12 de fevereiro de 2019
Novas possibilidades
13 de fevereiro de 2019

Arrecadação que vai cair
A prefeitura arrecadou mais de R$ 20 milhões com o pagamento sobre iluminação pública. O problema é que, do valor, R$ 11,3 milhões foram destinados aos serviços de manutenção e melhoria no serviço. Se houvesse menos vandalismo, sobraria mais dinheiro, e as lâmpadas de LED, que gastam bem menos, já estariam até instaladas. Acontece que o LED é cerca de oito vezes mais econômico que as lâmpadas convencionais, porém custa bem mais caro. Este será o alvo dos vândalos. Segundo uma projeção, a população pagará menos, e a arrecadação da Cosip poderá cair pela metade. Deveria cair 80%.

 

Sinalização
Corvo, estava passando pela Avenida das Cataratas, já no início da BR-469, quando avistei um rapaz carregando várias placas de sinalização, algumas em bom estado e conservação. Tive o cuidado de estacionar o veículo e perguntar onde conseguiu e qual seria o destino das placas. Para minha surpresa, o rapaz informou que tanto as chapas de metal como os palanques haviam sido arrancados, substituídos e largados no terreno do antigo posto de gasolina do Hotel Carimã. Corvo, quem substitui as placas não deveria recolhê-las a um depósito ou local assim? Afinal podem ser reaproveitadas, porque são de material resistente.
Joelma Francis Balbo

O Corvo responde: este Corvo já viu várias placas em péssimo estado, praticamente despencando, tanto em vias públicas como em BRs. Na Avenida das Cataratas, por exemplo, há sinalização perfurada por balas; aliás, isso se vê por toda a cidade. O que será que leva um mentecapto a praticar um ato assim, sabendo que a bala pode acertar uma pessoa? No mais, vamos raciocinar com a cabeça dos turistas ao se depararem com os furos nos equipamentos públicos. É uma visão horrenda.

 

Foz Big Brother
Corvo, sei que retiraram vários redutores de velocidade de ruas e avenidas de Foz, os conhecidos pardais. Fiquei sabendo que instalarão tudo de novo, além do mais vi uma série de câmeras em vários pontos, esquinas e cruzamentos. São equipamentos bem mais robustos e, ao que consta, devem executar um serviço de monitoramento. Tomara que isso nos proteja de assaltantes e dessa molecada que fica aprontando ao volante. Na noite de sábado, por pouco não acabei “atropelado” durante um racha. Sabe algo sobre as câmeras, Corvo? Como você é antenado, resolvemos perguntar pra você.
Jandir Figueira

O Corvo responde: prezado, este Corvo também notou a instalação de câmeras em várias localidades. Elas são bem maiores que as demais e estão em locais altos de difícil acesso. Até esses equipamentos estão à mercê de ladrões, vândalos e dilapidadores do patrimônio público, que é adquirido por meio de nossos impostos. Segundo o Foztrans, estão sendo instaladas 270 câmeras de segurança, e os radares pularão de 45 para 62. Há quem não goste do controle, sobretudo quem vive da “arte” da sem-vergonhice, pois essas pessoas serão flagradas, o que se traduz em mais conforto para o cidadão em matéria de segurança. Mas a maioria aprova.

 

Dura na Ceasa
Os paraguaios compram hortaliças e frutas no Brasil por um simples motivo: as hortas e pomares no país vizinho ainda não atendem à demanda, além do mais os produtos são bem mais caros. Acreditem, até a mandioca lá está pelos olhos da cara; tomates, então, nem dá para comentar. Com a dura na Ponte da Amizade e a recente onda de apreensões de produtos comprados na Vila Portes e Ceasa, nuestros hermanitos terão de cultivar as lechugas. Mas o povo que vende no Brasil vai ficar no prejuízo.

 

Teleférico
O que será que deixou o Brasil fora do projeto do teleférico na área da Tríplice Fronteira? A ligação será apenas entre Argentina e Paraguai. E os argentinos sustentam que a novidade faz com que os cidadãos de seu país deixem de “depender do Brasil”. Aqui entre nós, embora as autoridades não aprovem, quem mora do lado de lá da fronteira adora um supermercado brasileiro, sobretudo em épocas de favorecimento cambial. Mas o que foi que aconteceu com o grupo francês que iria construir um mega, super, ultrateleférico como o Paraguai?

 

Sem problemas
Os paraguaios e argentinos terão teleférico, mas só nós, brasileiros, contamos com uma bela roda-gigante, afinal de contas levamos vantagem: possuímos pontes com os dois países.

 

Novo ginásio
A Guarda Mirim concretiza, literalmente, um sonho. Concluiu finalmente as obras do ginásio de esportes, diga-se uma iniciativa muito bacana, que levou dez anos para ser finalizada graças ao apoio de vários órgãos. Dona Léa, claro, prestigiará a inauguração neste dia 15, ao lado do Luiz Fernando Vianna, que foi diretor-geral de Itaipu. Vale destacar que a Guarda Mirim é uma das instituições mais sérias da história da cidade; de imensa contribuição quando Foz foi tomada por brasileiros de todas as regiões. A Guarda Mirim encaminhou muita gente por caminhos sólidos, despertando o vocacional, educando, criando o ambiente de labuta para milhares de jovens.

 

Chico e a drenagem
O prefeito Chico “B” visitou, sexta-feira passada, o piscinão que se forma a céu aberto toda vez que chove no Morumbi. Não deu um “marguio” porque as obras de drenagem facilitaram o escoamento e o local estava seco, pelo menos até a chuva que despencou no domingo pela manhã. O Corvo conversou com engenheiros responsáveis pelas obras, e a conclusão é: haja trabalho para corrigir as deficiências de escoamento pluvial. Uma barbaridade. A bomba caiu no seu colo, prefeito. Destrave e desarme.

 

Gotham Foz
Alguém sugeriu para o Chico Brasileiro adquirir um holofote igual ao de Gotham City. Segundo os quadrinhos, toda vez que é necessário resolver algum problema grave, o prefeito de lá vai até o topo de um edifício e liga o canhão de luz, nada menos que o sinal para um super-herói salvar a cidade. Com as chuvas de verão, parece que a Hera Venenosa passou pela cidade de Foz e fez o mato crescer repentinamente, engolindo algumas calçadas. Os transeuntes temem que um macaco saia do capim e morda alguém. Se o Chico tivesse um holofote, chamaria alguém para lidar com a situação, porque as empresas de roçada não dão conta.

 

Dupla dinâmica
E não é que ontem a cidade amanheceu sob um alerta paladino! A dupla Celino Fertrin e Márcio Rosa espalhou vídeo e texto pelas redes sociais anunciando uma severa fiscalização nos trabalhos (e na ausência deles) da atual administração. Passarão um pente-fino sem dó nem piedade. Disseram que darão respostas à sociedade porque a cidade está competindo no ranking da sujeira e sendo coberta pelo mato. Vai ver o Chico, ligeiro, já comprou o holofote, mandou o sinal, e Celino e Márcio surgiram no lugar do Batman e Robin, o menino prodígio!

 

Allah-lá-ô
Dizem que a Inês da Saúde não gostou de ficar fora da salvação de Foz. Queria, segundo disseram ao Corvo, ter aparecido no vídeo e no desabafo nas redes sociais. Se fossem Batman, Robin e Mulher-Gato, pode ser que nossos problemas estivessem resolvidos, mas como não são teremos de esperar pela roçada.

 

Galeria
Os demais vereadores que tomem tento, há super-heróis suficientes para se encaixarem em cada um. Quem será, por exemplo, o Incrível Hulk? E o Capitão América, Homem de Ferro, Thor e Mulher-Maravilha?

 

Beni e as filas
A “união” está no discurso de Beni Rodrigues, além dos esforços para acabar com a fila para cirurgias, coisa que não é fácil. Considerando que há aproximadamente sete mil pessoas aguardando, o município levaria um ano para atenuar o problema, caso operasse umas 20 pessoas por dia, incluindo os sábados, domingos e feriados. Quer dizer, não será fácil encurtar essa fila.

 

Torcendo o bico
As declarações do vereador acertaram a canela de pelo menos duas pessoas na administração. Os informantes do Corvo garantem que houve choradeira, ontem, na sala da mesa grande.

 

Negociações
Parece que os esforços do deputado Bakri estão rendendo resultados, antes mesmo do esperado. Dois inimigos viscerais foram vistos no mesmo ambiente, tomando um cafezinho na mesma mesa. Um deles disse: “Não somos inimigos, apenas divergentes em algumas ideias”. Só algumas, será?

 

Canja 2019
O Rotary Club de Foz do Iguaçu — Grande Lago está com a mão na massa para a realização da Canja do Galo Inácio deste ano. A ação favorecerá o Projeto Anjo Gabriel — Caritas Foz do Iguaçu. Uma das fontes de arrecadação, além da venda do alimento, na terça-feira gorda, é a comercialização das camisetas, e elas fazem o maior sucesso; há quem inclusive colecione. Para relembrar, os desenhos das camisetas são confeccionados graciosamente por cartunistas de destaque. Ziraldo, Santiago, Millor Fernandes Airon, Gualberto, Cazo, Duke, entre outros nomes, desenharam a “grife” Galo Inácio. A arte deste ano está por conta do grande Tako X, artista paranaense de currículo invejável. Tako, ou Edson Takeuti, é formado pela Embap de Curitiba e ilustrador desde 1987. Fundou o Clube dos Caricaturistas em 2003. E como caricaturista, realizou importantes trabalhos para a revista MAD, com várias capas inclusive. Por oito anos, viveu em Tóquio e Nagoya, no Japão. Foi considerado o melhor webcomics de 2016. O Rotary Grande Lago disponibilizará as camisetas para a venda em breve.

Tragédia
O Brasil perde um dos seus maiores jornalistas, Ricardo Boechat, homem de opinião forte, duro na pegada, mas com um brilhantismo raro, porque fazia das palavras um jogo assemelhado aos mestres enxadristas. Foi o maior entrevistador da nossa geração, tanto que algumas personalidades fugiam dele, como o Diabo da cruz. Mas era também um parceiro de trabalho generoso, querido pelos colegas. Nos lugares onde trabalhou, pagou o preço da inflexibilidade, cujas convicções elevavam o compromisso de jornalista ao dever supremo. O Corvo lamenta. Sem Boechat, a crítica do Brasil ficará menos interessante.

Share

GDIA