Edilma Duarte
Edilma Duarte
Agora é o lixo

Agora é o lixo

As Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) estão na ordem do dia. Na Câmara dos Vereadores de Foz, com a CPI da iluminação pública ainda em curso, tem início o trabalho que investiga indícios de irregularidades na destinação do lixo no Município. Raposas políticas do cenário nacional já disseram que “CPIs em ano eleitoral mais atrapalham que ajudam”...   

 

Aldeia global

Antigamente, dispondo apenas do telefone, caríssimo, do telégrafo, depois do fax, levava um tempo até que planeta inteiro tomasse conhecimento do que andava acontecendo no Terceiro Mundo. Nos anos 1960 o literato e filósofo canadense Marshal McLuhan usou pela primeira vez o termo Aldeia Global. Ele previa que o avanço nas tecnologias de informação e comunicação encurtaria   distâncias no mundo e facilitaria trocas culturais entre os diferentes povos.

 

Na aldeia e mal na fita 

Esse tempo chegou, mas a impressão que tenho é de que muita gente ainda não se deu conta de que não vivemos isolados na selva e, tudo que acontece por aqui, ecoa em toda a aldeia global em um segundo. Uma rápida consulta na internet nos dá as manchetes dos principais veículos de comunicação do planeta. Estamos na mídia, diariamente. E ninguém está tecendo loas a este nosso lindo país.

 

Todo cuidado é pouco

A reabertura do comércio e o anúncio da possibilidade de reabertura dos atrativos turísticos em Foz podem trazer a falsa impressão de que voltamos ao normal. Importantíssimo que se entenda que essa tempestade ainda não passou. Se relaxarmos, correremos o risco de termos que nos sujeitar a medidas ainda mais drásticas de isolamento social. Ciente disso a Câmara Municipal tratou de reforçar sua campanha educativa com mais um vídeo em que recomenda às pessoas que se cuidem. Reforçando aqui: use a máscara; higienize as mãos com frequência; mantenha distância de qualquer aglomeração.

 

A culpa é da mídia

Profissionais de imprensa desistindo de fazer o seu trabalho, em Brasília, por falta de segurança. Seguidores de presidente da República violentos e furiosos agredindo jornalistas, impunemente. Cenas de um filme que o Brasil já viveu e julgávamos nunca mais ter que ver.  

Self service

Os restaurantes de Foz do Iguaçu seguem rigorosamente as determinações do município. Mas há uma questão que vem provocando um certo questionamento: os serviços de self service. Embora todos os estabelecimentos disponibilizem álcool em gel, e tecnicamente todas as pessoas devam higienizar as mãos com frequência, há quem prefira evitar e condene o serviço, pelo fato de todos os clientes manusearem os utensílios para se servirem.  

 

Barroso e eleições 2020

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luís Roberto Barroso assumiu ontem a presidência do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Ele que ocupará o cargo até fevereiro de 2022 vai encarar as próximas eleições municipais confirmadas para outubro. Há discussões e tentativas de adiamento do pleito, em razão do novo coronavírus. Que o ambiente não é dos mais propícios para uma eleição, não há dúvida.

 

Ainda somos os mesmos

Tem gente que acredita mesmo, piamente, na transformação de todos os seres humanos depois dessa pandemia. Acreditam que finalmente virá um tempo de paz, amor, honestidade, de gente fina, elegante e sincera, como cantou Lulu Santos na música “Tempos Modernos”. Mas sejamos sensatos, estamos longe disso. O novo coronavírus expõe muito dos nossos velhos hábitos e vícios e destaca a presença forte de uma de nossas velhas conhecidas: refiro-me à corrupção.

 

Levando um troco

Com a dispensa de licitações para compras, mais os repasses financeiros que vieram com o objetivo de auxiliar a administração pública na gestão da crise da saúde, os desvios de recursos destinados ao enfrentamento da pandemia se espalharam que nem vírus, Brasil afora.

 

Socorro para guias e motoristas de turismo

Um dos segmentos mais afetados nestes tempos de pandemia do novo coronavírus é o dos trabalhadores do turismo. Cerca de 950 profissionais foram impactados com a suspensão das atividades.  Parados há 60 dias, sem renda, e sem acesso à linha de crédito, buscaram o apoio da Câmara de Vereadores para um auxílio emergencial destinado a guias e motoristas do turismo. Representantes da categoria foram ouvidos por videoconferência.

 

Solução

Um ofício assinado pelos 15 vereadores de Foz do Iguaçu e encaminhado ao prefeito, solicita o encaminhamento de um projeto concedendo nova linha de crédito com carência mínima de 12 meses para os trabalhadores ligados direta e indiretamente ao setor de turismo.  A iniciativa do vereador Márcio Rosa (PSD) contou com o apoio da vereadora Nanci Rafagnin Andreola (DEM), da Comissão de Turismo. Já os vereadores Anice Gazzaoui (PL) e Celino Fertrin (Podemos) solicitam estudos ao Executivo sobre a possibilidade de implementar uma renda mínima a esses trabalhadores.

 

Ibope faz pesquisa sobre Covid-19

O Paraná faz parte de uma pesquisa nacional, contratada pelo Ministério da Saúde e coordenada pela Universidade Federal de Pelotas, para reunir informações sobre a disseminação de Covid-19 pelo Brasil. A coleta dos dados está sendo feita, de casa em casa, por pesquisadores do Ibope.  A pesquisa pretende entrevistar e testar quase 100 mil brasileiros, em três etapas, a cada 15 dias. O primeiro ciclo ocorreu na semana passada entre os dias 14 a 17.  Os agentes aplicam um questionário sobre a existência de doenças preexistentes e possíveis sintomas de coronavírus nos últimos 30 dias e realizam um exame sanguíneo rápido (coleta de uma gota de sangue da ponta do dedo). Foz do Iguaçu não foi incluída no levantamento.  

 

Agora é lei

Supermercado, rede de atacado e estabelecimentos similares terão que fazer, obrigatoriamente, a higienização dos carrinhos e cestas de compras.  A lei municipal 4.847/2020, de autoria da vereadora Nanci Rafagnin Andreola prevê penalidades: advertência, com notificação para regularização no prazo máximo e improrrogável de 30 dias; multa de R$ 870,80 em caso de descumprimento da regularização e multa de 1.741,60 na primeira reincidência. Se houver a segunda reincidência, dentro do prazo de 180 dias contados a partir da primeira, a multa será de R$ 2.612,40 e suspensão do Alvará de Funcionamento por 30 dias. Fique de olho!

 

Caçadores de fotografia

Com nova arma nas mãos um grupo de caçadores sai de casa, no Piaui, na região Nordeste do Brasil, em busca dos mais belos exemplares da rica fauna da Reserva de Proteção Ambiental Nazaré Eco. Para fotografar! A história foi um dos destaques do Globo Repórter recentemente.  A reserva possui 1.012 hectares de mata inteiramente preservada. Fica a 40 quilômetros de distância da capital, Teresina e é um grande viveiro natural da fauna brasileira. Abriga espécies da Mata Atlântica, da Floresta Amazônica, do Cerrado e da Caatinga. Nazaré Eco era considerado o paraíso dos caçadores da região. Hoje a cena é outra. Eles trocaram a espingarda por câmeras fotográficas e entram na mata à caça de melhores fotos. Estão participando de um concurso. Uma iniciativa que vale a pena  replicar  por aqui.

 

Cesta solidária

O 9º Grupamento de Bombeiros e o 14º Batalhão de Polícia Militar de Foz do Iguaçu participam até esta sexta-feira (23), do projeto Cesta Solidária desenvolvido pelo Governo do Estado. A ação que mobiliza funcionários de todo o Paraná terá toda a arrecadação destinada a famílias em situação de vulnerabilidade. Além disso, visa estimular o isolamento social durante o combate a pandemia do Covid-19. Em Foz do Iguaçu as doações podem ser entregues no Posto de Bombeiro Maracanã (Rua Bartolomeu de Gusmão,1331 - próximo à Faculdade UDC) das 13h30 às 17h30 e no sábado, de 9h às 12h.

 

Causa própria 

A lei de socorro a estados e municípios aprovada no dia 6 de maio, que trata também do congelamento de vencimentos, não foi sancionada até hoje pelo presidente Jair Bolsonaro. Mas deputados e governantes, conseguem, a toque de caixa, aumento de salários de servidores públicos que chegam a até 103%. Cada um pensando em seu próprio umbigo e o resto que se exploda. Esta parece ser a tônica em alguns meios.

 

Cloro e Quina

Ela é médica oncologista e imunologista. Defende o uso da cloroquina para tratar casos de covid-19 e critica estudos que mostraram a toxicidade da substância. Nise Yamaguchi está entre os cotados para assumir o Ministério da Saúde e não comenta em entrevistas o fato de o presidente Jair Bolsonaro participar de aglomeração. Também não declara qual é a sua posição no que diz respeito ao isolamento social adotado, contra a vontade do presidente, no país. Limita-se apenas a listar suas qualificações e a avisar aos navegantes que aceitaria sim, o desafio de ser ministra da Saúde, em meio à pandemia.

 

União de esforços

Foz do Iguaçu deve sair da crise trazida pela pandemia da covid-19 muito maior que entrou.  Isto graças ao esforço conjunto, a busca incessante por melhor caminho e, mais que isto, ao comprometimento de todos com o bem comum.  A Itaipu Binacional abraçou a causa de tal maneira que eu, que nem creio ter legitimidade, ainda, para falar de Foz do Iguaçu, dado ao longo período de distanciamento, arrisco dizer que nunca fez tanto pela cidade.

 

Causa comum

Entidades como Codefoz, Sebrae, ACIFI e Sindihotéis, representantes do setor do turismo como o Comtur e Visit Iguassu, Prefeitura, Câmara dos Vereadores, entre outros, trabalham diuturnamente para garantir a retomada econômica da cidade após essa tempestade. Um aspecto interessante: a forma como todas as questões vêm sendo discutidas e trabalhadas revela a maturidade do município ao enfrentar um desafio dessa envergadura. Pelo menos neste momento, não há partidarismo.

 

Acelera Foz 

Lançado nesta quarta-feira (13) o Acelera Foz, programa que deverá ser detalhado para a população em uma série de vídeos ao vivo (live), abertos ao público, que poderá interagir, deve trazer, além de diretrizes, uma boa injeção de verba injetada pela Itaipu e pelo Parque Tecnológico de Itaipu (PTI).

 

Bolsa de apostas

Quanto tempo vai durar no cargo o atual ministro da Saúde, Nelson Teich?  Façam suas apostas. E qual será a narrativa quando ele pedir o chapéu e o cavalo, como nos tempos do meu avô?

 

Dever de casa

Em esforço concentrado a Câmara de Vereadores de Foz do Iguaçu aprovou em tempo recorde dezenas de projetos enviados pelo Executivo para o enfrentamento da pandemia da Covid-19.  E o trabalho continua intenso na Casa. Já está em pauta projeto do Município que prevê contratações temporárias e emergenciais, o que inclui a possibilidade, inclusive, de reforço de pessoal na saúde.

    

Biticoin deixa investidor na mão

Investir em criptomoeda, ou popularmente, dinheiro virtual, pode parecer bem interessante. E rentável. Mas exige cuidado. Em Foz do Iguaçu já tem gente amargando prejuízos, tentando recuperar o valor investido e sem saber exatamente a quem recorrer. Esses investidores teriam iniciado a negociação a partir de uma Exchange (corretora que comercializa as criptomoedas) estabelecida na cidade. Hoje, não conseguem sacar, a Exchange fechou, o represente não retorna.

 

Fique esperto    

As criptomoedas são a febre do momento, em quase todo o mundo, graças à supervalorização e, por aparentemente oferecer mais segurança. Mas especialistas no assunto alertam: para o investidor inexperiente as criptomoedas não são o melhor caminho. A valorização de 398% dessa moeda digital em dezembro de 2019, bem acima da alta do Ibovespa, principal índice de   referência da Bolsa, que subiu 28% no mesmo período, atraiu a atenção, mas os especialistas recomendam cautela e sugerem que para comprar a moeda digital é importante que se considere o alto risco de perder dinheiro.

 

Sem controle oficial

Para começar, a emissão das criptomoedas não é controlada por um Banco Central.  Elas são produzidas de forma descentralizada por milhares de computadores, mantidos por pessoas que “emprestam” a capacidade de suas máquinas para criar bitcoins e registrar todas as transações feitas. Tem gente que jura que esta é justamente uma das vantagens.  Mas pode residir aí, o perigo.

 

Controle anônimo 

Até hoje não se sabe, ao certo, quem é ou quem são os seres humanos por trás do biticoin que surgiu em janeiro de 2009 como opção de investimento.  O criador ou desenvolvedor –pode também tratar-se de um grupo-, Satoshi Nakamoto, não tem identidade comprovada.  Acredita-se tratar-se de um pseudônimo. E já surgiram vários concorrentes! O Litecoin, que já figura como o sétimo maior ativo digital em valor de mercado, é um desses. Em dezembro de 2019 deixou os investidores em polvorosa ao apresentar uma alta de 330%.      

Foz do Iguaçu despede-se de Chico Alencar

 

Este 2020 não está mesmo para amadores.  Difícil lidar com tanta notícia triste. Mal nos recuperamos de uma perda, vem outra. Chico Alencar, de quem fui colega nos velhos tempos de Gazeta do Iguaçu partiu, levando com ele a genialidade, a gentileza que era um traço forte de sua personalidade.  Grande figura humana e profissional!  Chico, se me permitem a comparação, era como o Keith Richard dos Rolling Stones, cuja máquina vai sofrendo a ação do tempo enquanto a alma, o espírito, a essência, permanecem intactos.  Deixa sua amada Clarice que, como o inconfidente mineiro Tomás Antônio Gonzaga fazia para sua Marilia, ele, Chico, cantava em versos e prosa. Deixa ainda os filhos Adriana, Alexandre e Fernando, além de muitos admiradores e um batalhão de amigos.

 

Risco Brasil

Em entrevista à Rádio Con Voz, de Buenos Aires, na quinta-feira (8/5), o presidente argentino, Alberto Fernández, disse estar preocupado com os números brasileiros confirmados para a covid-19 e que considera o Brasil um “risco muito grande” aos países vizinhos. O presidente argentino contou que o assunto tem sido tratado entre ele e os presidentes Sebastián Piñera, do Chile, e Luis Lacalle, do Uruguai. Fernández lembrou ainda que o Brasil, com exceção de Chile e Equador, faz fronteira com toda a América do Sul e comentou que vivem entrando na Argentina caminhões de São Paulo, um dos lugares mais infectados do Brasil.  Na semana passada o presidente uruguaio já havia mandado reforçar os controles sanitários na fronteira com o Brasil. Medida adotada também por Mario Abdo Benítez, presidente do Paraguai.

 

Sem clientes

O comércio local abriu as portas no dia 22 de abril. Entretanto, para a maioria dos comerciantes, de segmentos diversos, ouvidos pela coluna, o movimento é fraco, ou inexistente.  Três deles contam que de 22 de abril a 6 de maio, não registraram vendas. Para a grande maioria as vendas ocorreram apenas às vésperas do dia das mães. E foram modestas. Um lojista comemora o fato de cerca de 80% de seus clientes terem efetuado pagamentos. Além de não vender, ele que trabalha com o sistema de carnês, chegou a temer que o momento trouxesse também a inadimplência.

 

O essencial

Levando em conta o cenário de incertezas, angústia, insegurança, instalado em toda parte, não era possível se prever um quadro diferente no comércio. Com o desemprego crescente, nenhuma previsão de tempo para que tudo volte ao normal, que em sã consciência já se sabe, não será exatamente o mesmo, poucos se arriscam a entrar em um estabelecimento comercial e investir em compras que não sejam efetivamente essenciais.  Comerciantes que admitem ter pressionado o poder público pela abertura dos estabelecimentos, reconhecem que pouco adiantou essa medida. Abrindo, acumulam despesas e nada de receita.

 

Mantenha distância

Comércio aberto, surgiu um novo desafio: lidar com o cliente que insiste em não respeitar determinações como o uso obrigatório de máscara e de manter uma distância segura para si próprio e o outro. Já há registro de conflitos em alguns estabelecimentos, como o caso de um cliente que se irritou ao ser aconselhado a respeitar a faixa que limita a distância entre cliente e atendente.  É importante que todos se conscientizem de que o que está em jogo é a segurança e a saúde de todos.

 

Sem hóspedes

Nada entusiasmada com a possibilidade de reabrir sua pousada esta semana, uma empresária de Foz do Iguaçu questiona: “abrir para quem? Aeroporto operando com o mínimo, fronteiras fechadas, atrativos turísticos na mesma... se abro tenho que gastar com a manutenção, entre outras despesas. Abrir para quê?!”.

 

Iguassu Connect

Excelente iniciativa do Visit Iguassu que em parceria com o Sebrae realizou na tarde desta segunda-feira (11) sua segunda live voltada para empresas e profissionais que atuam no turismo.  Mediado pelo jornalista Carlos Gruber, o bate papo ao vivo, pelo Facebook, contou com a participação preciosíssima da professora e consultora em marketing digital, Liliane Ferrari e a gestora de turismo do Sebrae/Paraná regional Oeste Camila Giacomeli.

 

Airbnb

Anfitriões do Airbnb estão oferecendo acomodações para profissionais da saúde e socorristas que permitam que eles fiquem perto dos seus pacientes — e a uma distância segura de suas próprias famílias. Sem cobrança de taxas e com a exigência de compromisso com os protocolos de higienização aprimorados antes da disponibilização do   espaço.

 

Inflação

Na conta de quem, ou do que mesmo vamos colocar o alto custo dos produtos nos supermercados? Não é possível que justo neste momento em que tantas pessoas perdem o emprego, empresas encerram as atividades, ou fecham temporariamente as portas e amargam prejuízos, os preços, em alguns casos, tenham dobrado! O Governo libera auxilio emergencial de 600 reais e o pai de família descobre que boa parte desse recurso ficará no supermercado.

Dormiu com o Lobo

Sergio Moro pulou do barco em que nem deveria ter embarcado. E afirma que recebeu do presidente promessas de autonomia e carta branca para tomar decisões. Viu o lobo vestido de vovozinha, a boca grande, os dentes afiados, os olhos terríveis, e simplesmente ignorou. Certamente encantado pela possibilidade que avistava mais adiante – o cargo no STF (até agora não me convenci de sua inspiração política), ou certo de que seria o novo salvador da Pátria. Sai dizendo que “tenho que preservar minha biografia”. 

Santa ingenuidade
Moro desconsiderou todo o resto, inclusive a sua reputação indo para água abaixo e levando junto a credibilidade da Lava Jato. Foi dormir com o lobo. Alguém em sã consciência previa mesmo um desfecho diferente para esta fábula?

Defeitos 
O presidente Jair Bolsonaro apontou em seu pronunciamento dois grandes pecados de seu ex-ministro Sergio Moro. O primeiro seria o empenho em apurar o assassinato de Marielle Franco e não, na busca do mandante do crime do qual ele, Bolsonaro, foi vítima. O segundo, nas palavras dele: “Moro, infelizmente, era um ministro desarmamentista”.  

Cereja do bolo 
O presidente reservou os minutos finais para a sua fala de maior impacto. E a cereja do bolo veio no mesmo tom de todo o discurso: Moro teria condicionado a troca de Valeixo a indicação para o STF. E Moro, naturalmente, não tardou a desmentir em sua conta no Twitter. 


Bateu o desespero
Vamos dar uma voltinha no quintal alheio! Em Nova Iorque, as fileiras de corpos sendo enterrados em valas comuns não impressionam nem intimidam cidadãos contrários à determinação de isolamento. Eles foram às ruas protestar. E ainda ganharam o apoio do senhor presidente dos EUA, Donald Trump. 

Injeção de desinfetante
O presidente dos EUA protagonizou mais um vexame esta semana. Durante a conferência diária, algo parecido com a live da Prefeitura de Foz do Iguaçu, depois de o diretor da divisão de Ciência e Tecnologia apresentar a mais recente pesquisa de sua equipe, que conclui que o vírus não sobrevive por longo período em temperaturas mais quentes e úmidas, Trump sugeriu o uso de injeção de desinfetante em uma pessoa infetada e de raios ultravioleta para limpar os pulmões e dessa forma eliminar a Covid-19.  Imagine leitor, a reação da comunidade científica.  

Por que será?
Seca prolongada castiga Foz do Iguaçu e região. Os rios morrem de sede. Há um novo cenário nas Cataratas. Fotos de uma beleza inquietante, e várias manchetes. Mas daí, vem a pergunta necessária: o que de fato está por trás de tudo isso? A culpa não é dos chineses! Disso temos certeza.  E a outra pergunta vem em seguida: quanto tempo será necessário para que finalmente possamos reconhecer que os ecologistas, pejorativamente chamados de “ecochatos”, sabiam todo o tempo, do que estavam falando? 

A outra crise 
Se a crise econômica demanda urgência na busca de soluções que possam pelo menos minimizar os estragos provocados pela pandemia, por outro lado há uma crise que insistimos em ignorar e certamente exige atenção:  a climática. E não, não existe um Deus raivoso e vingativo querendo nos punir, mas sim, um acerto de conta entre nós e a natureza. 

Novo modelo 
Em alguns países o que se discute agora é a necessidade de se reinventar. Pelo visto, nada será como antes. Nem a forma de fazer turismo. Na Europa, um dos casos mais notório é Veneza. Há tempos se ouve falar do impacto terrível da atividade turística sobre o lugar.  A solução, naturalmente, não é fechar, impedir a entrada de turistas! Hoje, finalmente, já estão considerando a hipótese de controle do fluxo de visitantes. 

Selo de qualidade 
Portugal vem trabalhando em uma série de propostas para o relançamento do turismo. Na semana passada lançou um selo de qualidade, o “Clean & Safe”. Atribuído   a empreendimentos turísticos, empresas de animação turística e agências de viagem, o selo tem validade de um ano. Para obtê-lo, gratuitamente, a empresa tem de implementar um protocolo interno que, de acordo com as recomendações da Direção-Geral da Saúde, garante a higienização necessária para evitar riscos de contágio e procedimentos seguros para o funcionamento das atividades turísticas.

Um pouco de tudo, a começar pelas Eleições 2020

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vem negando sistematicamente pedidos de adiamento das eleições municipais deste ano por conta da pandemia do novo coronavírus no Brasil. Não há mais prazo para tal, de acordo com o entendimento da Corte. O Tribunal entende que é possível a realização do pleito no prazo estabelecido, mas aí, fica a pergunta: haverá clima, cenário, dinheiro, para campanhas e todo o processo eleitoral?

Segue a banda
No dia 4 de abril -seis meses antes das eleições municipais e como manda a lei, foi concluído o período para que novas legendas registrassem seus estatutos no TSE e também foi encerrado o prazo para filiação de candidatos. Isto significa que o calendário eleitoral está sendo rigorosamente cumprido.  

Deus nos acuda 
Em meio à crise sem precedentes que se instalou no país, de mãos dadas com o novo coronavírus, e que ainda trará muitos efeitos colaterais para a economia, restará aos candidatos investir na pandemia. Todo mundo contabilizando os dividendos políticos da crise. Vai ser um “deus nos acuda”! 

E já começou
Em Foz do Iguaçu, a administração pública, sob o comando de Chico Brasileiro, não mede esforços para impedir que o município venha a fazer parte de uma estatística cruel, a exemplo de tantos destinos turísticos do mundo que minimizaram os riscos de seguir em frente e hoje vivem uma tragédia. 

Perdas e danos  
Percebe-se a luta do prefeito e sua equipe em manter a situação sob controle. Mas ele pagará caro por privilegiar a saúde das pessoas. Que ironia!  Já não faltam críticas às suas medidas protetivas, mesmo entre seus eleitores. E seus adversários políticos, com toda certeza, irão se fartar disso. 

Fake no Face
A desinformação é outra das “pragas do Egito” com que  temos que lidar nestes tempos modernos.  Sei que são inúmeras as motivações, mas as veze penso cá com os meus botões. Será que a criatura acorda pela manhã, imagina uma situação e corre para a rede pronta para disseminar a sua ´verdade´? Ou sai da cama com o famoso ´espírito de porquinho da Índia” latente, disposto a contaminar o resto da humanidade com o medo, o pavor, a intriga e o ódio? 

Curtiu levou  
As fake news movimentam as redes sociais e envolvem multidões. Meio tarde, mas melhor que nunca, o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, decidiu tomar uma atitude no tocante ao coronavírus. Na última quinta-feira (16) ele anunciou que o Facebook vai adicionar publicações no feed de notícias de quem curtir fake news relativas ao vírus. Esperamos que aproveite a ideia nos próximos meses, quando as campanhas eleitorais vierem. 

Pau em jornalista  
Abriram a porta do hospício e botaram na rua todos os loucos de jogar pedra. Só a demência para explicar a atitude do servidor público do governo do Distrito Federal que, em sua conta no Facebook, ofereceu dinheiro a quem agredir jornalistas da Rede Globo. O cargo da pessoa: agente socioeducativo da Secretaria de Justiça e Cidadania do Distrito Federal.

Lei Rouanet
A Lei de incentivo à Cultura deve ganhar uma nova Instrução Normativa. E só Deus sabe o que virá por aí. Criada em 1991, sancionada por Fernando Collor de Melo, a Rouanet, principal ferramenta de fomento à Cultura do país, contribuiu para que milhares de projetos culturais fossem realizados ao longo dos anos. Porém, nos últimos tempos, saiu dos trilhos, passando a aprovar projetos milionários de artistas consagrados, de todas as áreas, em detrimento daqueles que apresentavam excelentes propostas, mas eram desconhecidos. Esta aliás, é a única crítica que faço.   

Ignorância ou conveniência 
Tem gente repetindo até hoje informação de que artista tal levou milhões do governo, via Lei Rouanet, para um projeto seu. Plantaram e as pessoas não se deram o trabalho de pesquisar. Até hoje padeço de vergonha alheia ouvindo pessoas ditas bem esclarecidas insistindo nessa história.

Como funciona 
Uma vez aprovado o projeto, a Lei permite que empresas e pessoas físicas patrocinem espetáculos, exposições, shows, livros, museus, galerias, entre outras formas de expressão cultural, e abatam o valor total ou parcial do apoio no Imposto de renda.  É o autor do projeto, ou artista, quem vai bater de porta em porta atrás desses patrocínios.  E “vender”   projeto cultural no Brasil, não é fácil. Não são raros os casos de desistência do projeto por inviabilidade econômica, quando o produtor não consegue captar o valor aprovado.