipadas com ar-condicionado!

O que é mais caro? 
A vida não é mesmo fácil, muita gente se queixa de precisar empenhar a grana do 13º no pagamento das faturas de água e luz. Nesse caso é difícil saber o que sai mais caro: refrescar-se por meio da eletricidade ou das torneiras abertas. É jogo duríssimo, minha gente.

 

Encrenca da iluminação

A CPI, da iluminação, que é formada pelos vereadores Elizeu Liberato, Celino Fertrin e João Miranda, realizará oitivas na próxima segunda-feira, dia 2, a partir das 9h, no plenário da Câmara, mas quer for até lá vai dar com a cara na porta. A reunião é fechada. Chico foi convidado e deve comparecer. Vai à cova dos leões, já que Celino, Elizeu e até o João Miranda andam afiando os dentes. Não tem dado moleza para o prefeito. Depois da reunião saberemos se a carne do prefeito é mole, ou de pescoço. Como participarão várias pessoas ligadas à área elétrica, tomara alguém não leve um choque.   

A guerra começou
As coisas devem se resolver nas eleições e isso vai acontecer daqui uns oito meses, mas a encrenca ideológica já faz parte das redes sociais. Enquanto isso, o Corvo e os internautas estão se divertindo .

Brasiguaios
Estima-se que 400 mil brasileiros vivem no Paraguai. Segundo o senador Paraguayo Cubas, dois milhões de brasileiros vivem lá, sendo que 100 são bandidos e devem ser exterminados. Que tem muito brasileiro aprontando por lá, isso não é novidade, mas bem menos né senador? Ou melhor, ex-senador. No Paraguai as coisas, parece que estão andam bem mais rápido que aqui. O homem já pegou o caminho da roça. Bem feito. 

Parabrasilis
A estimativa é que 70 mil paraguaios vivem no Brasil, ao contrário do que muitos pensam, a maior colônia não está em Foz e sim em São Paulo. E pelo que sabemos, os vizinhos-radicados em nosso país são tratados muito bem. Paraguaios em Foz também estão perfeitamente entrosados com a sociedade. O general Lino Oviedo detestava o termo "brasiguaios"; dizia que isso não existe, como também não há "Parabrasilis", um termo que ele inventou para o contexto. "Existem cidadãos que vivem nos dois países e fim de conversa", dizia e naquela época, antes de imaginar em subir num helicóptero em dia de tormenta, ele se mostrava preocupado com o radicalismo de alguns políticos. 

Imperialistas
A verdade é que muitos paraguaios ainda não engolem o que o Brasil aprontou em tempos de guerra. E não poderia ser diferente. Mas muito tempo já se passou. Os americanos jogaram duas bombas atômicas nos japoneses e hoje, um não vive sem o outro. Há paraguaios que radicalizam muito em seus discursos quando o assunto é o Brasil, que teimam chamar de "império". É hora de tolerar, flexibilizar e não dar mole para bandido. Se os dois países trabalharem juntos, é melhor para as populações. Madeira, maconha, cocaína, armas, munições, medicamentos, e contrabando sempre estão mira.   

Barraco
A atriz Cacau Protásio não imaginava que dançar e homenagear os bombeiros pudesse render tamanha muvuca. Mas o fato é que pegaram pesado nas redes sociais. É o que dá vazar cenas de gravação sem o contexto da finalização. Estavam trabalhando uma comédia e depois do episódio concluído, pode ser, as pessoas se divertiriam no lugar de xingamento. 

Fundação Palmares
Há vários ditados para as situações causadas pela verborragia intestinal. Mas a melhor resposta, para as asneiras do Sérgio Nascimento de Carvalho, quem deu foi o Martinho da Vila: "Quem é você que não sabe o que diz...". Quem conhece a letra da música "Palpite Infeliz" do Noel Rosa, entenderá a postura genial do Martinho. Em boca fechada não entram aranhas, cobras e lagartos. 

Expectativa 
Segundo o IBGE os brasileiros aumentaram a expectativa de vida para os 76,3 anos. Levando em conta as novas regras da aposentadoria, e os pedágios, vai sobrar somente alguns meses para muita gente pescar e curtir o ócio. O Corvo quer chegar aos 100, se o fígado deixar! 

Coral de Natal
O Corvo já havia fechado a coluna quando iniciou o maravilhoso e tradicional evento organizado pelo Colégio Educação Dinâmica, a apresentação do Coral de Natal. Em verdade, a iniciativa inaugura os festejos de final de ano em Foz. Aos que assistem, a emoção é garantida. 

Papai Noel tirou férias em Foz
Os turistas e visitantes deram de cara com o bom velhinho inspecionando os atrativos. Alguém perguntou para ele: "por favor, qual o seu nome?". Ele respondeu estufado de verdade: " Sou o Papai Noel, não está vendo? Pode me chamar de Klaus, se preferir!". foto do corvo 1

Natal e Carnaval
É bem assim que acontece, inclusive na Globo, quando sai de cena a musiquinha das festas de final de ano e entram os sambas enredos das escolas de samba! Em Foz, Papai Noel ainda nem recebeu o cachê e a Fundação Cultural está lançando os editais para a seleção de artistas que animarão o Carnafalls. Estão mais do que certos, pelo menos a folia não fica tão em cima da hora. O Carnaval do ano que vem será celebrado de 21 a 25 de fevereiro. R$ 96 mil serão divididos entre bandas, charangas e animadores.

Programação
Aliás, o Corvo quer aproveitar e dar um pitaco: a Fundação Cultural que dê uma olhada antes na programação musical do Carnaval da Saudade. Ano passado os foliões estavam reclamando a falta das marchinhas. Havia muito axé para o gosto da turma. Se tem "saudade" no nome, o ideal seria caprichar no repertório. Marchinhas todos gostam, das crianças aos vovôs, o axé, nem tanto.   

É no domingão...
Muita gente está passando sebo nas canelas para encarar a 3ª edição da corrida e caminhada do Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC). A previsão é de quase 700 participantes, sendo que 250, trabalham na instituição. O Corvo vai nessa, porque se tiver um piripaque, tem lugar para ser atendido. Tomara os cardiologistas não estejam todos caminhando ou correndo. 

Atenção participantes
Como os atletas são leitores assíduos deste jornal, vai a dica: os kits serão entregues hoje, dia 30/11, entre 10 e 18 horas, no Centro Clínico do HMCC, na Av. Parati nº 737, na Vila "A". Para retirar será necessário documento original com foto, e somente será entregue o material a terceiros, mediante apresentação do documento do participante e de quem está retirando.

50% de desconto
Muito bacana a campanha incentivando a visitação em Itaipu nas férias. E as atrações do Complexo Turístico Itaipu (CTI), no período, terão 50% de desconto! Foi o general Silva e Luna que autorizou. Os visitantes agradecem! Isso vale para quem adquirir ingresso para a Visita Panorâmica e Ecomuseu. A promoção é válida até 1º de março de 2020.

Black Friday
O evento parece que pegou para valer, algumas lojas estavam com gente pelo lado de fora. Mas os preços, segundo informaram a este colunista, não estavam tão promocionais. Mas o que vale é a festa.
 


Posse
O engenheiro Renato Pena Camargo, assumiu ontem, a primeira vice-presidência do SINDUSCON, Sindicato da Indústria da Construção Civil do Paraná - Oeste. O jantar de posse foi realizado ontem, com pompa e circunstância em Cascavel. Aqui vai um abraço ao amigo, diretor da Tarobá Construções, responsável por grandes empreendimentos em Foz e Região. Renato substitui o também iguaçuense Paulo Natucci, que permanece na suplência. O GDia deseja êxito aos demais componentes da diretoria e ao presidente Ricardo Lora.