No Bico do Corvo
No Bico do Corvo
34 novos loteamentos

Daqui uns tempos, a safra de grãos vai cair em Foz, porque boa parte da área agrícola está em cima de terrenos que estão em fase de loteamento. É muita área destinada às moradias, e a boa notícia é que os lotes são comercializados a contento dos empreendedores. Há uma boa procura por parte de investidores e quem sonha em construir a casa própria. 

Serviços
Uma quantidade assim de loteamentos é um horizonte para quem atua na área da construção civil, dos materiais, acabamentos e mão de obra. O setor é o que está na ponta da linha do aquecimento, gerando uma quantidade imensa de empregos, dos serventes aos eletricistas, pedreiros, encanadores, o que requer uma pegada no aprimoramento dessa mão de obra. Que falta faz uma Provopar de outros tempos, quando havia cursos para tudo isso. 

Com Jesus não se brinca
Eita Corvo, mexendo com Jesus? Não gostei nada de ver a charge em que Nosso Senhor, na cruz, diz: "Pai, perdoa-lhes...". Penso que poderia haver outras maneiras de tratar de assuntos como "excludente de ilicitude". Brincar com profetas, santos e mexer com a religiosidade das pessoas não é um bom caminho. Não achei graça. 
Maria da Conceição Bragança

O Corvo responde: prezada, apesar do humor, a charge é política e religiosamente correta, porque o "excludente de ilicitude" infelizmente pode gerar esse tipo de situação, a vitimização de inocentes, o que é um problema sério, daí a frase: "Perdoai-vos, eles não sabem o que fazem". Mas aqui entre nós, no meio de uma guerra urbana, é difícil um policial saber o que fazer, em razão disso merece o perdão, segundo a ótica do presidente Bolsonaro. A situação dos policiais não é em nada fácil. Saem de casa sem saber se voltam. 

A guerra
O que acontece nas grandes cidades, com evidência no Rio de Janeiro, é algo tão sério que já se tornou até recorrente nas obras de ficção. As últimas novelas da Globo tratam disso com ênfase, nas quais os policiais sofrem para enfrentar crime, a corrupção nas polícias e no sistema, e, como no cinema, as séries fazem sucesso, como a recente Arcanjo Renegado. Quem diria, há uma força especial superior ao BOPE em ação. A truculência é tamanha que faz a SWAT se parecer com jardim da infância. 

Coronafake
Quem se ocupa de uma arte dessas, hein, da maldade de inventar que há alguém contaminado por coronavírus em Foz? Provavelmente seja alguém com titica no cérebro, porque deveria imaginar que o assunto renderia uma grande bagunça nas redes sociais. O final de semana foi "punk" por causa da irresponsabilidade. O problema é que notícia ruim voa, e para desfazer o fake a prefeitura precisou, além do alerta nos postos de saúde, por causa da dengue, colocar de plantão os jornalistas, na tentativa de amenizarem o estrago. Deram conta, graças a Deus. 

Babado
O que pode ser inofensivo, às vezes, acaba em bafão, sobretudo depois do advento dos celulares. Qualquer brincadeira pode transformar-se em grande dor de cabeça, como o vazamento de cenas íntimas. No recente caso de Santa Terezinha, isso acabou em cadeia, e tomara que sirva de exemplo para uma porção de engraçadinhos. Tudo o que coloca alguém em situação vexatória pode resultar em processo. 

As "frentonas"
Em ano eleitoral é comum exaltarem a união da cidade contra isso e aquilo. As "frentonas" ou movimentos como "união por Foz" até que funcionam, o problema é depois, quando chegam ao poder. Em geral, isso se dissolve com muita rapidez, porque o eleito se torna um senhor "boi de piranha", cobrando por todos os lados. É difícil a união de políticos, sem que nada seja pedido em troca ou que deixem de fazer promessas para compensar uns e outros. Lamentavelmente é assim que acontece. 

Um para cada lado
Depois da eleição, cada um acha que pode mais, e começa a confusão. A administração vira um inferno e, no lugar de trabalhar, o prefeito fica apagando incêndios, tentando conter o ego dos revoltosos. Bom mesmo é partir para a disputa sem precisar montar coalisão. Quem é forte não precisa de frentona.  
 
Paulo no Podemos

Prezado Corvo, eu vi bem a pressão que o povo fez nas redes sociais contra o ex-prefeito Paulo Mac Donald. O que me deixa um pouco triste é que isso antecipa uma guerra e mostra a preocupação de quem deveria estar tranquilo. Acusam o golpe muito fácil em Foz, não é Corvo? Paulo de fato incomoda, porque se conseguir sair candidato vai causar uma grande bagunça no processo eleitoral. Ou seria essa a palavra correta para a situação, "bagunça"?   
Geraldo Antunes R Silva

O Corvo responde: prezado, Paulo sempre será um nome forte na política local e ficou oito anos no poder, realizando obras que são lembradas pela população, como os centros de convivência, o Hospital Municipal, creches, escolas e eventos como as Olimpíadas do Saber, Artes e Esportes. Seu período de governo foi muito próspero em muitas áreas, como a educação, com notas muito boas no IDEB, o que colocou a cidade no mapa dos bons acontecimentos. E depois de uma gestão assim, acontece um desastre, como foi o governo Reni? É aí que as lembranças se avivam. O fato de Paulo poder (ou não) participar das eleições deste ano não vai causar uma "bagunça", apenas esquentará o clima, como foi da última vez. 

Força-Tarefa
No ato de filiação de Paulo no Podemos, o que não faltaram foram as avaliações quanto a sua virtual participação nas eleições. Os senadores dão isso como possível porque, segundo disseram, haverá uma espécie de "força-tarefa" para ajudar no desfecho do pepino. Como isso acontecerá são outros quinhentos. Paulo está "pendurado" em apenas uma ação, e o resultado está para sair. 

Todos pendurados
Se problemas na Justiça é argumento contra a governabilidade, ou um jeito de pedir para não votarem em condenados, ou em gente que está em curso de condenação, será difícil encontrar um candidato na cidade. Não se salva um político, ainda mais se exerceu função pública nos últimos anos. A unha lascada já é motivo de tentar queimarem o filme em ritmo de campanha. 

O que virá?
Pois é, taí algo que aguça a imaginação das pessoas: qual a munição usarão no tiroteio eleitoral deste ano? Reni é caso velho, e o assunto é desgastante, não leva a nada, nem para servir de alerta, mesmo assim é certo que ainda será lembrado. Chico tem tudo para virar o alvo da vez, dependendo de quem estará do outro lado. 

Quais as tijoladas?
Veremos um pouco de tudo, e como este colunista escreveu na semana passada, muitos dos temas de campanha se anteciparam, o que é bom para maturá-los em matéria de discussão. Ouviremos muito falar da iluminação de LED, da instalação do ar-condicionado nos ônibus, da usina de asfalto e das obras da Pecúlio que foram retomadas. As eleições deste ano serão armazéns de recordações.      

Lista
O Corvo bem que tentou, mas outras coisas apareceram pela frente, e a lista de novos filiados no Podemos vai ficar para outro dia. Segundo informações, há filiações que podem surpreender depois de divulgadas. 

Convenção
Contaram para o Corvo que estão articulando um baita evento do PSD em Foz. Não será uma convenção, mas sim todo um novo posicionamento do partido para os tempos vindouros. A reunião tem como base uma arrumação entre os membros, visando a erradicar o efeito "bola nas costas" durante a campanha eleitoral. 

 

Desrespeito
Está para acontecer mais uma mobilização pela duplicação da BR-277 de Matelândia até Cascavel. A última (foto), realizada em 2017, colheu centenas de milhares de assinaturas, e o assunto nem fez cócegas no ex-governador Beto Richa. Ele balançou os ombros igual piá pançudo. Ratinho, por sua vez, antecipou-se e disse que está tentando encontrar um jeito de duplicar a estrada de ponta a ponta, de Paranaguá até Foz. Mas uma coisa é certa: um estado como o Paraná, tão pujante e rico, é incompetente, não consegue duplicar a estrada que "segura as pontas" no seu desenvolvimento. Hilário isso.
 


 

Os números de Bolsonaro

Segundo pesquisa, depois de um ano de governo, o crime caiu, o setor de empregos melhorou, mas a área da educação retrocedeu. A nota é ruim para o atendimento social. E a turma cai de pau na primeira dama, porque ocupará duas salas da biblioteca para aumentar o programa Pátria Voluntária. Claro, isso fez o presidente sair da casinha, distribuindo bananas (gestos) para a imprensa. 

Brasília x Bahia
A morte de um miliciano, bandido carimbado, dá corpo à uma encrenca ideológica, pelo fato do governo baiano ser petista. Acontece que a polícia da Bahia, só localizou o ex-policial militar graças a ajuda da Secretaria de Segurança do Rio de Janeiro. Aqui entre nós, há muita gente envolvida para ser um caso de "queima de arquivo". E claro, quando há essa revolta entre extremos políticos, sobra para os dois lados, com acusações entre condecorações e execuções; mordidas nas canelas e dedos nos olhos, igual briga dos Três Patetas. Está na hora de acabarem com isso. Se Bolsonaro e o filho se limitassem à distância no tempo, estaria de bom tamanho. Como iriam prever a pá virada? O rapaz aprontou para valer muito tempo depois das condecorações. 

Sustentação
O que há nessa discussão, é a mistureba proposital e tendenciosa sobre o excludente de ilicitude de PMs em serviço, ou, os que matam bandidos trabalhando e pagam um alto preço depois. Isso fez parte da campanha eleitoral do atual presidente. Há essa encrenca velada entre os setores que simpatizam mais com a força dos direitos humanos, sobre a guerra contra o crime, do que com os danos causados por eles. Para alguns, bandido deve ser preso, julgado e condenado, nunca enterrado sem chance de defesa. O difícil é explicar isso e conformar as famílias das vítimas. 

Lula e o Papa
As redes sociais estão repletas de comentários, críticas, sátiras e todas as formas de expressão sobre o fato de o Papa Francisco ter recebido o ex-presidente Lula. A direita arrepia, a esquerda suspira, enfim, é um assunto que inspira cuidados, porque o radicalismo não pode ser injusto com a história. A posição do pontífice não é política. Não é confortável ler algo assim: "o papa recebe um criminoso, ex presidiário, corrupto e cometedor de improbidades". Os problemas de Lula com a Justiça estão em trânsito, logo, o ideal seria aguardar o resultado da Suprema Corte. Dependendo o resultado, ele terá sim sobre o seu lombo, adjetivos que condenem a sua imagem. Quem não gosta da Igreja Católica, viu nisso um prato cheio para criar a discórdia. 

Papa e o Lula
Acontece que a luta de Jorge Mario Bergoglio foi inspirada, dentre outros, no trabalho de Dom Helder Câmara, e, neste caso, todos viveram situações semelhantes e contemporâneas, em épocas de militares no poder na América do Sul. Helder apoiou irrestritamente a escalada de Lula, desde os tempos do sindicato. Há portanto, essa ligação, que mesmo indireta, aceitaria Lula em visita ao Vaticano, que aliás, manteve contato com o papado desde João Paulo II. 

Dom Hélder
A teologia e intelectualidade do Bispo de Olinda e Recife sempre foi bem recebida pelos primazes deste dos tempos do pacto de Catacumba de Santa Flavia Domitila, em 16/11/1965, assinado por João XXIII. É para se ter uma ideia da influência de Hélder, logo, a amizade dele com Lula, foi levada em consideração quando a visita entrou em debate. O Papa não recebe um político depois de muito avaliar o que poderá acontecer. Não foi uma provocação ao Bolsonaro, como andam insinuando.

No curral político nativo...
O Podemos roubou a cena na manhã do sábado em Foz do Iguaçu. Marcaram presença os senadores Álvaro, Oriovisto e o presidente do partido no Paraná, prefeito de Guarapuava, Cesar Silvestri. Eles ungiram várias personalidades locais ao partido, como foi o caso de Paulo Mac Donald. O assunto transbordou a pia batismal ao longo da semana.

Paulo pode? 
Por enquanto não pode ser candidato, mas não há impedimento na sua filiação. Os direitos políticos do ex-prefeito estão suspensos no exercício público, mas isso não abarcaria a filiação partidária. Paulo não poderia, por exemplo, assumir a presidência do Podemos, porque partidos recebem verbas fundos de campanha, dinheiro federal. Paulo, pelo momento, não pode ordenar esse tipo de recurso.

O presidente
O evento agregou bom público e atraiu muitas lideranças regionais. Algumas figuras marcantes da nossa política ressurgiram, como foi o ex-deputado Sérgio Spada, hoje no Cidadania. E no rol das foliações, o novo presidente deve ser Ortêncio Castilha, que era o presidente do PDT. Mudou de partido e já se sentou na janelinha. 

Paulo candidato
Os senadores, bem como políticos do Podemos estão confiantes de que terão Paulo Mac Donald Ghisi disputando a eleição em outubro. Este Corvo ouviu muitos comentários e até mesmo estratégias para a campanha do ex-prefeito, caso ele consiga a liberação em prazo hábil. Leia-se absolvição. Mas é certo que mesmo livre das pendengas, Paulo não está livre de viver o drama do passado, de ouvir as pessoas falarem que não vai adiantar votar nele, porque correrá o risco de perder a eleição, de novo. Que barbaridade isso? 

Plano B
Álvaro Dias disse que se Paulo não disputar a eleição, é Camilo Rotato quem deve encarar a missão. Por sua vez, o hoteleiro admitiu estar pensando na aventura. Mas não é de hoje que o nome de Camilo faz parte dos planos de um grupo forte de empresários. 

Vereador
Eliseu Liberato foi convidado para ingressar as fileiras do Podemos. Há mais dois nomes de vereadores que estariam com um pé no partido. Quem diria, do nada, o Podemos, está se convertendo na força política para medir forças com Chico Brasileiro e o seu PSD.  O tempo vai passando e as coisas se moldando. 

Estrada do Sol
Corvo, a novela das seis, da Globo, é um show em matéria de trilha sonora, só música de primeira, pena que não vendem mais os LPs das novelas como antigamente. E isso Corvo, é pra gente que ver que escreviam letras muito belas naquele tempo hein? Aquela música: É de manhã, vem o Sol mais os pingos da chuva que ontem caiu; ainda estão a brilhar; ainda estão a cantar; ao vento alegre que me faz esta canção…". Que coisa mais linda isso! Desculpa eu quebrar um pouco o ácido da sua coluna com algo tão belo. 
Nair M. G. Baptista

O Corvo responde: o leitor deve ficar à vontade, porque o Corvo adora música de qualidade e vez em quando sempre cita trechos de obras marcantes. Mas querida leitora, desculpe este passarinho frustrar um pouco o seu clima. Acontece que a novela "Éramos Seis", inspirada no romance da escritora paulista Maria José Dupré, é ambientado entre 1914 e 1942, logo, forçaram na peruca, porque Dolores Duran e Antônio Carlos Jobim só escreveram o tema em 1958. Diga-se foi quando Tom descobriu o talento da cantora e compositora. Neste caso, a produção da novela pisou na bola. 

Começa o Carnaval 
É a semana da folia porque há encontros de blocos marcados na tardinha da sexta-feira. Isso faz parte do "grito de Carnaval", e, no sábado, haverá concentração na Rua Marechal Deodoro. Segundo a Fundação Cultural a ordem é retomar as marchinhas no Carnaval da Saudade. E, a festa apagará o som pontualmente às 22 horas, sem choro e nem vela. É a pré-condição para o evento continuar naquele local, numa espécie de acordo com moradores.  


Mengão afiado
Corvo, tive o cuidado de assistir ao jogo dos campeões ontem pela manhã. Bem que poderiam realizar mais partidas no mesmo horário, porque é uma festa, só se via torcedores levando a família. E que tal hein? O Flamengo começou o ano papando título!
Mário Jorge S. Villas

O Corvo responde: prezado, o Atlético não afrouxou, mas não deu para enfrentar o Flamengo, ainda uma das equipes mais fortes do mundo, não vamos esquecer que é vice-campeão mundial e levou tudo no continente. Sim, partidas aos domingos pela manhã são uma ótima oportunidade de melhorar a frequência nos estádios. O problema é que tecnicamente, só pode haver uma partida por dia em um estádio, em razão dos custos com a manutenção. O Corvo leu que a CBF está estudando a possibilidade de incluir a manhã de domingo no calendário.

Sem política

O governo está escalando generais e militares de outras patentes e forças armadas; brigadeiros e almirantes compõem os escalões em ministérios e empresas governamentais. Está errado chamar isso de "militarização". É na verdade um saneamento político e de políticos, possibilitando que a máquina pública seja mais técnica e racional. A maioria dos militares não possuem filiação partidária e querem distância de qualquer rotulação. O general Silva e Luna é um exemplo disso. 

Azeite verde-oliva
Os militares de hoje, não são diferentes dos de antigamente, mas estão muito moldados aos valores democráticos. As Forças Armadas do Brasil conservam tradições e valores inflexíveis, onde tarefas são missões. Uma coisa é diferente da outra. Tarefa é trabalho com prazo determinado, missão é incumbência, geralmente coletiva. O cidadão recebe isso com valor, porque Exército, Marinha e Aeronáutica são encarados como reservas morais. Logo, a política, e, o modus operandi dos políticos não se encaixa na missão administrativa e social dos militares. Em verdade, pessoas competentes e com objetivos centrados na moralidade e busca pelas soluções nos setores públicos, é uma azeitada que só traz benefícios.

Público e privado
É expressiva a busca por militares de alta patente em empresas privadas. São profissionais organizados, confiáveis e com espírito de liderança. Se é bom para os setores produtivos, é melhor para a coisa pública.    

Patrocinando o futuro
O general Silva e Luna abraçou muitas demandas em favor de Foz do Iguaçu e cidades incluídas no plano de Desenvolvimento Regional de Itaipu, uma cartilha levada muito à sério desde o início das obras, na usina. Ao moralizar as contas e analisá-las com um olhar muito técnico, sem ferir os preceitos sociais, a nova política de patrocínio está dedicada com ênfase na educação. A Binacional destinou mais de 1,3 milhão às instituições de ensino. Ao todo 26 propostas foram aprovadas e elas beneficiação 76 instituições em 12 municípios. Um sociólogo, que pediu para não ser mencionado, disse que fará um trabalho voluntário de campo, que acompanhará os avanços proporcionados pelo incentivo. Segundo ele, a experiência servirá de parâmetro e demonstrará o quanto é significante investir em educação. 

No mercado de trabalho
O 34º Batalhão de Infantaria Mecanizado realizou uma reunião muito interessante, no sentido de incentivar a contratação de ex-militares no mercado de trabalho. São pessoas muito qualificadas e o Corvo descobriu que muitas estão abrindo negócios, em boa maioria, no setor de prestação de serviços. Isso é algo muito positivo e que agregará valer e confiança; tomara isso ajude a afastar alguns picaretas do mercado, gente que faz orçamento, pede dinheiro adiantado para comprar materiais e nunca mais aparece. 

Reforma Tributária
O assunto está borbulhando. Tomara o Brasil não se transforme numa "Babel", porque parece, o diálogo pode ganhar o rumo do desentendimento. Quando alguém fala em ajustar ou alinhar o ICMS com os impostos federais, o que se escuta é uma grande gritaria. De nada vai adiantar o governo implementar ajustes tributários, visando a diminuição de preços, para incentivar a produção, e, os Estados não colaborarem. Os municípios são importantes nesse "alinhamento". Chico foi à Brasília. 

Vermelho
O deputado faz uma pontuação importante no processo das reformas administrativa e tributária: a proteção aos municípios sedes de hidrelétricas. Muitos procuram e implantam cabelo em ovo, mas há quem trate as propostas com objetividade, como é o caso do seo Vermelho. 

Ecos da fala
"Viaje para Foz do Iguaçu, ou para alguma praia do nordeste", disse, textualmente, o ministro da Economia, tentando explicar que é melhor fazer turismo no país, do que deixar a grana em outros lugares. O caso que já tomaram isso como ofensa. Paulo Guedes é o segundo na lista dos bocões. Só perde para o chefe, o presidente Bolsonaro. 

"Lixo"
Foi assim que ele se referiu ao Greenpeace, o que causou furor entre ecologistas e simpatizantes. A bronca do presidente com alguns órgãos de proteção à natureza é baseada em informações e o fruto da investigação dos setores de inteligência. Para ele, quem quer o mundo limpo, também faz serviço sujo.  
 
Governadores de fora
O arranca-rabo, desta vez, é originado na formação do grupo que pretende discutir a Amazônia e que não incluiu os governadores. O general Mourão, que preside a iniciativa, foi claro, pois pretende visitar todos os chefes dos governos estaduais para formatar o bloco. Ele disse algo interessante: "Os governadores não foram retirados, até porque o todo mundo tinha esquecido que havia um Conselho da Amazônia. Vocês busquem aí quando que esse conselho se reuniu. A visão do presidente e a tarefa que ele me deu é a coordenação de nível federal. Nós não vamos agora interferir dentro do princípio básico do federalismo na vida dos Estados. Mas eu vou de estado a estado ouvir os governadores. Primeiro é Roraima, depois Amazonas, Pará, Amapá, Maranhão, Tocantins, Rondônia, Acre".

8,2 mil por mês
Voltando ao ministro da Economia, Paulo Guedes, a manchete de ontem do jornal Folha de São Paulo, é sobre o que ele recebe para comer e morar. Isso não deve fazer diferença nas contas de um banqueiro e muito bem sucedido, como é o caso de Guedes, mas francamente, ele deve gastar esse valor com remédios para dormir e aliviar dores de cabeça. 

5,6 milhões
Isso é o que foi apreendido só em janeiro e na metade de fevereiro, nas apreensões de celulares. Pensa? Possivelmente seja o artigo na ponta do interesse dos contrabandistas. E como pode, com as regras tão endurecidas pela Anatel? Haja aparelho para falar e mandar mensagens no Brasil!

Carnaval & Dengue
Há quem queira melar o Carnaval de Foz, por causa da epidemia causada pelos mosquitos da dengue. Do jeito que a situação está, ele vai picar na folia, nas ruas e dentro de casa, isso não tem escapatória. A turma deve trocar o tubo de lança-perfume pelo de inseticida, ou repelente. 

Unidades de plantão
Os postos de Saúde de Foz estão à espera de um movimento muito acima no normal nos próximos dias. Com os alertas, as pessoas correm até uma unidade de saúde, até em caso de um olho piscar e outro não. 

Semana que vem
Já chegou o Carnaval. Em Foz até que isso não se antecipa como em outras cidades turísticas, onde a batucada já está fervendo. Falar nisso, quem mora nas imediações do Porto Meira escuta os tambores. Só está difícil diferenciar se é samba, ou fanfarra. 

Carnafalls
Corvo, porque o nosso Carnaval tem esse nome hein? É para dar um aspecto internacional à festa? Já que estamos no Brasil, não seria o caso manter "Carnaval", a maior expressão cultural de nosso país? 
Claudia M. Bomtempo 

O Corvo responde: prezada, o termo Carnafalls surgiu nos tempos em que o saudoso Dudu Cosntantinópolos exercia função na Fundação Cultural. Em verdade, a invenção é do jornalista Chico de Alencar e caiu nas graças do povo, por isso é sempre usada. É em verdade um diferencial, um tratamento carinhoso ao evento, desde os tempos da Banda Xiru-Corepy. Isso faz tempo, por baixo uns 40 anos.

13 milhões em multas
É quanto os estrangeiros deixam de prejuízo aos utilizarem as ruas de Foz do Iguaçu. Muitos caem nas blitize e quando elas ocorrem, também acabam "pescando" alguns brasileiros, cujos veículos estão irregulares, com documentos atrasados ou com os pneus carecas. 

Placas novas
Este Corvo é um observador do sucesso que fazem as novas placas, sobretudo entre argentinos e brasileiros. Mas também há veículos do Paraguai circulando com a normatização do Mercosul. Há um movimento nas redes sociais para a inclusão dos nomes de cidades, mas as opiniões se dividem. Motoristas de Foz sentem-se mais seguros quando pegam uma estrada. Carro com Placa de Foz ainda é um objeto de desejo de alguns grupos criminosos.

Olha o IPVA
Quem parcelou o imposto que fique de olho na tabela de vencimento. Fevereiro, apesar de bissexto, acaba antes e há quem acabe perdendo o bonde.

Reforma Tributária

Lá vem ele, o pacote "acoplável" do ministro Guedes. Em verdade o texto está em tramitação e ao longo do caminho, vão colocando e tirando os pelos do ovo. O ponto alto é o IVA, ou Imposto sobre Valor Agregado, que pressupõe a unificação dos tributos, uma ideia antiga, mas que nunca conseguiram emplacar no Brasil.  

Coqueteleira
A tabela tributária brasileira é uma coisa de louco, há impostos de todas as naturezas. O leitor que se agarre em algum lugar para ler; o Brasil suporta imposto sobre a importação de produtos estrangeiros; imposto sobre a exportação de produtos nacionais ou nacionalizados; imposto sobre a renda e proventos de qualquer natureza; imposto sobre Produtos Industrializados; imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro ou relativas a Títulos ou Valores Mobiliários; imposto Territorial Rural; imposto sobre operações relativas à Circulação de Mercadorias e prestação de Serviços de transporte interestadual, intermunicipal e de comunicação; imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores; imposto sobre Transmissões Causa Mortis e Doações de Qualquer Bem ou Direito; imposto sobre a Propriedade predial e Territorial Urbana; imposto sobre Transmissão inter vivos de Bens e Imóveis e de direitos reais a eles relativos, e, impostos sobre Serviços de Qualquer Natureza, o famoso ISS ou ISSQN. E em cada área, há uma lista de percentuais. Em realidade, as taxas tributárias batem recordes no país em relação ao PIB. Será que a ideia é colocar tudo numa coqueteleira, chacoalhar e despejar?

Tributos sobre o Consumo
O ministro Paulo Guedes pensa que é por aí e expressou bem claramente a sua ideia aos secretários estaduais de fazenda. Houve quem torcesse o bico e quem assegurasse que a fórmula pode resolver questões agravantes, como é o caso dos preços nos combustíveis. Hoje, se o governo baixar a gasolina e diesel, os preços emperram nos Estados. A saída é mesmo uma proposta conjunta, um pacto federativo, do contrário, não haverá reforma. Vamos esperar e ver no que vai dar. Se lançarem um IVA, com dez ou vinte categorias diferenciadas, é melhor deixarem como está. 

Diferenciação
Um leitor perguntou: "Corvo, como é que o governo vai trabalhar o IVA, com essa distância entre a tributação de produtos, por exemplo: incidem cerca de 82% de impostos nas bebidas, 50% na compra de uma bateria de automóvel; já os comestíveis básicos possuem taxas mais baixas, como vão chegar a um imposto único?". Taí a resposta que o Corvo também está ansiosamente aguardando. Por isso a "Reforma Tributária" será a discussão mais importante do país nas últimas décadas. O "x" do problema está no casamento do IPI com o ICMS, PIS e COFINS. Depois é que vamos saber onde vão parar os preços de varejo. 

Guedes faz bem a Foz?
O ministro Paulo Guedes tem uma opinião um tanto ácida sobre os gastos dos brasileiros no exterior. Para ele, parece não ser bom uma "empregada doméstica ter viajado ao exterior", no tempo em que o dólar era baixo. Isso remonta evasão de divisas, porque para comprar dólares e gastá-los nos Estados Unidos ou em outros países é preciso empregar reais. Com uma postura assim, ele favorece o turismo interno e suas ramificações regionais, o que aliás, é uma consequência quando o dólar está perto das estrelas. Foz é um dos destinos que mais aquecem em condições assim, mas certamente o ministro escolheria uma praia nordestina, Pantanal e outros concorrentes dos nossos atrativos. Isso tem explicação: locais assim não possuem nem a Argentina e muito menos o Paraguai ao lado. 

Contrariedade
É por essas e outras, muita gente não sabe explicar o aumento das cotas de compras em outros países. Isso seria uma divergência pontual entre o ministro da Economia e o presidente da República. Guedes quer segurar o povo, e aquecer o mercado interno, com isto, musculando a indústria nacional, mas Bolsonaro acredita que feirinhas e quinquilharias importadas geram emprego e movimentam a renda. Os observadores garantem que o caminho seria o fortalecimento do real, mas isso parece ser uma tarefa difícil, pelo momento. O Corvo escreve o que lê, e parâmetros assim são interessantes, quando Foz vive esse "epicentro". 
  
Áreas indígenas

O presidente Bolsonaro está por tudo tentando acalmar a encrenca com os índios. Ele sabe que isso é que movimenta artilharia pesada contra a sua imagem no exterior. Mexer com índio dá no mesmo que tacar pedra no Sting e outros envolvidos na causa dos nativos. Pedir ajuda dos ruralistas para o projeto das áreas indígenas é água boa na fervura. Mas isso é algo temporário.  


Epidemia de dengue
Isso é uma tragédia anunciada. E o pior é que a ficha ainda não caiu em parte da população. O combate ao mosquito foi enfraquecido devido a incompetência do Ministério da Saúde, que nem o veneno enviou para abastecer os fumacês, e, por outro lado, destaca-se a impotência e o relapso da população, que não faz o dever de casa. Se cada ,morador cuidasse da sua propriedade, lote, limpando, evitando criadouros, isso já seria um avanço. Taí o resultado: mais de 5 mil casos notificados.  

Obras da Pecúlio
Corvo, já vai fazer quatro anos que o Reni deixou a prefeitura e algumas obras não foram solucionadas. É aí que a gente mede o problema, a confusão. Independentemente dos culpados, inocentes, dos processos que correm na Justiça, o agravante é este, o do atraso na vida das pessoas. Será que as penas, as condenações vão conscientizar os políticos? 
Gilberto H. L. Barbosa

O Corvo responde: os políticos, o Corvo não sabe dizer, porque ainda pensam que improbidade "não dá nada". Mas se essa dor de cabeça acertar o eleitor, pode ser, algo mude nas eleições deste ano.  Por isso, é bom escolher e aprender a avaliar as consequências de colocar uma pessoa errada ou despreparada no poder. 

Pauleira no transporte
Disseram para o Corvo que a isenção de imposto, em troca da instalação de ar condicionado nos ônibus está bem amparada em precedentes. Todo mundo sabe a dor de cabeça que há, quando um governo renuncia receitas, logo, os procuradores do município devem ter se debruçado sobre o assunto. Chico não iria deixar levar uma bola nas costas em assunto tão latente. Mas o fato é que algo descambou.

Câmara
Para o negócio ser firme, calçado, concreto, a Câmara teria que oferecer um resultado maior; com uma maioria mais expressiva na votação da isenção, como recomenda a Lei. No entanto, depois do assunto aprovado na Casa de Leis, e sancionado, é que reconhecem uma deformação, um erro. Mas enfim, a complicação não é apenas no cumprimento dos 2/3 dos votos, mas em todo um compêndio de interpretações jurídicas, mais no âmbito da administração, do que do Legislativo. Chico terá que decidir.  

Meandros
No mais há 18 ônibus rodando com aparelhos de ar condicionado. A meta era 25, dentro do suporte de isenção do ISSQN, acontece que uma das empresas do Consócio resolveu dar uma marcha ré no processo, apelando para o "facultativo" que há na Lei, ou seja, onde não há uma "obrigação" de ampliar a frota com ar refrigerado nos carros. Isso já deu uma balançada no coreto. Chico tem essa angu de caroço pelo caminho. Mas andam divulgando números errados sobre o montante da isenção. O Corvo volta ao assunto.  


Cidadão Honorário
O general merece. Poucas pessoas adotaram e se dedicaram tão explicitamente à uma cidade, como ele. Há quem resida em Foz faz muito tempo e não realizou nem 5%. O reconhecimento é importante. 

43 dias!
O gigantismo da Itaipu se mede assim. Imagina uma usina capaz de manter o planeta "aceso" por um mês e meio? Tudo bem que são dados comparativos, é que alguém viaja e acredita que se desligarem o mundo, Itaipu vai segurar as pontas, não é bem isso. E pensar que muita gente protestou contra a construção da usina. O que seria o Brasil hoje sem a Binacional?
  
Prevenção de Alagamentos
Como seria, uma cidade como Foz, se prevenir de alagamentos? Isso acontecerá se algum vereador tiver o telefone de São Pedro, para moderar nas chuvas, assim que elas ameaçarem estragos. O Brasil e muitos países, não conseguem segurar a onda do desenvolvimento e impermeabilização das cidades, como deveriam. Foz está na lista das cidades com esse problema, com os rios sufocados, assoreados, com margens invadidas, com muito, muito lixo entupindo galerias estreitas. Um problemão. 

Cidade Água
Nem tudo está perdido, chegamos à 15ª edição do "Foz Cidade Água" um evento rotariano, com a área da educação, que abre a cabeça da garotada em lidar com os recursos hídricos. Tratar bem as fontes e os rios é o princípio de tudo.

Sínodo da Amazônia
Segundo o Corvo pesquisou, há muitos futuros padres interessados em trabalhar nos rincões amazônicos. Vai ver, o papa Francisco, entendeu assim. É no mínimo estranho, imaginar que o espírito da "missão religiosa" recuou devido dificuldades de acesso e outros problemas. Isso deve fazer os ossos de missionários como José de Anchieta tremerem nas tumbas.
 

Os ratos estão salvos

O animal que mais prolifera no mundo, e, diante disso, incomoda tanta gente ao espalhar doenças, é o campeão na preferência dos cientistas nos testes de vacinas e soluções para prolongar a vida humana. Até orelhas já fizeram crescer no lombo desses coitados. Tomara os britânicos encontrem uma fórmula para combater o coronavírus, porque a situação parece ser das piores. Em tempo, alguns alertas foram tão agravados pelas autoridades sanitárias. Se esse bichinho (vírus) escapa do controle, será "a calamidade" mundial. Parece haver algo que a gente ainda não sabe. 

Falar em ratos...
Com as últimas cheias em algumas localidades, o que se viu foi uma grande quantidade de roedores, de todos os tamanhos, se espalhando pelas residências. No São Luiz, havia rato se equilibrando nos fios de alta tensão. O Corvo ainda está esperando uma foto. Que barbaridade! Ratos transmitem doenças, como os pombos e morcegos. 

Tudo fora
Corvo assisti as reportagens sobre as cheias em São Paulo e as toneladas de alimentos que estão indo para o lixo. Será que não dá para aproveitar parte daqueles alimentos? É muita comida indo para o ralo. Tem muita gente passando fome. 
Júlia P. Nascimento

O Corvo responde: prezada, caso pedisse um suco de frutas em alguma lanchonete e depois descobrisse que elas levaram um banho com água do Rio Tietê, como se sentiria? O correto seria correr imediatamente para um posto de saúde e se vacinar. Águas de enchentes são altamente contaminadas pelos esgotos, produtos químicos e tudo o que o homem despeja embaixo da terra. Em outra análise, "gente que passa fome" merece donativos de qualidade e não sobras e rejeitos, como o que restou das enchentes no CEAGESP, em São Paulo. Aqui vai uma correção: o maior entreposto de alimentos da América Latina fica às margens do Rio Pinheiros, não muito menos poluído que o Tietê.

Bagunça do homem
Em São Paulo, técnicos japoneses faziam um levantamento para uma cooperação com a prefeitura. O trabalho coincidiu com as recentes chuvas. Eles pediram uma audiência com o prefeito Bruno Covas e se disseram abismados com o que viram: a quantidade de objetos, lixo e dejetos lançados nas águas dos rios. Não é segredo que tudo transborda graças ao despejo de tranqueiras, que entopem galerias, canais, barragens, um absurdo e inacreditável para muitos. E não é diferente em Tóquio, São Paulo e nem em Foz do Iguaçu. A ignorância do povo é descomunal, o que custa caro para quem faz o dever de casa. Depois é a prefeitura quem leva chumbo, chamada de incompetente e coisa e tal.  

Reciclagem
Recentemente este jornal publicou matéria sobre os recordes de coleta de plásticos e materiais reciclados. Obvio, a cidade empreendeu um grande programa de colheita e está bem próxima dos 100% de atendimento à população. Resta saber se os catadores já descobriram o mapa da mina, ou como transformar lixo em dinheiro. A novela da 9hs da Globo está ensinando; um dos donos de uma grande indústria de plástico está se preparando para utilizar materiais descartados e, assim, limpar rios e baias, salvando gente e bichos marinhos. O problema é descobrir em Foz uma empresa e um empresário assim. Tomara ele exista, assim poderemos de boca cheia dizer, que a vida imita a arte! 

Pontes de embarque
Santos Dumont, onde estiver, está feliz, porque desde a sua invenção mais pródiga, Foz do Iguaçu finalmente conseguiu encontrar uma maneira mais confortável de entrar e sair dela. Os fingers foram bem-sucedidos nas fases de teste e entram na reta final de instalação! Quem diria, os passageiros que embarcarem e desembarcarem no aeroporto da cidade, não precisarão mais caminhar pela pista em dias de sol, frio ou chuva, seguindo aqueles pezões horríveis desenhados no asfalto, coisa mais feia! E é assim que o aeródromo das Cataratas vai ganhando o merecido status de aeroporto!

Uma ou duas pistas? 
Ainda sobre o aeroporto, há uma discussão de bastidores do tipo: porque no lugar de prolongar a pista, não constroem outra? Só faltava essa? A ideia é prolongar a pista para receber aeronaves de grande porte, as que operam em companhias expressivas no mercado dos voos internacionais. Fazer outra pista só vai atrasar a vida da cidade e dos seus negócios na área do turismo e cargas. Quem diria, uma pista mais longa é um grande negócio; com duas pistas, teremos insistentemente um "meio-aeroporto". A não ser que coloquem mais grana e façam uma segunda pista maior, como pede o figurino.  

Novos radares
Corvo, essa indústria da multa só cresce na cidade. Mais pardais? Puxa vida? Daqui uns tempos não poderemos mais andar acima de 60 km por hora? Então pra que fazem carro com velocidade de até 200 km? Estou com a carteira para perder, por causa de multa de pardal. 
Jhonattan K. Mitsuri Bana

O Corvo responde: fazem veículo com 200 km, mas eles devem ser conduzidos com prudência e atenção. Nas mãos de apressadinhos e imbecis ao volante, se tornam armas perigosas e que matam mais do que muitas guerras, ou não conhece as estatísticas de acidentes no Brasil? Quem não dirige atentamente, não deve possuir autorização para conduzir um veículo feito de aço e que pesa o suficiente para causar uma tragédia. Os radares são reivindicação de comunidades, como é o caso do que foi instalado na Av. Morenitas, onde há ciclistas e pedestres, sobretudo porque as calçadas são precárias. Quem respeita a sinalização, não perde a carteira por causa de multas. 

ANTT
Quando não é uma coisa é outra. Dólar alto, encrencas políticas, broncas com sindicatos, filas de caminhões, tudo isso já é suficiente para queimar o filme da cidade, porque de tumulto, o visitante não gosta. Fiscalização abrupta e sem comunicação prévia às autoridades locais, isso não está certo. Agências nacionais possuem as suas autonomias, como disse o presidente Bolsonaro, mas até elas causarem prejuízos em outros setores? E ainda por cima gerar multas? Assim não dá. 

Prêmio Nota Paraná
Até o Corvo está esfregando as mãos para beliscar um milhão no sorteio do Nota Paraná. O pior é que a maioria dos consumidores ainda não entendeu a importância de mandar emitir nota em compras de supermercados, postos de gasolina e afins. Quando alguém perguntar: "CPF na nota", diga "Sim!". 

Internet Segura
O editorial da edição de ontem tratou de um tema seríssimo, o Dia da Internet Segura, com a exposição do meio à quase 25 milhões de crianças e adolescentes. É importante saber o que os filhos acessam, sobretudo com quem mantém contado. O crime virtual é uma grande vitrine para aproveitadores, golpistas, escroques de todas as laias, e isso vai de blogues até presidiários, o dia inteiro matutando um jeito de tirar proveito de um segmento vulnerável. É importante ensinar a criançada. Nos tempos do Corvo, havia carrinho de bombeiros, toquinhos que formavam casinhas, quebra cabeças e brinquedos interativos, praticamente a pré-história se comparado ao que crianças de dois, três, quatro anos interagem no mundo virtual. A internet abre a cabeça, logo, é preciso usar para o bem. 

Hora do Araújo


O Luiz Araújo é parceiro do GDia e não é de hoje. Aliás, ele é sempre lembrado pelo Corvo, em razão do esforço que faz em manter suas iniciativas na comunicação e pelo saudosismo, afinal é filho do grande Araújo, o maior colunista social da história da cidade, proporcionalmente, ele seria o nosso Ibrahin Sued, capaz de movimentar, chocar, emocionar, fazer rir e chorar uma legião de leitores por onde escrevesse. Com esta nota, o Corvo não quer minimizar ou causar desprestígio aos valentes e competentes colunistas de hoje, mas a ressalva às vezes, se faz necessária. É apenas uma questão de valorizar quem merece, por meio da história e verdade. Mas o Araújo, o filho, é também porta-voz dos nossos noticiários, das manchetes, notícias de última e primeira hora e também, daquilo que este humilde colunista escreve. Por isso recomendamos: a Hora do Araújo é levada ao ar, de segunda à sexta-feira, às 17hs, na BandFM, 100,5 no seu dial! Tá dado o recado! 

Padres casados
Desde o início, era muito estranha a informação que o Papa Francisco estaria de acordo com a nomeação de homens casados para o exercício eucarístico na Amazônia. De onde? Isso causaria danos ao preceito de "missão" da Igreja Católica. Parece que agora o caso está clareando. 

Fakes news
E alguém acreditou que os deputados combateriam as fake news para valer? Há quem ponha a cara à tapa, como é o caso do Vermelho, que aliás vive sendo vítima do serviço porco na internet. Mas existem os que se beneficiam, pagando a vagabundagem para manchar a imagem de muita gente. 

Mercenarismo
A algazarra infelizmente vai continuar e sem limite e isso ocorre em nome da "liberdade de expressão", uma tragédia imaginarem que é assim. O que vai acontecer, é que a Justiça vai precisar trabalhar mais, porque crimes contra a honra, mentiras e picaretagens aumentarão na internet e redes sociais. Isso ainda vai render muito bate-boca.

 

Paulo sem PDT

Corvo, não é como na música, "Piu Piu sem Frajola", "futebol sem bola", "avião sem asa"; Paulo Mac Donald, embora a identificação com o PDT, não é o tipo de político empurrado pela legenda. É ele quem empurra o partido. É o tipo de político que as pessoas gravam a figura, o nome, a agremiação é apenas um detalhe. Eu por exemplo sou filiado em outro partido, e até em ocasiões em que estávamos do lado contrário, votei no Paulo. E veja, mesmo ele "fora de combate", como você escreveu, dois senadores paranaenses se deslocarão até Foz para abonar a ficha, o que mostra a importância do político. 
Arnaldo D. R. Correa

PDT sem Paulo
Prezado Corvo, o ex-prefeito Paulo Mac Donald foi bem gentil ao se despedir do PDT agradecido. O partido viverá outros tempos, mas aqui entre nós, é uma situação parelha, porque ninguém está de bola cheia para encarar uma eleição, nem mesmo quem está no poder. A cabeça do eleitor mudou muito de uns tempos para cá e graças aos escândalos de corrupção, prisões e embates judiciais, há um amadurecimento. É impossível prever o que acontecerá em outubro. Ainda sobre o Paulo, o que a cidade assistiu foi uma das sacanagens que entrarão para a história, porque o homem não roubou, não desviou, não desfalcou, pelo contrário, fez o que ninguém ousou. E que isso sirva de exemplo para todos os que chegam ao poder, porque se desempenharem bem, entrarão na linha de tiro. Medíocres jamais se conformarão com os competentes.  
Laiz H. J. Matossi

O Corvo responde aos leitores: prezados, paixões de lado, o que nos interessa é saber o que acontecerá nos próximos meses. A população quer escolher representantes que honrem o voto e cumpram as promessas de campanha, porque elas é que fazem a cabeça de quem vai encarar a urna. A questão é acreditar em quem de fato possui condições de cumprir, remediar e amenizar aquilo que coloca em discussão, em geral, problemas enfrentados pela comunidade. Tomara, as chapas sejam formadas por bons nomes. O povo está cansado de votar por exclusão. 

Importância
Um político mostra a sua força em situações assim, na mudança de partido, por exemplo. Paulo Mac, meio com a asa quebrada (porque é uma injustiça rotulá-lo como ficha suja), é capaz de monopolizar a opinião pública, o que dizer se conseguir participar de uma eleição? O que pesa, neste caso, é a marca da sua obra, ou passagem pela administração pública. Paulo é um homem de passado. E quem diria, sem entrar no mérito da regularidade, o que o mantém afastado das eleições é o fato de pagar R$ 5 mil reais para uma profissional competente, correr atrás de recursos para a cidade; uma ação que captou mais de R$ 150 milhões em obras e benefícios para os seus cidadãos. Que situação hein? Mas como o Mac não desiste nunca, ainda há tempo para ele militar e pedir votos.    

CPI da iluminação
Pela pinta, está aberta a temporada de caça ao Chico Brasileiro e é no caso da iluminação de LED que o paredão vai começar. Segundo o Procurador do Município, Osli Machado, a conclusão dos nossos queridos vereadores é um tanto fantasiosa. Interessa saber se a conclusão na Justiça seria semelhante, onde em geral fazem, perícia e não há tintura política nas apurações.

O que mais vem por aí?
Ao que parece o ano não iniciou bem em matéria de relações entre Câmara e Prefeitura, do contrário, jamais o resultado de uma CPI dispararia igual metralhadora, com balas resvalando em todos os lados. Sim, porque segundo o apurado, são várias as irregularidades. 

Menos mal


Os entendidos no setor de política acreditam que é melhor assim: quanto mais CIs e CPIs explodirem no início do ano, mais tempo há para apagar os incêndios. Se casos assim acontecerem lá pelo meio do ano, aí sim Chico teria que vestir roupa de toureiro. 

O som dos fogos
É difícil imaginar fogos de artifício sem o barulho da explosão. Depois de 5 mil anos descobriram que os animais sofrem com os estampidos. O caso é que se soltassem rojões apenas em dias de comemorações, a população até se prepararia. Faz tempo o corpo usa protetores auriculares e enfia algodão na orelha dos cachorros e gatos. O problema são as bombas estouradas a esmo, ou a queima de fogos dos traficantes, informando a chegada do carregamento. A proposta do vereador Márcio Rosa tem lá os seus fundamentos. 

Fogos silenciosos
Parece que ainda não inventaram artifícios que explodem em silêncio. A explosão, por si, é algo difícil de conter. Francamente, explosão de fogos enche menos o saco do que esses veículos ridículos, com o som acima do nível de decibéis. Isso sim irrita humanos e animais. Se o gosto musical fosse bom, a gente até aturaria. 

Pinturas de faixas
O jornalista Chico de Alencar deu um justo puxão de orelha na manutenção das faixas em vários locais da cidade. Mas há caminhões executando o serviço. Ontem o Corvo passou na Avenida Duque de Caxias e estavam fazendo a sinalização da faixa de ciclismo. Inclusive um pouco da tinta resvalou na lataria do veículo deste colunista e a conta será enviada ao prefeito. 

Trânsito
Então vejamos, perto das 5 da tarde, pleno início do rush, um caminhão para uma das avenidas, para executar o serviço? Pensa na confusão. O que havia era um funcionário da empreiteira sendo xingado pelos motoristas pobrezinho, que não tem culpa no cartório. Esse é o tipo de serviço que pode ser realizado no período da madrugada, depois das ruas varridas. A tinta fica seca bem rápido e sem trânsito, o risco de mancharem o asfalto é bem pequeno.  

Migração
Em Foz está havendo um fenômeno interessante: muitos moradores da Vila A estão, desesperadamente, procurando moradias em outros bairros. Isso acontece em razão da crescente invasão por parte de pivetes, punguistas e ladrões de plantão. Basta o cidadão sair para ir à padaria e não encontrar a geladeira, o fogão, televisão e outros objetos na volta. Impressionante a velocidade dessas ratazanas, especializadas em levar embora o fruto do suor e do trabalho das pessoas. É triste isso.

UPAs perigosas


De uns tempos para cá ficou muito perigoso se socorrer nos UPAs da cidade, em especial no Morumbi. E também não está fácil para quem trabalha nesses postos de atendimento. Ontem, depois de uma jornada de trabalho, diga-se um plantão exaustivo, um funcionário foi ao estacionamento e não encontrou a sua moto. Foi surrupiada por um gatuno cara de pau. O ladrão entrou no estacionamento e saiu tranquilamente com o veículo, conforme um vídeo espalhado nas redes sociais. Quem cruzar com a moto Honda CB 125, vermelha, de placa AIR 8959, por favor, denuncie! 


Placas
Segundo disseram ao Corvo, alguém em Brasília quer a instalação de placas na parte dianteira das motos. Isso vai ficar bem interessante, ou, no mínimo esquisito. Isso é normal em alguns países, e aliás, já há estudos para o emplacamento de bicicletas. O faltava mesmo é cobrarem IPVA das bikes! No Brasil tudo é possível!

Ar condicionado
Corvo, eu não estou entendendo a razão de tanta confusão sobre a instalação de aparelhos de refrigeração nos ônibus. Parece que tudo em Foz do Iguaçu é um parto. Vão fazer um viaduto e vira uma encrenca; vão fazer uma ponte e dá no mesmo. Puxa vida, andar num ônibus em Foz, no Verão, é simplesmente uma tortura. E depois de décadas de promessas, quando a prefeitura arranja uma fórmula, isso vira em discussão. A população não está nem um pouco ligando para os requintes legais. As pessoas quem transporte de qualidade e com preços baixos.
Paulo C. R. Oliveira

O Corvo responde: o que acontece é que depois do processo exaustivamente estudado e cheio de pareceres, alguém encontrou lacunas e o assunto entra novamente em debate. A dúvida está na isenção de imposto, ou a redução dele, como forma de incentivar as empresas. Acontece que incentivo é algo comum entre o poder público e concessionários e dificilmente os usuários teriam o benefício caso não encontrassem a solução. Segundo informaram ao Corvo, vários municípios demandaram similarmente. Ontem mais ônibus passaram a circular com ar condicionado. 

BRs em Foz
É verdade Corvo, eita cidade cheia de BRs em todos os lados. E qual seria a necessidade de uma rodovia federal dentro de um município? É por causa do Parque Nacional, do Aeroporto? Isso não tem lá muita função. A Avenida das Cataratas deveria pertencer ao município, pelos menos, seria possível instalar semáforos e cortar o mato que cresce como fosse uma lavoura. 
Daniel M. Sguarezzi


O Corvo responde: são em verdade três rodovias que atravessam Foz. Uma é a BR-277, que aliás corta uma porção de cidades paranaenses, mas as BRs 600 e 469, começam e terminam no perímetro da cidade. A BR 469, ao que consta, passará para o Estado do Paraná.
 

Mais ônibus com ar


Duas das empresas que operam o transporte coletivo de Foz do Iguaçu, a Viação Cidade Verde e a Vale do Iguaçu informam que a partir desta terça-feira (11) entram em circulação novos ônibus com ar condicionado, cumprindo assim a sua parte dentro do acordo firmado com o município em troca da isenção do ISS. O Corvo ficou sabendo no fechamento da edição. O que não deu para saber é a quantidade de ônibus refrigerados, mas uma coisa é certa: com o calor que faz em Foz a população agradece, e como!

Ratinho ama Foz
O prefeito Chico Brasileiro está bem eufórico com essa paixão do governador Ratinho Júnior pela cidade. Deveria aproveitar e fazer emplacar a lista de reivindicações, que não é pequena. Aliás, Ratinho está muito presente na fronteira e aos poucos vai cumprindo a agenda. O caso é que depois do governo Richa e a esculhambação que se formou em muitas frentes de atendimento do Estado, o primeiro ano do governo Ratinho teve lá as suas versões de "pau de enchente", aquele que para ao esbarrar no que aparece na correnteza. Aparentemente Chico vive um bom período com o governador, coisa difícil de acontecer em Foz. Tradicionalmente, prefeitos e governadores sempre se bicaram. 

Unidade
Se há uma aproximação entre Foz e governo do Estado, isso se deve ao jogo de cintura do deputado Hussein Bakri. Claro, ele está de olho no cronômetro eleitoral e uma harmonia entre governantes de seu partido é fundamental. Com esse andar da carruagem está ficando mais sólido o apoio de Ratinho no processo de reeleição de Chico.   

BR pode ser PR
Segundo disseram a este colunista, existe uma grande possibilidade da BR-469 se transformar em "PR", e, pode ser, nem chegue a isso. "Feita a transferência para o governo do Estado, iniciarão um processo de municipalização da via, tornando-a uma avenida de Foz do Iguaçu", revelou uma fonte ao Corvo. E aqui entre nós, isso deveria ter acontecido faz tempo. Será que uma coisa assim tem fundamento? Saberemos muito em breve. O fato é que o governo do Paraná quer assumir as obras de duplicação. 

BR- 600
Como este colunista vive respondendo aos leitores e de certa forma insistindo no assunto, Foz é uma cidade permeada por BRs e de certa forma dividida por elas, como acontece com o fatiamento causado pela BR-277. O assunto de "municipalizarem" a BR-469 surgiu no final de semana, mas veio junto a informação que isso não acontecerá com a Rodovia Tancredo Neves, que liga a região da Ponte da Amizade aos portões de Itaipu Binacional. A BR-600 é estratégica quando o assunto é segurança nacional. Sendo assim, bem que poderiam dar uma ajeitada nela também. 

Pedágios
Tomara, nessa discussão sobre as BRs caseiras, alguém não invente de colocar guaritas de pedágios em cada uma delas, para ajudar a pagar as obras de restauração e virtual duplicação até as Cataratas. O que o iguaçuense paga de IPVA já é suficiente.  

Desenvolvimento
Nova ponte com o Paraguai, eixo perimetral, novas aduanas, duplicação da BR-469, calçamento nas áreas rurais, museus, hotéis e empreendimentos, tudo isso acontece na região sul de Foz; um conjunto de obras que poderá mudar a cara do local e, virtualmente, a "entrada" da cidade, para os que chegam de avião, pela Argentina e Paraguai. Isso está sendo convencionado como "Portão Sul". O Corvo ouviu autoridades falando nisso no sábado pela manhã. 

Colheita
Corvo, onde é que Foz possui tanta área rural assim, para colher 12 mil hectares de soja? Será que este número está correto? 800 mil sacas? A gente imagina uma cidade com área tão pequena, não é? 
Maria Lúcia Riquelme 

O Corvo responde: os dados estão corretos, são de fato 12 mil hectares que entram em fase de colheita. A produção rural de Foz é considerada muito boa e se divide em praticamente todas as regiões da cidade. Há mais de mil propriedades, com força na agricultura familiar, sendo que 300 delas de dedicam à soja e culturas de rotatividade, como milho e trigo. Outro aspecto interessante é que até mesmo alguns terrenos considerados urbanos, fazem parte de áreas de plantio. Há grande expectativa na relação sacas por hectare.

Corvo tranquilo
Prezado Corvo, vejo que está bem calmo de uns tempos para cá. Sua picardia anda muito moderada. O que será anda acontecendo com esse passarinho bicudo, que dá as bicadas doloridas em quem merece? Até quando vai a anestesia Corvo? 
João Roberto Braga Nunes

O Corvo responde: prezado leitor, todo início de ano é assim, mas na observação, ainda mais quando se trata de um período pré-eleitoral, com a necessidade de análise e acompanhamento dos fatos e como eles vão se formando. A calmaria é normal e ela vai até o Carnaval, depois a coisa aperta para valer. Mas o Corvo nem está tão calminho assim, isso se mede pela quantidade de reclamações por parte de quem se sente atingido e os golpes que são acusados nas redes sociais e blogues. Vamos em frente que a tarefa não é pequena. E vem muitas novidades por aí! Aguardem!  

Paulo no "Podemos"
A notícia vazou, muita gente esfregou as mãos e no fim, o assunto esfriou de novo. Como o Corvo antecipou, é o estilo Paulo Mac de lidar com o ambiente político. Ele mede cada milímetro dos movimentos e com isso, vai construindo o ambiente; só depois é que decidirá para valer. 

Ele sai do PDT? 
Bom, se ele vai ingressar em outro partido, é obvio que deixará a legenda do Leonel Brizola, com quem tanto se identificou ao longo da carreira. Tudo o que Paulo conquistou na política, havia a mãozinha segurando a rosa vermelha. 

Convite quase irrecusável
O que o Corvo investigou é simples: Paulo teria sido convidado pelos senadores Oriovisto Guimarães e Álvaro Dias, os caras que apitam na legenda, no Paraná. O que dizem os filiados de Foz, isso é outro problema, mas todos sabem do potencial do ex-prefeito, mesmo temporariamente fora de combate, em razão de pisar numa mina retardatária, jurídica. Ele tenta amenizar os danos da explosão. 

A mala e a cuia 
Bom, o correto não é dizer que o Paulo muda de partido, e sim, que o Partido se muda para o Paulo, porque ele já deu aviso de desocupação do edifício onde funciona o PDT, que fica do outro lado da rua, em frente a sua construtora. Já teria mandado fazer a nova placa. Ele já teria mandado comprar duas latas de tinta, uma azul e outra verde, cor da sua preferência. 

Aonde a vaca vai...
...a boiada vai atrás. Em Foz há dois movimentos de mudança partidária que fazem barulho, do tipo caminhões onde levam móveis, plantas, gaiolas com passarinho e o cachorro latindo, amarrado ao pé de uma mesa. Um é a formação do Aliança pelo Brasil e o outro é a troca do PDT pelo Podemos. Paulo deve se mudar e com ele vai toda a parentalha, a "famiage", porque Paulo é um homem de muitos apóstolos. O que o Corvo imagina é que essa mudança de partido deve causar algumas indisposições estomacais, porque tem gente no Podemos que é base de apoio fechada com o prefeito Chico e isso dá coceira no cangote. 

E o PDT?
O Corvo ligou para uma porção de membros do partido e poucos declararam não acompanhar Moises na travessia do Mar Vermelho, ou seja, Paulo indo para o Podemos. E detalhe, quem ficar para trás, é certo que vai dar dor de cabeça para os novos faraós do PDT, pois é de estranhar alguns fiéis largando o profeta. Quem acha que vai ganhar a legenda, com a debandada de Paulo e os seus seguidores, que tome tento, porque lá vem é sabotagem! 

A foto do açougue


O Corvo publicou uma foto ontem e ela deixou de exibir uma imagem importante, ou seja, o quadro do Foz Cataratas Futsal, pendurado acima das ofertas da Casa de Carnes Boi Verde, onde todos são torcedores do azulão. Taí o repeteco. 

Bons de pedalar


A galera do Foz Bike marcou presença no Boi do Rolete em Marechal Cândido Rondon. Quando o Corvo recebeu a foto ficou pensando: essa turma deve ter perna musculosa, para pedalar quase 163 quilômetros num domingo? Eita! Ir até que deve ser algo aprazível, mas e para voltar? E no mais, ao chegarem lá, só encontrarão os ossos dos bois assados nos roletes! Calma, o Corvo explica: a turma vai de ônibus até um local próximo e cumpre uma distância mais cômoda de bike, mais propriamente, no circuito de cicloturismo. As bikes são levadas em transporte especial. O Corvo um dia vai se juntar a essa turma! Um abraço a todos! (Foto).

O Oscar e as Cataratas


Um cenário como as Cataratas do Iguaçu é o sonho de muitos diretores da sétima arte. E o Corvo garante que filmar lá não é algo fácil de se realizar, a começar pelo terreno acidentado. Nosso principal atrativo já teve de tudo, de jesuítas aos extraterrestres e o local foi citado em raras oportunidades; as imagens sempre foram tratadas como se fossem em outro lugar, na África, Amazônia ou até mesmo num planeta distante. Numa produção dos anos 50, as Cataratas eram rodeadas por dinossauros e bichos inimagináveis. 

Film Commission
Nas discussões sobre a implantação de regras para atrair produções cinematográficas para a cidade, há um tópico interessante. As Cataratas não devem mudar de nome, ou tratadas de maneira que confundam a cabeça dos interessados em visitá-las. Isso é perfeitamente possível de ser respeitado, sem ferir a imaginação dos roteiristas. Cidades como Nova York mantêm exigência similar.  

França, EUA, Inglaterra...
Prezado Corvo, é preciso temer a França e as formas de exploração da Amazônia. Isso é uma realidade. E não vamos esquecer que eles possuem um pé no território. As grandes potências sempre exploram onde podem, porque possuem o espírito do colonialismo. 
Mario R. Marcondes

O Corvo responde: o leitor não está equivocado, a Amazônia é uma grande fonte de riquezas e não é que hoje que o mundo está de olho em tudo o que há por lá. Não vamos longe, o explorador Jacques-Yves Cousteau adorava navegar os rios e mergulhar neles. Hoje há desconfiança que ele estava a serviço de laboratórios. 

Programa de Moro temido?
O pacote do ministro é elogiado. Poucos desafiam ou demonstram desconfiar dos planos de combate ao crime. O problema é que os descontentes, covardes, ficam tentando sabotar a iniciativa e para variar não mostram a cara. Quem é contra o combate ao crime, só pode se beneficiar com ele.

As cidades piloto
Segundo o jornal Folha de São Paulo, as cidades piloto temem as ações de combate, mas ao que se sabe, isso não acontece em Foz do Iguaçu. Pelo contrário, a fronteira quer paz e distância do crime organizado. 
 
Transporte social
A primeira dama Michelle Bolsonaro esteve em Curitiba e levou uma frota de veículos para ajudar nas ações e transporte de necessitados. O Paraná está bem servido e Foz, receberá dois veículos. Tomara daqui uns anos não nos decepcionaremos com imagens da frota deteriorada, ou jogada em algum lugar por falta de manutenção e em muitos casos, até em razão da falta de grana para combustíveis. 

Aviões do Brasil
O jornal Nacional informou em alto e bom som, que o Brasil teria que fretar aeronaves para repatriar quem estava na China, vulnerável ao coronavírus. Segundo o texto, os aviões da FAB não possuiriam autonomia para voar até o outro lado do mundo. Que bobagem, os dois aviões da Força Aérea não só cumpriram a tarefa, como estão ajudando outros países.

Goiás e o coronavírus
Anápolis vive situação semelhante à de Goiânia no advento do césio. A diferença é que a base aérea demonstrou as condições de isolamento e as populações no entorno não foram pegas de surpresa. O povo que opera o Turismo teme a falta de movimento. Tem dupla caipira se mudando para o Paraná.  

40 anos e renovação
O principal discurso do PT hoje é a "renovação", mas o partido insiste em manter Lula no foco e à frente de outros nomes. Então, que renovação é essa? Quem vai acreditar em mudanças?  

As ações do Reni
Corvo eu não entendi essa. Se o Ministério Público vai recorrer em 19 ações em que Reni absolvido, isso quer dizer que as coisas vão bem para o ex-prefeito? Lembra a soma nas penas dele, que daria quase meio milênio? Então ele saiu no lucro não é?
Paulo G. Neiva

O Corvo responde: num rápido retrospecto, foram 25 ações penais propostas pelo Ministério Público Federal contra Reni Pereira, na Operação Pecúlio; a juíza Flávia de Mendonça, da 3ª Vara Criminal, julgou cinco procedentes e 19 improcedentes. Uma foi anulada. Agora o MPF anunciou que irá recorrer das absolvições. 

Condenação
Ainda relembrando, na última terça-feira, Reni Pereira foi condenado a sete anos e quatro meses de reclusão por corrupção passiva e usurpação da função pública, a mais quatro anos de detenção por fraude à licitação e ao pagamento de duas multas que totalizam pouco mais de R$ 1 milhão. 
A organização criminosa
O que foi apurado, revelou a existência de uma organização criminosa na gestão do Reni, que ocorreu entre 2013 e 2016 "estruturalmente ordenada e caracterizada pela divisão de tarefas, com o objetivo de obter, direta ou indiretamente, vantagens de natureza econômica e pessoal, por meio da prática de graves infrações penais, como corrupção ativa, passiva, peculato, fraude à licitação, dentre outras", pontuou o MPF. O advogado Rodrigo Duarte, em sua coluna de hoje, o resultado deve ser favorável ao ex-prefeito, mesmo isso sendo uma "tijolada" na população, que esperava por condenações. 

Transporte irregular no aeroporto
A força tarefa surtiu efeito, com apreensão de oito veículos. A nova pegadinha agora é registrarem veículos em aplicativos e desligarem as plataformas em determinadas situações. Os motoristas ganharam uma multa de R$ 293, mais sete pontos na carteira. O que doeu neles foi a remoção dos veículos. A situação no aeroporto estava uma esculhambação generalizada. 

Perimetral Leste
Os desenhos em realidade virtual ou animação gráfica, da Perimetral Leste, encantaram os curiosos, sobretudo as intersecções, que são enormes. Mas muita gente ligou para o Corvo pedindo mais detalhes. Vamos analisar e verificar a possibilidade de publicação ao longo da semana. 

Isenção problemática
A instalação de ar condicionado nos ônibus de Foz, ao que parece, renderá uma boa encrenca na Justiça e isso não é nada bom em ano político. Pior mesmo, será o usuário deixar de contar com o refresco. Isso é possível, disseram ao Corvo. Que barbaridade!  

Calçadão no Charrua
Há obras de calçadas em toda a extensão do Parque de Exposições, na entrada da cidade. Um dos problemas mais sérios, durante a realização dos eventos, era precisar se atolar no barro até entrar na área. Isso vai melhorar bastante. 

Torcida uniformizada! 


A turma do açougue Boi Verde fez questão mandar aquele abraço aos leitores desta coluna. Lá estão os nobres açougueiros que atendem ao gosto da freguesia. A clientela entra no estabelecimento e já vai chamando o profissional da sua preferência. "Aqui eles cortam o bife com carinho e já sabem como a gente gosta", declarou uma antiga cliente. E cortam o bife, a costela, a picanha com muita precisão, porque ver o freguês feliz é o que importa" Na foto, notem que há o pôster do Foz Cataratas Futsal na parede, acima das ofertas. Lá todos são torcedores fechados com a equipe. O "pôster" foi uma oferta do GDia, na conquista do último título. 

Exagero?


Segundo o jornal Folha de São Paulo, a elite militar brasileira vê a França como ameaça nos próximos 20 anos. A encrenca se armará em razão da Amazônia. China, Estados Unidos, o mundo todo quer enfiar um pezinho na floresta.

Silêncio quebrado
O presidente brasileiro estava muito quietinho e comportado até para o gosto de vários companheiros de governo, que antes criticavam sua postura. Na última quinta-feira ele desancou a lenha nos ecologistas e de maneira generalizada. Vai ver é isso que ofende tanto os franceses. 

Empresas estrangeiras nas licitações
As opiniões se dividem sobre a participação de empresas de fora do país em obras de infraestrutura. Uns acreditam que isso irá melhorar a qualidade, controlar o desperdício e atiçar a concorrência, exigindo aprimoramento das empresas nacionais. Os contrários dizem que isso poderá acontecer, diante do esfacelamento de grandes construtoras brasileiras enroladas em casos de corrupção. 

Tem fundamento
Se as maiores construtoras brasileiras estão atoladas até o pescoço em acusações, deve haver alguma dificuldade em encontrar "habilitados" para as grandes obras, sobretudo as governamentais. Ficha suja não pode participar de concorrências.  

40 anos do PT
Muitas e muitas reflexões sondam a cabeça dos baluartes do Partido dos Trabalhadores. Quase todos admitem erros e a necessidade de enfrentar os novos tempos debaixo de sarrafo. A ascensão e queda do PT, tem lá muitas explicações, mas não se pode perder de vista a força da legenda em algumas regiões brasileiras. E quando o governo de direita desafina, os companheiros se enchem de ânimo. Taí uma situação que põe o Bolsonaro para pensar. 

A estrada do Colono
Na reunião com prefeitos da AMOP e AMSOP, no Show Rural, um assunto roubou a cena e invadiu até as mesas dos quiosques de alimentação: o governador Ratinho Junior voltou a se posicionar favorável à reabertura da Estrada do Colono, que liga as regiões Oeste e Sudoeste paranaense. Só que desta vez ele usou uma ênfase bem direta.

Técnica e diálogo
"A partir do momento que a gente criar um projeto para essa estrada, que ela possa ser uma estrada utilizada para o turismo, colocando uma série de regras, eu acho que nós temos ambiente para avançar", disse Ratinho. Ele tocou no prumo da discussão, o fato de colocar numa mesma mesa os cabeças de duas regiões, mais os ambientalistas. Não dá para levar fósforos numa reunião dessas, porque o assunto vive cheirando pólvora 

Funil
Vamos lembrar: o tema já foi aprovado na Comissão de Viação e Transportes, está na mesa da diretora da Câmara e logo deve estrar em votação. O outro pacote tramita no Senado e recebeu parecer contrário da Comissão de Meio Ambiente. Mas alguém disse ao Corvo que se entrar em votação, passa. A abertura da estrada nunca esteve tão próxima da realidade.  

Vermelho
A reabertura da Estrada do Colono é uma das bandeiras de campanha do deputado. Assim que assumiu, protocolou o projeto de lei 984/2019 criando a categoria de unidade de conservação estrada-parque.

Muito além
Para o deputado, o projeto "vai muito além das questões de logística, ele resgata a história e as relações socioeconômicas, ambientais e turísticas da região". Também faz justiça frente ao elo quebrado entre duas regiões. Para muita gente, o que valerá a pena é a discussão entre todas as partes envolvidas num processo assim. É de lá que pode sair um pensamento mais congraçado entre o fator "sustentabilidade". 

Visita do Bakri
O deputado Hussein Bakri, o líder do Governo na Assembleia Legislativa, fez um giro por Foz do Iguaçu. Muita gente olha para ele e vê o Ratinho. O deputado anunciou a liberação de uma boa grana para infraestrutura, educação e saúde pública de Foz. Foi um sinal de que há parceria com o prefeito Chico Brasileiro, que é do mesmo partido, o PSD. Aliás, partido do governador e do deputado federal Vermelho. Ontem alguém alardeava que as relações entre Chico e o governo estavam congeladas. Bakri disse que não, pelo contrário.

Cachimbão
Onde o deputado Bakri vai, é seguido por uma legião de correligionários. Consegue ganhar do Inri Cristo, que leva junto aquele monte de beatas. E vai junto com o deputado gente de vários partidos, o que nos dá uma dimensão da elasticidade nas relações. Não foi diferente em sua visita no jornal. Faltou espaço no estacionamento e para o povo circular pelas nababescas instalações da redação! Mas como era tudo gente conhecida e amiga, reinou a paz e a harmonia.  

Paulo Mac
Alguém jurou de pés juntos que ele se tornou o maioral no Podemos de Foz do Iguaçu. Alguém do partido ligou eufórico para o Corvo, anunciando a mudança. Mas do bico do Paulo, mesmo, até o fechamento desta coluna, não saiu um pio.

Divórcio
E quem diria, depois de décadas no PDT, alguém poderia acreditar que o Mac mudaria de partido? É por isso que muitas pessoas custam crer nesses "novos ares" do imperador das Cataratas. Agora, as razões dele deixar o PDT, isso pode ser um sintoma que o Paulo já não possui a mesma paciência de outrora. "Algo há, como ele mesmo costuma dizer. 

Não entrega
Paulo pé difícil de entregar a rapadura. Ele faz uma dança da chuva que cansa até índio piá, daqueles que atiram com arco e flecha. Usa as leis da "distensão", coisa que não é para qualquer mortal. Se até o Pelé saiu do Santos, para jogar no Cosmos, Paulo não vai trocar de partido? Bom, como hoje é sábado, teremos tempo para pensar no assunto e descobrir todos os detalhes ao longo do final de semana.  

Costa Oeste em prontidão
A Operação Barreira mata a charada, se alguém está interessado em saber como se pode combater o crime na região. As polícias Civil e Militar e Civil utilizam todas as unidades nas ações ostensivas, abordagens, revistas, batidas e fiscalizações de trânsito. Disseram para o Corvo quer o bicho vai pegar no final de semana e até depois do Carnaval. É uma resposta ao temor que se espalhou com a possibilidade der invasão do PCC.

O povo agradece
Embora algumas pessoas se sentem incomodadas com o fato de dirigir e beber, de não possuírem a documentação em dia, o grosso da população respira com alívio. É bom saber que além das operações federais, o Estado está trabalhando duro na área de Segurança Pública.

Tremedeira

Os boatos sobre as ações do PCC na região estão colocando a AMOP em prontidão. Há prefeito usando fraldas geriátricas. Pudera, o modus operandi da marginalia é mais tenebroso que filme de bang-bang. Cercam as cidades, explodem bancos, sequestram o povo de caminhão. Ou não é isso que a gente vê pela televisão? Voltar a dormir de janelas abertas é um sonho impossível; coisa dos tempos em que fumo em corda se vendia na padaria. 

Na trincheira
Há uma informação que pode causar tranquilidade aos prefeitos, só não sabem medir o resultado de um possível enfrentamento entre os "terroristas" do PCC e as forças de segurança que estão de plantão na área. Contaram para o Corvo que há militares estrategicamente inseridos em quase todos os pontos vulneráveis. Eles trabalham com informação, disfarçados; operam em áreas rurais e povoados. Num piscar, em questão de minutos, há todo um aparato de reação e é aí que mora o perigo, ou seja, os focos de enfrentamento podem resultar em pequenas batalhas. É isso que chamam de guerrilha. A diferença é que não há a palavra "ideologia" do outro lado. Bom, pelo menos é o que se espera. 

Nervos à flor da pele
As PMs estão engrossando no trato com os suspeitos. Em São Paulo, a famosa ROTA demonstra uma falta de ânimo latente. Batem até no céu da boca. Não estão ligando nem um pouco para as questões que envolvem direitos humanos, sobretudo se há bandidos confirmados do outro lado. Dão o troco sem conversar, independentemente a ação ou ocorrência. Esta análise não faz apologia, retrata a frieza na resposta da sociedade, porque é por meio dos impostos que as forças de segurança são sustentadas. 

Jahnke prefeito?
Então Corvo, acho que vocês comeram uma bola mais ou menos. Onde é que o tenente-coronel bombeiro enfrentou campanha de prefeito? Só se foi em Santa Terezinha, porque em Foz isso é novidade. Para começo de conversa, se ele foi candidato à prefeito, como é que se tornou vereador? Quero ver você sair dessa Corvo?
Jandir A. R Leão

O Corvo sai dessa tranquilamente: amigo e querido leitor, o Google responde a esta sua dúvida cruel, e, muito facilmente. O Tenente Coronel Jahnke disputou as eleições suplementares, juntamente com Chico, Mansur e Osli e conseguiu mais de 8 mil votos. Antes, porém, ele havia se tornado suplente de vereador (Darci DRM) e com a rebordosa na Justiça, assumiu uma das cadeiras na Câmara. Tornou-se secretário de Governo, de onde não saiu mais, embora tenham engenhado algumas especulações no mundo da futrica politiquesca, coisa que o Corvo não dá bola e não pratica. Não pesquisar, o que é muito fácil hoje em dia, é que faz as pessoas almoçarem, e, jantarem bola murcha.

Mamadeira rachada
Tem muita gente se gabando de futuras nomeações em secretarias do governo municipal. Calma, não dá para acreditar e nem cair em conversa fiada. O que vai haver é choradeira do tipo: "mamãe eu quero". O prefeito Chico está com as cartas na mesa e ao que consta não fará mudanças agravantes no quadro até porque o grau de satisfação com os parceiros é alto.

A "reforma"
Esperto, o Chico está esperando os dias do ano eleitoral passarem. Não é segredo que em geral, alguns secretários e diretores, partem para encarar a sorte nas urnas. Chico deve aproveitar o momento para reformar o estafe com tranquilidade e meio que naturalmente. Será este Corvo apurou, deve haver alterações no máximo em duas ou três secretarias. É por aí a informação. O que surgir além disso, não dá para confiar. O Corvo brinca com "facão", "guilhotina" e expressões do tipo, mas tudo faz parte do fetiche em tempos pré-eleitorais. 
 
Sanidade agropecuária
Quem diria, estão formando até "conselhos" para controlar a emissão de agrotóxicos nas lavouras. Contaram para o Corvo que a tarefa de formar grupos de fiscalização não é coisa fácil de se fazer. O povo do campo, em grande maioria, não é chegado em abandonar os produtos que fazem mal ao ambiente. E a lei mudou e o que não falta é pesticida nas lavouras. Viajar pela BR-277 se tornou uma tarefa complicada além do trânsito. Há épocas que despejam veneno e tudo vem pra dentro do carro da gente. Só usando máscara para suportar. Foi-se o tempo do "cheiro de relva" na estrada.  

Combate à dengue
Itaipu está pegando pesado nas ações de combate ao mosquito. Pode ser, com essa iniciativa, algo mude na luta contra a Dengue. O problema é convencer a população, as pessoas só mudam, depois que levam picadas. No mais, segundo um apanhado, se dez residências fizerem a lição de casa e apenas uma não, o risco de infecção ainda é grande. Vencer o mosquito parece algo impossível, no entanto, um conjunto de atitudes simples fazem a diferença. O problema é a preguiça de quem não dá bola para a situação.  

Hospitais na China


O Corvo ficou de cara com a rapidez em que ergueram um hospital na área infestada pelo coronavírus. Em dez dias construíram uma estrutura que na cabeça de muita gente, é impossível fazer. Este colunista teve o cuidado de olhar os vídeos e fotos. É algo de cinema. As imagens das máquinas trabalhando é surreal. Difícil imaginar como havia espaço para tantos braços mecânicos escavando ao mesmo tempo.   


Turminha PET
A iniciativa agradou tanto, que passará a ocupar mais uma página semanal. Teremos espaço para a bicharada nas terças e quintas-feiras. Pudera, o universo "pet" está se ampliando por todos os lados, basta olhar para os setores especializados nos supermercados? É bom saber que animais são tratados como gente.

Mendicância


Corvo, não quero com esta minha cartinha, ofender os profissionais da área de assistência social da cidade, mas as ruas estão cheias de pedintes, inclusive nas portas dos supermercados. É uma situação muito chata. E os caras vendendo coisas nos semáforos? No lado da Avenida Paraná, antes da Costa e Silva, está um horror. Ontem quase atropelei um infeliz que distribuía panfletos. Eles se metem embaixo dos veículos da gente. E os artistas de rua? Sei dizer que está difícil. 
Helô A. Silveira

O Corvo responde: prezada, este colunista recebeu muitas informações acerca do tema. Um amigo que esteve no Rio de Janeiro, disse que a situação lá é de arrepiar. Nunca, jamais, em nenhum período da história, registrou-se situação igual. Há pessoas morando em bueiros, galerias telefônicas e as praças e chafarizes se tornaram banheiros públicos, como na foto publicada pela Folha de São Paulo. Isso parece ser um problema de muitas cidades e Foz não fica fora da lista. 
 

Casal da avenida
Uma cena conhecida por todos, tornou a chamar a atenção. Não faz muito tempo, um casal habitava a calçada da Avenida das Cataratas, nas proximidades do Shopping Catuay Palladium. A prefeitura os retirou de lá e passado um ano, eles retornaram, para o mesmo local e já armaram uma tenda. A cena não é das melhores, uma vez que na cerca ao lado, as roupas íntimas são expostas ao sol.  

Só o lado brasileiro


Olá senhor Corvo, meu nome é Danilo, moro no Porto Meira e estou muito interessado em saber como será a nova ponte com o Paraguai, porque andam dizendo que o acesso vai passar em cima da casa de um monte de gente. Daí fui lá olhar e as coisas parece que acontecem só do nosso lado. No Paraguai nem "tchum", por enquanto.
Danilo G. Reis

O Corvo responde: ultimamente parece que tudo vai passar em cima de alguma coisa em Foz. Não é bem assim. Vamos aguardar os projetos. O Paraguai, para variar, é cheio de triques-triques para qualquer iniciativa. A burocracia lá é monumental. Mas sobre a nova ponte, o repórter Roger Meireles fez uma sequência de fotos atuais e elas nos oferecem uma dimensão da grandeza da obra. Na primeira, é possível notar a relação entre estrutura e trabalhadores e na segunda, as duas cabeceiras em obras. Roger fez uso de drone e lentes em 360 graus. Um relevante trabalho. O profissional pretende acompanhar a obra no passo a passo. Será um registro histórico muito valioso. 
 

Relacionamentos seguros


Caros leitores e leitoras, se vocês possuem dúvidas com o futuro e nas "cara metades", não desistam facilmente, não chutem o balde! Os segredos nos bons relacionamentos são facilmente desvendados e basta ter calma para procurar o caminho. O Corvo também é sentimento! A jornalista Abilene Rodrigues é especialista nisso e ela fará uma palestra neste dia 17, às 18h30, na Rua Marechal Floriano Peixoto, 1134.  Taí uma chance de salvar a relação.   


Tragédia
Algumas pessoas ligaram para o jornal e para este colunista, questionando a "falta" de uma manchete sobre o caso que envolveu a servidora Ramiciely Carlessi. Acontece que este jornal respeita as famílias e o que mais as pessoas querem saber além daquilo que foi divulgado e exibido durante toda a quarta-feira? Calma, não trabalhamos com o sensacionalismo. Lamentamos muito o ocorrido e nossa obrigação é prestar solidariedade e momento assim, de profunda dor e sentimento. Vamos aguardar os desdobramentos e o tamanho da notícia, depende muito das investigações e resultado de perícia. Pelo momento, esperamos que os familiares e amigos superem o trágico momento.