Justiça do Trabalho inaugura nova sede em Foz do Iguaçu
18 de maio de 2019
18 de maio de 2019

Boa fala
Jair Bolsonaro fez uma declaração muito bem pontuada ontem, em Dallas: até quando os partidos políticos vão usar a molecada como massa de manobra? Como este Corvo escreveu ontem, as bandeiras e faixas partidárias roubaram o brilho e o êxito das manifestações estudantis, envolvendo pais, mestres e todos os que protestavam contra os cortes na educação. Se os partidos não se envolvessem, Bolsonaro estaria desarmado e não teria como devolver o tiro.

 

Lula Livre
Qual a relação entre a liberdade do ex-presidente e os protestos pela melhoria da educação? Lula também não foi “uma Brastemp” em matéria de investimentos. Prometeu bem mais do que cumpriu. Essa “mistureba” é que encheu a boca do Bolsonaro: “Era o protesto do Lula Livre, e não contra o corte de verbas”.

 

Revogação
A prefeitura manteve o atendimento aos pacientes da região. As últimas e mais recentes conversas com os homens do governo ajudaram muito na decisão. Na verdade é o tipo de serviço que jamais seria interrompido, porque há uma questão humanitária imbuída nele. Atendendo as pessoas de outras cidades, do Paraguai, Argentina e até mesmo visitantes e turistas, é que o Hospital Padre Germano Lauck mostra a sua importância. Não deveria ser tão difícil assim o governo entender.

 

Saudade
Como hoje é sábado, ocorreu ocupar um espaço nesta coluna para lembrar o padre Germano, meu guia nos caminhos mais difíceis, e de muita gente também. Quando o amanhecer era turbulento, cheio de dúvidas, receios, eu ligava para a Terezinha e perguntava: “Será que o padre pode me atender”? Alguns segundos depois ela pedia que eu fosse até a paróquia, onde Germano Lauck ocupava dois aposentos. E ele sempre estava lá, pronto para receber o rebanho. Não sei explicar, mas o fato de entrar na sala e ver aquele homem numa cadeira de rodas, todo atrofiado, cercado de livros, revistas, jornais, que ao me receber abria um sorriso, eu já melhorava em 50%. O padre Germano era de uma presença espiritual indescritível. Em questão de minutos me desmontava e montava de novo, pronto para outra. Após a visita eu me sentia outra pessoa. Mais que um guia para as titubeadas da alma, ele era um conselheiro formidável. Muita saudade de Germano Lauck, e ela aumenta toda vez que ouço o seu nome nas questões que envolvem o hospital, porque nem sempre elas são boas e inspiradoras, com a paz e a dignidade que ele nos emprestava, sem nada pedir de volta.
Rogério Bonato

 

Fartal 2019
A população espera por shows de celebridades no aniversário de Foz, especialmente após as comemorações na vizinha Santa Terezinha. Este Corvo aposta que a população aprovaria, quase por unanimidade, uma opção da Fundação Cultural em realizar apenas uma programação com artistas locais. O problema é que artista de peso gera renda e atrai a população. Num momento em que os recursos são escassos, não seria difícil convencer a população sobre algo assim. É provável que o evento no CTG Charrua, de 6 a 10 de junho, acabe recebendo até mais gente.

Parque de eventos
Prezado Corvo, leio suas notas e uma, em especial, chamou a minha atenção. Durante a semana você mencionou as querências da população iguaçuense, entre elas um autódromo. Também escreveu sobre locais para eventos e convenções. Em certa ocasião, eu li sobre a possibilidade de transformar alguns locais em praças de eventos utilizando algumas pedreiras hoje abandonadas. No final da Rua Marechal Floriano tem uma baita pedreira desativada. Pensa no belo local para espetáculos! Fiz questão de entrar no Google e tirar fotos de lá. Dá a minha sugestão para a Fundação Cultural e prefeitura.
Hamilton Vilela

O Corvo responde: este Corvo foi pesquisar o assunto e descobriu que, de fato, a Fundação Cultural, numa gestão passada, apresentou a ideia de aproveitar a pedreira apontada pelo leitor. O local pode ser explorado, mas pelo visto é necessária uma demanda de licenças ambientais, porque ocuparia a margem do Rio Boicy. Está dado o seu recado. É bom receber e publicar ideias da população e saber que ela se preocupa com a cidade!

 

Dólar caiu
Corvo, ontem fiquei sabendo que o dólar oficial baixou uma barbaridade. Por que no paralelo não acontece igual e sempre demora? Esse dólar alto está destruindo comerciantes no Paraguai e afeta Foz do Iguaçu também. Está atrasando, por exemplo, a instalação das lojas francas.
Mário Gonzales

O Corvo responde: prezado, o que sabemos é que ontem o dólar subiu, bem ao contrário do que acredita. A cotação abriu em R$ 4,10, avançando quase 1%; as bolsas operaram em alta. Segundo dizem os especialistas, o mercado reagiu à crise entre Estados Unidos e China. Sim, o dólar alto é muito ruim para o comércio no Paraguai e não ajuda muito em Foz. Todos os ambientes onde a moeda norte-americana causa influência vivem a crise.

 

Foto maravilhosa
Corvo, quero parabenizar vocês pela escolha da foto de capa da edição de ontem, sexta-feira. Nunca vi uma foto de Itaipu como aquela. Gostaria de saber se posso copiá-la e deixá-la na tela do meu computador. Tanto que procurei a foto no site de vocês e não encontrei.
Pâmela Silva

O Corvo responde: agradecemos o elogio e o transferimos para o autor da obra-prima, o fotógrafo Alexandre Marchetti, um dos profissionais que atuam em Itaipu. Aproveitamos a ocasião para agradecê-los pelo conteúdo visual de grande qualidade, o qual fazemos questão de exibir para os nossos leitores. Quanto a usar a foto em seu computador, é algo que deve tratar com o autor ou Itaipu, certamente a proprietária do material fotográfico. Os leitores podem confirmar o crédito ao lado das fotos. Uma das razões de não exibirmos alguns materiais em nossa página eletrônica é justamente pelo fato do uso indevido, o que causa muitos transtornos.

 

Política calma
Corvo, você não está achando que o mar está muito calmo no campo da política? Em épocas anteriores, os candidatos já estavam engalfinhando-se, mostrando-se para a população. Até agora eu não sei quais serão os candidatos no ano que vem!
Júlio Marcolino Giusti

O Corvo responde: querido leitor, ou é mar ou é campo, mas entendemos o que quis escrever. Há sim uma calmaria, e ela é momentânea; pode acreditar que o panorama mudará em pouco tempo. Quanto aos candidatos, parece que está difícil. Chegamos ao ponto em que boa maioria de nomes conhecidos está fora de combate, no estaleiro, por causa de encrencas na Justiça.

 

Amadurecimento
Enquanto há calmaria na política, com os partidos ajeitando-se com precauções, a população está bem atenta ao processo. O iguaçuense sofreu um choque de politização nos últimos anos, vendo muita gente da política ir parar na cadeia. Pode ser que a cabeça do eleitor tenha mudado muito, e isso causará surpresas.

 

Pesquisa
O que o Corvo descobriu é que há um instituto de pesquisas analisando o ambiente em Foz. O questionário é grande e está roubando um bom tempo dos entrevistados. Foi o motivo de um deles entrar em contato e fazer essa revelação: a pesquisa começa pelo comportamental, o que o cidadão pensa sobre isso e aquilo, preços de vários produtos, onde faz compras… e devagarinho vai entrando na política, até perguntar se o entrevistado sabe de algum nome que vai disputar as eleições. O Corvo fiou bem curioso em saber quem está bancando o trabalho. Certamente os políticos também ficarão.

 

Caça-candidatos
Um “elemento” está procurando políticos de vários partidos e dizendo que um quer falar com o outro, coisa e tal. A situação já está ficando estranha, porque o rapaz desconhece completamente o quintal político da cidade. Tentou colocar na mesma mesa dois inimigos figadais, e eles não gostaram, tanto que um deles contou para o Corvo. Que coisa isso, hein? E a gente achava que era só o Cazuza que fazia essas coisas.

 

Conversas
Parece que o Rogério Quadros começou o trabalho de desarticulação do bloco de oposição. Contaram para o Corvo que três vereadores que compõem a frente de críticas ao prefeito entraram na sala do Quadros. Antes que fucem sobre quem passou a informação, o Corvo garante que a pessoa nem trabalha na Câmara, mas também não sai de lá.

Confraternização
O chefe de gabinete do deputado Vermelho em Foz, Sérgio Beltrame, recebeu em sua residência o prefeito Chico Brasileiro e os deputados participantes do Encontro de Líderes em Foz do Iguaçu. Entre eles Vermelho, Newton Cardoso Jr (presidente da Comissão de Turismo) e Herculano Passos (presidente da Frentur).

Share

Leia mais sobre este conteúdo e outras informações na edição impressa.

GDIA