Idgar Dias Júnior
Idgar Dias Júnior
Casuísmo

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, segunda-feira, dia 20 de janeiro de 2020, é celebrado o ‘Dia do Farmacêutico’.


O presidente do STF, ministro Dias Toffoli, jogou para daqui a seis meses a implantação do juiz de garantias (proposta que o ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro pediu ao presidente que vetasse e ele não vetou, recorde-se). Daqui a seis meses estaremos em julho e em setembro Dias Toffoli não será mais presidente do STF.
Daqui a seis meses ele vai jogar a implantação ainda mais para frente, eis uma grande possibilidade.
Ao tempo em que adiou a implantação da má ideia, o presidente do STF mandou avisar que o juiz de garantias não atuará em casos de crime contra a vida, em processos criminais da Justiça Eleitoral e de violência doméstica e familiar.
Vamos combinar: a medida –se efetivada– servirá mesmo é pra salvar os amigos malfeitores de sempre.

O Brasil e o etanol
Pobre contribuinte brasileiro: o presidente da República diz que defende a venda direta de etanol para postos de gasolina e que a previsão do governo é uma diminuição de ao menos 20 centavos por litro se conseguir implantar a medida.
Pergunta-se: o presidente vai se estapear com o Congresso (sim, é ali que o lobby das distribuidoras e demais intere$$ado$ travam a batalha) por conta da venda direta de etanol aos postos para diminuir o preço desse combustível em R$ 0,20 por litro? Se for, então o presidente estaria como cachorro que foi mordido por cobra; morre de medo de linguiça.
Os R$ 0,20 centavos na correção do preço das passagens de ônibus em São Paulo, em junho de 2013, pelo visto, ainda fazem parecer que há um monte de gente perdendo o sono por isso, né não?

O Brasil e o etanol (2)
Esta celeuma é só mais uma a mostrar que a gestão Jair Bolsonaro não tem projeto algum e resolve a maioria de seus problemas de forma reativa. A política energética deste governo é inexistente; não fosse assim a questão do etanol já deveria ter sido ao menos encaminhada.
Roberto Campos disse certa vez que ‘a burrice no Brasil tinha um passado glorioso e um futuro promissor’. A questão do etanol é redundantemente ilustrativa da tese de Campos: é renovável, polui menos, somos exímios produtores, temos área mais que compatível com a autossuficiência, mas não temos uma política inteligente que viabilize o nosso combustível verde.

O Brasil e o etanol (3)
Mas como não há nada que seja tão ruim que não possa piorar, vai aí uma informação de fazer a gente achar que estamos sendo governados por macacos: no mês de setembro último, o governo de Jair Bolsonaro elevou a cota de importação de etanol SEM TARIFA por 12 meses (O Globo). E quem a medida beneficia? Os Estados Unidos, que na última quarta-feira, 15, assinou com a China um acordo que dificulta em US$ 10 bilhões a vida do agronegócio brasileiro. Pode isso, Arnaldo?
Depois os argentinos nos chamam de ‘macaquitos’ e então ficamos brabos, né?

Perguntar não ofende
Qual será a crise que o governo criará para si esta semana?

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808

OCDE: vale a pena ver de novo?

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, sábado, dia 18 de janeiro de 2020, é celebrado o ‘Dia Mundial do Riso’ (é sério, leitor!).


Há quem diga que Bolsonaro e Lula são iguais. E que um precisa do outro em razão da necessidade que têm de polarizar o tempo todo. A tese faz lembrar (de novo!) do relógio velho que já não funciona mais e que guardamos numa gaveta qualquer de nossas casas; pelo menos duas vezes por dia ele vai estar certo, não é? É...
A se considerar a tese acima, portanto, não é demais especular – guardadas as devidas proporções e contextos - que a questão da OCDE para Bolsonaro vai no mesmo caminho percorrido pelo programa Fome Zero de Lula, não é? Assim como o Fome Zero não correu o menor risco de dar certo, também a nossa entrada na OCDE está garantida para o Dia de São Nunca, à tarde, ‘tá ok’?

OCDE: vale a pena ver de novo? (2)
E o nosso ministro Ernesto Araújo –chanceler que nunca chefiou uma embaixada– correu para o PC e disparou no Twitter: “Anúncio americano de prioridade ao Brasil para ingresso na OCDE mostra uma vez mais que estamos construindo uma parceria sólida com os EUA, capaz de gerar resultados de curto, médio e longo prazo, em benefício da transformação do Brasil na grande nação que sempre quisemos ser”.
O professor Marco Antônio Villa, comentarista da rádio Jovem Pan, costuma chamar Ernesto Araújo de Beato Salú, mas neste episódio o nosso chanceler lembrou foi Dias Gomes: baixou Odorico Paraguaçu no homem!

Veja bem
Não é pecado sonhar com um lugar ao lado dos países mais desenvolvidos. Mas acreditar em apoios e promessas como a dos americanos beira a ingenuidade. Porque no mesmo dia em que saiu a notícia do apoio americano à entrada do Brasil na OCDE, também veio outra dando conta de que a Argentina estaria recebendo um sinal – também dos americanos – que não gostaram do apoio na forma de asilo a Evo Morales e nem dos sinais amistosos com a ditadura venezuelana de Nicolas Maduro.
Recentemente o Brasil foi preterido pelos EUA em detrimento da entrada da Argentina na OCDE, não foi?

Veja bem (2)
Em 2019, o Brasil teve mais de 1,5 milhão de casos de dengue e 782 mortes (aumento horroroso de 488% em relação ao ano de 2018). Combina com alguma associação internacional de países ricos?

#prontofalei
O signatário já conheceu Caratinga (MG), São Miguel Paulista (SP), São Gonçalo (RJ) e o centro velho de São Paulo e Rio de Janeiro: são lugares horrorosos. Mas há lugares que talvez sejam ainda piores, e é provável que jamais os conheceremos; é o caso de Roraima, do Acre e do Amapá; sinto muito, mas as imagens e notícias que chegam dessas plagas nunca são boas.
Romero Jucá é de Roraima (apesar de não ter nascido lá), Marina Silva é do Acre e Davi Alcolumbre (o atual presidente do Senado) é do Amapá, seu reduto eleitoral, de onde ele mandou avisar que não vai voltar até o início de fevereiro. Como ensina o dito popular, ‘gosto não se discute, lamenta-se’.

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808

E por falar nisto

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, sexta-feira, dia 17 de janeiro de 2020, é celebrado o ‘Dia dos Tribunais de Conta do Brasil’.
Comentário: no Brasil existem Tribunais de Contas para municípios (TCMs), Estados (TCEs) e União (TCU).
Se ou quando o País tiver um homem público sério, capaz de liderar um movimento que acabe de vez com esses tribunais, aí poderemos dizer que estamos a caminho de finalmente nos tornarmos uma nação de verdade.
Nesse tempo futuro, cidades como Foz do Iguaçu deverão ter uma Câmara Municipal com no máximo cinco vereadores – todos voluntários e representantes de distritos e não de interesses. Assembleias legislativas existirão somente como verbetes em dicionários digitais, sites de busca e livros de história, quando muito.
Câmaras de vereadores e assembleias legislativas atuais não têm a menor serventia; nem uma reforma daria jeito na situação delas, tamanho o seu distanciamento dos representados. Pior: com o passar dos anos, os parlamentares dessas casas só têm feito piorar o que já está ruim. O desserviço que prestam à sociedade os está tornando obsoletos, sem sentido e, consequentemente, desnecessários.

Sabe em qual vereador votou em 2016, leitor? E no deputado estadual? O que de bom trouxe para sua cidade, para o seu bairro ou para a sua vida o último vereador em quem votou? E o deputado estadual? Por último, mas não menos importante: já tem candidato para 2020? O que espera dele?

Exemplo a seguir
Deu no blog do Claudio Humberto: “Um dos maiores anunciantes do Brasil, sob comando do governo federal, a estatal Petrobras cortou drasticamente a verba publicitária no primeiro ano de governo de Jair Bolsonaro. Corte chegou a 90%. Até julho de 2019 foram gastos R$8,5 milhões com propaganda em TV, revistas, jornais, rádio, internet, cinema, mídia externa e produção. Em 2018, por exemplo, o valor foi de R$122,4 milhões, 14 vezes maior. Em 2014, ano de reeleição de Dilma e primeiro da Lava Jato, a farra da Petrobras com propaganda chegou a absurdos R$296,8 milhões. O governo Michel Temer já havia reduzido a verba de R$259,3 milhões em 2015 para R$143 milhões em 2016 e R$170 milhões em 2017”.

Exemplo a seguir (2)
O cuidado com o dinheiro do contribuinte chegou a níveis tão degradantes que fazer o certo no País é algo que se tornou noticiável. Sem moralismos nem bravatas, vamos combinar: a atitude da Petrobras, ou melhor, dos atuais gestores da estatal, é o mínimo elementar que se exige de quem está à frente de qualquer empresa e mais ainda quando esta empresa é sustentada com dinheiro de gente pobre, que tem que tomar ônibus todo dia, que não tem saúde, segurança e nem educação decentes e paga uma das cargas tributárias mais pesadas do planeta.

Há cinco anos
Depois de ter sido preso em 2004, ao tentar entrar na Indonésia com 13 quilos de cocaína escondidos nos tubos de uma asa delta, o brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira, de 53 anos, instrutor de voo livre, foi executado. Em 28 de abril do mesmo ano (2015), o paranaense Rodrigo Gularte, de 42 anos, teve o mesmo fim trágico.

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808

Mancada

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, quinta-feira, dia 16 de janeiro de 2020, é celebrado o ‘Dia dos Cortadores de Cana de Açúcar’.

 

Na última terça-feira, 14, o signatário afirmou neste espaço que “na Argentina a inflação de 2019 deverá passar seguramente de 55%. E o governo já está trabalhando para tornar pior o que já está muito ruim: está congelando preços, aumentando os salários, aumentando impostos; é a receita de quem não tem meta, mas quer dobrar a aposta”.
Falso.
O site O Antagonista registrou no dia seguinte que “a Comissão de Finanças da Assembleia Nacional argentina informou que a inflação acumulada em 2019 chegou a 7.374,4%. Um avanço, considerando [que] a taxa acumulada em 2018 chegou a 1.698.488%”.

Mancada (2)
O signatário pede sinceras desculpas pela previsão para lá de ruim e sente muitíssimo pelos problemas que a Argentina está passando e ainda passará seguramente.

Faça o que eu digo
“Terei um momento difícil pela frente. A questão dos R$ 2 bilhões do fundão. Lanço a campanha aqui: não vote em parlamentar que recebe fundão. Quem quer muito tempo [de televisão] e muito dinheiro quer esconder a verdade. Então o parlamentar, o pessoal que já tem mandato, eles têm um momento para se fazer presente junto à população, de maneira que não precise de dinheiro para sua reeleição ou eleição”.
Do presidente Jair Bolsonaro, em ‘live’ do Facebook, a respeito da sanção do Fundo Eleitoral.

...mas não faça o que eu faço
A fala do presidente registrada acima deixa bem claro que ele não sabe muito bem a respeito do que ocorre em seu novo partido, o Aliança pelo Brasil, isto porque no estatuto do partido está previsto o financiamento de campanhas políticas, via Fundo Especial de Financiamento de Campanha (o Fundão Eleitoral, certo?) e via Fundo Partidário – ambos sustentados com dinheiro que é tirado dos impostos pagos pelos contribuintes brasileiros.
A quem interessar possa: Artigo 89 (Das Receitas) do Estatuto do Partido Aliança pelo Brasil.

Perguntar não ofende
Suas excelências os deputados federais e senadores do Brasil continuarão neste ano trabalhando duro a favor da impunidade? Em 2019 tivemos a aprovação da Lei de Abuso de Autoridade e a criação da quinta instância judiciária, o ‘juiz de garantias’ – esta última com a ajuda prestimosa do presidente da República, como vimos – depois da completa desfiguração do projeto anticrime de Sergio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública.
Quais os planos de nossos nobres parlamentares para a Justiça em 2020?

Perguntar não ofende (2)
A nota acima foi publicada neste espaço no último sábado, 11. E já tem resposta: suas excelências os deputados federais vão abrir o ano legislativo de 2020 propondo uma PEC que acaba com o tal foro privilegiado para autoridades, mas que não permite aos juízes de primeira instância decretar medidas cautelares como a prisão, quebra de sigilo bancário e telefônico, além da ordem de busca e apreensão contra políticos. Pode isso, Arnaldo..?

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808

(XXXX) História

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, quarta-feira, dia 15 de janeiro de 2020, é celebrado o ‘Dia Mundial do Compositor’;
- Também hoje se comemora o ‘Dia da Imprensa Filatélica’.


Nesta data, em 1985, foi eleito presidente da República o advogado Tancredo de Almeida Neves, avô do atual deputado federal por Minas Gerais Aécio Neves (PSDB-MG). Adoentado por conta de uma diverticulite, não tomou posse e veio a falecer em 21 de abril do mesmo ano, aos 75 anos de idade.

Maldades 


A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) não quis perder a piada em função da festa dos petistas por conta da indicação do documentário da diretora Petra Costa – ‘Democracia em Vertigem’ – ao Oscar.
Para quem já se esqueceu: o documentário trata dos bastidores do processo de impeachment que redundou na deposição de Dilma Rousseff, o que na visão petista não passou de um golpe.
Detalhe: Petra Costa é herdeira direta da Andrade Gutierrez, empreiteira enrolada até os tubos com propinas durante governos petistas.

Maldades (2)
O pessoal do PSDB também não deixou por menos e cumprimentou a diretora: “Parabéns à diretora Petra Costa pela indicação de melhor ficção e fantasia por ‘Democracia em Vertigem’”.
Definitivamente, as narrativas são o que resta de esteio ao partido que perdeu uma oportunidade de ouro quando chegou ao poder e hoje assiste ao seu maior líder – condenado e ex-presidiário – dizer a seus agremiados seguidores que se aproximem dos evangélicos, talvez como forma de se restabelecer como força eleitoral. É claro que não vai colar.

Homem ao mar
Fala-se muito na hipótese de os dirigentes do PT virem a público para uma autocrítica, como meio de se livrar da decadência que ora acomete o partido. Num tempo em que as candidaturas avulsas estão na ordem do dia, um dos efeitos que resultaram da desmoralização porque passam os partidos, nada garante que um gesto possa suplantar uma atitude. Atitude? Sim, o PT, se quiser se viabilizar de novo, precisa se livrar de Lula, se oxigenar e dar espaço aos mais jovens.
Mas é claro que os dirigentes petistas optarão pela decadência que inexoravelmente leva à ruína, uma das especialidades da agremiação.

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808
 Sorte e saúde sempre!

História


Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, terça-feira, dia 14 de janeiro de 2020, é celebrado o ‘Dia do Enfermo’;
- Também hoje se comemora o ‘Dia do Treinador de Futebol’.

“Em 14 de janeiro de 1974, o general Ernesto Geisel é escolhido de forma indireta como presidente da República. Ele assumiria no dia 15 de março, enfrentando dificuldades econômicas e políticas que anunciavam o fim do Milagre Econômico e ameaçavam o Regime Militar. Em 1974, a inflação chegaria a 34,5%” (Terra).
Comentário: a frase dita pelo James Carville em 1992 para Bill Clinton (durante campanha eleitoral nos EUA) poderia ter sido usada 18 anos antes no Brasil: ‘É a economia, estúpido!’. A crise do petróleo em 1973 já havia feito um enorme rombo na economia brasileira (muito dependente) e, claro, a inflação decorrente aliada à anarquia militar que descambou para a tortura impuseram aos militares a retirada quase que incondicional.
Mas a agonia do Regime Militar duraria ainda até 1985, quando João Figueiredo (que sucedeu Geisel) foi sucedido por Tancredo Neves, que morreu antes de tomar posse.

Em tempo
A inflação divulgada pelo IBGE para o ano de 2019 foi de 4,31% (a meta do governo é de 4,25%). Aos diletos leitores faço relembrar o registro acima a respeito de 1974: inflação de 34,5% no ano!
Dois detalhes: 20 anos após Geisel assumir a presidência, outro mandatário pôs fim à inflação que na ocasião estava praticamente fora de controle: o mineiríssimo Itamar Franco, que sem precisar quebrar o País elegeu seu sucessor, FHC.
Segundo detalhe: na Argentina a inflação de 2019 deverá passar seguramente de 55%. E o governo já está trabalhando para tornar pior o que já está muito ruim: está congelando preços, aumentando os salários, aumentando impostos; é a receita de quem não tem meta, mas quer dobrar a aposta. Alguém aí se lembra disto?

Qual a sua obra?
O signatário citou acima dois ex-presidentes que deixaram para o Brasil um legado espetacular. Os que preferem achar que não foi tanto assim têm o nosso respeito franqueado.
Foi Ernesto Geisel quem iniciou a abertura política de forma lenta, gradual e segura que nos permitiu a volta da democracia tal como a temos hoje em dia – e em que pese os maus momentos e dificuldades.
No ano de 1973 o crescimento do PIB brasileiro foi de 14%. Mas o presidente da época, Emílio Médici, afirmou: “O Brasil vai bem, mas o povo vai mal”.
‘Ao assumir o poder, Geisel percebeu a deterioração da economia e o descontentamento da sociedade, propôs inteligentemente mudanças no poder e abrandamento nas formas de repressão’; a realidade se impôs e o general fez a escolha dos estadistas.

Qual a sua obra? (2)
E se Ernesto Geisel nos deixou o caminho da democracia, Itamar Franco nos legou a inflação em níveis ao menos suportáveis. Há um Brasil de antes e um outro País após o advento do Plano Real, em 1994. O processo de hiperinflação que quase arruinou o Brasil teve fim no governo Itamar Franco, a ponto de seu êxito facultar-lhe eleger seu sucessor, FHC. Detalhe: em primeiro turno, por duas vezes.

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808

Ainda bem

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, segunda-feira, dia 13 de janeiro de 2020, é celebrado o ‘Dia Internacional do Leonismo’.

 

O presidente Jair Bolsonaro não participará do Fórum Mundial de Davos, que acontece todos os anos numa estação de esqui nos Alpes Suíços. Para o signatário faz todo o sentido pois, como enuncia há anos um adágio gaúcho, ‘ovelha não é pra mato’.
Bolsonaro faz muito bem; em seu lugar vai o ministro da Economia Paulo Guedes - alguém que sabe falar e como falar.
O Fórum de Davos está programado para o período entre os dias 21 e 24 de janeiro próximo.

Tripudio
Casa de Rui Barbosa faria muito melhor se [discutisse] figuras do conservadorismo brasileiro
Eventos em torno de conservadores como Margaret Thatcher e Ronald Reagan [roçam] a macaquice
Há os conservadores e há os atrasados. Quando a Casa de Rui Barbosa resolve organizar eventos em torno de grandes conservadores como a inglesa Margaret Thatcher e o americano Ronald Reagan, roça a macaquice.
Faria muito melhor discutindo figuras do conservadorismo brasileiro como Carlos Lacerda, Francisco Campos, Eugênio Gudin e Roberto Campos.
Macaqueando, pela direita faz-se um evento para Ronald Reagan e pela esquerda pode-se fazer outro para Jean-Paul Sartre. Tudo coisa de gente letrada, no país presidido por Jair Bolsonaro, no estado de Wilson Witzel e na cidade de Marcelo Crivella.
Do jornalista ElioGaspari, comentando o que julga ser uma macaquice o evento ‘Semana Margaret Thatcher e Ronald Reagan’ a se realizar na Casa de Rui Barbosa, cuja diretora atual é Letícia Dornelles. O evento deve acontecer em maio próximo.
Comentário: a última frase da nota é um libelo a desancar, esculhambar e detratar o mundo político às voltas com a Casa de Rui Barbosa.

O Brasil ainda está no século XIX
Que grande surpresa! O ministro de Ciência e Tecnologia Marcos Pontes (sim, leitor, ele está vivo e dá expediente no governo Bolsonaro ainda) foi entrevistado pelo jornal Folha de São Paulo.
O ministro que foi astronauta afirmou que ‘a ideia é que até o final deste ano a gente faça o leilão (da telefonia 5G). Essa é a minha expectativa, mas talvez fique só para 2021. Então, imagino que no final de 2021 e começo de 2022 comece a ter implementação de algum piloto’.
Comentário: quando o mundo todo estiver em 8G, aí quem sabe, talvez o Brasil começará a implantar o 5G, certo? Com trocadilho: agora temos um ministério de Ciência e Tecnologia que vive no mundo da lua, né?

10 anos
Ontem, dia 12 de janeiro, completou-se uma década do terremoto que devastou o Haiti, ‘uma das maiores tragédias naturais da História, que registrou magnitude 7 na escala Richter e causou a morte de cerca de 200 mil pessoas’, como registrou o blog do Claudio Humberto.
Foi nessa tragédia que o Brasil perdeu a médica pediatra e sanitarista Zilda Arns Neumann, fundadora e coordenadora internacional da Pastoral da Criança e da Pastoral da Pessoa Idosa (CNBB). Uma pena. Dona Zilda faz falta, muita falta.

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808

Péssimo exemplo

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, sábado, dia 11 de janeiro de 2020, é celebrado o ‘Dia do Controle da Poluição por Agrotóxicos’;
- Também hoje se comemora o ‘Dia Internacional do Obrigado’.

 

O atual ministro da Educação desmerece o cargo que ocupa. Ainda nesta semana, neste espaço, este humilde signatário mencionou a necessidade de um ministro ‘especialista em educação, virtuoso, articulado, engajado e capaz de nos colocar no caminho certo’. Essa pessoa –com todo o respeito– não é e jamais será Abraham Weintraub, a começar pela questão elementar segundo a qual um ministro de Estado da Educação NÃO PODE escrever ‘imprecionante’, ‘paralização’ e ‘suspenção’ como ele fez.

O Brasil ainda está no século XIX
O desembargador BenedictoAbicair, da 6ª. Câmara Cível, no Rio de Janeiro, mandou a Netflix retirar do ar o especial de Natal do grupo humorístico Porta dos Fundos.
Como nos lembra o ator Carlos Vereza, o grupo é decadente, fez um filme vagabundo e sem graça, mas daí a censurar os meninos é coisa medieval. O desembargador se esqueceu de que as pessoas têm senso crítico? Que quem quiser ver vai ver e quem não quiser é só mudar sua escolha?
Bem, antes que o meu editor recebesse estas mal traçadas linhas, o presidente do STF Dias Toffoli já havia derrubado a tal liminar.
Detalhe: o nobre magistrado Abicair foi nomeado para o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, em 2006, pela governadora à época, Rosinha Garotinho. Abicair se valeu do tal quinto constitucional, a cota para advogados em tribunais – entendeu, leitor?
O gesto do desembargador Abicair e da governadora Rosinha têm nome, né leitor? A este tipo de gente o palhaço Tiririca se referiria como ‘abestados’. O Porta dos Fundos, inclusive.
Em tempo: na liminar que concedeu censurando o grupo humorístico, o ilustre desembargador Abicair escreveu suspensão com ‘Ç’... Como se vê, o ministro da Educação Abraham Weintraub está fazendo escola – e sem trocadilho.

Perguntar não ofende
Suas excelências os deputados federais e senadores do Brasil continuarão neste ano trabalhando duro a favor da impunidade? Em 2019 tivemos a aprovação da Lei de Abuso de Autoridade e a criação da quinta instância judiciária, o ‘juiz de garantias’ – esta última com a ajuda prestimosa do presidente da República, como vimos – depois da completa desfiguração do projeto anticrime de Sergio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública.
Quais os planos de nossos nobres parlamentares para a Justiça em 2020?

Não falei?
A produção industrial brasileira encolheu 1,2% no mês de novembro. A informação é do IBGE. E daí? Daí que a retomada da economia em 2020 será pontual. Quer um exemplo? Vou dar: na Austrália os incêndios que estão ocorrendo já mataram mais de 100 mil cabeças de gado. Como se sabe, sempre que alguém perde algo, outro ganha. Assim, a JBS vai lucrar muitíssimo com a tragédia australiana; ou melhor, já está, do que dá conta o valor de suas ações na Bolsa.


Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808

História


Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, sexta-feira, dia 10 de janeiro de 2020, é celebrada a ‘Festa de São Gonçalo do Amarante’;
- Também hoje se comemora o ‘Dia da Primeira Assembleia Geral das Nações Unidas’, que ocorreu em Londres, em 1946.

 

“Em 10 de janeiro de 1932, era registrado e publicado oficialmente o desenho do rato mais famoso do mundo, nos quadrinhos. Mickey Mouse surgiu após uma idéia de Walt Disney, seu criador, ser roubada pela Universal. Ele criou o camundongo, que foi mudando e chegou a ter 100 formas diferentes de desenho” (Terra).

Foto obtida no site da enciclopédia livre Wikipedia.

Crescimento brasileiro em 2020
Em que pese os ótimos índices econômicos observados em 2019, é pouco provável que em 2020 nosso País apresente coisa melhor. Por quê? Segundo o administrador Stephen Kanitz -de quem volta e meia repercutimos ideias neste espaço- ‘a falta de capital de giro é a causa desse lento crescimento e estagnação’ e a ‘segunda razão de falência de empresas’ (a primeira causa é a carga tributária).
Pior: segundo Kanitz, ‘30% das 500 maiores empresas brasileiras não somente não possuem capital de giro como ele é negativo, e 60% das 500 maiores têm capital de giro insuficiente’.

As coisas como elas são
Todas as previsões referentes ao PIB do Brasil em 2020 sugerem algo em torno de 2,5%. É bem pouco para um País com mais de 12 milhões de desempregados, sabemos. Mas há um agravante terrível que não devemos esquecer: o Brasil talvez não tenha energia elétrica suficiente para crescer a taxas muito mais elevadas que esta prevista. Estamos infelizmente naquela situação em que ‘se correr o bicho pega e se ficar o bicho come’.
Que fazer então? Reformar tudo o que for possível, a começar pelos tributos e pelo peso do Estado na vida das pessoas e empresas. E na brevidade que nos for possível!

Sinais
O governo de São Paulo leiloou a concessão do lote rodoviário Piracicaba-Panorama, com 1.273 km de extensão. É a maior concessão rodoviária do Brasil. ‘O valor mínimo de R$ 15 milhões referentes à outorga foi amplamente superado, atingindo R$ 1,1 bilhão’ (este valor será depositado para o governo paulista no momento da assinatura do contrato entre as partes).
‘O leilão foi vencido pelo Consórcio de Infraestrutura Brasil, lederado pela gestora Pátria e pelo fundo soberano GIC, de Cingapura, com ativos superiores a US$ 100 bilhões’. Deu no Estadão.
A concessão – como todas as demais congêneres – só vai ser boa para o consórcio que a venceu, não é? Pedágios no Brasil são uma mina de ouro para as empresas que exploram a atividade.

Sinais (2)
O signatário não se ilude com notícias que tais. O que se está falando ultimamente a respeito de sinais econômicos de reaquecimento não deveria nos sensibilizar, por uma razão muito simples: o País não está em condições satisfatórias para uma retomada.
Como dito acima, nossas empresas estão muito mal das pernas. Os trabalhadores brasileiros não tem a necessária qualificação e nossa infraestrutura já não comporta a atual demanda.

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808

Sorte e saúde sempre!


 

O Brasil é surreal

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, quinta-feira, dia 09 de janeiro de 2020, é celebrado o ‘Dia do Fico’ de D. Pedro I (1822). Na ocasião ele ‘se recusou a voltar para sua terra natal, Portugal. Este ato do então regente deu maior força ao processo de independência do Brasil’ (Terra).
- Também hoje se comemora o ‘Dia do Astronauta’.

 

Ancelmo Gois informa em seu blog que o governo do estado do Rio de Janeiro cancelou recentemente a aposentadoria de 60 servidores. Detalhe: todos estavam mortos há tempos.
Herodoto Barbeiro, do R7News, relata que no ano de 2018 os parlamentares brasileiros gastaram nada menos que R$ 3,1 bilhões com viagens. Repetindo: três bilhões e 100 milhões de reais.
Recentemente o ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, foi preso –e solto em seguida– em razão do desvio de cerca de R$ 134 milhões das verbas de educação e saúde do estado que governou. Continua solto.
E o site O Antagonista registrou que o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), aumentou em até 465% (insisto: quatrocentos e sessenta e cinco por cento!) os salários - que chegam a R$ 35 mil - dele e de funcionários de confiança; ao menos 14 pessoas foram beneficiadas com a medida.
Qual país se viabilizou ou se viabilizará assim?

O Brasil é surreal (2)
Deu no blog do Claudio Humberto: “A armadilha de taxar o consumidor que investiu na geração limpa, solar e eólica, em mais de 60% para garantir o lucro de usinas termelétricas, super poluentes, foi por água abaixo pela articulação de Jair Bolsonaro. A agência reguladora Aneel não conseguiu conter o ímpeto de ajudar distribuidoras parceiras, mas encontrou no presidente, sempre acusado de ser contra o meio ambiente, o maior defensor da energia renovável.
Bolsonaro foi taxativo e disse ter obtido garantias dos presidentes Davi Alcolumbre (Senado) e Rodrigo Maia (Câmara) de proibir a taxação. Sem taxação, a expectativa é de aumento do investimento, redução ou até eliminação do uso de termelétrica e queda no valor da conta de luz.
A medida deve reduzir a emissão de gases poluentes de termelétricas, mas nenhuma ambientalista, sueca ou nacional, agradeceu Bolsonaro”.

O Brasil é surreal (3)
Só mesmo por aqui: as agências reguladoras – não importa a área de atuação – parecem estar todas a serviço das companhias que deveriam fiscalizar em detrimento de quem lhes paga os salários, o pobre contribuinte.
Em tempo: há relatos de diretor de agência reguladora que trabalhava em companhias fiscalizadas e há relatos de diretor que sai da agência e vai trabalhar em companhia que fiscalizou.
Recordar é viver: lembra-se, leitor, que segundo a ANAC os preços das passagens aéreas cairiam com a cobrança de bagagem? Caíram? Que nada. Confiar em governos é sempre um péssimo negócio. O melhor que se pode fazer por eles é fiscalizá-los de perto e cobrar - muito! - por resultados.
As boas ideias trazidas de nações desenvolvidas para o Brasil, como a das agências reguladoras, uma vez aplicadas, só fazem esculhambar um pouco mais o serviço público.

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808