Correria

Na Geral
3 de abril de 2018
Protesto pela prisão de Lula leva cerca de 300 pessoas à Praça do Mitre
4 de abril de 2018

Correria

Na manhã de ontem, viaturas da Polícia Federal apareceram na porta de várias pessoas em Cascavel e em Foz. Alguém ligou para o Corvo informando que uma figura conhecida da nossa política chegou a subir no telhado pensando em pular para a casa do vizinho, caso a visita fosse em sua residência. “Até sirene de carro de bombeiro, SIATE e SAMU assusta a criatura”, teria revelado a doméstica que faz o serviço na casa. Que barbaridade!

Cumpriu a promessa
E o Beto Richa, enquanto governador, para o alívio geral dos iguaçuenses, autorizou a abertura de um processo de licitação para obras do novo viaduto em Foz do Iguaçu. Atitude correta, sem mentira e invencionice de ordem de serviço. Segundo informações, o ato ocorreu ontem às 15h no Palácio Iguaçu. O viaduto vai chamar-se Lyrio Bertoli, uma homenagem à atura do nosso ex-deputado e pessoa muito querida em Foz, o qual partiu faz tão pouco tempo e já causa enorme saudade.

Capas do Charlie Hebdo
Prezado Corvo, não é a primeira vez que esses “artistas” de fake news espalham capas falsas do jornal satírico francês Charlie Hebdo; aliás, isso é coisa corriqueira. O que leva alguém ou um grupo a uma atitude assim? Seria desespero, maldade, falta de criatividade ou malícia para aproveitar o canal e a credibilidade de quem já é famoso? Se é fake news e isso está sendo investigado pelo mundo, quem compartilha nas redes sociais deveria ser considerado coautor.
Melinda Blass

O Corvo responde: prezada leitora, quem adultera a capa de um jornal, para com isso ofender outros, está praticando mais que um crime. Além de ferir os direitos da propriedade intelectual, está causando danos morais. E é bem como você descreveu em seu texto, trata-se de oportunismo e falta de criatividade. Falta caráter também. Saiba que em Foz já falsificaram capas de jornais com objetivos semelhantes. Vários apócrifos surgiram em épocas eleitorais tentando pegar carona na credibilidade de veículos de comunicação.

Terremoto
O Corvo não sentiu a terra tremer, mas uma vizinha deste colunista jura ajoelhada que as portas em sua casa bateram e os copos vibraram em cima da mesa. Aqui entre nós, é improvável que a atividade sísmica tenha afetado a área de fronteira, diferentemente de algumas cidades entre Cascavel, Maringá e Londrina. Os sismógrafos da Itaipu captaram o terremoto que aconteceu na Bolívia porque são equipamentos de muita qualidade. Se a terra tremer no Japão, o sismógrafo da Itaipu captará. Falar nisso, muita gente não sabe, mas a Itaipu possui um radar ótico que só existe em porta-aviões norte-americanos. Consegue detectar, por meio de imagens, quase toda a superfície do reservatório. Este Corvo já entrou na salinha onde está o aparelho.

Redes sociais
O Corvo e alguns jornalistas que fazem parte de nossa redação são sumariamente incluídos em grupos de discussão política nas redes sociais. É sumário pelo fato de simplesmente os formadores dos grupos fazerem a inclusão sem o devido convite. Muita gente aqui (na redação) nem liga, e boa parte simplesmente sai desses grupos, mas há quem se sinta invadido. Não custa perguntar se pode ou não incluir a pessoa. É mais chato incluir alguém sem consultar do que a pessoa sair do grupo sem dar satisfações.

Eleições na rede
Quem gosta de “brincar” de formador de opinião nas redes sociais que tome tento: a Justiça Eleitoral está de olho. Contaram para o Corvo que há uma espécie de assessoria especial bem atenta aos comentários, postagens e informações que possam causar prejuízo ou beneficiar a imagem de alguém fora dos padrões exigidos pelo TSE. E a multa não é pequena.

Pesquisas
Prezado senhor Corvo, qual a razão de o senhor não fazer umas pesquisas ou pelo menos divulgar os números que andam falando por aí? Se o seu propósito é informar o leitor, é importante esse tipo de divulgação. Quando teremos as pesquisas no Corvo?
Ronaldo Azevedo

O Corvo faz questão de esclarecer que esta coluna não cometerá a besteira de divulgar pesquisas sem o devido registro, pois estamos em ano eleitoral, e a lei é muito clara. Sendo assim, respondendo ao leitor, esses fuxicos disfarçados de pesquisas serão publicados apenas em 31 de fevereiro ou no Dia de São Nunca. E no mais, a gente sabe quem vai bem por meio de um termômetro popular; os institutos concordam que pesquisa para deputados é bucha pura, especialmente num cenário que nem foi montado ainda.

Corre-corre
Em política as coisas às vezes são complicadas. Os caciques dos partidos se acertam e acabam puxando o tapete de muitos colegas. É mais ou menos o que está acontecendo no Paraná, por meio de algumas articulações na calada da noite. Há quem possua muitas perspectivas favoráveis e terá de mudar de partido. Tudo deve resolver-se até o final desta semana, quando encerra o prazo para filiações.

Pergunta inocente
Prezado senhor Corvo, qual a razão de tantas pessoas deixarem os cargos no Executivo? Isso faz parte de uma reforma ou o quê? Pergunto porque boa parte da população não entende essas atitudes. O senhor poderia nos explicar?
Ruth Alvarenga

O Corvo responde: santa inocência, hein dona Ruth? O presidente, governadores e prefeitos chamam isso de “reforma”, mas na verdade a debandada dos cargos executivos acontece porque ministros, secretários e presidentes de fundações e autarquias pretendem concorrer nas próximas eleições. Uns querem ser senadores, outros deputados estaduais e federais. Mas a senhora tem razão, o grosso da população não sabe identificar esses movimentos, o que é ruim porque isso dificulta a análise para a escolha dos candidatos.

Dona Inês
Corvo, qual o seu problema com a agora vereadora Inês Weizemann? Quase todos os dias está pegando no pé dela, coitada, deixe ela trabalhar em paz. É gente boa, cheia de intenções que ajudarão o cidadão. Ache outro vereador pra apertar, seu Corvo carnicento.
Juliano R. Vieira

O Corvo responde: não temos nada contra a vereadora, pelo contrário, gostamos dela até, embora a recíproca não seja a mesma. O caso é que dona Inês da Saúde sempre está em evidência, logo é notícia. Mas ela leva numa boa, a gente já sabe.

Nanci
Quem pensa que a vereadora Nanci Rafagnin Andreola está muito preocupada com os processos que enfrenta na Câmara “não se” engane. Uma prova disso é o fato de ela mesma requerer a investigação. O resultado na Câmara ontem, para investigar seu passeio ao Rock in Rio, obteve um placar de 13 votos favoráveis; foi por unanimidade. Nanci diz que quer esclarecer e responder às acusações que considera infundadas. A CI é uma maneira de não deixar arestas nem pedra sobre pedra. Das duas uma, ou a vereadora sai inocentada, ou vai tentar a cadeira na Assembleia Legislativa sem volta.

O resultado
Isso demora, mas ao longo do caminho será que Nanci vai defender-se contra-atacando? É uma estratégia. Pelo menos este Corvo soube, de boca pequena, que um advogado está com uma caixa cheia de documentos em análise e nela haveria provas que sustentam a inocência da vereadora. Será que os ingressará na Justiça em forma de ações ou eles serão utilizados apenas na defesa no Legislativo? Bom, para toda ação tem uma reação, ensinam as leis da natureza.

O controlador
Quem conhece o Aparecido da Silva Dantas sabe o quanto ele é organizado e conhecedor da coisa pública. Chega a ser meticuloso. Disseram para este Corvo que ele também aprecia a transparência nos atos públicos, o que poderá causar modificações nos mecanismos de divulgação em processos de compras e licitação. Claro, Aparecido, além do acesso, terá informações de todos os lados.

World Trade Center
É uma construção aparentemente comum. Trata-se de um edifício comercial como muitos que há por aí. O que chama a atenção é o nome, certamente em homenagem às torres nova-iorquinas que foram derrubadas por atos terroristas. Sem comparativos, mas do lado de cá da fronteira há investimentos até maiores. Mas em todo o caso, não se pode ignorar o vulto de investimentos e o progresso no Paraguai.

Número a ser comemorado
Uma queda de 57% no número de mortes nas estradas paranaenses é algo que merece uma festa. Quer dizer que pelo menos os motoristas estão mais atentos. Mesmo assim, morreram seis pessoas e outras 104 ficaram feridas em 102 acidentes. Vale a pena registrar que foram 77 flagrantes de embriaguez, 520 ultrapassagens proibidas e nada menos que 6.913 casos de excesso de velocidade; ou seja, os anjos da guarda estavam de plantão ao lado de quem tem pé de chumbo. Mas há um dado bem preocupante: 77 crianças estavam sem a cadeirinha. Pensa: em acidentes, elas seriam as primeiras vítimas.

Pets
Um dado interessante é que o brasileiro gasta em média R$ 189 por mês com animais de estimação. Isso nos faz entender a grande quantidade de recintos especializados no atendimento da bicharada. Muita grana é dedicada ao mundo animal.

Na Toca do Leão


Falar em bichos, este Corvo terá mais um concorrente nas páginas do jornal. O João Adelino de Souza estreará a coluna Na Toca do Leão, cujo conteúdo será publicado às segundas, quartas e sextas-feiras, alternado com a coluna do Chico de Alencar, na página 4. O bicho peludo, rei dos animais, terá espaço cativo no GDia, portal de informações eletrônicas do Gazeta Diário. Sendo assim, que não quiser ir parar na Toca do Leão nem no Bico do Corvo que ande direitinho.

Share

GDIA