Luiz Araújo
Boatos

Não é verdade que os municípios recebem mais dinheiro para óbitos por covid-19

Circula um boato de que os municípios brasileiros recebem um valor extra do governo federal para cada óbito por covid-19 que é registrado no país. O fato é desmentido por um funcionário do Ministério da Saúde.

 De acordo com informações passadas, a distribuição de recursos financeiros para a pandemia obedece aos critérios populacionais e a pactuação realizada por municípios, Estados e União. Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, nos primeiros meses foi repassado um valor maior para as cidades que estavam com alto número de mortes, mas com o objetivo de ampliar a rede de atendimento na área da saúde.

Outra informação confirmada é a de que para cada paciente com covid internado em leito de UTI o SUS paga o dobro em relação a outras doenças. Muitos hospitais que atendem pelo SUS receberam duas parcelas de repasses para se prepararem para atender aos pacientes que necessitam de internação.

 

Zumzum

 As abelhas são realmente muito importantes para z vida no planeta. Você sabia que um colmeia é capaz de polinizar cerca de 250 milhões de flores? E que 70% dos nossos alimentos são polinizados pelas abelhas?

E agora, a bomba: bilhões de abelhas estão morrendo! E uma das causas mais prováveis é o uso exagerado de agrotóxicos, que está acabando com a vida das coitadinhas. E por tabela, com a nossa vida também.

Há até quem garanta que, sem abelhas, praticamente não há vida possível no planeta.

 

 Doce mel

Quem é fã de mel, talvez nem imagina o tamanho do esforço das pobres abelhinhas para produzirem este doce tão saboroso e saudável.

Dizem que para produzir um único quilo de mel, as abelhas precisam visitar dez milhões de flores, e que uma abelha pode voar 800km  toda sua vida, e ainda assim não conseguirá mais que meia colher de mel

 

Coca-Cola

Muito se ouve sobre a secretíssima fórmula da Coca-Cola, utilizada para fabricar o refrigerante mais famoso e consumido no mundo inteiro. O que se tem certeza, entretanto, é que a cobiçada fórmula é um segredo comercial e industrial protegido por diversas patentes.

Dizem que hoje apenas dois executivos tem acesso à fórmula, e que eles jamais viajam juntos no mesmo meio de transporte. Vai que, né...

 Mas mesmo que alguém consiga fazer um refrigerante idêntico, não sobreviveria à pressão da gigante, já que o nome da marca, por si só, atropelaria a nova concorrente.

 A propósito, a fórmula da Coca-Cola surgiu em 8 de maio de 1886 pelo farmacêutico John Pemberton como um remédio para o cérebro e os nervos. E só em 1893 a marca foi patenteada e começou a ser comercializada. Hoje, Coca-Cola é a quinta marca mais valiosa do mundo, atrás da Apple, Google, Amazon e Microsoft.

Vacina que previne a covid19 parece cada vez mais próxima

 Todos concordam que a pandemia provocada pela covid19 somente será superada com a vacina. O que ninguém no mundo sabe é quando essa vacina estará liberada para ser produzida em larga escala. O que se sabe é que há cientistas, governos e universidades ao redor do mundo todo investindo em pesquisas e testes, numa corrida sem precedentes na história em busca de uma solução para esse problema de saúde que abala o planeta todo.

     Algumas dessas pesquisas parecem estar em estágio já bastante adiantado. Cientistas da Universidade de Oxford, na Inglaterra, já anunciaram que a vacina provocou resposta positiva 14 dias após a imunização, ou seja, dos glóbulos brancos capazes de atacar as células infectadas pelo sars-cov-2. Em 28 dias, a vacina induziu a uma resposta de anticorpos com capacidade para neutralizar o vírus.

     De acordo com artigo publicado pelos cientistas, os participantes que receberam a dose tiveram anticorpos neutralizantes detectados, sugerindo uma boa proteção. Após uma dose de reforço, 100% dos voluntários tiveram neutralizador a detectada. O próximo passo no estudo da vacina é confirmar que ela pode efetivamente proteger contra a infecção pelo novo coronavírus.

 

Produção em larga escala

     A Universidade de Oxford já estabeleceu associação com laboratório farmacêutico para a fabricação e distribuição da vacina em desenvolvimento, para que possa estar disponível de maneira rápida e em larga escala em caso de sucesso dos testes complementares que precisam ser feitos. A vacina é baseada em um adenovírus modificado, que geralmente afeta os chimpanzés. De acordo com a universidade, "gera uma resposta imune forte com apenas uma dose e não é um vírus que se réplica, portanto, não pode causar uma infecção contínua no indivíduo vacinado".

     Até o momento, os testes da Universidade de Oxford foram feitos com 4 mil voluntários no Reino Unido, sendo que agora a vacina será testada em outras 10 mil pessoas.

 

Vacina chinesa

     Além de realizar testes com a vacina produzida pela Universidade de Oxford, já chegaram a São Paulo 9 mil doses de uma vacina contra a covid19 que está sendo desenvolvida pela China. Além da capital paulista, outras 11 grandes cidades do país, vão receber e aplicar essa vacina em voluntários que se prontificaram para participar dos testes. A prioridade para a testagem será dada a profissionais de saúde.

     Além de participar de fase de testes, o Instituto Butantã, de São Paulo, está adaptando uma fábrica com capacidade para a produção de até 100 milhões de doses da vacina até a metade de 2021. Se o medicamento tiver eficácia comprovada, o acordo do Instituto Butantã com o governo chinês prevê que 60 milhões, das 100 milhões de vacinas que serão produzidas, sejam distribuídas para o país.