Itaipu Binacional rescinde R$ 42 milhões em convênios sem aderência a sua missão

Aeroporto de Foz do Iguaçu é destaque entre terminais do Paraná, revela estudo
24 de abril de 2019
Relatórios da CIA e FBI revelam aumento da presença do PCC e CV na fronteira
24 de abril de 2019

Itaipu Binacional rescinde R$ 42 milhões em convênios sem aderência a sua missão

Há pouco menos de dois meses no cargo, o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, conseguiu, só num primeiro mapeamento, reduzir drasticamente os gastos em convênios considerados sem aderência à missão de Itaipu. A rescisão soma mais de R$ 42 milhões. Toda essa economia será aproveitada em obras estruturantes e em outras parcerias com impactos sociais mensuráveis. Nenhuma das medidas afeta a região Oeste do Paraná, área de influência da empresa.

O bom emprego dos recursos públicos e sua realocação em ações que deixem legado foi uma das primeiras medidas adotadas pelo diretor desde sua posse, no dia 26 de fevereiro. Silva e Luna determinou a reavaliação de diversos convênios. Os que foram considerados fora dos rigorosos padrões estabelecidos pela nova diretoria foram cancelados.

Um dos primeiros exemplos foi o corte do repasse de verbas para o convênio com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), que promove o VII Fórum Jurídico de Lisboa, de 22 a 24 de abril, em Portugal.

DI Itaipu / Foto: Nilton Rolin/Itaipu

 

 

 

 

Share

Leia mais sobre este conteúdo e outras informações na edição impressa.

GDIA