No Bico do Corvo Editado por Rogério R. Bonato

Share
13 de outubro de 2017

Agradeço

No passado, esbocei restrições em algumas ocasiões sobre a quantidade de concessões de títulos de Cidadãos Honorários. Mas jamais, em momento algum, expressei contrariedade a algum nome e homenageado. Os vereadores possuem um termômetro bem calibrado sobre a temperatura da opinião pública — e, em algum momento, ao longo dos exercícios legislativos, a regra mudou, limitando um número de concessões para cada parlamentar. Não quero aqui justificar as críticas que fiz, ainda por ser agraciado com a honraria, mas é verdade que ela passou a ser mais discutida, apurada em seus valores, entre os membros da Casa de Leis, de maneira que as pessoas não sejam prejudicadas em caso de a maioria não concordar com a concessão. E é quando se recebe uma homenagem assim que se sabe o peso que ela possui e a diferença que faz. Por isso tenho mais é de agradecer.

Trajetória
É chato escrever na primeira pessoa, vejo isso como um certo abuso, mas como se faz um agradecimento em momento assim, sem discernir o teor do reconhecimento que foi prestado? Escrevo o seguinte: nenhum cidadão faz as coisas, defende a cidade que o abrigou, luta em prol das causas necessárias, para merecer um título de Cidadão Honorário ou Benemérito. As pessoas fazem porque consideram que é necessário enfrentar as situações, e é daí que surgem iniciativas nas mais diversas frentes. Conheço várias pessoas que são assim, “fazem”, independentemente do fato de serem valorizadas ou reconhecidas. Simplesmente fazem porque é preciso. E é daí que o ato se multiplica, quando recebe o apoio de outros. Em minha experiência pessoal, ter uma honraria a esta altura da vida é como ouvir: “Rogério, você fez coisas boas, foi um cidadão que defendeu causas, fez o que precisava ser feito, e isso causou diferença”. Daí o reconhecimento é uma espécie de manutenção no ânimo; motiva, mexe com a gente, leva-nos a fazer mais.

Não é fácil
Gostaria de citar alguns exemplos e neles inserir as dificuldades, coisa que nunca fiz porque sempre as enfrentei com naturalidade. Paguei o preço de cabeça erguida. A Canja do Galo Inácio, por exemplo, era algo impossível aos olhos de muita gente. Onde se viu fazer uma canja gigante, no meio da rua, pensando em nada gastar e em tudo beneficiar uma entidade por ano? “Você é louco”, disse um amigo. Mas ele se juntou aos voluntários, e a canja caminha para o 20º ano e com o apoio da Igreja Católica, na pessoa dos padres Germano Lauck (em memória) e Giuliano Inzis. O evento completará 18 edições no próximo carnaval. Não foi diferente com a Feira do Livro; houve várias reuniões e até uma audiência pública para convencer os setores comunitários. Foi também uma luta para implantar o Carnaval da Saudade, no centro da cidade, onde existe uma igreja evangélica em cada rua.

Conviver com o difícil
Quem não faz nada não enfrenta o “difícil”, não acerta e também não erra. Acontece que o erro ajuda no aperfeiçoamento, e isso pesa favoravelmente na balança do tudo que é feito. Quem não faz nada não ajuda. Eu prefiro a vida toda fazer, acertando e errando, a nada fazer. Assim, um reconhecimento como um título de Cidadão Honorário faz muita diferença e traz a felicidade de entender que a maioria das coisas que fiz valeu a pena.

Share
12 de outubro de 2017

Sinistro

Mais uma vez surge a discussão sobre a prevenção aos incêndios, alvarás, perícias e tudo mais a que assistimos exaustivamente nos últimos anos, sobretudo após o incêndio da boate em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, diga-se, onde as punições foram brandas para os responsáveis. Opa, remendo: foram punidos apenas moralmente até o presente momento, diante do escarcéu da mídia. Passados quatro anos, não […]
9 de outubro de 2017

Efeito

Todo mundo espera soluções geniais por conta dos políticos. E eles começam bem, arranjam sacadas eficientes com boa projeção posterior, na base do marketing calculado. Claro, isso, afinal de contas, é um trampolim. Mas como diria o Chapolin Colorado, não se pode contar com a astúcia. Um exemplo é o que acontece com o prefeito de São Paulo, João Doria, que começou acima da média, […]
6 de outubro de 2017

Defesa esvaziada

Dá para ver escorrer a quantidade de óleo de peroba que alguns senadores gastaram cobrindo a cara ao discursarem desafiando a Corte Suprema. Que os senadores deliberem sobre a conduta de seus pares, até aí ninguém vê problema, agora eles mesmos julgarem crimes praticados pelos colegas? Existência Conforme a discussão, se vivemos um Estado de Direito, é a instância máxima da Justiça quem deve decidir, […]
4 de outubro de 2017

Barbárie

Não há como deixar de pensar no que levaria alguém a comprar um arsenal e dispará-lo, impiedosamente, contra inocentes. Se já é difícil compreender os atos de terrorismo, o que pensar de ações assim, como fossem um abatedouro humano? Até daria para entender o ódio obsceno e cruel dos nazistas pelos judeus, pois se tratava de uma operação premeditada e organizada por mentes insanas de […]
2 de outubro de 2017

Francischini

O deputado Fernando Francischini visitou a redação do Gazeta Diário na sexta-feira. Foi uma visita agendada em cima da hora, mas suficiente para informar um assunto dos mais esperados pela população: uma política diferenciada para a venda de produtos fabricados no Brasil, numa espécie de zona franca. Zona Franca? É o nome com o qual batizam um lugar onde os produtos são comercializados com impostos […]
29 de setembro de 2017

Faltam interessados

Aonde foi parar o Provopar? No fundo do poço, e fica difícil arranjar até candidatos para tocar a ONG adiante ou revitalizá-la. Uma pena, pois em boas mãos o Provopar é uma ferramenta importantíssima para várias ações. Revitalização geral Impressionante como tudo em Foz precisa disto: de ser revitalizado. Parece que uma praga de gafanhotos voou pela cidade! Bom, que os gafanhotos passaram isso ninguém […]
27 de setembro de 2017

O trágico

É ruidoso imaginar uma guerra mundial ou uma catástrofe atômica eclodindo em razão das ações de dois mentecaptos. Quem coloca a humanidade em risco, não pode ser considerado de outra maneira.   Interpretação Donald Trump é um hipopótamo correndo em loja de cristal. Cada movimento causa um estrago. Ele usou ironia e tom de ameaças com um menino que anda brincando com mísseis atômicos, louco […]
25 de setembro de 2017

Maratona

Saí de casa bem cedo para ir ao mercado. É um hábito aos domingos; coisa difícil de eu fazer durante a semana. Esqueci que haveria uma maratona, senão faria compras no sábado. Para quem mora além do trevo com a Argentina, mais para o lado do Parque Nacional, como é o meu caso, quase não há alternativas para suplantar o afunilamento que há na BR-469, […]
22 de setembro de 2017

Brasília

Francamente não dá nem para ouvir falar do que há em nossa capital federal. Nada, absolutamente nada, resulta em favor do cidadão; tudo é corrupção, desvios, manobras para não irem para a cadeia. Reforma eleitoral Alguém acredita que os deputados estão sintonizados com a população sobre como fazer eleições no Brasil? Estão é arquitetando formas de reeleição, blindando a renovação política, e isso é tudo […]
20 de setembro de 2017

Que dura, hein?

Operações do Ministério Público e Polícia Federal estão arrancando o couro das costas de algumas famílias iguaçuenses. Sobretudo agrupamentos que atuam no ramo financeiro. Revela-se o lado obscuro das operações de fronteira, coisa que todo mundo imaginava, alguns sabiam e o coletivo, de um modo geral, achava que isso não daria em nada. Ledo engano. A Operação Hammer-on está incriminando 34 pessoas, e os números […]
18 de setembro de 2017

Investigação

O levantamento da 6ª Promotoria de Justiça sobre os ocupantes de cargos nomeados na prefeitura e na Câmara de Foz possui irrestrito apoio da comunidade, basta perguntar, pois todo mundo quer saber o que fazem essas pessoas. Mas há quem diga que isso não está certo e o processo estaria ferindo o princípio da individualidade. Pode até não estar certo, mas francamente não sei que […]
15 de setembro de 2017

Pichação

Acompanhei uma matéria muito interessante realizada pelo jornalismo da RPC quanto ao vandalismo em Curitiba, ou seja, aquilo que seria uma versão “artística” da destruição do patrimônio público e privado. As multas aumentaram para quem comete esse tipo de transgressão. A pichação, na verdade, é considerada vandalismo e crime ambiental, nos termos do artigo 65 da Lei 9.605/98 (Lei dos Crimes Ambientais); e a pena […]
13 de setembro de 2017

Papo de buteco

Tentaram fazer um barulho com o fato de o procurador-geral Rodrigo Janot frequentar um boteco e nele encontrar um advogado que atua em casos conflitantes. Não colou. Os botecos são sacrossantos recintos, nos quais há uma espécie de vácuo nas questões latentes. Ninguém lá desopila processos, e sim o fígado. Há sempre isso de tentarem desclassificar os botecos em razão da presença de ilustres. E […]
11 de setembro de 2017

Emoções matutinas

É o que se esperava nesta segunda-feira, com o cumprimento da prisão temporária de Joesley Batista e Ricardo Saud; era um espetáculo. Se a medida fosse cumprida como ocorreu em geral, nas primeiras horas da manhã, os dois já deveriam estar na pressão, com a PF na porta de casa e tudo mais. Mas eles optaram por se antecipar, mediante o atendimento do ministro Edson […]
8 de setembro de 2017

Navalha na carne

Chato usar o nome de uma obra tão marcante quanto a de Plínio Marcos, um dos nossos maiores dramaturgos, mas se alguém acreditou que Antônio Palocci não delataria Lula e a Operação Carne Fraca não tinha conexão com os bastidores, do tipo uma vingança contra Joesley Batista & Cia., esse alguém não vive neste planeta. E o Janot? Toda a atenção é voltada para ele. […]
7 de setembro de 2017

Louvável

É interessante a iniciativa da Igreja Católica ao pedir um dia de jejum amanhã, quando se comemora a Independência do Brasil. A “jornada de orações” já ocorre desde o dia 1º. Com ou sem comida, o brasileiro já medita com certo reforço essa condição de vítima dos corruptos. No Brasil e em Foz E os iguaçuenses, especialmente, possuem motivos de sobra para encarar essa jornada. […]
4 de setembro de 2017

Comunicação

Houve um tempo, nem tão distante, em que eram restritos os meios de contato, e as únicas maneiras de se comunicar exclusivamente com uma pessoa, além da condição verbal, eram por meio de telefone, cartas ou no máximo um telegrama ou telex. A restrição tornava a comunicação mais segura e individual, o que é, aliás, um preceito constitucional. Precariedade E no Brasil, durante muitas décadas, […]
1 de setembro de 2017

Centro integrado

Desde que me entendo como iguaçuense, ou lá pelo início dos anos 80, ouço e vejo iniciativas que visam à integração das forças de segurança, com o objetivo de combater o crime ou não deixá-lo crescer. Chega a ser redundante esta minha observação. O caso é que nenhuma experiência prosperou. Conselho Aos que não lembram, devido à fragilidade da memória na cidade, Foz já possuiu […]
31 de agosto de 2017

Sem fundo

O exercício legislativo deveria ser um espelho das reivindicações populares, afinal os legisladores são eleitos para isso, no caso vereadores, deputados (estaduais e federais), além dos senadores. Francamente não consigo entender a existência de um Senado. Deveria haver só deputados ou apenas senadores. Enfim, isso nos custa muito caro se comparado ao desempenho. Um exemplo: a população maciçamente não concorda com a existência de um […]
26 de agosto de 2017

Não dá para ver

Francamente não tenho nem humor e menos ainda escroto para aguentar essa falação de deputados tentando salvar o pescoço. As vias para se manter no poder são tão difusas que beira o temerário escrever, tentando explicar o que se passa aos leitores. Mudam tudo a cada golpe de vento. Mas deveriam dar-se conta de que o ânimo dos brasileiros está pela hora do estouro. Chega […]

GDIA