Idgar Dias Júnior
Idgar Dias Júnior
Lula mordeu a isca

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, quarta-feira, dia 13 de novembro, é celebrado o ‘Dia Mundial da Gentileza’.


O jornalista Fernando Canzian escreveu na Folha de São Paulo um artigo analisando o discurso do ex-presidente depois de deixar a prisão: “Em São Bernardo do Campo no sábado (9), o ex-presidente Lula evocou a ‘destruição’ das estatais e dos empregos da população mais jovem, além da recém aprovada reforma da Previdência, como bases do ‘projeto econômico que vai empobrecer ainda mais a sociedade brasileira’.
Citando nominalmente grandes empresas e bancos, Lula sugeriu a existência de um conluio entre as classes dominantes e o governo de Jair Bolsonaro (PSL) contra o povo mais humilde.
Disse ainda que a queda dos juros não chegou ao bolso dos trabalhadores e que o atual governo está tirando dinheiro da área social - numa referência ao teto de gastos. Para refrescar a memória:
1) As empresas estatais que dependem de dinheiro do Tesouro para funcionar (que dão prejuízo) mais que dobraram seus quadros de funcionários em 12 anos, a maior parte nas gestões petistas. De 2006 a 2017, o pessoal efetivo passou de 35 mil para 74 mil - um aumento de 114%, segundo o Ministério do Planejamento.
Já as três principais estatais - Petrobras, Eletrobras e Banco do Brasil - acumularam perdas de R$ 274 bilhões em valor de mercado no governo Dilma Rousseff;
2) Dados da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia revelam que a recuperação do emprego formal tem sido puxada por jovens de até 29 anos - e concentrada nos até 24 anos. Nos últimos 12 meses, 1,1 milhão de jovens foram contratados com carteira assinada; e a isso se deve o saldo geral positivo de 478 mil vagas em 12 meses.
Grande parte do desemprego atual é resultado do desequilíbrio fiscal deixado por Dilma. Entre 2014 e 2015, ainda em seu governo, houve um salto recorde de 38% no total de desempregados, que chegaram a 10 milhões;
3) Até a reforma da Previdência, os brasileiros que estão entre os 20% mais ricos eram os maiores beneficiados pelo sistema. A cada R$ 100 gastos pela Previdência, R$ 40 ficavam com essa camada no topo da distribuição de renda; os 20% mais pobres recebiam apenas R$ 3 do bolo;
4) O Brasil gastará neste ano cerca de R$ 300 bilhões em incentivos fiscais, a maior parte criada pelos governos do PT, que também se aliaram a grandes empresas, os chamados ‘campeões nacionais’. Em nove anos (2007 a 2016), o BNDES desembolsou R$ 1,2 trilhão (43 vezes o Bolsa Família) em empréstimos a empresas como a Oi, que entrou em recuperação judicial, e o grupo de Eike Batista;
5) Além de os juros do cheque especial e do cartão de crédito também terem se mantido em níveis pornográficos nos governos petistas, o chamado teto dos gastos foi criado pelo ex-banqueiro Henrique Meirelles, presidente do Banco Central durante toda a gestão Lula. À época, foi o mecanismo possível para tentar interromper a trajetória explosiva da dívida pública, hoje em 80% do PIB (maior entre os emergentes) e resultado do descontrole fiscal da era Dilma”.
O último parágrafo do artigo soa desconcertante para o lulismo: “Mas Lula parece ter mordido a isca de Bolsonaro e Paulo Guedes ao atacar justamente a economia, que finalmente entra em fase de recuperação após a destruição deixada por Dilma”.

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808
Sorte e saúde sempre!

 

História

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, terça-feira, dia 12 de novembro, é celebrado o ‘Dia Nacional de Prevenção das Arritmias Cardíacas e Morte Súbita’;
- A data também é de comemoração do ‘Dia do Supermercado’;
- Também hoje celebramos o ‘Dia do Diretor de Escola’.


‘Em 12 de novembro de 1748 nasceu Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, considerado o mártir da Independência do Brasil. Ele foi enforcado em 21 de abril de 1792, no Rio de Janeiro. Seu corpo foi esquartejado e sua cabeça foi erguida em um poste na cidade de Vila Rica, interior de Minas Gerais’ (Terra).
Detalhe: hoje no Brasil se comemora o ‘Dia Nacional da Liberdade’ em razão da data de nascimento de Tiradentes.

Puxadinho
O jornalista Renato Alves informou na revista digital Crusoé: “Enquanto renomados e caros advogados amanheceram nas portas dos tribunais estaduais na sexta-feira, 08, para pedir a soltura dos clientes poderosos após o Supremo Tribunal Federal derrubar a prisão em segunda instância, um defensor público foi à mais alta corte do País para apresentar um recurso em favor de um pescador potiguar condenado e que cumpre pena por pesca ilegal que não chegou a retirar um peixe sequer da água”.
Comentário:o defensor público em questão não é daqueles advogados que vão ao STF de bermudas e não são impedidos de entrar. E esse pescador potiguar, claro, não tem os amigos certos.

Puxadinho (2)
A reportagem de Renato Alves prossegue: “Sem antecedente criminal, o homem teve um habeas corpus negado pelo Supremo, que recusou o pedido feito pelo defensor público com base no princípio da insignificância – e que o crime não é cometido com uso da violência nem o bem furtado tem valor expressivo”.
Comentário: talvez o grande pecado do pescador potiguar fosse este: roubar pouco.

Puxadinho (3)
Mais do relato: “O Ministério Público propôs ao réu a suspensão do processo sob algumas condições, como não se mudar nem se ausentar do Rio Grande do Norte sem avisar ao juízo, pagar 250 reais de multa e comparecer mensalmente durante dois anos”.
Comentário: veja, caro leitor, que a ação até então ainda não havia chegado ao STF, certo?

É ‘pracabá’
A reportagem termina contando que “o valor foi pago integralmente, mas como o pescador só compareceu cinco vezes ao fórum de sua cidade, o benefício foi revogado. Com isso, ele teve de cumprir um ano de detenção. Os recursos apresentados pela Defensoria Pública da União foram rejeitados pelo Tribunal Regional da 5ª. Região e, depois, pelo Supremo”.
Comentário: os pobres membros de nossa Suprema Corte são uns desafortunados cuja preocupação com liturgias é só mais um detalhe a comprovar o quão distantes vivem da realidade. Pessoas com um mínimo de discernimento sabem há muito que quem toca o mundo são os pobres e que somente por este singelo motivo merecem todo o respeito possível e imaginável para com um ser humano.

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808
Sorte e saúde sempre!

 

Olho no lance

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, segunda-feira, dia 11 de novembro, é celebrado o ‘Dia do Armistício da Primeira Guerra Mundial’.


O dileto leitor destas linhas reparou no silêncio sepulcral do presidente Jair Bolsonaro em relação ao julgamento da prisão em segunda instância ocorrido no STF? Observou ainda que o governo pouco ou nada fez em relação às iniciativas no Congresso Nacional para discussão de uma PEC a respeito deste assunto?
A provável explicação é: Bolsonaro fez um acordo com o presidente do STF, como é falado aos quatro cantos. Esse acordo implica a ‘blindagem’ do filho ‘02’ do presidente da República, enrolado até os fios com ‘rachadinhas’ na ALERJ ao tempo em que era deputado estadual.

Olho no lance (2)
Tendo feito um acordo com Dias Toffoli, este se sentiu à vontade para fazer por Lula o que tinha feito por José Dirceu em tempos passados. Jamais o presidente da República atacará o chefe de outro poder, ainda mais em se considerando que este outro poder está a proteger seu rebento. Simples assim.

A partir desta segunda-feira:
• como sugeriu a deputada federal e presidente do PT Gleisi Hoffmann, agora precisamos passar desta fase para outra; como replicado na grande mídia, agora sai o ‘Lula Livre’ e entra o ‘Lula Inocente’. É que 2022 é logo ali e, como também manifestado por José Dirceu – o guerreiro do povo brasileiro – a volta ao poder é necessária;
• o ex-presidente Lula vai viajar muito pelo Brasil; seguramente vai visitar o Nordeste, onde desfruta de grande popularidade e onde as praias estão imundas por causa do óleo que misteriosamente veio do mar. Ao contrário de Bolsonaro, deve inclusive se envolver em atos de mutirão de limpeza das praias, o que vai pegar bem politicamente, é claro; o passo seguinte deve ser as viagens internacionais;
• os bolsonaristas que andam brigados vão se juntar novamente; e nas redes sociais a radicalização vai ser um ‘pule de dez’, isto é, certeza. Porque já em seu primeiro discurso depois de sair da prisão, Lula não deixou de falar mal do governo de Jair Bolsonaro, que respondeu, é claro.

Radicalização na veia!
 


 
O ‘tuíte’ do deputado federal Coronel Tadeu (PSL-SP) não deixa quaisquer dúvidas quanto ao assunto ‘radicalização nas redes’, não é?

Tenha uma excelente semana, leitor!

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808
Sorte e saúde sempre!


 

Fim da Guerra Fria

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, sábado, dia 09 de novembro, é celebrado ‘Dia Nacional do Hoteleiro’;
- Também hoje se comemora o ‘Dia do Técnico em Eletrotécnica’;
- A data também é de celebração do ‘Dia do Manequim’.


Nesta data, em 1989 –há 30 anos, portanto– ‘por volta das 22h00, uma multidão pacífica marchou em direção às passagens do Muro de Berlim querendo ir para o outro lado. Os guardas da fronteira, sem saber o que fazer, levantaram as cancelas e deixaram o povo passar. Com a reunificação dos dois países, a Alemanha Ocidental e a Oriental, terminava a Guerra Fria com a queda do muro’ (Terra).

Me engana que eu gosto
Como esperado e sabido, Gilmar Mendes - o advogado e ‘líder do PSDB’ no STF (é assim, diz-se, que o juiz é tratado pelas línguas pretas em Brasília) - votou a favor da prisão em segunda instância, sendo que em 2016 votou, como também é sabido, a favor da execução antecipada, isto é, nada de esperar pela desculpa esfarrapada do ‘trânsito em julgado’.
Gilmar Mendes esclareceu assim a sua mudança de entendimento: ‘Acerca da minha posição individual, tenho registrado que profundas alterações no contexto normativo e fático subjacentes aos debates fizeram que, ao longo dos meus posicionamentos, evoluísse diante das condições reais de satisfação ao princípio da presunção de inocência’.

Me engana que eu gosto (2)
Esse pessoal do direito fala de uma forma que é para ser entendida só entre eles mesmos, pelo menos é o que dá a entender a fala de Gilmar Mendes acima, né não?
Vamos ao que interessa e que é o cerne de toda essa questão: a nossa lei é fraca, débil, quase morta. E os nossos tribunais estão ocupados por agentes muito mais preocupados com liturgias, ganhos com palestras, negócios de família, vinhos e lagostas - que propriamente em fazer cumprir a lei.
Vamos no popular: Gilmar Mendes e outros advogados do STF mudaram de entendimento de modo a libertar Lula e para sufocar a Operação Lava Jato - que está fora de controle e chegando perto demais dos amigos do poder.

O próximo passo
Veja esta notícia publicada no portal G1 no dia 16 de fevereiro de 2012, leitor: “Quase dois anos depois de entrar em vigor, a Lei da Ficha Limpa foi declarada constitucional nesta quinta-feira (16) pela maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Por sete votos a quatro, o plenário determinou que o texto integral da norma deve valer a partir das eleições de outubro.
Com a decisão do STF, ficam proibidos de se eleger por oito anos os políticos condenados pela Justiça em decisões colegiadas, cassados pela Justiça Eleitoral ou que renunciaram a cargo eletivo para evitar processo de cassação”.
Comentário: o signatário chama a atenção do leitor para o último parágrafo acima: ‘ficam proibidos de se eleger por oito anos os políticos condenados pela Justiça em decisões colegiadas’, o que implica Lula.
Pois bem, agora que o STF aprovou a liberação dos condenados em segunda instância, é hora de mexer nesta lei também, né?

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808
Sorte e saúde sempre!

Oráculo

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, sexta-feira, dia 08 de novembro, é celebrado ‘Dia Mundial do Urbanismo’;
- Também hoje se comemora o ‘Dia do Radiologista’.
Detalhe: em 1895, nesta data, enquanto experimentava a eletricidade, o físico e engenheiro mecânico alemão Wilhelm Conrad Rontgen descobriu o Raio-X. Por esta descoberta recebeu o Prêmio Nobel de Física em 1901.


O signatário comparte com seus diletos leitores uma breve passagem ocorrida no programa ‘Roda Viva’ da TV Cultura, nos idos de 1994, em que o entrevistado era Roberto Campos. Um dos entrevistadores à época era a comentarista de economia do Grupo Globo Miriam Leitão que perguntou:
- A minha geração não gostava nem um pouco do senhor. O senhor acha que venceu a briga com a minha geração?
Roberto Campos, na maior calma, na maior firmeza e sabedoria respondeu:
- Chega-se à conclusão de que nós estamos na terceira categoria dos povos a que se referia Bismarck. O ‘chanceler de ferro’ classificava os povos em três grupos: aqueles que aprendem da experiência alheia, são os povos inteligentes. Em segundo lugar, os medíocres, são aqueles que aprendem de suas próprias experiências. E em terceiro lugar, os idiotas, aqueles que não aprendem.
Comentário: alguém aí vai dizer que Roberto Campos estava errado?

 

Brasil, o país dos idiotas
No último dia 29, ministro do STF Marco Aurélio Mello mandou avisar, ofendido, que não participaria de evento no TRE de Santa Catarina em razão da ‘quebra da liturgia do Judiciário’ por uma pessoa encarregada do cerimonial.
Segundo o magistrado do STF, ‘integrante de cerimonial não se dirige diretamente a ministro do Supremo’. Tá vendo, leitor?
E na última quarta-feira, dia 06, Marco Aurélio novamente se sentiu ofendido por sua colega advogada Daniela Lima de Andrade Borges, que, enquanto fazia sua sustentação oral, se dirigiu às excelências do STF com o pronome ‘vocês’ em lugar ‘de suas excelências’. Marco Aurélio não se conteve:
- Presidente, novamente, advogado se dirige aos integrantes do tribunal como ‘vocês’. Há de se observar a liturgia. É uma doutora, uma professora!

 

Brasil, o país dos idiotas (2)
O país dos idiotas está mesmo no Século XIX, como insiste este signatário. É simplesmente um vexame o fato de um membro da Suprema Corte, pessoa de muita vivência, se dirigir  de forma tão arrogante e soberba a uma mulher – com a clara intenção de humilhar – em ambiente público.
Marco Aurélio não sabe, não imagina e não tem em conta que atitudes do tipo pedem que reparos que tais devem ser feitos de forma privada? 


Puxadinho
Não é culpa dos brasileiros que o STF esteja tão desmoralizado. Noves fora a lentidão, toda a pompa e circunstância dos tribunais, lagostas e vinhos caros pagos pelos contribuintes, temos ainda que lidar com a falta de compostura de juízes que se comportam como advogados de porta de cadeia.
Nunca é demais lembrar: países de judiciários fracos são chinfrins, dados a expedientes de muita corrupção, violência descontrolada e misérias de toda sorte.

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808
Sorte e saúde sempre!

 

Quem avisa amigo é

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, quinta-feira, dia 07 de novembro, é celebrado ‘Dia do Radialista’.
Detalhe: ‘devido a uma Lei Federal de 2006, os radialistas ganharam um par de datas a comemorar: o tradicional Dia do Rádio (em 25 de setembro) e em 07 de novembro o dia oficial. Isto se deu por conta de uma homenagem o músico e radialista Ary Barroso, que nasceu nesta data, em 1903’ (Aponarte).


No programa Roda Viva da última segunda-feira, dia 04, a deputada estadual paulista do PSL, Janaína Paschoal, a candidata a deputada mais votada da história do País, foi questionada a respeito da possibilidade do presidente Jair Bolsonaro não concluir seu mandato, que termina em 2022:
“Acho que há. Não pela prática de crimes, acredito no presidente, mas ele se [cercou] de pessoas que acho que não o aconselham bem. Tem bons ministros, o governo está indo bem, conseguimos a reforma da Previdência, que era um sonho. Será entregue a reforma administrativa… Mas ele já não é querido pelos formadores de opinião. Ele ainda tem muita gente no povo que apoia, gosta dele, eu mesma gosto dele, mas as pessoas se cansam. Têm situações que ele cria conflitos onde flagrantemente não precisa. Então, você une uma pessoa que cria esses conflitos. Na verdade, não é só ele coitado, mas a família. Vai gerando animosidades (…).
Você têm os formadores de opinião que, na maioria, já não gostavam (dele) desde o princípio. Isso vai formando um caldo de cultura muito negativo. Tem que ter muita sorte. Ele tem sorte, sobreviveu a um atentado, foi eleito sem recurso. Mas eu gostaria que eles todos colocassem a mão na consciência e se esforçassem. Entendessem o tamanho do papel que eles têm. O presidente não é mais um deputado temático, é um presidente da República. O filho ainda é deputado, tem direito aos seus pensamentos, a sua manifestação? Tem. Porém, tem que compreender que não é ouvido mais apenas como deputado, mas como alguém que representa o governo, não de maneira institucional, mas é assim que as pessoas o ouvem. Eu fico preocupada, falam em reeleição, reeleição… Gente, estamos no primeiro ano de mandato e o tamanho das encrencas, é uma quantidade de conflitos que é para final de governo.”

Enquanto isso...
Pesquisa publicada no site Jota no último dia 05 mostra que a popularidade do presidente despencou 10 pontos percentuais entre 27 de setembro e 1º. de novembro, conforme tabela abaixo:
 

Para 42,1% dos brasileiros, o governo de Bolsonaro é ruim/péssimo; para 30,9% é ótimo/bom; para 23% é regular e 4% não sabe ou não respondeu.

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808
Sorte e saúde sempre!

Ninguém controla a desigualdade

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, quarta-feira, dia 06 de novembro, é celebrado ‘Dia Nacional do Amigo da Marinha do Brasil’.


“Os chilenos saíram às ruas em protesto contra o governo e, diz a imprensa, contra a desigualdade social. Talvez tenham sucesso no primeiro objetivo, mas o segundo é um pouco mais complicado.
É ilusão achar que controlamos a desigualdade de renda ou de patrimônio. Ela não está nas mãos de políticos bem-intencionados ou de manifestantes furiosos. É algo que surge de baixo para cima, fruto das melhores escolhas e da interação de milhões de pessoas, e não da vontade de algum planejador social.
Um chileno de fato preocupado com a desigualdade deveria, por exemplo, evitar se casar com alguém da mesma classe. Pois o casamento é um motor cada vez mais potente de concentração de renda. Ricos costumam se casar com ricos, pobres com pobres. De um lado, a renda se acumula; de outro, a pobreza se agrava.
No passado, casamentos entre classes diferentes eram frequentes (o executivo e a sua secretária) e dispersavam o dinheiro. Hoje os casamentos seletivos estão mais comuns (o executivo e a executiva; o casal que se conhece na universidade). O economista Alparslan Tuncay, da Universidade de Chicago, concluiu que isso explica um terço do aumento da desigualdade americana entre 1960 e 1980. Um estudo da FGV de 2017 mostrou um efeito semelhante no Brasil.
A entrada das mulheres no mercado de trabalho, aliás, é o caso de boa notícia que aumentou a desigualdade. Nos anos 1950, em geral só as pobres trabalhavam – como telefonistas, secretárias, enfermeiras – enquanto as ricas ficavam em casa. A emancipação feminina aumentou mais a renda das famílias ricas que das pobres (onde as mulheres já trabalhavam).
O chileno pró-igualdade também deveria deixar de usar os serviços da Uber, da Netflix e do Facebook. Essas empresas são máquinas de concentração de renda. Antes delas, o dinheiro se dividia em milhões de cooperativas de táxi, canais de TV, jornais e revistas locais. A tecnologia criou mercados em que o vencedor leva tudo – uma única empresa domina todo o mercado mundial. O dinheiro se concentra, mas os consumidores têm acesso a bens melhores e mais baratos.
No Brasil, um fenômeno que encolheu a desigualdade passou longe da decisão de políticos: a demografia. Por muito tempo, as mulheres mais pobres tiveram muito mais filhos que as ricas. A renda per capita diminuía, assim como o investimento na educação de cada filho. Já as famílias ricas tinham poucos filhos, investiam muito na educação deles e não inundavam o mercado com trabalhadores qualificados, o que garantia salários altos.
Essa diferença de fecundidade despencou de 4,5 filhos por mulher em 1970 para 1,8 em 2005. Se não tivesse caído, em 2010 os brasileiros mais ricos seriam donos de 62% da renda nacional, e não de 45%, segundo um estudo do IPEA.
Walter Scheidel, historiador de Stanford, analisou a desigualdade na história do mundo e descobriu o mais eficiente (talvez o único) nivelador de renda: as tragédias. Guerras, cataclismos e crises econômicas costumam devastar a riqueza em geral – a concentração diminui simplesmente porque a riqueza desaparece.
Pensando bem, se continuarem a destruir o país como fizeram nas últimas semanas, os manifestantes chilenos talvez consigam diminuir a desigualdade”.
Do escritor e jornalista Leandro Narloch, em artigo publicado na revista digital Crusoé.

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808
Sorte e saúde sempre!

 

História

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, terça-feira, dia 05 de novembro, é celebrado ‘Dia Nacional da Língua Portuguesa’;
- Também hoje se comemoram o ‘Dia do Técnico em Eletrônica’ e o ‘Dia do Técnico Agrícola’;
- A data também é de celebração do ‘Dia do Designer’ e do ‘Dia Nacional do Interactiano’;
- Hoje é o ‘Dia Nacional da Cultura’ e o ‘Dia do Cinema Brasileiro’;
- Por fim, hoje se comemora o ‘Dia do Escrivão de Polícia’.


Nesta data, em 1982, ‘os presidentes do Brasil, João Figueiredo, e do Paraguai, Alfredo Stroessner, acionaram o mecanismo que levantou automaticamente as 14 comportas do vertedouro e liberaram a água represada do Rio Paraná. Assim, foi oficialmente inaugurada a então maior hidrelétrica do mundo, após mais de 50 mil horas de trabalho’ (UOL).
Detalhe: a data acima não deve ser confundida com aquela na qual se deu a entrada da usina em operação comercial, o que ocorreu em 05 de maio de 1984.

Don’tcry for me, Argentina
“[Mauricio] Macri legará herança maldita para [Alberto] Fernández: inflação a 60% ao ano, déficit primário de 1% do PIB e dívida pública de 82% do PIB, em junho passado, sendo que 85% dela denominada em dólar. Em 2020, parcela significativa da dívida vence.
O que se sabe? A Argentina não pagará sua dívida nos termos em que ela foi contratada e experimentará longo período de conta de capital fechada: conviverá muitos anos com câmbio paralelo.
É muito provável que Fernández tente um ajuste fiscal com aumento de impostos, como fizemos por aqui em 1999, primeiro ano do segundo mandato de FHC.
Há peronistas para todos os gostos. Fernández é um peronista de centro ou centro-esquerda. Tentará ajustar a economia.
Além de uma política fiscal apertada, a política monetária deve ser frouxa. O controle inflacionário não deve ser a prioridade”.
Do economista Samuel Pessoa, em artigo publicado na Folha de São Paulo.

Don’t cry for me, Argentina (2)
Pessoa ainda fala em seu artigo de mais previsões ruins para nosso vizinho: “Em vez de Fernández entregar para seu sucessor uma economia no estágio em que estávamos no segundo mandato de FHC, provavelmente entregará algo próximo ao que tínhamos –e eles também– nos anos 1980.
Vale lembrar que Cristina legou para Macri um país todo desarrumado: inflação anual de 25%, com atraso tarifário que adicionaria dez pontos percentuais na inflação de um ano, além de déficit público primário de 4,5% do PIB.
Tudo indica que a decadência continuará”.

Don’t cry for me, Argentina (3)
O articulista ainda cita um detalhe que talvez só faça piorar o que já estará ruim: “Contribui para o cenário pessimista a dificuldade que a esquerda do partido peronista terá para aceitar o custo do ajuste e a dificuldade que Fernández terá para conviver com uma vice que tem muito protagonismo”.
Como este signatário lembrou há algumas semanas, o vinho Norton Malbec DOC que hoje custa cerca de R$ 15,00 (isto mesmo, quinze reais) em Puerto Iguazu, deverá chegar logo, logo aos R$ 5,00...

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808
Sorte e saúde sempre!

 

Semana importante

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, segunda-feira, dia 04 de novembro, é celebrado ‘Dia de Prevenção Contra Doenças Cardíacas’;
- Também hoje se comemora o ‘Dia das Favelas’;
- A data também é de celebração do ‘Dia do Inventor’.

 

Nesta semana, além da nova crise que certamente o presidente Bolsonaro e seus filhos seguirão (ou, provavelmente, criarão outra), há dois eventos que ocorrerão em função de agenda: no dia 06, quarta-feira, ocorrerá o mega-leilão do pré-sal (o qual poderá render mais de R$ 100 bilhões para o governo) e no dia 07, quinta-feira, os advogados do STF, digo, os juízes da Suprema Corte brasileira decidirão se o ‘direito fundamental à impunidade’ – nas palavras do procurador Júlio Marcelo de Oliveira – será ou não assegurado aos grandes ladrões, corruptos e malfeitores de nossa República.

Fala que eu te escuto
“Finalmente a reforma da Previdência foi aprovada. Entre a proposta original e a que foi aprovada, diversas mudanças ocorreram e perderam-se 30% da potência fiscal original. Apesar disso, temos muito a comemorar (…).
O impacto fiscal ficou em algo próximo de 800 bilhões de reais de economia em dez anos. Se não resolve o problema -e não resolve-, dá algum alívio e permite que a agenda de modernização avance, como a questão tributária, o grave desequilíbrio fiscal de estados e municípios, a baixa produtividade da economia e a enorme desigualdade de renda e de oportunidades, entre outros”.
Do economista Paulo Tafner, um dos maiores especialistas em Previdência do País.
Comentário: no Brasil há coisas que pegam e outras que não pegam, como se sabe. Veja, leitor, por exemplo, a questão do fumo. Fumar antigamente, não importava o lugar, era até charmoso, mas hoje em dia pega mal, tanto que há locais em que a colocação das placas proibindo o hábito já se tornou desnecessária.

O Brasil e as reformas
O signatário torce - muito! - para que reformas (como a da Previdência acima abordada) se tornem um hábito mais que cotidiano da vida brasileira, pois como enunciou Heráclito, filósofo grego pré-socrático, ‘nada é permanente, exceto a mudança’.

Bagrinho
Foi decretada a prisão (fruto da operação Lava Jato) do primeiro político a ser condenado pela Corte Suprema brasileira: o ex-deputado paranaense Nelson Meurer, do PP. Ele foi condenado em 2018 pela Segunda Turma (curiosamente é a que mais solta), por corrupção e lavagem de dinheiro, a 13 anos de cadeia. Foi Edson Fachin quem expediu a ordem para prendê-lo.
Em tempo: Nelson Meurer deve ser uma pessoa de muitíssimos amigos, não é? Pois quem recebe uma soma de mais de R$ 29 milhões de propina da Petrobras é uma pessoa com muitos amigos. Mas, pelo visto, não os  amigos certos, né?

Bola de cristal
Na semana que passou, o historiador Marco Antônio Villa afirmou ao canal My News, no YouTube, que Jair Bolsonaro não terminará seu mandato. Para o historiador, o presidente da República poderá sofrer um ‘impeachment’ ou renunciar.

Boa semana, leitor!

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808
Sorte e saúde sempre!

A esquerda está totalmente perdida e não sabe disso

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, sexta-feira, dia 1º. de novembro, é celebrado ‘Dia Mundial Vegano’;
- Os católicos comemoram hoje o ‘Dia de Todos os Santos’.


“É muito triste que nenhuma ala da esquerda brasileira como a comunista, a trotskista, a chavista, a castrista, a extremista, nenhuma conseguiu se destacar nesses dez meses, positivamente.
Nenhuma propôs medidas alternativas a não ser [ficar] contra tudo o que esse governo fez ou propôs.
Nenhum economista de esquerda sugeriu como ativar esse marasmo na economia. Sugerindo, por exemplo, ampliar prazo de impostos, financiar capital de giro e não apresentar as propostas de sempre como gastar mais em educação e outros gastos de governo. Isso é um desserviço à nação e à democracia. 90% de nossos intelectuais gastando nosso dinheiro com os tweets do Bolsonaro.
A esquerda está tão preocupada com esses tweets que nem percebe que a equipe de governo está trabalhando celeremente para consertar esse país. E que a economia vai bombar em 2022, ano da eleição. Aí, a mídia social irá mostrar todo esse ódio diário da esquerda, que só ficou criticando o português do Bolsonaro, e suas frases polêmicas. Eu o sigo, mas o que leio parece ser diferente.
A esquerda não está nem se preparando para o novo Brasil que está surgindo. E que terão de superar, com propostas de continuidade e crescimento ainda mais rápido se quiserem voltar. Como superar um desemprego zero ou quase zero em 2022? Ou explicar por que o Bolsa Família não dava o décimo terceiro salário, que o PT negou por 16 anos, apesar de ser uma conquista social? Ou, por que não fizeram a Reforma da Previdência e o saneamento do Estado?
Em vez da esquerda se aprimorar, reciclar, aprender, e ser mais ligada ao mundo real, continua com esse discurso de ódio que já enche a nossa paciência. Tanto que ninguém mais lê, acreditem, só a esquerda se auto alimentando num suicídio coletivo. Acho que Bolsonaro está fazendo tudo isso de propósito, militar que é, despistando o inimigo, desviando fogo inimigo do estratégico.
Concentrem-se no que o segundo escalão está fazendo como o Salim Mattar, o Paulo Uebel, o Marcos Mendes, o Paulo Guedes, o Ricardo Salles, e muitos mais. Vejo muitos dos meus sonhos de Administração Responsável das Nações. Uma equipe finalmente, todos do mesmo partido, trabalhando juntos, de forma coordenada, pensando em objetivos e não em eleições. Uma equipe que está atraindo nossos melhores funcionários públicos afastados pelo PT que colocava seus companheiros sindicalistas.
Deixem o Bolsonaro enlouquecer a esquerda, tirando o foco deles, em vez deles se prepararem para o que terão que enfrentar em 2022. Deixem a esquerda perder seu tempo com os filhos de Bolsonaro, do que entrevistar seus poucos economistas, ainda não investigados, de como o PT arrumará o capital de giro que pode faltar de 2020 em diante. (Não vai faltar, espero que até lá a ficha caia.)
Bolsonaro fala demais porque não tem o que fazer. Mas tudo isso tira o foco da esquerda daquilo que eles deveriam se preocupar.
E não vão”.
Artigo de Stephen Kanitz, guru em administração, publicado em blog.kanitz.com.br

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808
Sorte e saúde sempre!