Metade das mulheres poderá ter infecção urinária durante a vida

Parque Nacional integra a ação global da ONU contra poluição por plástico
4 de junho de 2018
Foz Cataratas vence o Shouse do Pará pela Liga Nacional de futsal
4 de junho de 2018

Metade das mulheres poderá ter infecção urinária durante a vida

Dados internacionais indicam que a incidência do problema é de nove mulheres para cada homem

Ardência ao urinar, ir ao banheiro muitas vezes, dificuldade para segurar a urina e até mesmo a presença de sangue no final da urina, são sinais da existência de infecção do trato urinário (ITU), uma patologia extremamente frequente em todas as faixas de idade, que atinge principalmente as mulheres, com maior incidência após o início da vida sexual, à entrada da mulher no período pós-menopausa e quando há presença de corrimento vaginal.
São chamadas inferiores ou baixas (cistite), quando há bactérias na bexiga; superiores ou altas (pielonefrite), quando as bactérias conseguem chegar aos rins.

A atenção neste caso é fundamental, o estado de saúde do paciente pode tornar-se grave rapidamente. “As bactérias chegam até a bexiga através do canal urinário, e o fato de as mulheres apresentarem um risco muito mais elevado de desenvolverem a patologia se deve ao fato de que, na anatomia feminina, a uretra é muito curta e próxima a áreas com uma flora bacteriana muito abundante, como a vagina e o ânus”, explica o médico  urologista, Dr. Gustavo Cruz.

Como identificar?

Além dos sintomas clássicos já descritos no início da matéria, outros sintomas podem ajudar na hora da identificação do problema: a cistite, por exemplo, não causa febre. Já no quadro de pielonefrite, além dos desconfortos, há febre, muito mal-estar, enjoos, vômitos e sensação de fraqueza.

Nos homens:
Devido à ausência de uma fonte contaminante, como a cavidade vaginal e a uma uretra mais longa, os homens são menos propensos a apresentar estas infecções. Com o avançar da idade e com o efeito obstrutivo exercido pela próstata em crescimento, há um prejuízo ao esvaziamento da bexiga, gerando, regularmente, um resíduo urinário.

É neste momento em que os homens começam a apresentar infecções urinárias além de outras complicações advindas da Hiperplasia Benigna da Próstata.

Diagnóstico e tratamento
É importante conversar com o urologista. Ele solicitará exames médicos e indicará o tratamento, normalmente com antibióticos direcionados aos germes mais comuns nas infecções urinárias.  (Dr. Gustavo Zepka Cruz – Médico Urologista graduado)

( texto: assessoria de imprensa / Foto:Divulgação)

Share

GDIA