Placas de identificação ajudam na devolução de animais perdidos

Eleitor tem até quarta-feira para regularização do título
7 de maio de 2018
Moradores da “Ocupação Bubas” constroem barracão comunitário
7 de maio de 2018

Placas de identificação ajudam na devolução de animais perdidos

Ele não liga para sua condição social, econômica e religiosa. Apenas um pouco de carinho, vasilhas com água limpa e comida é o sufi ciente para estabelecer uma amizade duradoura com este ser peludo e tão carismático: o cachorro, que recebe o título de melhor amigo do homem.
Antes de sua domesticação, há milhares de anos, o cão vivia em matilha (grupo), na qual tinha obrigações a cumprir, como proteger os companheiros. Desde que começou a conviver com os humanos, passou a considerar os donos como integrantes da matilha. Por isso, se arrisca para defendê-los e
fica alerta aos perigos que possam ameaçá-los.

No Brasil, está relação entre cão e homem tem uma signifi cativa expressão. Segundo um levantamento realizada em 2013, pela Pesquisa Nacional de Saúde (PNS ), feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), levantou novos dados sobre animais de estimação nos lares do país. O instituto aponta que 44,3% dos domicílios do país possuem pelo menos um cachorro, o equivalente a 28,9 milhões de unidades domiciliares. O IBGE estimou a população de cachorros em domicílios brasileiros em 52,2 milhões, o que dá uma média de 1,8 cachorro por domicílio que tem pelo menos um cão. E o Paraná é o estado em que mais casa tem cão! (Da Assessoria/ Foto: Divulgação)

Share

GDIA