Opinião

Bancos, lotéricas e Correios fecham na segunda e terça-feira de Carnaval
7 de fevereiro de 2018
Troca de secretários
8 de fevereiro de 2018

Opinião

Bom dia, leitor!
‘Carpe diem!’
– Hoje, quinta-feira, dia 08 de fevereiro, é comemorado o ‘Dia do Quadro do Magistério do Exército’;
– História: a data de hoje marca a data do nascimento do militar e professor brasileiro de matemática, Roberto Tromposwski Leitão de Almeida, que nasceu a 8 de fevereiro de 1853, e que é tido na conta de patrono do magistério do Exército, patrono da Associação de Professores Militares do Brasil e patrono da Academia Catarinense de Letras.

Municípios em apuros
O constrangimento tomou conta de quem toma conta de Brasília: é que um pedaço enorme de um pequeno viaduto do Plano Piloto, chamado Eixão Sul, desmoronou em um trecho chamado Galeria dos Estados, bem no centro da capital federal.
Pior: em 2011, o Tribunal de Contas do Distrito Federal já havia avisado ao gestor da época que o tal viaduto necessitava de reparos e manutenções urgentes. Pelo visto não aconteceu nada do que o TC-DF avisou.

Municípios em apuros (2)
No final de novembro de 2017 uma juíza morreu após ser atingida por um pedaço de concreto que se desprendeu do Viaduto da Fepasa, localizado na Avenida do Estado, região central de São Paulo. É que o caminhão que ia à frente do carro da juíza tinha altura em excesso e a colisão provocou o acidente.
São Paulo – o município – tem dívida de R$ 7 bilhões. Em agosto do ano passado, o portal G1 divulgou um levantamento feito pela Firjan, a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro, que informava: 86% dos municípios brasileiros estavam em situação fiscal crítica ou difícil.

Municípios em apuros (3)
Os eventos registrados em Brasília e São Paulo são resultado dessa falência da gestão pública. Nossas prefeituras são geridas sem planejamento de verdade, não há continuidade dos projetos, as ações na maioria das vezes são para remediar situações críticas e a maioria delas padece dos males provocados pelos altos gastos com pessoal. E como não existe coisa alguma que esteja tão ruim que não possa piorar, nos últimos anos a arrecadação diminuiu drasticamente. É a tempestade perfeita, né?

E em Foz do Iguaçu?
Há duas questões que não podem passar despercebidas e que demandam urgência, segundo a visão do signatário: (i) como andam os projetos, orçamentos e programação para início das obras do viaduto na entrada da cidade (Parque Presidente) que, segundo o governador Beto Richa, começariam já nos primeiros meses de 2018? (ii) A questão da previdência dos funcionários da prefeitura foi solucionada?

E em Foz do Iguaçu? (2)
Por último mas não menos importante: há quanto tempo nossa cidade não recebe uma obra viária de verdade? Até quando os caminhões continuarão cortando – e danificando! – as ruas centrais da cidade, para prejuízo de seus moradores (principalmente aqueles que pagam religiosamente em dia os seus impostos)? Até quando a ligação da cidade ao aeroporto se dará em pista simples?

E a luz no fim do túnel?
Segundo o economista que elaborou o levantamento para a Firjan, ‘a realidade que estamos vivendo hoje vai se estender pelos próximos anos. Não é fácil ajustar as contas fiscais’.

Mais um presente de Deus! Viva a quinta-feira, leitor! Boa e abençoada jornada, ok?
Sorte e saúde sempre a todos!

Share

GDIA