Idgar Dias Júnior
Idgar Dias Júnior
História

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, sexta-feira, dia 27 de março de 2020, é celebrado o ‘Dia Mundial do Teatro’;
- Também hoje é comemorado o ‘Dia do Circo’ (Brasil).

História
Nesta data, em 1965 - há 55 anos, portanto - foi inaugurada a Ponte Internacional da Amizade pelos presidentes do Brasil, o marechal Castelo Branco e do Paraguai, o general Alfredo Stroessner. A Ponte da Amizade tem 78 metros de altura, 13,5 metros de largura e extensão de 552,4 metros.
Curiosidade: a ponte, na época de sua construção em 1962, foi recorde mundial de vão em porte de concreto armado e arco engastado com 290 metros.

Vamos combinar?
Acontecem muitíssimas coisas boas Brasil afora que a gente simplesmente não vê por razões que não cabe enumerar por ora, até em função do espaço para escrever a respeito.
O signatário quer chamar a atenção para duas classes de gente que cuida de gente absolutamente de forma silenciosa, dedicada, voluntariosa e humanizada: os profissionais da saúde e os profissionais do setor da educação que cuida da merenda escolar.

Vamos combinar? (2)
Imaginemos, leitor, a situação que ora transcorre em hospitais que estão cuidando das pessoas que estão chegando contagiadas pelo coronavírus! O vírus acomete as pessoas de uma forma que mostra num primeiro momento sintomas de uma pneumonia fortíssima, o que demanda cuidados especiais a pronto atendimento.
E quem atende tem que dar a cara a tapa, claro, com os devidos cuidados, mas sem priorizar detalhes como a questão do contágio. Porque é preciso dar atendimento, dar socorro na premência inadiável. E em muitas das vezes, SEM OS RECURSOS NECESSÁRIOS.

Vamos combinar? (3)
E as escolas que estão em recesso, mas estão abrindo as suas instalações para atender as crianças e jovens que precisam da merenda escolar?
Em tempo: o Brasil alimenta cerca de 45 milhões de crianças e jovens nas escolas públicas pelo País afora! É quase a população atual da Argentina (48 milhões de pessoas).

O Ministério da Educação (MEC) informa
“Este ano, o orçamento para o programa [da merenda] é de R$ 3,3 bilhões, para atender de forma suplementar os alunos matriculados no ensino básico, desde a creche, pré-escola, ensino fundamental e médio, incluindo os alunos residentes em áreas remanescentes de quilombos e aldeias indígenas, além de alunos da educação de jovens e adultos (EJA). O recurso é transferido em 10 parcelas mensais, para atender 200 dias letivos, recomendando-se o investimento de 30% na compra direta de produtos da agricultura familiar (Lei nº 11.947, de 16 de junho de 2009)”.

Pergunta inconveniente
Depois de tantos ataques especulativos daqueles que querem o seu lugar (como o ex-ministro Osmar Terra), depois de tanta humilhação pública perpetrada pelo presidente (que o desdiz), e logo após seu padrinho, Ronaldo Caiado, romper com o presidente, fica a questão que não quer calar: o doutor Luiz Henrique Mandetta ainda está ministro da Saúde?

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808

Mulheres e crianças primeiro

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, quinta-feira, dia 26 de março de 2020, é celebrado o ‘Dia do Cacau’;
- Nesta data, em 1991, foi assinado o Tratado de Assunção que de origem ao Mercado Comum do Sul, o Mercosul, formado por Uruguai, Argentina, Paraguai e Brasil.


Também o governo de Jair Bolsonaro está aí para comprovar que – com ensina o dito popular – ‘quem tem padrinho não morre pagão’. As empresas aéreas brasileiras que o digam. Dos 55 bilhões de reais a serem injetados pelo BNDES na economia, pelo menos R$ 10 bilhões irão para as aéreas.
Dentre as muitas razões e justificativas apresentadas, há aquela segundo a qual o setor é prioritário...

Mulheres e crianças primeiro (2)
Daqui a vinte anos Jair Bolsonaro terá 85 anos e, claro, certamente vai se recordar do tempo em que foi presidente da República (como FHC hoje em dia).
Nessa ocasião Bolsonaro terá em conta que foi um presidente que enfrentou um dos três fenômenos que até então abalaram toda a humanidade no século 21: os atentados de 11 de setembro de 2001, a quebra generalizada do sistema financeiro mundo afora em 2008 e a pandemia do coronavírus agora em 2020.
E vai se lembrar de que seu governo começou o processo de salvamento do País de forma hesitante, equivocada e tardia.

Mulheres e crianças primeiro (3)
O signatário vai insistir numa tese óbvia: são os pobres que tocam o mundo, e não os ricos. Mas tem gente que parece desconhecer tal obviedade, do que dão provas as providências tomadas até aqui por todos os níveis de governo: municipal, estadual e federal – que estão tratando de salvar primeiro os ricos e as grandes empresas, para depois –quem sabe?– atender os pobres com o que sobrar. E se sobrar, claro.

Posso esclarecer?
O signatário não é contra o salvamento, a proteção das empresas e que tais. O que se quer é chamar a atenção para detalhes como o critério utilizado para salvar empresas e empregados.
Vamos melhorar a prosa: já pensou se o Governo Federal, se o Congresso e as empresas se unissem -  como vão se unir agora – para salvar nossos mais de 12 milhões de desempregados? Ou para dar um jeito na mazela inominável do emprego sem carteira assinada?

O povo é só um detalhe
Veja, caro leitor, como os governos mudam mas as prioridades continuam as mesmas: em seu último discurso na TV, o presidente Bolsonaro deu muitíssimo mais importância à polarização com esquerdas, mídia e governadores que considera adversários políticos (sempre de olho nas eleições) – insistindo na questão da histeria coletiva criada pela mídia – que com o que realmente interessa: salvar os pobres.

Só mais uma coisinha
A Confederação Nacional da Agricultura prometeu doar R$ 5 milhões para o Ministério da Saúde, para o combate à Covid-19 (ou epidemia do coronavírus). Outras entidades estão seguindo o mesmo bom e espetacular exemplo.
Pergunta que não quer calar: a instituição que representa os bancos não vai fazer nada? Ou vai ficar à espera de que ninguém lhe diga algo a respeito?

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808

História

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, quarta-feira, dia 25 de março de 2020, é celebrado o 'Dia Internacional da Solidariedade com a Pessoa Detenta ou Desaparecida';
- Também hoje se comemora o 'Dia Nacional do Oficial de Justiça';
- A data também é de celebração do 'Dia Nacional da Comunidade Árabe'.


n Nesta data, no ano de 1824  - há 196 anos, portanto - foi outorgada pelo imperador D. Pedro I a nossa primeira Constituição. A Rua 25 de Março, em São Paulo -uma das mais movimentadas da capital- tem o seu nome em homenagem ao avento.
n E em 1970, também nesta data, o presidente Emílio Garrastazu Médici (1905-1985) conseguiu junto à ONU que nosso mar territorial fosse ampliado de 12 para 200 milhas náuticas (370 km).

Receita
Embora o governo brasileiro esteja muito longe de reconhecer a gravidade do momento - as medidas recém-anunciadas por Paulo Guedes são insuficientes - há os que começam a pensar no que fazer. Há [algum tempo] tenho defendido o que considero necessário para enfrentar a crise de longa duração a abater em breve o Brasil, que entra nela a partir de uma situação econômica muito frágil. São elas: suplemento emergencial imediato do benefício do Bolsa Família em pelo menos 50%; a instituição de uma renda básica universal mensal no valor de R$ 500 para os 36 milhões do Cadastro Único que não recebem Bolsa Família - esses são os grupos mais vulneráveis; a abertura de R$ 50 bilhões em créditos extraordinários para a saúde, com a possibilidade de aumentar esse montante; acelerar e dar maior flexibilidade à aprovação do seguro-desemprego; disponibilizar recursos emergenciais para os setores mais afetados pela crise no valor de pelo menos R$ 30 bilhões; abertura de linhas de crédito do BNDES para micro, pequenas e médias empresas. Por fim, recomendo um programa de investimento público em infraestrutura para sustentar a economia no médio/longo prazo com a utilização de recursos do BNDES.
Trecho de artigo da economista brasileira Monica Baumgarten de Bolle - 'Como Evitar a Depressão Econômica'.

Olha o perigo!
"Mussolini não estava sozinho em seu assalto à democracia, que incluía gestos teatrais, acordos por debaixo dos panos, o uso descarado da violência contra os opositores, o uso sistemático da mentira e a traição constante a antigos companheiros. Tinha a simpatia de empresários, como Gianni Agnelli, dono da Fiat, e intelectuais e artistas brilhantes e famosos, como o filósofo Benedetto Croce, o maestro Arturo Toscanini e sua amante, a aristocrática intelectual judia Margherita Sarfatti. Para eles, o Duce tinha seus defeitos, mas havia uma causa maior, a recuperação econômica e a renovação da Itália, que tudo justificavam. Deu no que deu".
Do filósofo brasileiro Simon Schwartzman, em artigo publicado no jornal O Estado de São Paulo, comentando o livro 'M - O Filho do Século'.
Comentário: conhece algum presidente da República da atualidade que tenha perfil parecido, leitor?

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808
Sorte e saúde sempre!

Três cenários possíveis para a crise no Brasil

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, terça-feira, dia 24 de março de 2020, é celebrado o ‘Dia Mundial de Combate à Tuberculose’;
- Também hoje se comemora o ‘Dia da União dos Povos Latino-americanos’.


Diante da crise da pandemia da Covid-19, o economista Claudio Porto realizou [neste mês] sondagem num grupo de 150 pessoas (economistas, sociólogos, cientistas políticos, engenheiros, gestores sênior de empresas, pesquisadores e professores de universidades).
O cruzamento das respostas propiciou a criação de três cenários. No denominado “A reconquista da normalidade” (1), o melhor, mas de menor probabilidade, em face da intensidade da crise, o governo assumiria um comportamento cooperativo como seu novo padrão de relacionamento político-institucional, com pronta resposta dos principais atores políticos.
Impactos positivos são produzidos nos graus de acerto, nos níveis de confiança e na melhoria e aceleração das medidas de combate às crises da saúde pública, da economia e das maiores vulnerabilidades sociais.
A melhoria do cenário externo ajuda. [Nesta] visão, aceleram-se a velocidade e a intensidade das boas respostas sanitárias e aos estímulos econômicos com propagação global. Como resultado, os impactos da crise na economia brasileira são intensos, mas de duração moderada. O segundo semestre é de ampla recuperação.
O cenário mais provável é o que foi denominado “Aos trancos e barrancos” (2), cuja probabilidade passou de 35% para 60%. Esse cenário mostra uma continuidade do Brasil atual. A realidade se impõe. A mudança de comportamento dos principais atores do governo federal, incluindo o presidente Bolsonaro, é temporária. No princípio mais cooperativo, a previsão é que haverá sucessivas recaídas de confrontação, com resposta semelhante dos políticos. Os impactos imediatos são positivos — mas não se sustentam por muito tempo.
Os níveis de confiança se mantêm baixos, e as medidas de combate às crises da saúde pública e da economia são insuficientes. Externamente, não há novidades, especialmente no relacionamento com a China, com tensão permanente variando os níveis de “esticamento da corda”. Isso ocorreria mesmo com a melhoria do cenário global. Como resultado, os impactos da crise na economia brasileira são intensos e de duração prolongada. 2020 é mais um ano perdido.
O pior cenário, que Claudio Porto considera improvável, é “A marcha da insensatez” (3). Uma ruptura em relação ao Brasil atual, com uma escalada desenfreada de autoritarismo populista. Os laços de coesão social se rompem numa espiral ascendente de polarização. Externamente, a novidade é uma piora progressiva no relacionamento do Brasil com a China, a Europa e alguns países “inimigos” nas Américas. Isso ocorre mesmo com a progressiva melhora do cenário global.
Artigo – resumido – de Merval Pereira, publicado no jornal O Globo.

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808

O senhor embaixador

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, sábado, dia 21 de março de 2020, é celebrado o ‘Dia Internacional da Síndrome de Down’;
- Também hoje se comemora o ‘Dia Internacional Contra a Discriminação Racial’.

 

 
O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) é uma pessoa de muita sorte. Além de ter nascido de um pai que se tornou presidente da República, é o deputado federal mais bem votado da história do Brasil.
Sendo filho de Jair Bolsonaro – um expoente do baixo clero do Congresso Nacional e notório exemplar da velha política – o Zero Três não nega que saiu ao pai: trabalha pouco, comete gafes homéricas, não tem freios na língua (fala demais, portanto) e, não por outra razão, vive dizendo bobagens.

O senhor embaixador (2)
Como é sabido, o ‘Zero Três’ quase foi nomeado pelo pai presidente para ser embaixador nos Estados Unidos (suas credenciais: já fez intercâmbio por lá, já fritou muito hamburguer naquelas plagas e disse ser muito amigo dos filhos do presidente americano Donald Trump! Um baita currículo, como se vê). Ainda bem que não deu pra ele. A julgar pelo fato admitido recentemente à revista Piauí, no qual ele disse não saber quem é Henry Kissinger, e tendo em conta a ignorância e baixeza ao tratar do caso do coronavírus em relação aos chineses, foi melhor assim.

O senhor embaixador (3)
“Em nome da Câmara dos Deputados, peço desculpas à China e ao embaixador Wanming Yang pelas palavras irrefletidas do deputado Eduardo Bolsonaro”.
Do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), chutando para o gol, com o goleiro batido, depois do passe ‘melão com mel’ deixado pelo ‘Zero Três’.

Cachorro morto
“Apresento a Vossa Excelência e a todo o povo chinês, em meu nome e em nome do Congresso Nacional, nosso respeito, solidariedade e também nossas desculpas, reafirmando que nunhum obstáculo poderá serparar nossos povos no combate a uma doença tão intensa e arrasadora”.
Do presidente interino do Congresso Nacional, senador Antônio Anastasia (PSD-MG), outro agraciado pelo Zero Três, que o deixou de frente pro gol; ‘só não entrou com bola e tudo porque teve humildade em gol’ – como ensinou o Jorge Benjor, tá certo?

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808
 Sorte e saúde sempre!

O coronavírus é uma mão na roda

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, sexta-feira, dia 20 de janeiro de 2020, é celebrado o ‘Dia da Agricultura’;
- Também hoje se comemora o ‘Dia Internacional da Felicidade’ (ONU).


Pois é, setores do Judiciário brasileiro estão soltando malfeitores às pencas por conta da pandemia. O operador do PSDB conhecido como Paulo Preto foi um dos primeiros a ganhar a liberdade. E há quem diga que a soltura do ex-governador Sérgio Cabral, condenado a mais de 280 anos de cadeira, é ‘pule de dez’.

Meu Brasil brasileiro
A jornalista Thaís Freitas apresentou uma notícia importantíssima no matutino da rádio Bandeirantes, o Jornal Gente: como se sabe, o Brasil tem cerca de 5570 municípios, certo? Mas somente 10% (dez por cento, bem entendido) deles é dotado de unidades de terapia intensiva, as UTIs.
Numa conta rapidinha: cerca de 550 municípios possuem UTIs. É muitíssimo pouco para um País cujas câmaras de vereadores em mais de 700 municípios custam mais do que arrecadam os seus respectivos municípios. Uma vergonha.

Meu Brasil brasileiro (2)
Em 2018, as Câmaras de Vereadores pelo Brasil custaram mais de R$ 16,4 bilhões ao contribuinte. São mais de 57 mil vereadores (90% das cidades brasileiras não possuem população com este número).
Nada contra os vereadores (o signatário também não tem nada a favor), mas em tempos como os atuais –de dengue, sarampo e coronavírus dando as cartas– o que é mais importante para a população em geral? Leitos em UTIs ou Câmara de Vereadores?

Senso de oportunidade
Em maio do ano passado ‘a Amazon comprou uma participação relevante na empresa britânica de entrega de comida Deliveroo, liderando uma rodada de investimentos que [aportaria] US$ 575 milhões na startup. Com o negócio, a varejista [provavelmente deve] fazer frente à Uber Eats na corrida global para dominar o mercado de entrega de refeições’ (G1).

Senso de oportunidade (2)
Em tempos de coronavírus, aquelas cidades mundo afora que possuem gestores antenados com o que acontece em seu entorno geográfico já estão sob estado de restrições que vão desde o fechamento de shoppings à proibição da entrada de turistas, de ônibus provenientes de outros estados e que tais.
E, claro, a mobilidade das pessoas está ou fica seriamente comprometida, em razão da necessidade de conter a proliferação do vírus enquanto a vacina não chega.

Senso de oportunidade (3)
E é em horas assim que investidores como Jeff Bezos (o dono da Amazon) gritam ‘bingo’! Com todos de alguma forma proibidos de sair de casa, um 'delivery food’ cai bem pra chuchu, né não?

Sinais
Como lembrado ainda ontem neste espaço, ‘todo incêndio grande começa bem pequenininho’, certo? Sim. Mas e daí? Daí que em São Paulo e outras capitais começaram os ‘panelaços’ quando o presidente Bolsonaro fala.
Há um provérbio bem antigo que enuncia: ‘é pelos erros dos outros que o sensato corrige os seus’. Se servir de aviso...

The last day
Ontem foi o último dia do verão, leitor. E desde a 00h50min de hoje começou o outono, que vai até 20 de junho.

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808

Mãe Dinah

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, quinta-feira, dia 19 de março de 2020, é celebrado o ‘Dia de São José’ (pai terreno de Jesus);
- Também hoje são comemorados o ‘Dia do Carpinteiro’ e o ‘Dia do Marceneiro’.


‘O eterno presidenciável Ciro Gomes e o historiador Marco Antônio Villa já vaticinaram que o presidente Jair Bolsonaro não concluirá seu mandato. A ambos se juntou a jornalista Dora Kramer, da Veja. Está ficando a cada dia mais evidente que Bolsonaro está dobrando a aposta na polarização. E para 2020 as negociações com o Congresso Nacional deverão ser ainda mais tensas que em 2019: é a tempestade perfeita em formação’.
A nota que você acaba de ler foi publicada neste espaço no dia 21 de fevereiro de 2020.

Agora veja
“Ninguém sabe como isso vai terminar, mas torna-se assunto inevitável a possibilidade de Jair Bolsonaro vir a ter interrompido de alguma maneira seu mandato presidencial, por absoluta incapacidade, não apenas de gestão, mas psicológica. Pode ser por uma licença de saúde, uma renúncia, ou um impedimento político. O assunto já era frequente em reuniões de parlamentares, autoridades e empresários em Brasília e nos centros de decisão do país. Com a mais recente demonstração de irresponsabilidade no domingo, o tema ganhou dimensões alarmantes, a ponto de o próprio Bolsonaro, sentindo o cheiro de queimado, ter declarado que seria ‘golpe’ isolar o presidente”.
Do jornalista Merval Pereira, em O Globo.
Comentário: Hamilton Mourão que se prepare. A incapacidade de Jair Bolsonaro em liderar aliada à sua infinita disposição para criar conflitos desnecessários estão criando as condições mais que propícias ao seu afastamento.

Fala que eu te escuto
A galera que segue o presidente Jair Bolsonaro sofreu mais uma baixa: a deputada estadual por São Paulo, Janaína Paschoal (PSL-SP) pediu o afastamento de Bolsonaro da presidência em discurso feito na Assembleia Paulista: “Esse senhor tem que sair da presidência da República. Deixa o Mourão, que é treinado para a defesa, conduzir a nação (...)
Como um homem que está possivelmente infectado vai para o meio da multidão? Como um homem que faz uma live na quinta, e diz para não ter protestos, vai participar desses mesmos protestos e manda as deputadas, que são paus mandados dele, chamar o povo para a rua? Eu me arrependi do meu voto. Como é que esse homem vai lá potencialmente contaminando as pessoas? Pegando na mão, beijando. Ele está brincando? Ele acha que ele pode tudo?”.

Fala que eu te escuto (2)
E o jurista Miguel Reale Jr. pediu um teste de sanidade mental do presidente: "Seria o caso de submetê-lo a uma junta médica para saber onde está o juízo dele. O Ministério Público pode requerer um exame de sanidade mental para o exercício da profissão. Bolsonaro também está sujeito a medidas administrativas e eventualmente criminais. Assumir o risco de expor pessoas a contágio é crime".
Comentário: como se sabe, todo incêndio grande começa bem pequeno, né? Bolsonaro que se cuide.

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808

História

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, terça-feira, dia 17 de março de 2020, é celebrado o ‘Dia Internacional da Marinha’;
- Também hoje se comemora o ‘Dia Nacional do Mel’.


Nesta data, em 2014, foi deflagrada pela Polícia Federal a Operação Lava Jato, o grande escândalo de corrupção na Petrobras, também conhecido como ‘petrolão’. Há seis anos, portanto.
Comentário: com o passar dos anos, com os êxitos da operação – prendendo malfeitores, condenando empresas a acordos que quase as inviabilizaram e enterrando carreiras políticas e partidos – e, claro, com a reação de setores do Legislativo e do Judiciário, a operação vai perdendo força.

Deltan Dallagnol e a Operação Lava Jato
Na semana passada, o chefe da força-tarefa no Paraná deu entrevista ao jornal Folha de São Paulo e afirmou: “No último ano, identificamos uma série de decisões e posições do Parlamento e do Supremo Tribunal Federal que acabam resultando em dificuldades do exercício do nosso trabalho, das investigações e de processos” (...)
“Vimos uma grande tentativa de aprovação de reformas por meio do pacote anticrime, mas infelizmente, ao longo de sua tramitação no Parlamento, boa parte das regras anticorrupção foram retiradas”.

Deltan Dallagnol e a Operação Lava Jato (2)
Para além dos problemas acima mencionados pelo procurador Deltan Dallagnol, houve ainda um outro evento que prejudicou muito a Lava Jato: a divulgação de conversas de Dallagnol com outras pessoas da Lava Jato, como o ex-juiz Sergio Moro, divulgadas pelo site The Intercept Brasil. Ele afirmou: “Foi um evento diversionista que desviou o foco da discussão daquilo que é real e grave para especulação, sensacionalismo e em grande medida, distorções”.

Deltan Dallagnol e a Operação Lava Jato (3)
Todos esses reveses sofridos pela Operação Lava Jato poderão ter uma reviravolta no STF caso, por exemplo, o presidente Jair Bolsonaro resolva indicar Sergio Moro para uma das duas vagas que surgirão ainda em 2020, com a saída do decano Celso de Melo, ou em 2021, com a saída de Marco Aurélio Mello.
A entrada de Moro no Suprema Corte poderá redundar na formação de uma maioria que seja a favor da Operação Lava Jato. Oremos...

Fala que eu te escuto
A respeito da performance da Operação Lava Jato, é bom saber do que disse o ministro do STF Luis Roberto Barroso ao site Conjur: "O que aconteceu no Brasil não foi um surto de ativismo judicial, foi um surto de protagonismo judicial decorrente daquela competência criminal que eu acho que o Supremo não deveria ter" (...)
"Quando o Direito Penal chegou ao andar de cima, todo mundo ficou garantista".

Fala que eu te escuto (2)
E o ministro fala do que chama de ‘garantismo à brasileira’: "Conheço muita gente em muitos lugares, até onde menos seria de se esperar, que tem essa mentalidade. Eu não tenho. O sistema penal que funciona evita a perversidade e diminui o índice de criminalidade. Funciona dentro das regras do jogo".
E o site Conjur esclarece o tal ‘garantismo à brasileira’: ‘é aquele que entende que o processo não pode acabar até que se atinja a prescrição, e se isso não ocorrer, tudo deve ser anulado’.

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808

China vai crescer

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, segunda-feira, dia 16 de março de 2020, é celebrado o ‘Dia Nacional do Ouvidor’;
- Também hoje se comemora o ‘Dia Nacional de Conscientização sobre as Mudanças Climáticas’;
- A data também é de celebração do ‘Dia da Bandeira do Estado do Paraná’.


Perdoem-me continuar no assunto coronavírus, porque ninguém mais aguenta o assunto. Cada vez aumenta mais a minha desconfiança sobre os objetivos dessa doença que tomou conta do mundo.
Agora a OMS classificou a doença como pandemia. A gente lembra que em 2013 a mesma Organização disse que a gripe aviária também era uma pandemia, mas a China cresceu mais graças a essa doença.
A China também cresceu mais com a gripe suína e com a peste suína africana. A China também vai crescer mais com o coronavírus. No país asiático, o surto já está acabando e agora está crescendo.
A China, que é uma grande compradora de petróleo, está comprando o combustível 30% mais barato. Está comprando mais barato também as commodities e o nosso minério de ferro está incluso.
O país está comprando alimentos com valor mais baixo. Além de estar aproveitando para comprar empresas ocidentais cujas ações caíram de preço. Está uma maravilha para a China. Eles vão conseguir resolver os problemas internos e a inflação graças ao coronavírus.
Do jornalista Alexandre Garcia, na Gazeta do Povo.
Comentário: nada de ‘Teoria da Conspiração’, ok? O mais certo é perceber que de tudo a gente sempre tira uma oportunidade (dizem que até um pé na bunda é capaz de nos levar adiante..!), ou várias.

Nem-Nem
“O termo ‘nem-nem’ (de ‘nem trabalha, nem estuda’) refere-se à população jovem fora do mercado de trabalho e de instituições educacionais. Equivale em espanhol ao termo ‘nini’ (ni estudia, ni trabaja) e à sigla em inglês ‘NEET’ para a expressão ‘not in education, employment, or training’, algo como ‘fora da educação, emprego e formação profissional’. Esta é uma classificação do governo, usada primeiramente no Reino Unido e que logo depois passou a ser utilizada em outros países, inclusive o Japão. No Reino Unido, o termo compreende pessoas com faixa etária entre 16 e 18 anos. No Japão, o termo compreende pessoas de idade entre 15 e 34 anos que são desempregadas, solteiras, não registradas na escola, não procuram trabalho ou o treinamento profissional necessário para trabalhar” (Wikipedia).

Nem-Nem (2)
Em junho/2019, o jornal ‘O Globo’ informou que ‘a PNAD Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) revelou um dado preocupante sobre a juventude do País. Entre os 47,3 milhões de pessoas [com idade entre] 15 e 29 anos, 23% não estudam e nem trabalham’. Como os dados são de 2018 e a economia desde então não saiu da letargia, não é demais imaginar que hoje existam 10 milhões nesta situação.

Nem-Nem (3)
A esse contingente de 10 milhões de jovens brasileiros poder-se-ia agregar o nome de Jair Bolsonaro, o presidente que nem trabalha e nem governa.

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808

Mãe Dinah

Olá! Bom dia, leitor!
- Hoje, sábado, dia 14 de março de 2020, é celebrado o ‘Dia Nacional da Poesia’.


Vamos combinar? Economicamente falando, 2020 já terminou. Por razões bem simples, genéricas, mas com grandes possibilidades de se confirmarem. Destacamos algumas que, sem sombra de dúvidas, deixarão sua marca no transcorrer do ano, em razão do prejuízo que causarão na economia mundial: em primeiríssimo lugar, a pandemia do novo coronavírus. O estrago nas bolsas de valores mundo afora (quatro ‘circuitbrakers’ numa mesma semana em São Paulo) vem logo em seguida. E como não há desgraça que venha sozinha, a guerra de preços do petróleo, que teve início na mesma ocasião (em que a Arábia Saudita quis submeter a Rússia), ajudou a piorar aquilo que já estava muito ruim. Detalhe: como já lembrado neste espaço, já havia uma desaceleração lenta - a caminho - que veio a se agravar com todos estes acontecimentos.
Quando os efeitos da recuperação começarem a ser sentidos em países como o Brasil, é bem provável que já estejamos em 2021. Pior: talvez só em 2022!

O coronavírus é uma mão na roda! (2)
Há males que vêm pra bem. E talvez o coronavírus faça com que Bolsonaro tenha que ficar em confinamento no Alvorada por alguns dias. Seu secretário de comunicação, Fábio Wajngarten, está com o novo vírus e é provável que tenha infectado o presidente, pois viajaram juntos nesta última visita inútil, digo, viagem aos Estados Unidos.
Seria interessante que Bolsonaro ficasse por meses afastado de suas atividades, que fosse visitado por todos os seus amigos milicianos, digo, cariocas, por familiares e fizesse muitos churrascos e encontros políticos reservados, tirasse tempo para ler algumas biografias, ver filmes e estudar a história de países como a Coreia do Sul e Nova Zelândia, sob orientação de um bom professor.
Bolsonaro também poderia aproveitar o distanciamento dos afazeres para conversar com um desses diplomatas mais antigos, que lhe pudesse falar a respeito de como deve ser a compostura e os modos de um chefe de estado, como funciona a geopolítica e qual o exato papel dos países pobres, como é o caso do ‘nosso Brasil’, no contexto internacional contemporâneo.
Por fim, seria interessantíssimo que o presidente tivesse uma conversa com alguém capaz de lhe dizer que já passou da hora de descer do palanque e começar a governar o Brasil, que a eleição já passou e que em 2018 aconteceram episódios que jamais se repetirão.
Seria fundamental que essa pessoa lhe dissesse ainda que é impossível uma campanha política durar até 2022 com vistas à reeleição; e que o caminho mais certo é o DAS REFORMAS, não o do falar o que se tem à cabeça, não trabalhar e a cada dia arrumar uma confusão com o Congresso, com o Judiciário ou nas redes sociais.
Alguém com a cabeça de um James Carville poderia aproveitar esse afastamento por ordem médica de Bolsonaro para avisá-lo de que ele arrisca perder o apoio que ainda lhe resta do empresariado, que já deve estar cansado de tanta confusão por nada.

Contato: [email protected]
WhatsApp: [45] 9.9950-3808