No Bico do Corvo Editado por Rogério R. Bonato

Share
19 de julho de 2018

Escrevem para o Corvo…
Cartas, cartinhas, leia-se e-mails, WhatsApp, Facebook, SMS… O Corvo recebe um pouco de tudo e sobre os mais variados assuntos, sobretudo referente àquilo que o jornal publica. São as notícias que pautam a opinião dos leitores que se dedicam a escrever para este articulista de penas e que adora comer a mais fina e saborosa carniça. Os assuntos mais comentados recentemente são as lojas francas, as atividades administrativas e legislativas, a política de um modo geral; as ocorrências nacionais e que mexem com o consciente coletivo. Escrevem um pouco de tudo e, naturalmente, o Corvo responde todas, absolutamente todas as manifestações. O que o Corvo não sabe responder de pronto, pesquisa e volta ao tema.

 

Lojas francas
O assunto não esfriou, pelo contrário, os setores interessados e envolvidos com o assunto trabalham dobrado para atender aos prazos. Segundo consta, até o final de agosto tudo estará plenamente deliberado pelo poder público e daí vai para as mãos dos investidores. Teoricamente eles deveriam ser mais rápidos, mas como os empreendimentos dependem de edificações, reformas e acompanhamento da Receita, poderá haver contratempos.

 

O formato
As águas se dividiram entre a venda de produtos nacionais e importados. Uma corrente de comerciantes sinalizou que se dedicará ao que é fabricado no Brasil e, para tanto, deve investir, de acordo com o zoneamento, em áreas nas proximidades do Jardim Jupira, Vila Portes e pelas bandas da Beira-Foz, onde vários empresários estão pensando em montar uma estrutura de lojas. Ontem alguém disse para o Corvo que o Centrão (Vila Portes) pode transformar-se numa espécie de Galeria Pajé oficializada. Mas como há muita especulação, o ideal é aguardar os anúncios oficiais.

 

Importados
Muita gente não imagina como o mercado se movimenta com relação às marcas. Acontece que boa parte das grandes marcas de produtos já possui contratos para serem distribuídas na América Latina “com exclusividade”, e boa parte dos distribuidores está em Ciudad del Este. Certamente esses empresários montarão comércios específicos, sendo assim teremos lojas das grandes fabricantes de celulares, computadores, eletrônicos e eletrodomésticos. Demais distribuidores estão no Brasil e com os olhos colados na fronteira, por isso a cidade precisa andar rápido.

Shoppings
Pelo menos dois investimentos de grande porte estão sendo articulados em regiões distantes do centro. Ambos comungam de grande potencial turístico; estima-se que os visitantes frequentarão centros comerciais assim. Por uma questão de confidência e respeito à informação, o Corvo concordou em não antecipar as localizações. Um dos projetos é simplesmente fantástico do ponto de vista atrativo, cultural e social. Já possui área própria, totalmente em acordo com o plano diretor, e um projeto de fazer cair o queixo, com grande espaço para área gastronômica, entretenimento, teatros ao ar livre com capacidade de realização de shows e grandes espetáculos. Para terem ideia, possui todo o projeto estrutural em fase muito avançada.

 

No compasso
Como este articulista escreveu na semana passada, todas as cidades contempladas com as lojas francas estão de olho no que fará Foz do Iguaçu, sendo assim andam no mesmo ritmo no campo das análises, pesquisas, e à espera das deliberações da Receita, como é o caso do sistema. A CNAE, segundo informaram ao Corvo, será a mesma utilizada pelas lojas dos aeroportos.

 

Bueiros inteligentes
Corvo, essa tal caixa de contenção para as bocas de lobo é usada em muitas cidades. Não sei se isso funcionaria em Foz, porque a cidade é muito carente em matéria de manutenção das vias pluviais. Perto da minha casa faz uns dois anos que tem um bueiro aberto, e nada de arrumarem. Esses dias um senhor quase caiu nele, pois um pedaço da tampa que restava rachou. Mas isso não vem ao caso porque já reclamamos para a prefeitura e não seria ético voltar a reclamar aqui. Esperamos que essas obras de revitalização dos bueiros ocorram rapidamente. Mas veja, Corvo, quero com isto dizer que colocar as caixas de contenção será difícil, uma vez que nem dos bueiros conseguem cuidar.
Valdomiro Trindade

 

As bocas de lobo
Corvo, para lembrar, no tempo em que o Budel era o secretário de Obras, mandou instalar telas resistentes no fundo de muitos bueiros. A sujeira parava por lá e não entupia as vias mais adiante. É uma medida muito barata e de fácil manutenção. Mas o problema mesmo é a consciência das pessoas, ou a falta dela, porque o que entope as vias pluviais é o lixo despejado pelos moradores. Então vamos fazer as contas: se Foz fosse implantar um sistema de caixas de contenção em cada bueiro, quanto isso iria custar? Considerando que há milhares de bocas de lobo, a cidade empregaria a verba do asfaltamento, da reforma das creches e escolas, das reformas dos prédios públicos e deixaria de fazer obras muito importantes. Não seria o caso de investir na conscientização dos moradores?
Lúcia Camargo

O Corvo responde: quem surgiu com essa ideia foi a vereadora Inês da Saúde. Se o incremento pode ser aplicado ou não, são outros quinhentos. Importa que é papel do legislador fazer essas indicações, criar leis e fiscalizar a administração. O governo deve avaliar a sugestão e restará aos administradores, no caso prefeito e secretários, fazerem as coisas de acordo com as medidas orçamentárias.

 

Dr. Bumbum
Eita! A coitada foi arrumar o bumbum e acabou se ferrando. É o fim! E o médico, pra variar, atendeu em casa, onde não há ao lado uma UTI em caso de necessidade. O Corvo conversou com um profissional da área, e é inadmissível que façam procedimentos médicos em residências. Dependendo, o simples contato de uma luva cirúrgica pode causar um choque anafilático… imagina um preenchimento com silicone!

 

Em Foz
Lá pelos anos 90 aconteceu um caso semelhante em Foz do Iguaçu, com o falecido Dr. Wilson, um médico que se dizia especializado nessas artes cirúrgicas e plásticas domésticas. Ele fez um enchimento de peito, e a cliente saiu direto para o IML. Foi um caso escabroso e que chamou a atenção até para os procedimentos realizados no Paraguai, hoje em dia muito fiscalizados pelas autoridades graças à demanda de brasileiros.

 

Sem especialização
Com a morte da paciente do Dr. Wilson, o CRM começou a dar em cima de vários profissionais que praticavam cirurgias plásticas sem a especialidade. Na época, pacientes surgiram com reclamações das mais inusitadas, exibindo inclusive as obras de arte de alguns médicos sem a devida aptidão. Uma mulher tirou a blusa na delegacia e mostrou o estrago nos seios, com uma ponta virada para o Norte e outra para o Leste, igual olho de camaleão.

 

Estrutura administrativa
A Câmara aprovou por unanimidade as emendas apresentadas pela vereadora Inês Weizemann (ou da Saúde), que consolidam o organograma administrativo. A manobra desarticula a interlocução do governo via Gabinete do Vice-Prefeito e devolve a função para a Secretaria de Governo. No caso, a própria vereadora deu a receita para o imbróglio: Nilton Bobato pode acumular a pasta, ou seja, ser vice-prefeito e secretário de Governo. O caso é saber se o Chico vai querer.

 

Ecos do passado
O seu Reni Pereira foi quem exterminou a Secretaria de Governo. No modelo de administração dele, nem precisava disso, porque a prefeitura funcionava com outra filosofia de organização. Ivone se viu impedida de mexer em certas coisas, e Inês preferiu não deixar o vespeiro para o Chico e o Bobato. Reni recriou a tal Secretaria de Tecnologia da Informação, extinguiu as secretarias adjuntas e inchou o gabinete dele com 20 assessorias técnicas especiais. O exercício de algumas das especialidades, inclusive, tornou-se caso de polícia.

 

Apoios
O que parece haver pelo momento é uma guerrinha que remonta a um passado nem tão distante. Todo apoio da nova administração estava focado no Professor Sérgio, na sua empreitada para ser deputado estadual. Depois o bicho político picou a Inês e, por fim, em decorrência desse bonde querendo escapar dos trilhos, o Bobato parece não abrir mão de ser deputado. E ainda tem o Gessani na cota de apoio da administração. Chico deve sentir-se um domador trancado na jaula — pelo lado de fora.

 

Divisão
É bom lembrar que essa montoeira de nomes em disputa vai causar a divisão de votos e um resultado que ninguém quer: ver os deputados de outras cidades na Assembleia. Outras cidades mais organizadas, leia-se. E a coisa segue no mesmo rumo para a eleição de deputado federal.

 

Fobia
O que será que acontece com os políticos de Foz quando o assunto é eleição? Parece que há uma comichão endêmica, o coração sobe à garganta, e os nossos intrépidos representantes mais se matam que outra coisa — numa luta frenética mais para impedir o sucesso dos rivais do que para alcançar o objetivo. Impressionante! Não há glória nessa empreitada, e sim a funesta constatação de que a cidade foi parar na cova. Essa gente precisa acabar com isso, que barbaridade!

 

Liderança política
Sem querer ofender, quem de fato pode ser considerada uma “liderança política” em Foz do Iguaçu? O correto seria ir pra cima dessas lideranças, caso existam, pois são elas as manipuladoras dos partidos, como fossem laboratórios do Dr. Frankenstein, de onde só saem monstrinhos… Façam o favor!

 

Posição
Muita gente, mas muita gente mesmo está à espera de uma posição mais dura por parte da “sociedade organizada”. O que fará ACIFI e outros órgãos que assinaram uma campanha tão séria como a “Basta de Vergonha”? Francamente, não vai dar para ficarem em cima do muro. Só a cartilha da Igreja Católica não dará conta da situação.

 

O contrário
Sem manifestação dos órgãos que são pilares, vai ficar difícil cair no pé dos políticos e tudo parecerá como antes, como diz a música. É necessário fazer algo antes, do contrário receberemos o rótulo de “sociedade desorganizada”. Parece ser uma missão impossível conscientizar políticos e eleitores para uma finalidade tão justa.

 

Mansur
Phelipe Mansur visitou a redação, na manhã de ontem, e fez o convite para um jantar com Eduardo Mufarej, o pai do movimento RenovaBR, uma associação sem fins lucrativos e que objetiva a preparação de pessoas éticas no campo da renovação política deste nosso imenso país. Trata-se de um esforço necessário, por isso Mufarej merece um voto de apoio de quem espera mesmo ver algo mudar. O jantar será no Mabu na sexta-feira.

Share
18 de julho de 2018

Sem poda Marcha à ré no assunto da poda das árvores. O projeto voltou para a segunda discussão. O placar foi 7 a 7; pelo regimento, precisaria-se de oito votos para a aprovação. O pomo da discussão é o fato de o morador pagar pelo serviço. Votaram a favor: Anderson Andrade, Jeferson Brayner, João Miranda, João Sabino, Rogério Quadros, Rosane Bonho e Tenente-Coronel Jahnke. Votaram […]
17 de julho de 2018

Evasão Corvo, qual a razão dos impostos serem tão altos no Brasil? Pelo visto é o país com a maior taxa tributária do mundo, e tenho quase certeza disso porque vejo a quantidade de dinheiro movimentando os impostômetros. Sendo assim, é natural que o Paraguai seja um sucesso, como vocês escreveram. Lúcia Vascarenha Fernandes O Corvo responde: os impostos são altos no Brasil porque a […]
16 de julho de 2018

Dia do Homem A data foi soturnamente comemorada, diferentemente das lojas cheias, restaurantes lotados, além das muitas manifestações que ocorrem no Dia da Mulher. Uma pesquisa informa que algo em torno de 97,8% dos homens não sabem do seu dia. Bom, o Dia dos Pais não chega nem à unha encravada das comemorações para as mães.   Normalidade Para o cidadão normal, não afetado pelo […]
14 de julho de 2018

Suprapartidarismo O Corvo detesta atazanar o Phelipe Mansur, mas ainda falta muito para ele chegar ao “suprapartidário”. Não é só o diploma de formação no Projeto Renova Brasil que vai atribuir-lhe essa aura. Terá de ralar muito o joelhinho até convencer os eleitores que é diferente e pode de fato “renovar”.   Lojas francas Muitos comerciantes estão bastante equivocados com o advento das free shops. […]
13 de julho de 2018

Aviso importante Prezado leitor, se acaso estiver caminhando de noite pela cidade e inusitadamente deparar-se com uma onça, não corra. Segundo os biólogos, zootécnicos e entendidos no bicho, ele interpretará que você é uma presa — e ele, o predador. Também não atire nele o celular, pedras, paus e não grite. Deixe a onça comer você!   Chiclete de onça Se alguém já viu o […]
12 de julho de 2018

Sentou na meleca Não é nada confortável a situação do desembargador plantonista. Levou um senhor puxão de orelhas da ministra Cármen Lúcia. Ela gastou seis páginas e o precioso tempo na lição de moral, numa “decisão que foi inusitada e teratológica”, referindo-se ao ato de Rogério Favreto. “Teratológica” quer dizer absurda, mal concebida, segundo os dicionários. E a presidente do STJ, Laurita Vaz, não deixou […]
11 de julho de 2018

Na fogueira Se depender do jornal Novo Tempo, de propriedade do Ricardo Azevedo, Chico Brasileiro e Nilton Bobato arderão no mármore quente do capeta! Eles são acusados pelo jornal de regulamentar lei que pode fechar algumas igrejas em Foz.   Homofobia A encrenca se dá em razão da Lei 2.718/02, que combate a homofobia e deve ser regulamentada hoje, inclusive. A lei foi criada pelo […]
10 de julho de 2018

Confusão Poxa Corvo, o nome certo para o que vi seria “palhaçada”, nisso que acontece sobre libertação e prisão do Lula. Não merecemos situações assim. Tudo bem que a Justiça é confusa e cheia de lacunas, mas até o programa do Faustão comentou abertamente a necessidade de reformas em todos os poderes, a começar pelo Judiciário. Se é para o povo escolher bem os seus […]
9 de julho de 2018

Pressa Os empresários estão cheios de razão ao cobrarem agilidade na liberação das lojas francas. Eles é que sabem onde o bicho pegará, pois precisarão construir, investir, contratar pessoal… É uma empreitada de respeito.   Trava aparente Essas reuniões seguidas, com pessoas que inclusive nem querem saber das lojas francas, é que estão atrasando o processo. Bora “destravar” isso, Bobato e Chico. Muitos investidores estão […]
7 de julho de 2018

  Grande Tércio Cabe aqui um elogio do Corvo. Tércio Albuquerque é um “senhor” dedicado às causas públicas. Poucas pessoas possuem a habilidade dele para tratar de assuntos às vezes latentes. Tércio mata no peito e tira de letra. Impressionante! E é nesse exercício cotidiano de apagar incêndios e encontrar soluções que alguém assim se destaca pela competência! Naturalmente, um executivo como Marcos Stamm sabe […]
6 de julho de 2018

  A Casa Olha Corvo, tenho seguido as suas dicas e me dei muito bem, a começar quando fui conferir a programação de muito bom gosto com que “A Casa” nos brinda. E de fato um espaço cultural muito comunitário e que cobra valores muito menores que o couvert de certos estabelecimentos que só tocam música eletrônica e de péssima qualidade. Mas sem comparação, as […]
5 de julho de 2018

  Conselhos para tudo Cidadão iguaçuense, anote bem: no dia em que precisar cortar a unha, peça antes autorização ao CMUMFI (Conselho dos Manicures para Unhas das Mãos de Foz do Iguaçu). Mas se resolver cortar apenas as unhas dos pés, precisará passar pelo CPUFI, que é o Conselho dos Pedicuros Unidos de Foz do Iguaçu. Agora, se a necessidade for de cortar as unhas […]
4 de julho de 2018

Cartas para o Corvo! Este pássaro amanheceu com a caixa postal transbordando de notas. Os leitores parece que combinaram. Como o Corvo respeita a opinião alheia, passou o dia editando as notas e cartas que foram enviadas para a redação. Vale aqui ressaltar que algumas pessoas enviaram textos tão compridos que não caberiam nem no jornal. As notas para o Corvo devem possuir no máximo […]
3 de julho de 2018

  Paraguaios sabidos Nossos vizinhos não dormem no ponto. Querem sim competir com o advento das lojas francas. O comércio do outro lado do rio gera milhares de empregos, além do mais é um grande distribuidor de renda. Para quem não sabe, a fiscalização lá também é muito eficiente, e não é de hoje que os governantes estudam um meio de aprimorar o método de […]
2 de julho de 2018

Meio do ano! Quem diria, chegamos ao mês de julho, portanto metade de 2018! O tempo voa mesmo. Logo termina a Copa e começa a encrenca na política. Encrenca porque nunca estaremos livre dela em períodos eleitorais, nos quais jogam tudo no ventilador. E devemos preparar-nos porque será uma das eleições mais inusitadas de todos os tempos. Isso será assim, “inusitado” nas cidades, estados e […]
30 de junho de 2018

Fake news As redes sociais deste Corvo amanheceram lotadas de gravações dando conta de que na segunda-feira haverá uma nova manifestação de caminhoneiros. Como nada saiu nos telejornais, tudo leva a crer que há outra onda de notícias falsas espalhando-se. E a brincadeira já está assustando muita gente. Havia filas no posto onde o Corvo foi abastecer. Que tristeza isso!   Ligados ao Messer Os […]
29 de junho de 2018

Em busca do Eldorado Corvo, as pessoas estão indo embora para os países mais ricos porque simplesmente cansaram de ser exploradas ou de conviver com o crime e a falta de segurança. Vão embora porque, mesmo correndo da polícia e se escondendo nos outros países, a vida é bem mais justa. Estamos vendo essa crise no mundo. Só na minha família, cinco pessoas foram para […]
28 de junho de 2018

A impunidade No geral, quem possui lá um distúrbio de desvio de conduta vai pensar assim: a pessoa pode roubar milhões da coisa pública, deve preparar-se para devolver uma parte, mas se o resto ficar bem guardado, poderá ser muito bem aproveitado num futuro próximo. Se constituir um bom advogado, o corrupto ficará preso um, dois, no máximo três anos, pois o caso entrará em […]
27 de junho de 2018

Um bom sinal O advento das lojas francas, pelo visto, venceu um duro obstáculo em Foz do Iguaçu: o pensamento sobre a virtual destruição do comércio formal. Os empresários e boa parte das pessoas envolvidas com as atividades comerciais estão convictos de que free shops não causarão prejuízo, pois Foz já aprendeu a conviver com os produtos vendidos no Paraguai e Argentina. As barraquinhas que […]
26 de junho de 2018

      Férias? O Corvo está desfalcado. Dois Corvos e um colaborador viajaram por esses dias. Lamentavelmente ninguém foi para a Rússia assistir aos jogos da Copa. Um foi visitar a irmã em Santa Catarina, outro foi para Curitiba, e o nosso colaborador Rogério Bonato resolveu ir trabalhar longe de Foz — pelo menos foi o que ele nos disse. Mas o Corvo é […]

GDIA