No Bico do Corvo

Share
28 de agosto de 2017

Já pensou o fiasco

E o vereador Protetor Jorge safou-se do imbróglio que o cutucava. E haja cutucão! Vai ver é por isso que a Câmara recuou em abrir uma processante. Pesquisaram e resolveram aguardar a decisão judicial, o que foi muito prudente. O resultado também foi favorável à ex-prefeita de Santa Terezinha Ana Carlessi.

Alvoroço
Foi o Corvo publicar algo sobre uma investigação no campo da gasolina, muita gente escafedeu-se da cidade. Calma, o tema ainda está em análise, segundo disseram a esta ave comedora de carniça. Mas quem tem culpa no cartório não quer ser surpreendido pelo japa da PF. Na verdade, andaram passando sebo nas canelas.

Armamento
Nesta última fase da Operação Pecúlio, apesar das várias conduções coercitivas, houve a prisão de um médico porque ele possuía armas de fogo em casa. A notícia se alardeou como fosse ele uma espécie de dono de morro carioca, se bem que precisaram de um carrinho de supermercado para carregar o arsenal. Mas quem conhece os artefatos bélicos garante que se trata de espingardas de caça e exemplares de colecionadores, como é o caso de uma pistola Luger P8 alemã, uma relíquia. Havia também uma Colt 45, provavelmente usada na Primeira Guerra Mundial, e uma Beretta com silenciador, a arma preferida do 007, o Bond, James Bond. Como hoje é sábado, o Corvo abre o espaço “almanaque” para explicar o caso da arma do agente secreto britânico (antes que os entusiastas caiam de pau): nos originais de Ian Fleming, 007 adorava a Beretta modelo 418, mas o seu chefe, o poderoso “M”, insistia que ele usasse a Walter PPK. A discussão foi tema no primeiro filme da série.

Não pode
Independentemente de colecionarem armas, por puro fascínio ou curiosidade histórica, muitas pessoas correm riscos, porque é proibido manter uma arma sem o devido registro, sobretudo se ela possuir munição. O Corvo pesquisou: colecionar armas no Brasil requer o Certificado de Registro de Colecionador de Armas, emitido pelo Exército Brasileiro. Atiradores, colecionadores e caçadores, denominados popularmente como CACs, precisam adequar-se às normas de dois órgãos de controle, que são o Sinarm (Sistema Nacional de Armas), sob o comando da Polícia Federal, e o Sigma (Sistema de Gerenciamento de Armas), sob o comando do Exército Brasileiro. A burocracia não é pequena. Será necessário até a certidão digital da sola do pé. Bom, nem tanto, há formulários para isso até na internet.

A velha desculpa
Pois então, depois que a coisa começa a feder, depois que caem numa operação como a Pecúlio, em geral, os envolvidos dizem que pelo menos uma vez na vida alertaram as autoridades ou avisaram a polícia que estavam desconfiados sobre o fato de haver irregularidades por parte de servidores. É como a moça que denuncia ao pai que foi pega por um tarado. O pai pergunta: quando aconteceu isso, filha? E ela responde: sábado, domingo, quarta-feira, ontem e hoje. Já que é sábado e lembramos os agentes secretos do cinema, vale a frase do cômico Maxwell Smart ao cair numa cilada: “Ah, o velho truque da rede atrás da porta; caí nele três vezes na semana passada”. Para cada caso em que se envolveram, Reni e seus companheiros disseram que em alguma oportunidade avisaram as autoridades. Tem gente que pensa em tudo.

25 de agosto
Ontem houve diversas comemorações. O Corvo foi convidado para umas quatro. A data é cheia de fatos interessantes pelo mundo e entrou para o anedotário da cidade por um conflito dos mais inusitados ocorrido em 2009, durante uma desavença na rua. Foi quando um dos oponentes teria inventado um golpe marcial chamado “cara no pé”. Quem assistiu à contenda ficou abismado ao ver o agressor batendo impiedosamente com a cara no pé da vítima. Coisa mais medonha e, por que não, estranha, mas o fato é que o pé da pessoa agredida com a cara precisou ser enfaixado posteriormente.

Na mesma data
Curiosamente no mesmo dia, anos antes, o mesmo envolvido na encrenca de 2009, inventor do golpe mortal (cara no pé), levou uma surra de cinta em público. O desfecho se deu por mau comportamento do cidadão, que aliás andou apanhando em outras ocasiões. Que barbaridade! É o destino de todo menino levado! Mas o Corvo quer deixar claro aqui que é completamente contra a violência, de qualquer espécie, até surra de cinta. De volta ao almanaque, há um país na Ásia onde surra de cinta é pena decretada por juiz. Escolhem uma praça, convidam o povo e descem a ripa no transgressor.

O quê?
Na Câmara dos Deputados, mais precisamente na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, foi aprovada proposta ímpar: os animais deixaram de ser “coisas” e agora são bens móveis. O bicho pegou. Quem sequestrar animais, por exemplo, pode complicar-se mais ainda. Na contramão, já tem muita gente pensando em deixar o bicho na coleira, para entregar ao oficial de Justiça caso ele apareça. O valor deve aumentar de acordo com o pedigree. Um elefante, naturalmente, deve valer mais que um gato.

E o medo?
Contaram para o Corvo que o vereador cassado e réu da Operação Pecúlio Edílio Dall’Agnol foi rezando ao ser conduzido coercitivamente à delegacia da PF. É que no caminho não teriam dito absolutamente nada sobre o que estava acontecendo, então vamos imaginar a roeção de unhas. Ao prestar esclarecimentos, e sabendo que poderia voltar para casa, esboçou enorme alívio. Pudera, deve ter amargado dias terríveis no presídio.

E o Reni?
O Corvo imagina que ele deve estar preparado para o que der e vier. Mas aqui entre nós, não deve ser fácil saber que uma viatura da PF está estacionando em frente de casa nas primeiras horas do dia. Haja coração!

Eita!
Esta o Corvo leu no site “nãoviu.com.br: a província de Misiones, na Argentina, iniciou a luta pelo Parque Nacional Iguazú, baseada no argumento de que a Constituição do país considera os recursos naturais propriedades exclusivas das províncias. Misiones queria criar o Parque Provincial do Rio Iguaçu, abaixo das Cataratas, mas a Suprema Corte considerou que o setor argentino do Rio Iguaçu integra o Parque Nacional Iguazú. A resposta da Província é querer, agora, todo o parque. A senadora Sandra Giménez apresentou projeto de lei nesse sentido, argumentando que a federalização da Argentina reconhece o domínio original dos recursos naturais existentes nos territórios das províncias. “As províncias têm vontade e capacidade de preservar nossos recursos naturais e o direito reconhecido na Constituição de fazermos sua gestão”, disse a senadora. Só falta os nossos hermanos passarem a mão no que é nosso, do lado de cá. Na década de 80, precisamente no período militar argentino, um general queria a revisão das fronteiras com o Brasil. Segundo ele, havia um erro de dois quilômetros no traçado inicial. Para o militar, a fronteira entre nosso país e Argentina seria na metade do Porto Meira. Já pensou o Porto Meira território argentino?

Não muda muito
Quem passar pela Avenida Morenitas verá várias casas especializadas em produtos argentinos. Há inclusive uma minivinoteca, mas os preços não são os melhores. As redes de supermercados da cidade oferecem o vinho de lá em condições muito aprazíveis. Há argentino, acreditem, atravessando a ponte para comprar o vinho deles aqui. Este mundo está mesmo perdido!

Comida boa
Neste final de semana, haverá o terceiro Encontro de Food Trucks em Foz. Será na Rua Mussum, ao lado da Catedral Nossa Senhora de Guadalupe. É o tipo de evento em que a gente vai e volta uns oito quilos mais gordo. Ultimamente o Corvo só se alimenta assim. O food truck é uma boa opção para quem gosta de boa comida a preços mais em conta. Se bem que tem gente vendendo comida de rua mais caro que em hotel cinco estrelas. O cara diz assim: “Caro porque meu sanduíche é uma obra de arte”. E o Corvo precisa ouvir e nada dizer.

Festival dos botecos
A exemplo de Belo Horizonte, alguém está pensando em organizar um festival das “comidinhas de boteco” em Foz do Iguaçu. Mas o organizador, experiente nesse tipo de evento, disse que irá proibir espetinhos, coxinhas, linguiça frita, ovo em conserva e cachorro-quente! Se acontecer assim, mixou o tal festival, porque em Foz é difícil a turma sair disso. Se fizesse um festival da coxinha, teria mais sucesso.

Dica gastronômica do Corvo!
Todos os anos, no último sábado do mês de agosto ocorre o McDia Feliz. A mobilização nacional é realizada anualmente e beneficia projetos pela cura do câncer infantojuvenil. O Hospital Uopeccan, há mais de 20 anos, é participante desta campanha coordenada nacionalmente pelo Instituto Ronald McDonald. Com a ação, o hospital será beneficiado a partir da venda de sanduíches Big Mac. Além disso, o dia também é importante para a venda dos produtos promocionais que levam o tema da campanha, visto que todo o lucro obtido com a comercialização destes itens também é revertido para o hospital. Deu para ver que o Corvo pegou carona no release.

Programação
Hoje às 11h haverá a abertura oficial do McDia Feliz. Em Foz do Iguaçu, três espaços participarão, mas a abertura oficial será no McDonald’s da Avenida Jorge Schimmelpfeng, 573. As atividades envolverão brincadeiras e recreação. Durante todo o evento, uma cama elástica estará montada no espaço kids, e os palhaços da Cia. do Riso estarão por lá. Não é preciso pagar ingresso, e os que não adquiriram os tíquetes antecipadamente podem comprar os sanduíches Big Mac nos balcões do McDonald’s por apenas R$ 15,50, além de produtos promocionais. “Plante solidariedade e floresça vidas” é o lema do McDia Feliz.

Detalhe
McDia Feliz não é o aniversário do Paulo Mac Donald. Aliás, hoje haverá o programa em que o Paulo dá aulas de como administrar uma cidade. Ele também dá receitas de bolo, conta causos e relembra fatos interessantes dos anos em que foi o “imperador” da cidade, ops, de quando foi prefeito. Um bom sábado a todos e um encantador fim de semana. E vem chuvinha criadeira no domingo!

Share
26 de agosto de 2017

Rafain Churrascaria

Seu Corvo, publica a nota por favor. Vou de casa (Jardim Bourbon) para o centro buscar minha filha na faculdade. De uns dias para cá, tem um efeito de iluminação muito bonito na Churrascaria Rafain, uma espécie de roda brilhante, tipo disco voador, que vai de um lado a outro. É bonito, mas chega arder o olho quando bate na cara da gente. Na noite […]
25 de agosto de 2017

Velocidade máxima

O Corvo recebeu duas cartas, curiosamente, tratando sobre velocidade do trânsito em Foz do Iguaçu. A primeira fala sobre a “velocidade máxima”. O Corvo responde aos dois assuntos separadamente. Vamos a o que escreveu o primeiro leitor: Prezado senhor colunista Corvo, é a primeira vez que lhe escrevo. Li a matéria sobre a velocidade máxima para trafegar nas ruas de Foz do Iguaçu. Francamente não […]
24 de agosto de 2017

Audiência pública

O evento na Câmara de apoio à Unila mais serviu como agradecimento. É que a reunião havia sido marcada antes do reitor e do deputado fumarem o cachimbo da paz em Brasília. Mesmo assim não faltou enfoque e gente saindo pelas janelas. Foz demonstrou união e força para não perder a Unila ou deixar que a sua essência fosse alterada. Essa postura bem que poderia […]
23 de agosto de 2017

Prédios abandonados

Não é de hoje que o Corvo vem denunciando a invasão e as consequências de várias obras que não prosperaram em Foz do Iguaçu ou foram simplesmente iniciadas e abandonadas. E tem mais, essas invasões estão ocorrendo em obras em andamento. Há registros de sumiço de ferramentas e materiais de construção em diversos canteiros. Teriam roubado até uma betoneira. Paisagismo Houve épocas em que construtoras […]
22 de agosto de 2017

Paulo & Chico? Será?

Uma nota publicada pelo site “Não viu?”, na manhã chuvosa de ontem, domingo, sacudiu os bastidores políticos da cidade. Segundo o informe, houve um encontro no sábado entre Chico Brasileiro e Paulo Mac Donald; o pastor Rodrigo Faraco fez uma foto e publicou nas redes sociais. Como? Maomé foi à montanha, ops, Chico Brasileiro foi até a Construtora Taquaruçu, empresa do Paulo Paulo Mac Donald […]
21 de agosto de 2017

A pedidos

Este Corvo resolveu atender ao pedido dos leitores (que serão eleitores) no sentido de fazer uma análise quanto aos rumos da política no Paraná. Isso, mais em razão da recente visita do governador e comitiva, na qual foi possível ouvir um pouco de tudo. Mas aviso: o Corvo não pode deixar de publicar algumas cartas que estão na fila, e faz tempo. Bom sábado a […]
19 de agosto de 2017

Hospital

A prefeitura tem quase um ano para dar cabo dos problemas relacionados ao Hospital Municipal Padre Germano Lauck. Contaram para este Corvo que há a possibilidade de uma manutenção na gestão, ou seja, no lugar de uma “intervenção”, a prefeitura faria um convênio com o governo para a modalidade de “gestão compartilhada”. Quem entende do assunto garante que é uma boa opção. O governo devolve […]
18 de agosto de 2017

Investimento

Dependendo do tipo de automóvel, pode ser um investimento deixar algum paraguaio levar, porque depois ele pode devolver o veículo todinho restaurado, como foi o caso do Opala recuperado após 16 anos. Quem quiser habilitar-se basta deixa o carro estacionado pelas imediações da Vila Portes ou em frente ao Hospital Costa Cavalcanti. Decisão A Justiça literalmente livrou a barra do governador Beto Richa no episódio […]
17 de agosto de 2017

Chuvas e trovoadas

O amanhecer foi um tanto tenso nas imediações de onde fica o Gazeta Diário. Havia veículos da PF e Receita Federal numa casa de câmbio da esquina. Claro, não demorou para surgir uma porção de jornalistas e curiosos. Pudera, o assunto virou notícia nacional: lavagem de dinheiro, envolvimento de traficantes, esquemas cabeludos incluindo uma porção de empresas e empresários. Hammer-on A operação teria revirado inclusive […]
16 de agosto de 2017

Paraguai expulsa

O país vizinho não quer nem ouvir falar de um artigo de exportação brasileiro em alta: os bandidos. As cadeias de lá já estão com lotação máxima de criminosos nativos. Se há algo de que o paraguaio não suporta ouvir falar, é o governo gastar dinheiro sustentando presidiários, ainda mais se forem estrangeiros. Sem muita conversa e muito esperar, expulsam ou repatriam quem apronta por […]
15 de agosto de 2017

O vapor que explodiu

Prezados senhores redatores do brilhante jornal Gazeta Diário, li com emoção a matéria publicada na edição de sábado sobre a explosão do navio vapor Villa Franca nas águas do Rio Paraná. Meu pai e avô contavam essa história, pois pertenceram ao ciclo da madeira, e era comum as pessoas viajarem nos navios que seguiam até Buenos Aires e pelo Oceano Atlântico, iam até Santos, Rio […]
14 de agosto de 2017

Denarc

As bocas de fumo e os redutos de onde operavam vários traficantes em Foz foram surpreendidos com uma visita nada esperada: a polícia, com o pessoal especializado do Departamento de Narcóticos. Os traficantes estavam sendo observados, seguidos, ouvidos, e não faziam conta do que acontecia. Foram surpreendidos. E, segundo confidenciaram para esta ave, vêm mais prisões por aí. Quem será que viu? Um caso que […]
12 de agosto de 2017

Unila relatório

Chegou às mãos deste ser ávido por notícias um compêndio de dados interessantíssimo sobre a Universidade Federal da Integração Latino-Americana. Os números realmente impressionam, e o que mais chamou a atenção foi a quantidade de projetos que mantém contato direto com a comunidade. Há mais de 160 ações nesse sentido. Dados Segundo o informativo, na verdade uma atualização dos números e da situação da entidade, […]
11 de agosto de 2017

Na Câmara

Contaram para o Corvo que alguns vereadores estão descontentes com um colega. Ele não é o presidente, mas quer mandar mais; pede exoneração de nomeados alheios, como fossem pessoas indicadas dele, entre outras manifestações que aos poucos estão afastando-o de decisões importantes. Houve uma reunião entre alguns membros daquela Casa de Leis, e decidiram por uma conversa franca com o companheiro. Política é assim mesmo, […]
10 de agosto de 2017

Trânsito

Pois então, senhor Corvo, é de fato bem difícil dirigir em Foz do Iguaçu nos horários de pico, o que chamam de rush. Mas mais difícil mesmo é atravessar a Avenida das Cataratas, no trecho que é a BR-469. Há épocas do ano em que não dá para ver nada, se não é por causa do mato, é pela neblina. Táxis e motos andam em […]
9 de agosto de 2017

Fora do ar

O portal eletrônico do jornal Gazeta Diário ficou fora do ar na tarde de sexta-feira e manhã do sábado passado. Deu raiva danada na moçada que trabalha no endereço, mas também surtiu alívio em razão do motivo: demanda de acessos acima da média. Tanto que foi necessário ampliar as bandas de transmissão. O GDia é um sucesso e está sendo visualizado em muitos lugares do […]
8 de agosto de 2017

Segunda de cartas e respostas

Com a intenção de aliviar a caixa postal e responder os leitores, os Corvos da redação tiveram de fazer um mutirão para avaliar os assuntos desta segunda-feira. Como os leitores são quem manda nesta coluna (e no resto do jornal), somos pautados por eles. Vamos aos temas como narguilé, um dos campeões de cartas, os tais Centros de Atendimento ao Turista, as praças, crianças nas […]
7 de agosto de 2017

Constrangimento

Quem diria, secretários de governo do estado e membros do primeiro escalão ouvidos na Justiça Federal? Que barbaridade! Mas é assim que funciona. Para livrar o pescoço, um réu apela para o que puder, estiver a seu alcance e em conformidade com as regras processuais. Faz parte do jogo. Os depoentes não devem estar gostando nada da situação. Videoconferência É assim que autoridades são ouvidas […]
5 de agosto de 2017

Aos quatro ventos

O Provopar está passando o chapéu. Contaram para esta ave carnicenta que estão procurando apoio em órgãos públicos. Faz parte da ação incrementar ajuda e tentar sair do sufoco, afinal cuidar de carentes exige dedicação e dinheiro. E como parece não haver entendimento com a prefeitura, o negócio é apelar para outros lados. Mas existe um problema: para fazer negócios com órgãos governamentais são necessárias […]
3 de agosto de 2017

Sobre o trânsito

Prezado senhor Corvo, li na edição de ontem uma nota sobre o volume de trânsito em Foz. Eu tenho solução para isso: fazer um elevado em todo o contorno da cidade, assim quem quer andar rápido vai por cima e quem deseja ingressar nas vias paralelas e bairros vai por baixo. É simples e engenhoso. Nem necessitaremos de semáforos. Imagina, Corvo, um elevado para levar […]

GDIA