Quando a visão dupla pode ser sintoma de doenças graves

Vertedouro da Itaipu faz a alegria dos turistas
5 de novembro de 2018
Dia Mundial da Consciência Evangélica
5 de novembro de 2018

Quando a visão dupla pode ser sintoma de doenças graves

Uma pessoa enxerga duas imagens de um único objeto; é como olhar a imagem de uma televisão com “fantasma”

Os sentidos humanos são essenciais para interação entre as pessoas. Os olhos são responsáveis pelo sentido da visão, possibilitando enxergar tudo que está à volta. Para que esse mecanismo funcione sem causar alterações, a imagem que entra pela córnea – membrana transparente, localizada na frente da íris deve ser formada na retina.

Na verdade, quem enxerga não é o olho, mas o cérebro, que forma as imagens e determina relações com a memória, permitindo
a identifi cação do objeto que está sendo visto, um copo, cachorro ou uma pessoa. Simplificando, abrir os olhos e focalizar uma imagem é algo tão natural que não é percebido. Isso se dá pela perfeita ordenação das áreas que fazem parte do sistema da visão, que trabalham conjuntamente. Mas quando um dos componentes deste sistema apresenta algum tipo de problema, pode ocorrer a visão dupla.

A visão dupla é a condição em que uma pessoa enxerga duas imagens de um único objeto. É como olhar a imagem de uma te levisão com “fantasma”. Em geral, cada olho produz uma imagem dos objetos, mas o cérebro as une e as vê como se fossem uma só. No caso da visão dupla, o processo não acontece dessa forma, ao contrário, o cérebro não consegue reunir as imagens
e as vê como duplas.

SITUAÇÕES

• Diplopia: é considerada monocular se a visão é dupla num único olho, mesmo se o outro olho for fechado, e binocular (usado
em conjunto), se a visão dupla só ocorre quando se está olhando com os dois olhos e desaparece se um dos olhos for ocluído.

• Poliplopia: quando são percebidas três ou mais imagens superpostas de um único objeto. Em alguns casos, esse
distúrbio é relativamente leve; em outros, é necessário procurar um oftalmologista urgente:

• Problemas com a córnea, em alguns casos, podem causar visão dupla em apenas um olho. Ao cobrir o olho afetado, o desconforto pode sumir. A superfície danificada do olho distorce a luz recebida, causando visão dupla. Os danos podem acontecer de várias maneiras: por infecções ou complicações raras em cirurgias.

• A catarata é a doença mais comum a provocar visão dupla. Se o distúrbio estiver presente nos dois olhos, as imagens em ambos estarão distorcidas.

Uma cirurgia corrige a catarata e elimina o problema de erros de refração sem levar em conta peculiaridades de cada olho. A tecnologia chamada Wavefront (frente de onda) diagnostica e mensura a maioria dos distúrbios da visão com muita precisão e estas informações são utilizadas pelo laser na execução de um tratamento personalizado para cada olho. O diferencial desta
tecnologia é a correção dos graus levando em conta as características e necessidades de cada olho. Este tipo de cirurgia aumenta a segurança e melhora a qualidade da visão, além de reduzir eventuais dificuldades de visão noturna, como halos e
refl exos, representando um avanço tecnológico importante tanto para pacientes quanto para médicos.

Dr. Renato Tolazzi
CRM: 16005
Médico Oftalmologista
Diretor Técnico do IMOF
Membro da Sociedade
Brasileira de Oftalmologia

Share

GDIA