Penas de quadrilha que movimentava R$ 3 bi na fronteira somam 553 anos

Há 73 anos começava o pesadelo nuclear no deserto do Novo México
16 de julho de 2018
O que um cachorro precisa para ser feliz?
16 de julho de 2018

Penas de quadrilha que movimentava R$ 3 bi na fronteira somam 553 anos

As penas somadas dos integrantes de uma quadrilha que contrabandeava anabolizantes e produtos eletrônicos na fronteira do Brasil com o Paraguai, chegam a 553 anos. O grupo, denunciado pela Operação Celeno do Ministério Público Federal do Paraná, operava até com 12 aeronaves que eram contratadas por agenciadores baseados em Foz do Iguaçu e em cidades do vizinho país. Dos 86 denunciados, 50 já foram condenados pela Justiça Federal, segundo sentença do último dia 3 de julho. Ainda existem seis processos em andamento. O grupo, cujos agenciadores atuavam a partir da fronteira entre os dois países, era responsável por “abastecer” os estoques de Ribeirão Preto (SP), que era um dos principais centros de distribuição das mercadorias no Brasil.  Entre os condenados estão líderes de quatro grandes organizações criminosas envolvidas no maior esquema de importação de anabolizantes e de eletrônicos, por meio aéreo, já realizado no Brasil. Também já foram decretadas as perdas de 12 aeronaves, 63 automóveis e 26 imóveis. (Ronildo Pimentel Freelancer / Foto: Reprodução)

Share

GDIA