“Eu compro e vendo armas e drogas, mas não sou terrorista”, diz Piloto

FIciencias reúne mais de 600 apaixonados pela ciência
7 de novembro de 2018
Definidos desvios no trânsito para obras do viaduto na entrada de Foz
7 de novembro de 2018

“Eu compro e vendo armas e drogas, mas não sou terrorista”, diz Piloto

Um dos líderes do Comando Vermelho, preso no Paraguai, quebrou o silêncio na manhã desta terça-feira (6). Marcelo Piloto,  reuniu a imprensa paraguaia e garantiu que é comprador e vendedor de armas e drogas, mas que não é terrorista. Vejam os principais trechos da entrevista.

 

-O que você tem a dizer sobre seus crimes e sua liderança no Comando Vermelho?

– Eu gostaria que vocês publicassem apenas a verdade, porque esse é o país da corrupção. Sou homem para assumir os meus atos. Não é novidade para ninguém que eu sou um comerciante ilícito que compro e vendo armas e drogas, mas querer jogar sobre mim a culpa sobre carro bomba, sobre terrorismo, é completamente equivocado, uma mentira. Querem me colocar como se eu fosse o poderoso chefão, mas isso não existe.

– O grupo morto em Porto Franco tinha armamento pesado e um carro-bomba para tentar resgatá-lo da prisão…

– Publicaram minha foto junto com um carro-bomba e a minha facção como terrorista, é inaceitável, porque é uma mentira. Prenderam meu pessoal e minha mulher aqui, e estou dando essa entrevista para desmentir o que falaram, porque terrorismo a nossa facção não aceita. O pessoal que estava nessa coisa, nesse carro-bomba, não é meu pessoal não trabalha para mim e não tenho nenhum vínculo com eles. Desafio qualquer autoridade a provar isso.

Adelino de Souza Freelancer / Foto: Divulgação)

”Veja a entrevista completa na edição impressa do jornal Gazeta Diário

Share

GDIA