RF intensifica a fiscalização de contrabando nos Correios de Foz e região
14 de janeiro de 2019
14 de janeiro de 2019

Olá! Bom dia, leitor!
‘Carpe diem!’

– Hoje, segunda-feira, dia 14 de janeiro, é celebrado o ‘Dia do Enfermo’;​

– Também hoje se comemora o dia do ‘Treinador de Futebol’.​

Calendas gregas​

‘Calendas (daí o calendário) era o primeiro dia de cada mês no calendário romano. Não havia o termo calendas no calendário grego. Quando romanos ironicamente falavam das ‘calendas gregas’, queriam referir-se a uma data que não existia’.​

Então, quando não se quer decidir sobre algo, deixamos esse algo para as ‘calendas gregas’, ou para um tempo que nunca há de vir.​

Calendas gregas (2)​

Durante a campanha eleitoral, JMB prometeu extinguir a EBC, a Empresa Brasileira de Comunicação, mais conhecida como a ‘TV do Lula’, aquela cuja audiência se resumia a um traço. JMB também disse que extinguiria a EPL – a Empresa de Planejamento e Logística, mais conhecida como a ‘Estatal do Trem Bala’. São dois ralos do dinheiro suado dos contribuintes utilizados tão somente para empregar amigos, apaniguados e que tais. O que se vê e ouve a respeito de ambas estatais é que não serão mais extintas. Ficarão para as calendas gregas suas extinções?​

E por falar nisso​

JMB prometeu rever a Lei Rouanet. Em lugar de revê-la, JMB bem que poderia revogá-la. Por duas razões singelas: (1) leis do tipo, em que pese as boas intenções, sempre resultam no surgimento de nichos de privilégio: o povão paga para os mais abastados irem a shows cujos ingressos são caríssimos; e (2) em lugar de projetos culturais, leis como essa deveriam abranger projetos de saúde, educação, segurança, saneamento, habitação e transportes. Que tal?​

Para o bem ou para o mal​

Leonardo Boff, ou Genésio Darci Boff – este o seu nome verdadeiro – soa para o signatário como uma espécie de consultor religioso do Partido dito dos Trabalhadores. Na semana que passou ele afirmou, segundo o site do partido, a seguinte frase a respeito do governo de JMB: “É a maior desgraça que ocorreu em nossa história”.​

Resta saber o que exatamente o teólogo da Teoria da Libertação entende por desgraça, certo? Mais de 14 milhões de desempregados para ele, por exemplo, seria uma desgraça ou uma benção? Juros Selic e inflação de dois dígitos ele entenderia de que forma? O governo petista legou aos brasileiros a maior recessão de nossa história e ninguém viu e nem ouviu Boff falando a respeito. Estranho, né?​

Para o bem ou para o mal (2)​

Se o governo de JMB vai ser uma desgraça, o tempo dirá. Ao final de 2022, se este signatário ainda estiver vivo e escrevendo neste espaço, certamente relembrará seus diletos leitores acerca dessa assertiva do ilustre e notório teólogo marxista brasileiro. Desde já torcemos para que Boff mais uma vez esteja equivocado.​

Contato: idgar_dias@hotmail.com​

Veja A Gazeta na internet: www.gdia.com.br​

Boa segunda e boa semana, leitor. Até amanhã!​

Sorte e saúde sempre!​

Share

GDIA