Rogério Bonato

16 de outubro de 2017

Recibos

Qualquer cidadão normal possui uma pasta na qual guarda todos os recibos referentes aos pagamentos e gastos. Para lembrar, o grosso da população, em especial os mais humildes, faz das tripas o coração para manter as dívidas em dia, pois o crédito é tudo na hora em que se precisa dele. No entanto um personagem como o seu Lula fica anos sem pagar aluguel de um apartamento e, ao que consta, não possuía nem os recibos, pois todos parecem emitidos de uma só vez. Recibo: guarde, um dia você pode precisar dele.

E os sindicatos?
Com a reforma trabalhista e o não recolhimento do imposto sindical, ou um dia de trabalho por ano de cada sindicalizado, as instituições perderão algo em torno de R$ 3 bilhões ao ano. Foi o que afirmou um economista da Unicamp. E agora? Sem a renda, haverá dificuldades até para a manutenção básica sindical — e, quem diria, quase não houve pressão contra a medida, porque muita gente não quer pagar a contribuição. A bagunça social enfraquece até a organização trabalhista, mas os sindicatos admitem que a baixa não supera os 30% da arrecadação.

Mais 30 santos
O papa Francisco canonizou 30 brasileiros ontem. Foram as vítimas da tentativa de colonização holandesa no Nordeste. O episódio se deu em 1645, no Rio Potengi, perto de Natal (Rio Grande do Norte). O grupo de católicos foi massacrado com requintes de crueldade, com braços, pernas, língua decepados; crianças foram partidas ao meio. Segundo o relato, a vítima Mateus Moreira repetia a frase — enquanto tentavam arrancar-lhe o coração pelas costas: “Louvado seja o santíssimo sacramento”. Tomara que tenham encontrado a paz no paraíso.

Strike de Funaro
O doleiro Lúcio Funaro, com a recente delação, está causando um pesadelo na vida de algumas pessoas, a começar pelo ex-deputado e ex-presidente da Câmara Federal Eduardo Cunha. Ele teria abarcado R$ 1 milhão para comprar votos em favor do impeachment de Dilma Rousseff. Quantos votos será ele conseguiu “comprar” com um valor assim? Um, dois, no máximo três. Sabe-se que votos do impeachment foram supervalorizados. E pior, teve deputado que recebeu para votar e no fim das contas pirulitou-se, ou seja, não compareceu à votação. Segundo o depoimento, o artista foi o cearense Aníbal Gomes — e ele teria cobrado R$ 200 mil adiantado.

Maluco coisa nenhuma
Muita gente esperava que a delação de Lúcio Funaro fosse um show de gritaria e palavrões, pois é o estilo que ele normalmente utiliza para se comunicar. Coisa nenhuma, o doleiro foi meticuloso e calculista, pontuando a fala com estratégia. Ou foi bem orientado ou mostrou um lado que até os mais próximos não conheciam. Algumas pessoas se mostram de uma maneira, mas na verdade são bem diferentes.

Investimentos
Passado o Dia das Crianças, chega o de Finados. E o feriado cai igualmente numa quinta-feira, o que significará hotéis lotados, filas nas aduanas, nos atrativos, nos semáforos, bares e restaurantes. Há iguaçuenses que se irritam muito com isso, mas o alvoroço é a salvação de muita gente. Paciência aumenta o caixa da cidade, mais dinheiro circula e o final de ano ficará mais leve, pelo menos para quem atua no setor de Turismo.

13 de outubro de 2017

Agradeço

No passado, esbocei restrições em algumas ocasiões sobre a quantidade de concessões de títulos de Cidadãos Honorários. Mas jamais, em momento algum, expressei contrariedade a algum […]
12 de outubro de 2017

Sinistro

Mais uma vez surge a discussão sobre a prevenção aos incêndios, alvarás, perícias e tudo mais a que assistimos exaustivamente nos últimos anos, sobretudo após o […]
9 de outubro de 2017

Efeito

Todo mundo espera soluções geniais por conta dos políticos. E eles começam bem, arranjam sacadas eficientes com boa projeção posterior, na base do marketing calculado. Claro, […]