Opinião

Um século da revolução
8 de novembro de 2017
Na geral
8 de novembro de 2017

Opinião

Bom dia, leitor!
‘Carpe diem!’
– Hoje, dia 08 de novembro, comemora-se o ‘Dia do Técnico em Radiologia’. Foi nesta data, em 1895, que um físico alemão, Wilhelm Conrad Röntgen, produziu radiação eletromagnética nos comprimentos de onda correspondentes aos atualmente chamados Raios X.
– Também se comemora hoje, internacionalmente, o ‘Dia do Urbanismo’.
– Nesta data, em 1986, foi realizado no Brasil o primeiro transplante cardíaco em criança na América do Sul; Karina Dal Rovere foi operada aos 7 anos de idade.

Direto ao ponto
O preço da gasolina vai subir de novo, leitor. Segundo o portal da Folha de São Paulo, a ‘Petrobras anunciou o reajuste de 2,3% no preço da gasolina, o terceiro movimento de alta consecutivo este mês. Apenas em novembro, a gasolina vendida pela empresa tem aumento acumulado de 6,7%’.
Pois é. Um antigo radialista paulistano relatou que, em conversa com vários amigos proprietários de postos de gasolina, ouviu de um deles que estava passando o negócio adiante. Que estava pagando para trabalhar. Que chegou ao cúmulo de pegar um de seus caminhões transportadores e ir a um posto da concorrência para comprar gasolina, posto que na ponta do lápis o preço de seu concorrente estava mais barato que o preço que ele pagava na refinaria!
O mesmo radialista contou ainda que a maioria dos postos cobra por um litro e vende de 800 a 900 mililitros e que muitos deles ‘batizam’ a gasolina, o diesel e o etanol que vendem. Que hoje em dia as fraudes são inúmeras e que a Agência Nacional de Petróleo não tem pessoal para fazer a fiscalização que deveria ser feita.
Que sorte a nossa, hein? A quem devemos recorrer? Onde reclamar? O que fazer?

Vandalismo e covardia
Todos estamos a par do que aconteceu na Bahia, na cidade de Correntina na última sexta-feira, não é? É. O que talvez poucos não saibam é que as pessoas que invadiram a propriedade da empresa Igarashi fizeram o que fizeram com método.
Muitos veículos de imprensa acusam o MST, mas vendo as imagens de vandalismo contra máquinas e equipamentos, não se vê pessoa alguma com as camisetas e bandeiras que tão bem identificam o movimento em situações que tais.
No blog do ‘Canal Rural’ há um sem-número de fotos mostrando a destruição: tratores queimados, uma casa de bombas d’água totalmente incendiada, uma pequena subestação cujos postes e transformadores foram postos abaixo. A reportagem em nenhum momento trata do MST, senão de ribeirinhos que se viram prejudicados com o tipo de exploração que a empresa que administra a fazenda faz das águas do rio que abastece as propriedades da região. Segundo a reportagem, os ribeirinhos foram protestar contra a seca do rio provocada, segundo eles, pelos sistemas de irrigação da fazenda invadida.
Duas perguntas bem pertinentes acerca do evento: (1) os ribeirinhos tinham certeza de que a seca era mesmo provocada pelo sistema de irrigação da Fazenda Igarashi e não em razão da seca que castiga o Nordeste como sempre? (2) Nas fotos divulgadas pelo blog do ‘Canal Rural’, há muitas camionetes e ônibus que serviram para transportar as pessoas até o local do ‘protesto’ – que segundo a reportagem passavam de mil pessoas; quem pagou pelos veículos e coletivos utilizados para levar as pessoas ao evento?
Se foi ou não responsabilidade do MST – ou de quem quer que seja – o fato é que a propriedade é absolutamente regularizada, legalizada e autorizada a funcionar como vinha fazendo. É uma propriedade que produz alimentos. Sua invasão foi um ato criminoso, covarde e que precisa ser punido. Por último, mas não menos importante: quem pagará pelos prejuízos impostos à Igarashi?

Boa quarta-feira, leitor. Vamos adiante, com disposição, com foco e energia.
Sorte e saúde a todos, por toda a vida!

Share

GDIA