No Bico do Corvo
No Bico do Corvo
Água na economia

A gente respeita a Justiça, mas às vezes dá um medinho... Esta de irem contra a medida que o general Silva e Luna está promovendo, de trazer para Foz funcionários lotados em Curitiba, bateu no céu da boca de muita gente, em especial quando Itaipu economiza, com a finalidade de prover benfeitorias. Graças aos ajustes da atual administração é que Foz e as cidades lindeiras passaram a sonhar com mais atendimento.

Vai sobrar para o...
...Lula! Por maiores as justificativas amparadas pela Justiça, de segurar a transferência dos funcionários, alguém vai dizer que é por causa da namorada do ex-presidente, que estava de malas prontas para a fronteira. Este Corvo aposta duas caixas de cerveja como alguém vai dizer que é em razão disso.   

79 projetos
E a nova administração de Itaipu está demonstrando muita seriedade. A binacional recebeu 79 projetos na área de educação. É uma seleção pública inédita. 

Reforma na prainha
Enfim a Prefeitura de Foz do Iguaçu iniciou a reforma no balneário da cidade. Com sorte, as obras estarão concluídas antes do inverno de 2020. O Sol torra a população, e tomara que tudo fique pronto antes de janeiro.

Aplicativo
O Foztrans está colocando em prática o seu novo aplicativo. Como a mobilidade é, em certos aspectos, uma dor de cabeça para muita gente, o endereço tem tudo para ser um dos mais concorridos. De qualquer maneira, também será possível avaliar o gosto dos fregueses, ou dos usuários. É um extraordinário meio de pesquisa. 

 

Terra do Glauber
Nas últimas semanas, Foz tem merecido um título glauberiano. Numa semana desfrutaram a presença do ministro Sérgio Moro, e na outra a do presidente do Supremo, Dias Toffoli, em pleno auge de sua decisão sobre a prisão em segunda instância, o que levou muita gente a protestar em frente ao hotel que sediava um evento. Dá para dizer que Foz é igual ao título Deus e o Diabo na Terra do Sol! Leia-se divindades e demoníacos, perante o gosto do povo. Não temos absolutamente nada com isso. Alguém vai negar que Foz é a Terra do Sol?
 

Feriadão
Segundo este jornal pesquisou, e publicou, a hotelaria ocupará praticamente todos os leitos de hoje até domingo no feriado de 15 de novembro. Os monarquistas que nos desculpem, mas se depender do movimento na cidade devemos abençoar a Proclamação da República. Mas a data passou a ser muito comemorada na área comercial, em especial no Paraguai, quando encaixaram uma Black Friday no calendário. De novembro em diante, o povo quer fazer as compras de Natal. 

Originalidade
Francamente, o Corvo acredita que a prefeitura poderia contratar os decoradores dos shoppings da cidade. Tanto o Cataratas JL quanto o Catuaí Palladium estão dando um show de bom gosto e originalidade, com decorações provavelmente muito baratas e eficientes. Usam muitos cordões de luzes, e isso faz o clima de festa. O Catuaí, então, abusou das lâmpadas brancas, com direito a um belo túnel de luz na entrada do edifício. 

 

Preços baixos
O Corvo fez uma rápida pesquisa, e o LED para enfeite está muito barato. Para se ter uma ideia, uma cortina de lâmpadas, com mais de 900 elementos, medindo dois metros de altura x três de largura, custa R$ 65. Uma literal mixaria. Com preços assim, a cidade poderia contratar a Liga das Jovens da Juventude Juvenil para decorar toda a cidade! Que maravilha. 
 

Chuvas e temporais
Soltaram um alerta em Foz que apavorou toda a população. Houve quem pregou ripas na janela, como fosse passar um furacão. Disseram que haveria ventos com mais de 70 km/h e pesada chuva de granizo. No fim houve um chuvisco em boa parte da cidade. Mas prevenir é melhor do que não dizer nada.

R$ 10,5 mi
Foi o valor que a Receita Federal repassou para as entidades em outubro. Boa parte dessas mercadorias vai rechear os bazares das entidades, ou seja, competirão com o comércio, o que deixa muita gente emburrada. Mas há espaço para todo mundo. Os bazares vendem a preços reduzidos, e com as mercadorias pulverizadas isso pode nem causar efeito. Vamos pensar que as entidades precisam de dinheiro no final do ano; também pagam 13º aos funcionários e possuem obrigações necessárias, senão ficam sem certidões e, com isso, não podem receber subsídios públicos.

Papai Noel
Prezado Corvo, eu li sobre o fato de um pai incentivar o filho a puxar a barba do Papai Noel. Que traquinagem, hein? Mas o problema é que as pessoas parecem não entender o Natal e o simbolismo que há nele. É uma festa cristã, mas também festejada por várias religiões. É, na verdade, o nascimento do menino Jesus. Portanto é muito feio mandarem puxar a barba e avacalhar com o Papai Noel, coitado, cuja origem remonta a milhares de anos! 
Neida Lidiane Duarte

Polêmica
Corvo, também não concordo com esse Natal antecipado. Segundo pesquisei, isso tem de acontecer em dezembro. Veja, a Globo nem está tocando a musiquinha. Nada contra o Natal nem contra o Papai Noel. Levei minha neta ao shopping e, apesar do ar-condicionado, o homem estava derretendo dentro daquela roupa quente. Papai Noel é algo que lembra o inverno.  
Leda FR Abrantes

O Corvo responde: prezada Neida, certamente o pai estava brincando ao pedir que o filho "testasse" a barba do Papai Noel, e se fosse verdadeira era o bom velhinho oficial. Em outras palavras, mentiu duplamente, mas é uma mentira sem pecado, porque faz a criança sonhar. Este Corvo, por exemplo, fez coisa bem pior, cometeu a besteira de assar um coelho no dia da Páscoa, então imagina a encrenca quando as crianças ficaram sabendo; de manhã ganharam um ovo de chocolate, que o coelho havia deixado, e na hora do almoço ele foi servido em forma de churrasco. Que barbaridade, hein? Já respondendo para a leitora Leda, Papai Noel é inspirado em Santa Claus, ou São Nicolau. Mas, na verdade, quem inventou esse Papai Noel que conhecemos foi a Coca-Cola.

Piolla e a política
O povo da maldade anda espalhando o costumeiro besteirol sobre os personagens mais em evidência na cidade. E, para variar, o Gilmar Piolla, supersecretário do Chico, não ficou fora do mundo das especulações. Soube este Corvo que o secretário de Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos vai ficar mais quietinho que estátua de porcelana. Como se sabe, ele é funcionário cedido por Itaipu Binacional e, recentemente, teve essa cedência para a prefeitura renovada para o próximo ano. Um dos compromissos do "Pi" é deixar a política de lado, pelo menos nas próximas eleições. Como o Piolla é um bambino obediente, podem crer que ele só vai ver a boiada passar.

 

​​​​​​​Agressão

Os ministros do STF tentam a todo o custo encontrar maneiras de esfriar os ânimos da turba, sobretudo após as decisões que são proferidas no sacrossanto recinto da Suprema Corte. Mas é preciso convir que há muita dificuldade nisso; primeiro que o país está dividido e depois a falta de entendimento da população com relação às deliberações judiciárias. Em curtas palavras, quem agradar aos gregos apanhará dos troianos. Complicado. É a tradução para o movimento realizado em frente ao Bourbon. 

Aceitação
A Justiça brasileira, independentemente das decisões, precisa ser respeitada. Há um entendimento de que, ao ofenderem os ministros, de alguma maneira acabam atingindo a instituição. Tecnicamente não é assim, mas ao exibirem faixas dizendo que estão com o ministro Sérgio Moro e apoiam o presidente Jair Bolsonaro, não há nada de mais. A oposição que se aquiete. 

No Fantástico
O Corvo nem é lá muito chegado à televisão e seus telejornais. Quando a notícia sai lá, já a sabemos decorada e salteada. É uma das dádivas da modernidade. Mas a Globo, debaixo do sarrafo, exibiu uma montagem muito interessante, quando foi literalmente descascada por Bolsonaro, Lula e até mesmo pelos humoristas dos seus quadros de entretenimento. Quais as maldades tão terríveis a emissora teria aprontado para merecer tantas críticas dos políticos? Vai ver a culpa é da Maria da Paz, que errou na receita do bolo. Ontem a Folha de São Paulo revelou que a Rede Globo ficou fora de uma verba oficial de publicidade. Para encerrar, como costuma dizer um amigo, minhoca esperta não atravessa o galinheiro.

Contratos públicos
Seu Corvo, você viu isso? Os vereadores estão fazendo um mutirão para fiscalizar os contratos feitos pelo município. Bem que podiam arranjar o que fazer. Depois as obras não acontecem e é o prefeito que apanha. 
Sueli VG Silva

O Corvo responde: prezada, os legisladores estão cumprindo o seu papel. Ao fiscalizarem os contratos realizados pelo município, fazem a lição de casa. São eleitos para isso e para a criação de leis que aperfeiçoem a carta magna iguaçuense. Nem precisam encontrar mais o que fazer, como escreveu; se fizerem isso, estará de bom tamanho. No mais, se a prefeitura realiza os contratos corretamente nada tem a temer. Fiscalizar é o papel do vereador. 

Pelo em ovo
Uma coisa é fiscalizar, outra é embirrar em razão de ciumeira oposicionista. Vereador que trava o desenvolvimento e as benfeitorias públicas por causa de politicagem acaba indo embora para casa mais cedo, porque a população não dorme de touca faz tempo. 

Rodovias paranaenses
Prezado Corvo, li atentamente a matéria sobre a pressão que a bancada paranaense em Brasília faz sobre as rodovias, concessões e preço dos pedágios. Quem tiver o prazer de se locomover num estado como São Paulo verá que outro mundo há em matéria de estradas, quase todas duplicadas e bem conservadas. Há cobrança de pedágio, mas nenhum deles é tão caro quanto o que é cobrado no Paraná. E veja se os paulistas reclamam! Querem mais boas estradas e pagam o preço. 
Marcílio Randolfo (caminhoneiro)

O Corvo responde: prezado, sem comparação, São Paulo é um país dentro de outro. É um estado muito rico e talvez tenha chegado a esse patamar em razão da preocupação com as estradas. O que a bancada paranaense em Brasília faz é simplesmente cobrar o que deve ser cobrado, exigindo respeito aos usuários. As estradas estaduais estão péssimas; e as federais, impossíveis de usar em razão do preço e da raiva que os usuários sentem em não contar com duplicação. O Paraná não possui uma única estrada no sentido Leste-Oeste totalmente duplicada, algo que é muito ruim para o desenvolvimento, escoamento de safra e falta de segurança aos motoristas. É uma vergonha! Apenas uma reparação: há pedágios em São Paulo que são caros também, como é o caso das estradas Anhanguera, Castelo Branco e Bandeirantes. Cobram até R$ 24 em algumas praças.    

Uber 
Corvo, eu achei que o Uber e outros aplicativos existiam para ajudar na mobilidade, mas de um tempo para cá parece que estão escolhendo muito as corridas. Ontem eu precisei esperar cinco veículos e quando chegavam ao meio do caminho desviavam a rota ou desistiam do atendimento. O que acontece, hein? Isso é possível? Para mim é uma falta de respeito! Essa gente está esculhambando o serviço de táxi e até mesmo a área de turismo. Aqui vão os meus protestos.
Maria Aparecida Vargas (aposentada)

O Corvo responde: é simples, toda a vez que o usuário solicita um veículo, há identificações no aplicativo. Lá consta a placa, marca do veículo e nome do motorista, horário e tudo o mais. É algo muito completo. Há também espaços para as pessoas relatarem os problemas. Reclame, que os aplicativos saberão o que acontece e tomarão providências.   

Trânsito mata
Os acidentes de trânsito em Foz do Iguaçu causaram 19 mortes, além disso deixaram 585 feridos. O que assusta também é a quantidade de atendimentos: quase 2.300 em apenas um ano. As motos são responsáveis pelos casos mais graves. Certamente, entre os feridos, há muitas sequelas em razão do uso de veículos de duas rodas, e isso afeta a área hospitalar da cidade, do trauma à recuperação. Uma pena, porque a motocicleta é um veículo econômico, polui menos e de certa forma seguro; o trânsito que não é. 

Barbarizante
A Polícia Militar deve estar atenta aos abusos dos veículos que aterrorizam nas madrugadas com o volume de som acima do permitido. Esses caras de pau ainda param em esquinas residenciais e ficam fumando maconha e provocando a vizinhança. São inúmeros os casos de reclamações.    

É o fim da picada
O Corvo conferiu bem se a informação era fake, tamanha a imbecilidade. Um marqueteiro de nome Siddartha Chaibub ocupou a tribuna do evento "Terra Plana" para afirmar que a humanidade é manipulada pelos "globoloides". É como ele considera a comunidade científica internacional. Ele afirmou ter 99,9% de certeza de que o nosso planeta não é esférico, e sim plano, igual a uma pizza. Explica-se, segundo ele, sua investigação foi feita em redes sociais "do Brasil e de fora", onde ele tomou conhecimento de que as fotos da Terra feitas pela NASA não seriam reais, e sim montagens. As viagens espaciais realizadas pela humanidade seriam invencionice, produto dos estúdios cinematográficos. E o pior é que cerca de 400 pessoas desembolsaram entre R$ 80 e R$ 110 para ouvir o palestrante. Bom, no mínimo foi hilário.   

Saudade do Mário
O Mário Du Trevor Júnior, o nosso Marito, foi-se e deixou muita saudade, afinal de contas era muito enigmático; mais do que isso, era um sujeito cativante. O nome dele, como as suas facetas e o pleno conhecimento artístico, mais o dom de ser um ótimo violonista e seresteiro, ainda ronda a mente dos amigos e as mesas dos botecos. Mário é um ser "Saudoso", com o "S" maiúsculo. Um amigo confessou a este Corvo que às vezes esquece e vai ao quiosque na Avenida Brasil, esperando encontrar o Marito por lá, mas ao chegar cai na real. Pois bem, semana passada, durante um longo brinde aos saudosos de Foz do Iguaçu, ilustres figuras que marcaram uma época, o nome do Mário foi praticamente que aclamado por uma confraria e terá uma placa num estabelecimento muito conhecido. É bom saber que a sociedade se preocupa com essas importantes figuras. Este Corvo faria uma lista bem interessante dessas pessoas. 

"Coisas da vida"
Mário faleceu em 13 de julho de 2017. As "coisas da vida", como dizia, tirava de letra, mas não deu para driblar a doença. O filho, Jean Pierre, foi um herói. Aproveitamos para fazer uma correção, mesmo tanto tempo depois. A morte do Marito chocou amigos de todas as partes, até gente que vivia em outros continentes. Com a notícia, e na tentativa de confortar a família, na realidade o filho, cometemos um equívoco: desejamos pêsames a Elaine Verdia Oliveira, a Gaúcha, como conhecíamos. Na verdade, Marito não chegou a desfrutar um convívio com a mãe do Jean Pierre, não houve sequer um enlace ou algo que justificasse uma união estável. O jovem é que optou por viver com o pai e cuidá-lo. Elaine, por sua vez, dedicava-se a visitar o filho sempre que podia, pois residia em Pelotas. O tempo passou, mas julgamos necessária essa reparação, já que o Marito é sempre muito lembrado, com carinho e saudade!

 

Chico e a decoração

Depois de uma batalha vencida perante a opinião pública, com apoio de boa parte da população, que esperava pela primeira vez na história uma decoração natalina eficiente em Foz, o prefeito desistiu, afirmando temer a utilização do processo numa guerra oposicionista. Muita gente não entendeu. Se todas as ações do governo atenderem a isso, não haverá iniciativa que prospere. Pelo menos é o que as pessoas dizem. 

Cordões de luz
No máximo, Foz terá cordões de luzes enrolados nas árvores e enfeites em nada diferentes daquilo que a cidade está acostumada. E isso depois de um debate na Câmara, com a maioria aprovando remanejamento de verba para a decoração, visando a melhorar o movimento no comércio, gerar empregos e agradar aos visitantes. E tem mais, segundo Chico, nada havia de errado na licitação para aquisição dos enfeites. De fato, o Grinch foi mais eficiente que o Papai Noel.  

Lula à solta
Quem mora em São Bernardo do Campo não faz ideia do dia em que poderá dormir ou ver televisão sem barulho de carros de som, rojões e helicópteros rodeando o ex-presidente Lula por onde for. Até a tarde de domingo, ele fazia discurso a cada hora. Já perdeu a voz. 

Desmontagem
Ao contrário dos moradores do Grande ABC paulista, os servidores e policiais federais de Curitiba estão nas nuvens. Pensa o que são 580 dias ouvindo músicas, hinos e falas do Lula num palanque montado em frente à delegacia? 100% do efetivo usava protetores auriculares. "Agora parece um sonho", revelou um PF ao Corvo.   

2ª instância no Congresso
O ministro Dias Toffoli acredita que o Congresso Nacional irá apressar a reforma constitucional restabelecendo as prisões em segunda instância. O presidente Bolsonaro, ao que consta, não embarcou na canoa. Deve saber que o embate é uma incógnita e, ao mostrar a cara, corre o risco de derrota. Agora a leitura é simples: qualquer derrota de Bolsonaro fortalece Lula, e vice-versa. A política mudou de cara. Ambos, Lula e Bolsonaro, analisarão bem o ambiente antes de abaixarem para pegar o sabonete.  

Lula e Zé
Quem ouviu ou leu as declarações de Zé Dirceu não tinha lá muitas dúvidas sobre a provável união entre ele e Lula após a soltura. Isso vai ficar um pouco mais difícil de acontecer com vários outros delatores, como o caso de Antônio Palocci. Mas não vai demorar, a "petezada" estará unida de novo.    

Lula e os livros
Pela lista de livros que teriam entrado no quarto do ex-presidente, nos 580 dias de cárcere na PF, Lula acessou pelo menos uns 30 títulos e, de certa forma, alguns bem interessantes; uma média de leitura de um livro a cada 19 dias. Se não leu apenas os prefácios, orelhas e contracapas, ele pode ter se convertido num homem um tanto filosófico. Uma pesquisa científica garante que presos que se entregam à leitura saem mais arejados para encarar a vida exterior. 

Bolsa & Dólar
A soltura de Lula balançou as Bolsas de Valores e mexeu com a cabeça dos comerciantes paraguaios em CDE. O dólar escalou a planilha de altas e quase estragou a festa de promoções dos vizinhos.  

Imprensa internacional
O Corvo teve o capricho de ler as notícias dos principais jornais em todos os continentes. Graças ao milagre da tradução, é possível entender até o que os húngaros escreveram. As opiniões se dividem. Uns tratam a prisão como "política", outros falam em bagunça na luta contra a corrupção. Não vamos longe, os brasileiros também pensam da mesma maneira. 

O mais amado e odiado
Entre todas as facções políticas, partidos, prós e contras, uma figura obteve um lugar no topo do cadafalso, e é para onde foi parar o ministro Dias Toffoli. O grosso da população não entende a discussão na corte e ao que ela precede. Por esse aspecto, a soltura de Lula roubou a cena.  
 
"Serginho"
E o ministro Sergio Moro saiu faceiro de Foz, fazendo elogios a todos os que encontrava, assim que chegou a Brasília. Durante a considerada "longa estada", para um ministro da República em uma cidade, já o estavam sendo chamado de "Serginho". Uma pessoa se folgou tanto que largou um "mano" no meio de uma conversa. Que barbaridade!  

Descanso em Foz
Quando o ministro foi embora, algumas pessoas colocaram os pés em bacias de salmoura, esperando aliviar o cansaço e os calos que se formaram acompanhando o ministro. Aos que se dedicam às autoridades, uma notícia foi alvissareira no final de semana: o presidente Bolsonaro teria escolhido Foz para um período de descanso de uma semana! Deve acontecer em janeiro ou fevereiro de 2020. 

Restrição aos veículos
Corvo, penso que o trânsito de caminhões na Avenida das Cataratas deve ser bem mais restrito. Em minha opinião isso poderia acontecer nas madrugadas. Durante o dia, eles permanecem em áreas destinadas no Paraguai e Argentina, cruzando a fronteira após a meia-noite. Por que não fazem isso? 
Reginaldo Lauro 

O Corvo responde: prezado, será que isso iria dar certo? E como ficaria o trânsito de visitantes às cidades vizinhas aos atrativos noturnos? Segundo informaram a este colunista, logo teremos boas-novas sobre as obras de Perimetral Leste, e esse tormento de caminhões passando pelo centro da cidade deve diminuir. Os novos horários foram estudados até serem deliberados. 

Bomba de flit
Corvo, apesar dos inseticidas do tipo spray, eu nunca abandonei a minha velha e boa bombinha de flit, que já deve possuir uns 30 anos. No máximo troquei o reparo. Com isso, ajudo a preservar a camada de ozônio, que é destruída com os gases emitidos pelos aerossóis. 
Mário GB Ramires

O Corvo responde: há pessoas que não abandonam os hábitos. Mas ao cuidar da camada de ozônio, o que o planeta agradece, o senhor também se expõe ao manipular os inseticidas, muitos dos quais não possuem a mesma mistura que há nos tubos de spray. Cuidado

Mais borboletas
Seu Corvo, é maravilhosa a foto da borboleta na capa da edição de sexta-feira. E é verdade, Foz fica linda na primavera. Na minha casa, então, tem-se a impressão de estar num borboletário. Mas, Corvo, acredite, minha vizinha pensa que as borboletas são nocivas e passa veneno para afastá-las. Disse que elas viram taturanas e comem suas flores. 
Márcia JH Silva

O Corvo responde: prezada, converse com a sua vizinha e explique o ciclo das borboletas, pois é ao contrário do que ela pensa. Começa com ovo, depois larva ou lagarta, pupa e finalmente surge a borboleta adulta.

Muita coisa
O domingo foi dos mais agitados em Foz. Prova do ENEM, Cataratas Day, Papai Noel chegando ao mesmo tempo em vários locais, feira de crianças, enfim, uma correria que só, o dia todo. Os shoppings estavam lotados. Destaque para o túnel de luz do Catuaí Palladium. Em certo momento, havia mais gente embaixo dos arcos do que propriamente nas lojas.

 

Na Corte Suprema..

Não se fala em outra coisa, a não ser no entendimento do Supremo Tribunal Federal sobre as prisões em segunda instância. Conforme explicou o presidente Dias Toffoli, ao justificar o voto minerva, isso foi apenas um ajuste constitucional. O caso é que petistas queimaram fogos em várias regiões do país, inclusive ao lado da corte. Prisão agora só depois do processo transitado em julgado, mas é um equívoco acreditar que os juízes sairão soltando presidiários. Lula é o alvo das atenções.

O jogo dos dentes
O Corvo amanheceu filosófico e, de certa forma, precisa atender os leitores, também filosofantes, sobretudo aos finais semana. Corvo acredita que o destino é uma caixa de engrenagens. As grandes vão encaixando-se nas menores, e no acerto entre as concavidades, num dente e outro, na rotação e torque, há um resultado. Mas no comparativo, será que nessa precisão é possível dimensionar que o ministro Toffoli foi encaixado num eixo, até produzir o resultado da última quinta-feira? 

O dono da caixa
Bom, vamos raciocinar: Lula montou parte da caixa, ajustou os pinos e as engrenagens. Deve ter pensado no futuro, seus sobressaltos e riscos. E a peça que ele mais lapidou é quem acabou provendo o resultado, ou seja, o destino lhe foi favorável, porque soube arquitetar uma saída em cada buraco. Há quem imagine o risco de uma enorme bagunça no país, e em curto prazo.  

Trajetória
Explicando: tudo pode não ultrapassar o campo das coincidências e suas casualidades, mas muita gente raciocina com o fato de Dias Toffoli "existir" no STF pelas mãos do ex-presidente Lula. Foi, sim, uma trajetória meteórica, mais ligeira que foguete russo. Toffoli se formou em 1990 e iniciou na advocacia em 1991.

Atividades fundamentadas
O jovem advogado Toffoli foi consultor da Central Única dos Trabalhadores entre 1993 e 1994; assessor parlamentar na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo em 1994; e, no ano seguinte, assessor jurídico da liderança do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados por um bom tempo, de 1995 a 2000. Depois disso, atuou como advogado em três campanhas presidenciais de Lula, nas eleições de 1998, 2002 e 2006. Foi subchefe para assuntos jurídicos da Casa Civil da Presidência da República de 2003 a 2005. Em 2007, foi indicado pelo então presidente Lula para o cargo de advogado-geral da União; e finalmente, em 2009, indicado pelo mesmo presidente ao cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal. É impossível deixar de pensar na tal caixa de engrenagens ou em criadores e criaturas. Mas isso em nada deve diminuir a capacidade de julgamento de um magistrado.   

Ele julgou
Toffoli, em suas justificativas, disse que seu voto estaria de acordo com o pensamento do Parlamento, que representa a sociedade. Sendo assim, ele se alinhou ao Legislativo. A República procede a independência dos poderes, e nesse caso o Judiciário parece que preferiu a contramão. 

Recado
Grotescamente analisando a situação, os ânimos, as dormências e os rancores, há de se pensar que o resultado da votação no STF é um troco ameaçador nas recentes alusões à quebra das liberdades constituídas. A decisão, enfim, acende uma chama aos que não concordam com os rumos do atual governo, e isso seria uma intenção de contrabalancear o coreto? Ou é para bagunçá-lo de vez? A ministra Carmem Lúcia, mesmo votando pela manutenção da prisão em segunda instância, abordou essa possibilidade, fez a "moraleja" por meio de palavras diretas, sem suavidade. É de fato algo bom para se pensar no final de semana. Todo brasileiro acreditava na "independência" do Judiciário, e não num instrumento em favor daquilo que pensa a massa de deputados e senadores, muitos dos quais envolvidos em investigações federais. Já deu pro gasto. Vamos mudar de assunto.   

Não há lugar melhor
O Centro Integrado de Operações de Fronteira é instalado no local certo. Não encontrariam outra estrutura mais adequada. A área de Itaipu já possui muitos equipamentos de monitoramento, inclusive um radar capaz de rastrear toda a superfície do lago, o mesmo utilizado nos porta-aviões norte-americanos. Provavelmente consegue detectar até os submarinos cheios de muamba. Muita gente não sabe disso, por tratar-se de um setor muito restrito. As instalações de lá já se configuram num Fusion Center. 

Grande Felipe!
A vida do empresário Felipe Gonzalez se confunde com a história do setor de turismo em Foz e no Paraná. Certamente ele dedica muito mais de 80% da sua existência ao setor, porque começou a trabalhar muito jovem. Agora ele enfrenta um novo desafio, o Visit Iguassu, provavelmente a ferramenta mais poderosa da cidade para fazer a máquina andar, com muitos projetos em riste para atrair negócios e visitantes. A instituição está em boas mãos.   

Fiscalização
O TC, ou Tribunal de Contas, está fiscalizando várias obras em Foz do Iguaçu, como este jornal já publicou, inclusive. Estão medindo a espessura do asfalto. Contaram para o Corvo que bastou uma marteladinha de nada e foi suficiente para vazar até água! Vai ver, acharam um cano da Sanepar. Nem tanto, este colunista às vezes abusa da força de expressão, mas que cascas de ovos são mais resistentes, isso é fato. 

Novo inseticida 
Este colunista ornitológico furou todo mundo no assunto da falta de inseticidas para os fumacês em Foz neste ano, no importante combate ao mosquito medonho da dengue. E é em situações assim que fala mais alto a inteligência. Técnicos do CCZ estudam e desenvolvem um novo produto capaz de nocautear o mosquito antes de ele derrubar a gente. Segundo revelado, os primeiros testes foram muito satisfatórios. Se der certo, a cidade poderá "exportar" o experimento, isso se a Anvisa não colocar pelo em ovo. A fórmula criada em Foz é em nada perigosa para os humanos e utiliza elementos naturais. Com resultados satisfatórios, bom mesmo seria distribuí-la para a sociedade fazer o serviço de borrifar em casa. As boas e eficientes bombas de "flit" voltarão à ativa! A mãe do Corvo deve ter uma igualzinha à da foto, guardada embaixo da escada da despensa. 
 

Gramado sempre em pauta
Como este Corvo lembrou ontem, a cidade de Gramado sempre faz parte das discussões do Natal em Foz, e não foi diferente quando debateram o remanejamento para a decoração de Natal na Câmara de Vereadores. O Corvo deu de ler o histórico, para não cometer injustiças, afinal o assunto foi acalorado em plenário. O vereador Rogério Quadros argumentou que o remanejamento em discussão era uma simples questão de investimento, pois Gramado destinou R$ 25 milhões para o Natal neste ano, e diante ao exposto na discussão a cidade deveria começar a pensar num evento natalino de grande porte, "sendo Foz um importante destino turístico", completou. Elizeu Liberato, por sua vez, disse estar convencido sobre a aplicação dos recursos.

Debate em plenário
Sobre o tema, Anice Gazzaoui pensou em pedir vistas, mas desistiu porque poderia atrapalhar o cronograma. Nanci Rafagnin Andreola, que faz parte da Comissão de Turismo, pediu aceleração no processo, pela necessidade de realizarem em tempo as licitações. Fertrin, em agosto, já se mostrou contrário e disse: "Nós apostamos naquilo que seja promissor e um investimento para a cidade, mas também é muito claro que devemos avaliar cada passo que damos. Por que não se aplica a sobra das pastas em saúde, educação e sinalização viária"? Já Luiz Queiroga (que também está na linha da oposição) considerou os benefícios da festa em Gramado, pontuando que representa grande parte do PIB do município. Ele concordou que o projeto era viável economicamente e que poderia atrair verbas, atrativos, embelezaria a cidade e aumentaria a contratação de pessoas no comércio. Pensou com a cabeça. O projeto foi aprovado em primeira e segunda discussões com votos contrários dos vereadores Anice, Celino Fertrin, Darci DRM e Edílio Dall’Agnol. Logo, Juca e sua equipe, na Fundação Cultural, estão cobertos pela lei e amparados por maioria expressiva na Câmara. Celino esperneia porque isso faz parte do jogo. O assunto da decoração natalina de Foz continua na pauta de discussões populares. 

 

Lição de casa
Nosso diretor Darley Carneiro estava caminhando pela Avenida Brasil e se deparou com algo inusitado. Alguém estacionou em vaga para deficientes, provavelmente irregularmente. Não demorou, colaram um papel no vidro da porta do motorista com o seguinte conteúdo: "Você estacionou em uma vaga para deficiente físico, sem o cartão de identificação exigido. Se você acompanha um, providencie a identificação. Agora, se não se enquadra no caso acima, tenha mais respeito, educação e vergonha na cara". O infrator deve ter passado um carão, e benfeito! 

 

Muitas atividades

O ministro Sérgio Moro, pelo visto, só está conseguindo respirar a cada cinco minutos, em Foz, tamanha a agenda de compromissos e o corre para tantos lugares. A vantagem é que certamente ele voltará para Brasília uns cinco quilos mais gordinho, haja almoços e jantares, lanchinhos, coquetéis, afinal a Terra das Cataratas gosta de tratar bem os visitantes ilustres.

Decoração
Prezado Corvo, nos vemos agora nesse impasse. Foram raros os investimentos em decoração natalina da história da cidade, ou por falta de dinheiro, ou pelo simples não interesse das autoridades, por acreditarem que isso é uma responsabilidade do comércio e cidadãos. Quando a prefeitura, por meio da Fundação Cultural, resolve iniciar um trabalho e que, sabemos, possui custos, surge essa confusão de acharem o preço dos adereços caros. Mas será que são caros mesmo? Se no conjunto o gasto é inferior ao do ano passado, qual o problema? Tudo bem, o papel de vereador é questionar, mas é necessário pensar no custo-benefício de certas coisas. Uma cidade bem iluminada melhora o comércio, ajuda a gerar postos de trabalho em época tão especial, nos dá estímulo e encanta os visitantes. O senhor está certo, Foz não deve se preocupar e ficar igual a Gramado no Natal; e fazer o mínimo, como estão fazendo, não é pecado. 
Marcia Gouveia de Albuquerque

O Corvo responde: prezada leitora, os questionamentos surgiram diante dos preços de alguns adereços, como é o caso de uma árvore de Natal de 28 metros, que será instalada na Praça da Paz, bem como o aluguel para a casinha do Papai Noel, em torno de R$ 1.000 por dia. No mais, é preciso pensar que a decoração abrange várias avenidas e entradas dos bairros. 

Questão cultural
Foz não possui essa cultura de investimento em Natal, mas isso faz parte do orçamento, portanto foi analisado quando o assunto entrou em discussão no ano passado. E ao longo deste ano a Câmara votou um remanejamento de verba, cedida pela Secretaria de Turismo. Neste momento, por exemplo, estão analisando as medidas orçamentárias para o ano que vem e bem que poderiam pensar um pouco mais no assunto. O orçamento da Fundação Cultural é muito enxuto, resume-se em pagamento de pessoal e o estrito calendário de eventos oficiais, como carnaval, aniversário do município e Natal. As raspas de tacho e as parcerias são o que conseguem realizar as demais atividades. Ao que parece a população apoia a ideia de decorar a cidade à espera do Papai Noel. 

Medidas
O presidente da Fundação Cultural, Juca Rodrigues, está negociando preços mais ajustados com os fornecedores. Ajustados porque, para serem reduzidos, necessitarão diminuir os enfeites, ou seja, a árvore de 28 metros terá 18, a casinha do Papai Noel receberá menos bolas de Natal, o bom velhinho encurtará o tempo de visita, e os pinheiros na entrada dos bairros terão menos cordões de luz. 

Celino e as lâmpadas 
Francamente, o que será que o vereador Celino Fertrin tem contra lâmpadas e iluminação? Primeiro armou um barraco no projeto das lâmpadas de LED, tanto que o assunto se converteu em CPI; agora está encrencando com a decoração de Natal? Dá um tempo! Desse jeito, está transformando-se no "Grinch" natalino iguaçuense! Ao que parece, ele encara a utilização do dinheiro público por outro prisma, o que é um direito dele, ou no mínimo não é chegado ao Natal, porque já votou contra o remanejamento para a decoração. 

 

Origem
Acontece que o dinheiro remanejado, em torno de R$ 1 milhão, que veio do turismo, não saiu de setores vitais como saúde, educação, assistência social, e sim visa a incrementar a boa imagem da cidade em período tão interessante. Isso está cheirando a intriga política, porque a decoração agrada à população e ao comércio, fonte geradora de muitos postos de trabalho nesta época do ano. É chato imaginar que, por causa de rusgas políticas, até o Natal entra na alça de mira. 
 

Importante
A Câmara Municipal desempenhou um papel importante nesse processo, com ou sem a aprovação do ilustre Celino e os contrários às ações do governo. Na época, informaram sobre debate na sessão extraordinária, quando aprovaram o remanejamento (PL 108/2019) no valor R$ 1 milhão para o Natal de Foz do Iguaçu. O argumento foi o de impulsionar o turismo e o comércio. Na discussão, concordaram que a estrutura deveria ser montada na Praça da Paz, como aconteceu em 2018, causando a circulação na região de três mil a cinco mil pessoas.

Aprovação
O projeto foi aprovado em primeira e segunda discussões com votos contrários dos vereadores Anice, Celino Fertrin, Darci DRM e Edílio Dall’Agnol. Logo, Juca e sua equipe estão cobertos pela lei e amparados por maioria expressiva na Câmara. Celino esperneia porque isso faz parte do jogo. 

 

Conquista
A inauguração do EducationUSA, um escritório oficial do governo dos Estados Unidos, e que consolidou o projeto de internacionalização da UDC, crava um marco importante em Foz e com um olhar muito particular deste articulista quando o assunto é obstinação, cumprimento de metas e foco no trabalho, porque isso junto é o nome que se dá à formula para a realização de sonhos. Para quem conheceu o espaço do Xodó da Vovó, na Rua Rebouças, onde tudo começou, com apenas 36 alunos, e hoje vê o complexo educacional ocupando algumas quadras, no eixo de várias ruas no centro da cidade, aprende uma lição: tudo é possível quando há força de vontade e busca pelos objetivos. A família Prado merece todos os aplausos! 

"Família"
Essa palavra, sim, tem um significado muito abrangente para os Prados. Família é a base de tudo. Este Corvo, incógnito, como sempre, acompanhou o desenlace da faixa que abriu as portas do EducationUSA. Lá estava quase toda a família e, ao centro da cerimônia, a professora Rosicler com os netinhos João Augusto e José Felipe, um em cada lado, com a faixa nas mãos. A propósito, o João Augusto comemorava 6 aninhos na data (quarta 6/11). O papai Fábio, para variar derretendo-se em orgulho, mas ele merece. Cabe aqui o comentário: logo chegará o Marco Antônio. Pensa o trabalhão para a mamãe Pryscilla ao cuidar de quatro homens ávidos por realizar boas ideias! Aqui também vai um abraço para o Rodrigo Prado e os seus. 
 


Visita
Na tarde da última terça (5), o diretor-superintendente do Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), Fernando Cossa, fez uma visita especial ao diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, general Joaquim Silva e Luna, para entregar um exemplar do livro Uma trajetória de cuidados — 40 anos salvando vidas. A obra — que celebra os 40 anos da instituição, completados em julho, e os 25 da Fundação de Saúde Itaiguapy, administradora da unidade hospitalar, comemorados no dia 26 de outubro — apresenta um pouco da história da instituição, dos bastidores e do trabalho de todos os profissionais que contribuem para promover a saúde e cuidar das pessoas, valorizando e salvando vidas. "Nosso muito obrigado à sensibilidade e à confiança da diretoria da Itaipu Binacional em investir na ampliação de nosso hospital. Isso nos impulsiona para enfrentar nossos desafios e estruturar nosso complexo hospitalar para cuidar da nossa gente, proporcionando a melhor experiência num ambiente de inovação e excelência", ressaltou Fernando. 

​​​​​​​Moro em Foz

O ministro recebe uma recepção de monarca! Uma coisa é certa: nunca se viu, em toda a história da cidade, uma união de tantas instituições no congraçamento de um executivo do governo. Sérgio Moro é ídolo de muita gente em Foz; se sair candidato será bem votado. 

Emenda barulhenta
Os planos do governo, divulgados pelo ministro Paulo Guedes, causaram muito impacto. Mais de mil municípios, os que não possuem 10% de receita própria, poderão ser incorporados aos vizinhos. Pensa na confusão que isso vai render? Imagina quantos políticos perderão emprego? O bom é que a população não vai precisar pagar impostos só para sustentar vereadores e prefeitos. Isso pode acontecer em 2025. A Câmara Federal quer discutir o assunto. 

Economia
Paulo Guedes e Bolsonaro também adiantaram que a intenção do governo é liberar dinheiro para os municípios e estados, acabando de vez com a romaria, porque, segundo eles, "prefeitos só visitam Brasília de chapéu na mão". Não é mentira. Mas será que liberarão a grana antes de 2025? Sem ajustes fiscais e endurecimento nas leis de responsabilidade fiscal, o despejo desse dinheiro é provável que acabe numa grande lambança. Vai chover processo nos Tribunais de Contas.  

Só dá Bolsonaro
A dona Rede Globo parece se penitenciar publicamente após o último conflito com o presidente Jair. O Jornal Nacional tem divulgado noticiário pró-governo, de cabo a rabo. Se não cuidarem, logo serão chamados de "chapa branca" pela oposição e veículos enciumados.   

Tupiniquismo
É difícil saber de onde surgem essas ideias de jerico, de acharem que Foz deve copiar ou competir com Gramado quando o assunto é se enfeitar para o Natal. A Serra Gaúcha é bem diferente da Terra das Cataratas, e o povo de lá precisa encontrar nichos para atrair os visitantes. Agarraram o Natal porque possuem clima, características próprias, desenho arquitetônico e não dispõem de tantos atrativos como Foz. Nossa cidade deveria deixar Gramado para lá e criar, inventar, desenvolver um projeto inovador, enfim, esperar Papai Noel ao seu modo, porque aqui o bom velhinho precisa usar bermuda e camiseta regata no verão. 

Modéstia
Qualquer um que possua um mínimo de conhecimento em decoração ou que uma vez na vida montou uma árvore de Natal sabe a importância do gesto, independentemente de ser caro ou barato. Há gosto e bolso para tudo. Em geral, isso custa menos em casa, porque as pessoas guardam os adereços de um ano para o outro. A mãe do Corvo, por exemplo, ainda possui aquelas bolas de Natal de vidro finíssimo, com mais de 50, 60 anos de existência. As peças do presépio, então, são comemorativas e provavelmente confeccionadas no ano em que Jesus nasceu. Se nas residências acontece assim, por que na prefeitura tem de ser diferente? Querem uma ideia? Os pórticos que já abrilhantaram a Avenida Brasil estão jogados, enferrujando num barracão. 

Seriedade
A verdade é que Foz do Iguaçu nunca tratou o tema com organização que deveria, e por diversas razões. A falta de colaboração é uma delas. Em Gramado, por exemplo, fazer o Natal também é uma tarefa para os comerciantes. Taí algo que a cidade poderia, de fato, copiar. No mais, o ideal seria criar uma comissão permanente do Natal, com gente da prefeitura e iniciativa privada, que cuidasse dos adereços, fizesse manutenção e reposição. Para terem ideia, além dos pórticos deteriorados e que provavelmente serão vendidos como ferro-velho, um incêndio consumiu as flores e enfeites produzidos pelos presidiários, à base de garrafas PET. Ninguém cuida de absolutamente nada.   

A encrenca deste ano
O vereador Celino Fertrin rasgou o verbo na tribuna, em razão dos gastos com o Natal. Claro, a Fundação Cultural entrou na saia-justa. No ano passado, envolvendo patrocinadores e parceiros, o investimento chegou aos dois milhões e pouco. Uma coisa é certa: se depender da oposição, município algum terá decoração, porque quando se trata da coisa pública, assim, no laço, os preços sempre serão um horror. Empresas especializadas não brincam em serviço. É essa a cultura que precisa mudar na cabeça dos gestores, fazendo-os encontrar soluções em várias situações. Se o leitor não sabe, todos os anos realizam decoração de carnaval, igualmente reformam o CTG para a Fartal, e seria diferente no Natal? Como dizem os franceses, "jamais", só muda na pronúncia.  O resultado é que a instalação dos enfeites em Foz ocupa um raio de 4 km, e eles não estarão apenas na Praça da Paz. Temos o eixo turístico, as principais avenidas e algumas localidades que pedem os enfeites. Isso não é barato.  

Árvore de R$ 400 mil
O enfeite com esse valor possui 28 metros, mas em tom comparativo a árvore mais famosa do Brasil, montada na Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro, possui cerca de 85 metros e é adornada com umas 900 mil lâmpadas. O empreendimento lá custa em média R$ 16 milhões. Os cariocas brigam e armam um coreto quando ameaçam cortar a verba. O prefeito Marcelo Crivella, que não é católico e não cultua imagens cristãs, disse que "a cidade não pode ficar sem a árvore". 

Em cima do laço
O Juca Rodrigues, presidente da Fundação Cultural, que perdoe este colunista, mas quem trabalha decoração de Natal em novembro vai pagar caro. Mas de forma geral, isso de deixar a decoração em cima da hora parece ser uma cultura em Foz. Não houve um único ano em que esse processo começou antes. E não é por culpa da Fundação Cultural, faça-se justiça nesse caso. Fazem um grande barulho durante o ano, organizam reuniões e na hora de enfiarem a mão no bolso sobra para o município e Itaipu, que sempre acaba socorrendo a cidade. No ano passado, o PTI arcou com algo em torno de um milhão de reais, e o restante foi recurso da prefeitura. Há um orçamento destinado à decoração para o final de ano, e ele está na casa de R$ 2.059.000, valor idêntico à licitação que ora está em debate. O questionamento, ao que parece, é sobre os custos individuais dos enfeites. E o próprio Juca Rodrigues caiu de costas quando se deu com os valores, mas ao esmiuçá-los, na ponta do lápis, acabou considerando que era bem mais barato alugar no lugar de fazer, porque o que não falta em Foz é depósito de lâmpadas queimadas e cabos partidos pelo vandalismo. Mesmo assim, segundo este colunista soube, Juca e equipe estavam tentando baixar os preços com os fornecedores.    

Se não fazem...
Quando a prefeitura não se mexe, a população cai de pau, os comerciantes berram, o trade diz que isso é ruim para o turismo, porque o movimento vem crescendo nesta época do ano. Se a prefeitura realiza a medida orçamentária, programa o dinheiro para ser gasto no final do ano, o que foi inclusive aprovado pelo vereador Celino Fertrin, a oposição considera um exagero. A população pensa que Foz merece uma decoração de Natal, e diante do valor Chico não deverá ser cobrando, a não ser por quem não gosta dele. 
  
Sobrou para o Eugênio
Algumas pessoas ligaram para a redação informando sobre a condenação de Eugênio Rosa da Silva e seu filho Genison. Segundo apurado, eles foram condenados pela Justiça Federal em Curitiba. A sentença da 13ª Vara Federal Criminal diz que Eugênio pegou 12 anos, dez meses e 15 dias, em regime fechado, e o filho Genison, 16 anos, dez meses e 15 dias, também em regime fechado. Tiveram bens arrestados no valor de R$ 5 milhões. Atualmente recorrem em liberdade; Eugênio em prisão domiciliar, e Genison usa tornozeleira. Os crimes imputados foram adulteração de combustíveis e lavagem de dinheiro. 

Antônio Savaris
Certa ocasião fiquei muito impressionado com um livro, depois li outros cujo assunto seria a morte. Elisabeth Kübler Ross descreve — em Sobre a morte e o morrer — experiências de pacientes terminais, suas agonias e frustrações; ela narra uma aproximação para ajudar essas pessoas em seus últimos momentos. É um clássico, e muito bem traduzido. Em uma dessas leituras, uma ficção, versa a descoberta científica de que há vida após a morte. O título inclusive inspirou o cinema. Mas não me lembro bem a época, porém recordo que tratei disso com várias pessoas, nesse discernimento da espiritualidade. Com o professor Valdo Vieira, o assunto foi muito aprofundado. Já com o advogado José Bento Vidal, foi muito consternador. Ele perguntou, sabendo o que enfrentaria: "O que você acredita que vá acontecer"? É o tipo de pergunta que nos invade em pensamentos, afinal somos doutrinados ao longo da vida sobre a existência de Deus, céu, inferno, como nos trouxe Dante em A Divina Comédia. São, na verdade, escritos paradoxais, cada um nos leva a uma forma de pensar. Cheguei a crer que a morte é o eterno, o simples apagar que atravessa milênios. Piamente, pensei que morrer seria o caminho ao nada.  
Pensei, só pensei, até conversar com o seu Antônio Savaris. Fui até ele e, com certo cuidado, abordei o assunto, mais em tom de curiosidade. Ele ouviu muito atentamente. Também pensou, olhou para o lado, depois para baixo e disse: "Meu caro, cheguei aos 90 e quero passar dos 100, mas isso não é um apego, é agradecimento, porque viver é um ato de agradecer. Imagina o que eu já vi e já passei nesta vida, as minhas alegrias, decepções, aborrecimentos, as minhas tristezas, despedidas. Só poderia saber disso simplesmente vivendo. Viver é possivelmente o molde do espírito, uma preparação onde deixamos para trás aquilo que não nos é útil; é quando nos despimos das inutilidades humanas". 
Procurei o Savaris porque considerei que teria sapiência; não sabia que era espírita ou que moldaria um assunto assim tão delicado, em minha cabeça, com palavras tão generosas e seguras. 
Ao saber de sua partida, imaginei a leveza de sua alma, porque o ato de despi-la das inconveniências e o que não lhe servia deve ter sido um processo muito cuidadoso de avaliação e, por que não, uma dedicada revisão do seu relicário, também convencionado como vida. Viver 96 anos, agradecendo cada segundo, deve possuir uma importância singular e ao mesmo tempo ímpar de tratar a alma, convertendo-a em espírito, porque são coisas diferentes. Alma é quando levamos tudo, espírito é quando nos tornamos o essencial. 
Bom, aqui ficamos tentando nos livrar daquilo que não nos serve; uns o fazem como arrancar o chiclete do sapato. Outros são mais cuidados. Por isso, aqui vão todas as minhas reverências ao grande Antoninho Savaris, e os mais sinceros votos de sentimento e pesar aos seus familiares.    
Rogério Romano Bonato

Caça ao Bobato

A oposição quer a todo custo laçar o secretário de Saúde, Nilton Bobato. Haja denúncias contra o vice-prefeito, que acumulou a pasta mais crítica e sensível perante a população. Outro dia ele entrou no paredão da RPC. 

E o Chico
Muitos se perguntam como o prefeito analisa essa saia-justa em que seu fiel escudeiro se meteu. Ou será que o título não lhe pertence mais? Há quem diga que o prefeito está é ajudando a aquecer o mármore quente no qual Bobato poderá deitar-se. Será que a encrenca chegaria a esse ponto? A verdade é que o mundo dá voltas, e a política é inusitada. 

Reforma
Segundo disseram a este Corvo, estariam acontecendo reuniões para tratar de uma suposta reforma administrativa na prefeitura, e o Bobato não estaria participando. 

Conversas
Um dos motivos de o vice ser supostamente apartado dos encontros seria o fato da presença de alguns vereadores, em curso de definirem se vão ou não para a base aliada. Por esse aspecto, Bobato não é uma pedra no sapato, é um rochedo descampando solto ladeira abaixo. 

Novembro Negro
Corvo, como você mesmo escreveu, há tantas cores para dar nome aos 12 meses que a gente já perdeu até a conta. E agora apareceram com a novidade do Novembro Negro! Não concordo, porque a sociedade deveria insistir em reconhecer o Dia da Consciência Negra e os eventos que tradicionalmente ocorrem, que por si precisam de divulgação. Chega desses rótulos, Corvo.
Maria Conceição Ruas

O Corvo responde: prezada leitora, Novembro Negro é um evento alusivo ao Dia da Consciência Negra, cujo lançamento aconteceu ontem na Fundação Cultural de Foz do Iguaçu. A programação é organizada pelo Conselho de Promoção da Igualdade Racial em parceria com a Secretaria Extraordinária de Direitos Humanos e Relações com a Comunidade. 

Índice Firjan
Enfim o município de Foz do Iguaçu recebe uma classificação de "Boa Gestão" pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro. O Índice Firjan para 2018 avaliou as contas de 5.337 municípios de todo o país, nos quais se concentram 97,8% da população. Chico Brasileiro está de sorriso rasgado com a avaliação positiva. É uma margem aparentemente muito estreita, de apenas 0 a 1 ponto, mas com indicadores elásticos. Quando o município aparece mais próximo de 1 ponto, quer dizer que possui uma situação fiscal boa. A pontuação de Foz é 0,6103, logo a cidade está na faixa dos 8,6% em condições favoráveis.  

"Megaendividados"
Dívidas, hoje em dia, estão entre os maiores pesadelos. Dever pode deixar um cidadão inapto. Pensa? Um país como o Brasil com mais de cinco milhões de endividados? Os números são assustadores, e limpar a barra não é tão fácil como dizem. E para ter o nome sujo, basta ser dono de um celular, possuir conta de Luz e atrasar o pagamento. A situação não está para brincadeira.  

LGPD
O que é isso? Perguntou uma leitora acreditando ser mais uma abreviação alternativa. Mas, na verdade, poucos conhecem a sigla, que quer dizer Lei Geral de Proteção de Dados. Trata-se do compêndio legal que visa a respeitar os dados do cidadão — ou informações privadas. Há quem descumpra, pinte e borde com dados alheios. O tema entrará em debate no Latinoware 2019. 

Black Friday
Ciudad del Este se organiza para valer quando o tema é a realização da Black Friday, marcada para acontecer entre 14 e 17 deste mês. A promoção visa a impulsionar as vendas na cidade de fronteira. Estima-se que perto de cinco mil comércios entrem no embalo da promoção, a qual pode alcançar uma cifra acima dos US$ 500 milhões. E isso com a moeda norte-americana nas alturas. A promessa de descontos e vendas com o dólar baixo está atraindo brasileiros de muitas regiões. 

Natal antecipado
Estamos no início de novembro, ainda é cedo para empurrar o clima natalino. Isso contradiz até os preceitos bíblicos. Árvores e enfeites de Natal devem ser montados após o dia 17 de dezembro. Há quem já esteja enfeitando a casa em setembro!   

Rodovias estaduais
Quem viajou ultimamente para o Sudoeste sabe a tortura que é usar uma estrada estadual. Tudo bem que há várias obras de duplicação entre Santa Tereza e o Rio Iguaçu, mas não justifica a buraqueira que há no percurso até Pato Branco e outras cidades nas proximidades de Santa Catarina. As estradas no estado vizinho parecem ainda piores. Com PRs assim, não é difícil de explicar os frequentes acidentes e as consequentes mortes. Vai Ratinho, dê jeito nisso logo. 

Bombas com certificado
Não vamos citar o estabelecimento porque o assunto está sendo investigado. Mas esses dias o Corvo foi abastecer e percebeu que o frentista, além da bomba, acionava um aparelho meio que escondido. Ao ser questionado, o empregado do posto de gasolina desconversou. Com tanta gente adulterando combustível e dando um jeito de lesar o cidadão, qualquer gesto diferente causa desconfiança. E a partir de dezembro o Inmetro vai aprovar modelos de bombas medidoras de combustíveis com a certificação digital. Se o leitor perceber alguma irregularidade, avise para as autoridades. Pagar pelo preço absurdo dos combustíveis e ainda ser roubado? Assim não, né! 

Foz vencedora
O leitor deve ter percebido a frequente publicação sobre vitórias de equipes e individuais da cidade, nas mais diversas categorias. Pelo menos o GDia dá muita atenção a isso. Foi assim com o  COC/SMEL/Itaipu/Foz Basquete, que conquistou o hexacampeonato estadual sub-15 feminino (2012, 2014, 2015, 2016, 2017, 2019). Foi na última semana. A vitória na final foi sobre Londrina por apenas um ponto (55 a 54). Pensa a emoção? 

Bunda fake
Até isso acontece no campo do "atípico" em Foz do Iguaçu. Um paraguaio acabou preso em flagrante por tráfico internacional de drogas levando cocaína em glúteos falsos, daqueles que as mulheres usam para aumentar a poupança. É um artigo que, aliás, vendem em algumas barracas no centro de CDE. E o pior é que as pessoas experimentam na calçada. Os agentes desconfiaram do tamanho do bumbum, e nele havia um quilo e pouco de pó. O destino era Barcelona. O Corvo escreveu a palavra "atípico" porque é comumente usada por pessoas que sequer conhecem o significado. Coisa mais feia é ouvir alguém dizendo que Foz é atípica por causa disso ou daquilo. 

Fartal no calendário
Corvo, enfim a maior festa da cidade entra para o calendário paranaense de eventos públicos. E em qual categoria ela será classificada? Provavelmente será na área de cocadas, espetinhos e cachorro-quente, pois é o que mais vendem na Feira de Artesanato de Alimentos. Houve ocasiões em que até havia pratos típicos, mas faz tempo!
Nair Jacinta Silva

O Corvo responde: a categoria é Festa Comemorativa ao Aniversário de Foz do Iguaçu. O que acontece é que os espaços são cedidos para as entidades, e muitas os terceirizam, por isso há essa abundância de maçãs do amor, pé de moleque, quentão e outros quitutes comuns. Mas há também barracas que vendem iguarias orientais, um bom churrasco e comidas de época, afinal a Fartal acontece no calendário junino. Segundo este colunista apurou, a Fundação Cultural, que organiza o evento, sempre cobra pelas diversidades gastronômicas. Há anos em que isso dá certo.  

Pirata do Caribe na área
Jhonny Deep, ator, músico, produtor, diretor e ativista norte-americano, três vezes indicado ao Oscar de Melhor Ator, e vencedor de um Globo de Ouro, deve visitar a cidade de Puerto Iguazú, na Argentina. O site LaVozDeCataratas informa que Johnny já tem local para ficar, no bairro de Las Orquídeas, bem no centro da cidade.  Os moradores até colocaram uma faixa de boas-vindas para receber o ator. Já que o visto caiu, certamente ele dará o ar da graça do lado de cá da fronteira. Nas ocasiões em que esteve no Brasil, ele foi muito atencioso com os fãs, sempre prometendo voltar.

Bichos nos cemitérios

Os gatos já são frequentes rodeando tumbas; há alguns até folclóricos e conhecidos da população. Mas as pessoas relataram a este Corvo que viram vários cães nos cemitérios, muitos dos quais em situação de abandono. Será que estavam por lá à espera dos donos, que foram enterrados, ou encontraram os locais como refúgio? No mundo dos vivos, o número de animais largados na rua é crescente, uma demanda que não pode ser atendida pelos protetores e menos ainda pelo poder público. Taí um assunto que parece ser de difícil solução para as autoridades. 

Proteção
As ONGs fazem de tudo, anunciam, ativam redes sociais, realizam bingos para a compra de ração e medicamentos, pedem doações e até organizam belas exposições fotográficas tentando sensibilizar a população, mas a verdade é muito cruel, porque há uma legião de animais em situação de risco. Quando escrevemos risco, queremos dizer contração de doenças e virtual contaminação de humanos. A leishmaniose, por exemplo, tornou-se frequente na população canina da cidade. E é ridículo acreditar que a doença não é transmitida aos humanos. É sim, e há casos registrados nos postos de saúde. O mesmo mosquito-pólvora que pica o animal contaminado, em geral, encontra uma pessoa pela frente. 

Sintomas
A leishmaniose visceral, transmitida pela picada do mosquito-palha, afeta os órgãos internos, geralmente baço, fígado e medula óssea. No início é uma doença silenciosa, pois algumas pessoas não apresentam sintomas. Febre, perda de peso e inchaço do baço ou fígado são indicações da doença. E ela pode matar se não for administrada por um profissional médico; existem remédios eficazes e que eliminam os parasitas. Pessoas que tratam animais com a doença estão na faixa de risco, devem se precaver com o uso de repelentes e completa higienização do canil. Bom, há quem trate cães como membros da família, mas quem mantém o animal como "cachorro" está mais exposto às doenças. E é aí que se explica a grande quantidade de bichos nas ruas; as pessoas levam o animal para casa e, ao se darem conta das dificuldades em criá-los, largam em algum local distante; não se importam com a agonia do bicho. Quem faz assim não tem coração.  

Dengue
As autoridades sanitárias estão em alerta. Com as chuvas, aparecem os mosquitos. A cada temporada eles parecem mais fortes. Depois, quando a situação enfeia e os postos de saúde lotam com os casos e as suspeitas, a população reclama, como a tarefa de controlar os focos fosse apenas da prefeitura. A campanha de vacinação contra a dengue foi um fracasso; o medo da picada da agulha apavorou muita gente; no entanto parecem não ter o mesmo medo da picada do mosquito. Numa recente pesquisa entre infectados, numa das quase 90 cidades paranaenses com risco de epidemia, perto de 90% dos infectados disseram estar arrependidos de fugirem da injeção. 

Alerta
Não vai demorar, a população entrará em polvorosa e por uma única razão: Foz não terá um inseticida para esta temporada. Não veremos veículos borrifando as ruas e áreas de maior incidência. O Ministério da Saúde nos deixou na mão. Os lotes não chegaram à cidade, portanto estamos desprotegidos; e as autoridades, desprovidas de um meio de controle efetivo. Mais uma vez, o controle depende fundamentalmente da população. Segundo uma informação, a prefeitura iniciou um programa para levantar os indicadores epidemiológicos, ou seja, avaliarão a quantidade estimada de criadouros do mosquito Aedes aegypti (larvas) e de mosquitos adultos nos imóveis da cidade. O levantamento deve ser concluído até o fim desta semana. Depois disso iniciarão as ações de prevenção e controle nas localidades onde os índices são mais expressivos. 

Bicho fortalecido 
Uma das evidências é que o mosquito foi adaptando-se ao Malathion, o inseticida da acetilcolinesterase, que não existe naturalmente. O bicho é tão medonho que foi "mutando", transformando-se de um jeito que o veneno não faz cócegas. E nesse processo, pode infectar com outras endemias. Se a população não caçar o mosquito, ele é quem se tornará o caçador. 

Moro e as ações
Existe uma expectativa para saber exatamente quais as ações na área da segurança pública que serão apresentadas pelo ministro Sérgio Moro, em Foz, dia 7 de novembro; qual o conteúdo dessa política diferenciada para as regiões de fronteira. Tomara que criem ações inovadoras e que não coloquem a população na mesma vala dos bandidos e traficantes, o que será muito chato. O cidadão, em geral, não se importa com a fiscalização e quer o combate ao crime, desde que isso não interfira na sua paz e direitos. Pela primeira vez, muita gente desabafou e reclamou da demora no controle de estradas, numa das operações recentes. 

Tecnologia 
O Corvo apurou que haverá muitas ações na área da inteligência, e isso já vem sendo intensificado entre autoridades brasileiras e paraguaias. No mais, o Centro Integrado de Operações será revestido de tecnologias, possivelmente, entre elas, poderosos identificadores faciais, instalados nas cabines de pedágio, pontes e até em alguns pontos da cidade. Quem sabe Foz não embarque nessa onda e não ponha para funcionar o sistema de videomonitoramento? 

Mandíbulas reconstituídas
Num recente encontro, amigos médicos comentaram o sucesso que foi a reconstituição de uma mandíbula, realizada pela equipe do Hospital Padre Germano Lauck. Sem apologia, a quebradura da mandíbula é frequente nos desabafos entre desafetos. Com essa vanguarda em Foz, muita gente vai parecer de queixo enfaixado. Ainda mais se o custo de reparação for acessível. Que barbaridade! 

40 anos do HMCC
O Corvo viu de perto o livro sobre a trajetória do Hospital Ministro Costa Cavalcanti - HMCC. O conteúdo é, por muitos aspectos, emocionante, porque a unidade abriu as portas para o atendimento na região e salvou muitas vidas. O HMCC foi um porto seguro nos tempos em que a Santa Casa Monsenhor Guilherme começou a agonizar, até a chegada do Hospital Municipal. No mais, é um documento muito bem elaborado, bem encadernado e ilustrado. É mais um cabedal histórico e que registra a verdade por meio de documentos. Parabéns pela iniciativa. 

Contrabando bilionário
Então vamos fazer as contas, porque o prejuízo com o contrabando de um modo em geral deve ser muito maior que a cifra recém-anunciada pelo IDESF, segundo o nosso glorioso e intrépido Luciano Barros. Se o ilícito com agrotóxicos causa um buraco de R$ 800 milhões em recolhimentos, decorrentes de R$ 2 bilhões contrabandeados, imagina a soma de tudo o que entra ilegalmente no Brasil? Isso deve beirar a casa da economia que o governo vai fazer com a reforma da Previdência. 

CataratasDay2019
Há quem faça aposta sobre a quantidade de pessoas que levarão para o evento no próximo dia 10. A ideia inicial é levar mais de dez mil apoiadores até o Parque Nacional no domingo que vem. Pensa no movimento na BR-469?

Cruzamento
Por lembrar a BR-469, ainda nem "tchum" de alguma providência quanto ao perigosíssimo cruzamento que há na estrada. Aquele que fica próximo ao Hotel Carimã, onde recentemente dois caminhões e um ônibus se "peixaram". Coloque um semáforo lá, seu DNER! 

Meses coloridos
O calendário de cores está ampliando-se. Aprendemos com o Outubro Rosa, mês em que se intensificam as campanhas de esclarecimento sobre o câncer de mama. O Novembro, que era somente Azul, ganhou mais uma cor: o Vermelho. O mês era dominado por campanhas contra o câncer de próstata, que afeta a população masculina. Paralelamente, há a divulgação dos cuidados contra o câncer bucal. Taí uma medida importante, porque o câncer na boca é o quinto colocado em casos de morte no país. Cuidar da boca é fundamental. Serão distribuídos folhetos, bem como todas as informações necessárias para uma boa prevenção.   

Contradições
Mas as cores e as derradeiras prevenções causam uma certa confusão na cabeça de muita gente. Isso varia em diferentes regiões. O Corvo fez uma consulta e descobriu que o mês de janeiro é branco, por causa das ações de conscientização sobre a saúde mental. Fevereiro é roxo e laranja, para conscientizar sobre as doenças como o lúpus, fibromialgia e mal de Alzheimer. Fevereiro Laranja conscientiza sobre a leucemia. Março é azul em razão do debate sobre a prevenção ao câncer colorretal. Abril Verde significa a conscientização sobre a importância da segurança no trabalho. O mês também é chamado de Abril Azul, para trazer o debate sobre o autismo. O Maio Amarelo reacende o debate sobre a prevenção de acidentes de trânsito. Junho Vermelho comemorativa a importância da doação de sangue. Mas há também o Junho Laranja, voltado para a conscientização sobre a anemia e leucemia. Julho Amarelo traz à tona a conscientização sobre as hepatites virais e também sobre o câncer ósseo. Agosto Dourado trata de informação sobre o aleitamento materno, que, inclusive, tem os dias entre 1º e 7  como a Semana Mundial da Amamentação. Setembro Verde atende à conscientização sobre a doação de órgãos e prevenção ao câncer de intestino. Outra cor para o mês de setembro é o amarelo, que tem como objetivo a prevenção ao suicídio. Setembro também recebe a cor vermelha para a conscientização sobre a prevenção das doenças cardiovasculares. Outubro Rosa conscientiza sobre o câncer de mama; como já explicamos o Novembro Azul combate o câncer de próstata e o diabetes. Mas além do vermelho em Foz, o mês também tem a cor dourada, em referência à conscientização sobre o câncer infantojuvenil. Finalizando essa maratona, e haja lápis de cor, o dezembro é também vermelho e laranja; o vermelho ressalta a importância da prevenção contra a AIDS, e o laranja traz o debate sobre o combate ao câncer de pele. Ufa! 

Urubu mecânico
O Flamengo está fazendo a festa, mantém distância do segundo colocado, o Palmeiras, e barbariza quem encontra pela frente, como aconteceu com o Corinthians, que levou um chocolate de 4 x 1. Que dureza! Nas próximas três rodadas enfrentará o Botafogo, Bahia e Vasco da Gama. Aí saberemos se levará o título ou não. Passar por dois arquirrivais é uma prova de fogo.

Cartas ao Corvo

Como já explicamos em várias ocasiões, este espaço também se destina aos comunicados de leitores. De certa forma são colaboradores, porque as manifestações são sempre pontuais. Os envios são respondidos e muitos acabam tornando-se pauta para a redação. Não é sempre que publicamos todas as "cartas" (e-mails, notas em redes sociais, além de textos entregues na recepção e pelos Correios), porque são tantos que isso resulta em falta de espaço. Em razão disso, o Corvo reserva esta edição para colocar em dia as dúvidas e a opinião de nossos valorosos leitores. 

Globo e Bolsonaro
Corvo, o que aconteceu? No Jornal Nacional de sábado, a linha editorial nitidamente mudou, e totalmente. Como os apresentadores eram outros, parecia um telejornal de outro canal. No fim, mencionaram muito sutilmente o caso da gravação do porteiro do condomínio do presidente Bolsonaro. O que será aconteceu?
Joana Vilella

O Corvo responde: pode ser que a emissora se deu conta do erro de percurso e recuou. Mas isso saberemos no decorrer da semana. Importaria muito caso a emissora reconhecesse a falha. Seria uma forma de medir a temperatura da opinião pública. 

Audiência 
Corvo, pelo que entendo, é muito difícil boicotarem a Rede Globo em si. A audiência se divide em três tipos de público, os que gostam de informação, quem espera pelas transmissões esportivas e os que buscam entretenimento. Aqui entre nós, se meus amigos pedirem para eu deixar de assistir à Globo, vou pedir para esperarem pelo fim da novela das 9, que acontece por essas semanas. Mas isso vai muito de um para outro, por exemplo: o que diz o Jornal Nacional não é o suficiente para fazer a minha cabeça. Quem manda na minha televisão sou eu. 
Maria José Teixeira

O Corvo responde: a onda que se moveu contra a emissora é um reflexo da mudança de temperamento da população. O Brasil dividiu a opinião nas últimas eleições e segue assim, independentemente das pesquisas que apontam a popularidade do presidente. Forçarem a barra por meio de uma informação duvidosa, sem a devida apuração, causou sim um grande rebuliço e o resultado fez todos caminharem sobre ovos. Mas a informação que é séria não corre risco. O bom jornalismo não sofrerá nem perdas nem danos. Quanto ao entretenimento, isso é relativo. Se houve alguma repentina mudança na emissora, evidentemente que não houve tempo para mudarem a abertura do programa Zorra Total, no qual o ator e comediante Fernando Caruso imita (muito bem) o presidente Bolsonaro. Vai ver, no sábado amenizaram a informação contando com o que viria mais tarde.    

Sequência de fatos
Que coisa, hein Corvo, a política nos tem proporcionado fortes emoções. Não bastasse o derramamento de óleo nas praias do Nordeste, o clã Bolsonaro precisou fazer um exercício igual subir o Everest. Primeiro acontecem as encrencas do PSF, depois surge o vídeo do leão e as hienas, em seguida o caso do porteiro, e quando a gente achava que tudo havia terminado, eis que surge o filho deputado falando em AI-5? Que barbaridade, hein? E tudo no espaço de duas semanas? Chamem o SAMU! 
Roberto Santos

O Corvo responde: melhor se fosse uma sequência de camarão, né? Mas a política é assim, num dia tudo, em outro nada. Tomara que o Brasil vença os obstáculos e encontre um pouco de paz, longe das polêmicas que pelo momento só aumentam a audiência. No lugar dos atritos, bom seria se todos estivessem de olho na economia, porque, no mais, as contas vencem no final do mês, os preços sobem e a vida segue.   

Oh, dúvida
Cristovam Buarque postou a sua opinião sobre os últimos acontecimentos. Segundo ele escreveu, "a palavra 'globolixo' é adotada por petistas e por bolsonaristas? Ao receber mensagens contra a Globo e não saber se vêm da esquerda ou da direita, fica com a impressão de que a Globo é imparcial".

 

Leões e hienas
Corvo, esse vídeo que o presidente Bolsonaro postou (e depois retirou) viralizou a tal modo que meu netinho de 8 anos veio perguntar se hienas são inimigas dos leões. Pensa, é difícil explicar a cadeia predatória, ainda mais quando os humanos resolvem vandalizar a biologia. 
Marcia Honorato Yamatso

O Corvo responde: leões, hienas e outros bichos estão em frequente disputa, afinal são predadores, e isso faz parte até do imaginário nos desenhos animados. Quem não lembra do leão Lippy e da hiena Hardy, um dos clássicos da dupla William Hanna e Joseph Barbera?  
 

Casas na Vila A
Corvo, alguém me informou que as casas da Vila A serão leiloadas. Como será isso na realidade? Porque minha tia entrou em parafuso, com medo de ser despejada. Você teria alguma informação séria? 
Manolo Días Grando

O Corvo responde: O assunto foi muito comentado no final de semana, e informação mais séria que um comunicado de Itaipu, impossível: 
"Nota de esclarecimento: A usina de Itaipu, margem esquerda, informa que o processo de desmobilização dos imóveis na Vila A será retomado inicialmente por 20 imóveis vazios. O modelo de venda será anunciado em breve. No caso das casas ocupadas, o morador terá a preferência na compra. Os imóveis serão vendidos pelo valor mínimo levando em consideração a avaliação feita por uma comissão. Até o momento foram alienados 1.313 imóveis residenciais localizados nos conjuntos habitacionais A e B. Ainda restam 993 imóveis para alienação. Com o fim do processo de desmobilização, a Itaipu pretende desonerar-se de um patrimônio que já não é mais necessário, por meio de um processo ágil, sem priorizar o retorno financeiro ou gerar tensões sociais. Só reajuste da inflação: em agosto, a Itaipu suspendeu o aumento da taxa de cessão de uso oneroso por valor de mercado. Foram mantidos os valores do mês de abril e a atualização continuará sendo feita pelo Índice Geral de Preços -Disponibilidade Interna (IGP-DI)". 
Assessoria de Comunicação Social da Itaipu Binacional

Pista do aeroporto
De novo, Corvo? Até pouco tempo se falava em reformas no aeroporto, inclusive na pista, prova disso é que o asfalto retirado de lá foi despejado nas estradas rurais e em alguns locais da cidade. Agora vão fazer mais uma licitação? Esse aeroporto vive em obras e parece que nunca vai ficar pronto. 
JS Fernandes (O leitor pediu para não ter todo o nome revelado.)

O Corvo responde: prezado, você disse bem: o aeroporto enfrentou "reformas", e isso aconteceu nas áreas de embarque, desembarque e pista. Agora o assunto é a ampliação da pista, obra que custará inicialmente R$ 70 milhões. Do valor a Infraero garantirá R$ 15 milhões e Itaipu bancará o resto (R$ 55 mi). O aeroporto de Foz é uma unidade de muita demanda, e que bom vivem melhorando isso e aquilo. Com a ampliação da pista, será possível a aterrissagem de aeronaves maiores, algo muito esperado pela cidade e que melhorará, e muito, o fluxo de visitantes. Vamos lembrar que Itaipu está trabalhando na duplicação do acesso entre o aeroporto e a BR-469.  

22 milhões
Prezado senhor Corvo, conforme publicado na edição deste final de semana, Foz terá investimento em divulgação? Estava na hora! Desde a passagem do Cabeza de Vaca, esta cidade ainda não adquiriu o hábito de investir em divulgação. Só quem fez isso foi a iniciativa privada, para garantir seus investimentos. Mas veja que situação: dos 21,9 milhões, apenas 7,3 mi serão investidos, o restante é para custear pessoal e manutenção da secretaria. A máquina pública de Foz é bem cara, não acha, Corvo? 
Lídia Vera Monsantoninni

O Corvo responde: prezada, o secretário Gilmar Piolla apresentou o seu projeto para o ano que vem no Conselho Municipal de Turismo, um órgão deliberativo e que está atendo ao desenvolvimento no setor. Segundo o secretário, há um aumento de 47% nos recursos de divulgação, e por conta dos novos voos captados Foz ganhará mais 1.200.000 assentos nas aeronaves. Se todos forem premiados com o bumbum de um visitante, teremos recordes de visitação em 2020.   

Mais candidatos
Corvo, andei fazendo as contas e, pelos cálculos meus e de amigos, teremos 12 candidatos para disputar a prefeitura no ano que vem. Disseram que houve outro lançamento neste final de semana. Por falar nisso, quem será o vice de Chico Brasileiro, se Nilton Bobato também será candidato? 
PRS (O leitor pediu para não ser identificado.) 

O Corvo responde: querido leitor, onde leu que o Nilton Bobato será candidato no ano que vem? O que sabemos é que ele se filiou ao MDB. No rol das pré-candidaturas, o deputado Paulo Martins esteve em Foz e apresentou o nome de Paulo Angeli, empresário do setor de eventos e turismo, para disputar a vaga pelo PSC. Mas como muita água ainda vai passar pelas pontes da Amizade e Fraternidade, é impossível avaliar tantas candidaturas em um único pleito. Vamos aguardar pelo ano político.

 

 

O rugido do leão

Numa visão rápida, a Rede Globo evacuou e sentou em cima, no infeliz episódio de ligar o nome do presidente Bolsonaro ao caso Marielle. Quis dar o "pulo do gato" e errou de muro. Bolsonaro foi com tudo e, em seu justificado esperneio, conseguiu aumentar a rejeição à emissora. É o tipo de situação em que não se deveria mexer, pois aumentou a fedentina. Conhecendo a rigidez da família Marinho, essa empreitada vai sobrar para alguém. Algum peixe grande vai pular fora da bacia. E o triste fato é que, infelizmente, a Globo se vestiu de hiena. 

Celso de Mello
Falando em leões e hienas, Bolsonaro tem todo o direito de se defender frente ao jogo de pressão. O problema é que ele faz isso ao seu modo. A descompostura aplicada pelo ministro e decano da Suprema Corte, Celso de Mello, em relação à postagem do vídeo do leão, foi a maior levantada de bola que o presidente poderia ganhar, e de bandeja, porque lhe deu a oportunidade de se desculpar, mostrando a humildade, além do mais fazendo-se de vítima perante o dantesco episódio que veio em seguida, cuja tentativa de desgaste foi de uma "patifaria" sem limites, possivelmente a maior de todas as páginas negras da história do jornalismo brasileiro. 

Caça ao Bolsonaro
Se havia uma temporada de caça contra o presidente, podemos afirmar que a presa abocanhou o predador. Se a Rede Globo limitasse o caso Marielle à primeira reportagem, até porque havia defendido o presidente, pelo fato de estar em Brasília, todos estariam vivendo felizes para sempre.  

O vereador mais poderoso do Brasil
No fim das contas, do inferno, eis que surge uma alma salvadora: o vereador Carlos Bolsonaro. Ele se "virou nos 30", fez o papel de justo, em defesa do pai, e, por tabela, do presidente. Desvendou a verdade, a que a polícia não foi competente em revelar e, ainda, prestou à população um jornalismo muito superior ao da Rede Globo. 

STF belisca o Rio
No mesmo tom de puxar a orelha do presidente da República, o STF foi para cima do estado do Rio de Janeiro — que, aliás, tem cometido asneiras monumentais de uns tempos para cá. As aparentes trapalhadas na apuração do caso Marielle são homéricas, sem resposta à sociedade e muito menos na limpeza de barra da nação brasileira, em que políticos são assassinados ao denunciarem a truculência policial. Em qualquer país justo, os governantes honram os votos dos contribuintes, e casos assim já estariam resolvidos — e os envolvidos, julgados e condenados. Mas no Rio tudo parece ser carnaval; lá governador festeja o abatimento de sequestrador com arma de brinquedo; vaza segredo de Justiça (segundo o presidente); prefeito destrói com trator praças de pedágio, entre outras, e nada de concluírem um inquérito que chocou o mundo.     

A cilada Witzel
A encrenca do caso Marielle desabrochou em guerra  de ovos (podres) entre o presidente da República e o governador Wilson José Witzel. Um atacou, outro se defendeu, mas sem muita convicção. Tudo à luz do dia, ou em situação abertamente acompanhada pela população, o que é lamentável. Como pode dois aliados se tornarem tão inimigos?

AI-5
Quando a situação parecia contornada, eis que surge o filho candidato a embaixador nos Estados Unidos e ameaça: "Se a esquerda radicalizar, a resposta pode ser um novo AI-5". Por favor, né Dudu, isso ninguém merece. Dá um tempo pra cabeça da gente. O papito Jair deveria trancar os filhos na creche. Respostas assim só pioram o ambiente.   

 

Em Foz
Pior que o temporal político foi a tempestade em Foz do Iguaçu, que arrancou até árvores pelas raízes. Voaram telhas da prefeitura, e o prefeito Chico teve de vestir capa e abrir um guarda-chuva. Pior, não havia capa, e do guarda-chuva roubaram o pano; restou o cabo e as varetas. Chico teria pedido uma CPI para saber se isso aconteceu no tempo do antecessor. O prefeito socorreu-se na base do saco plástico, com buraco para o rosto, senão morreria afogado. Ou melhor, asfixiado. 

Ladrões
Em pleno horário do almoço, três mal-ajambrados caminhavam cheios de ideias pela Rua Tigre, no Jardim Buenos Aires. O povo da rua ativou o VOA, a maior tecnologia do momento contra assaltos e invasões, ou seja, um grupo no WhatsApp denominado "Vizinhos Organizados Atentos". Enquanto os malacos matutavam, a Guarda Municipal estava a caminho. Foi pularem o muro de uma residência, os pedreiros de uma creche em construção ao lado cercaram a casa e pegaram pelo menos um invasor. Os outros dois escafederam-se pelo mato. O tranqueira aprisionado agarrou um pedaço de pau e acertou um pedreiro. Foi uma ideia das mais infelizes. Vamos pular esse pedaço do caso. A GM chegou e enfiou o "elemento" no camburão, aparentemente turbinado da "camaçada" de pau que acabou levando. E isso tem explicação. Acreditem, um dia antes, o mesmo ladrão assaltou a casa em questão. É muita cara de pau!   

190
Alô, alô, governador Ratinho Junior, o telefone de emergência da Polícia Militar em Foz é atendido em Cascavel. No lugar de transferirem a ligação, os atendentes informam o número do batalhão. Francamente, numa situação de emergência, quem vai parar para anotar? Se bem que havia uma certa falta de viaturas na cidade; boa parte estava em volta do hotel onde o governador estava. 

Sim ao viaduto
O Corvo morde, mas também assopra. O governador Ratinho Jr. nem pestanejou; entendendo a necessidade de inaugurar o viaduto Lyrio Bertolli, deu sinal verde para a construtora terminar a obra, autorizando o aditivo de R$ 2,5 milhões. Com isso, quem sabe o Papai Noel não passe pela pista com o seu trenó. Segundo uma informação de cocheira, foi a contrapartida para a liberação do recurso.

Cadê o cinto de segurança?
Um leitor informou à redação sobre um caso pitoresco. Uma viatura com identificação do Foztrans o advertiu sobre uma questão de trânsito. Ao ser abordada, a pessoa perguntou: "Moço, respeito a sua autoridade, mas o senhor não estava usando o cinto de segurança". O servidor disse que não usava mesmo. Inconformado, o leitor teve o cuidado de telefonar para a GM e teria sido informado por um dos responsáveis de lá que existe uma normativa que desobriga agentes públicos a usarem o cinto de segurança. Cá entre nós, é uma situação estranha, porque quem controla deve dar exemplo. O Corvo já recebeu outras denúncias assim.

Cataratas JL
Quem diria, o Cataratas JL Shopping chegou ao 12º aniversário esbanjando saúde. É que no início, logo depois de ser construído, espalharam uma maldade pela cidade dando conta de que empreendimentos como aquele não cairiam no gosto dos iguaçuenses, acostumados a comprar na Avenida Brasil e Vila Portes. "O povo desta cidade gosta é de shopping a céu aberto", berrava um patrício, com medo da concorrência. Que barbaridade isso, hein?

Sucesso total
A verdade é que algumas pessoas julgavam o novo shopping, comparando-o com a experiência conhecida como Mercosul — que, aliás, também sobreviveu. Depois de conhecer o ar condicionado, praça de alimentação, estacionamentos seguros e sem flanelinhas, e múltiplas salas de cinema, o iguaçuense não quis saber de outra coisa, tanto que já abriram o Catuaí Palladium e estudam a possibilidade de outra megaestrutura, lá para os lados da Vila A. E todo mundo está sobrevivendo, inclusive as lojas nos centros comerciais urbanos da cidade.  

Mais R$ 20 milhões 
Prezado Corvo, a Câmara reforçou o orçamento da  
Secretaria de Saúde em mais 20 milhões? E de onde é que vai sair essa grana toda? Algumas pastas serão depenadas? Que tipo de modificação orçamentária farão para suportar um volume assim? Afinal é um valor maior que a dotação de muitas secretarias. Você pode me explicar?
Jandira Artagão

O Corvo responde: prezada, o dinheiro não sairá de outras secretarias; os vereadores se uniram para criar um volume em emendas impositivas. Como a saúde é um setor emergencial, optaram por destinar as emendas para ele. 

Cemitério, eu vou
Pelo visto, toda a população irá visitar os entes queridos nos cemitérios da cidade. Se isso acontecer amanhã, teremos um trânsito acima do normal, e haja locais para estacionamento perto dos cemitérios, o que é sempre um problema sério. Morrer no Dia de Finados, de tanto caminhar, não é em nada agradável. 

Só segunda-feira
O GDia respeitará o feriado de Finados e não circulará amanhã, sábado. Portanto a edição está mais recheada, porque atenderá todo o final de semana, em módulo conjugado. Segunda-feira estaremos aí, futebol clube. Bom final de semana!