Foz Cataratas Futsal oficializa acerto com mais um jogador
10 de janeiro de 2019
10 de janeiro de 2019

Este espaço é dedicado à Natureza e a quem sabe reverenciá-la em grande estilo, afinal, os jardins estão em alta, não importa a metragem que ele pode ocupar. Envie fotos e um pouco da  história do seu jardim!

meujardim@gazetanews.inf.br

 

 

Francielli Thaís
Deluca da Silva Ferraz

 

 

 

 

 

 

 

Faz mais ou menos 2 anos que eu me encantei com suculentas.
Ganhei duas lindas de aniversário, mas como não sabia cuidar, elas acabaram morrendo.
Meus amigos de trabalho gostam muito de plantas e me deram uma mudinha… do jardineiro ganhei um cacto, do marido, uma suculenta e assim iniciou meu mini jardim.
Pesquisei na internet como cuidar, vi que conversar com elas faz bem. E até hoje faço isso.
Quem não gosta de ter com quem conversar, não é mesmo?
A suculenta e os cactos não requerem tanto cuidado. Recebem água uma vez na semana, pois se der água demais elas podem morrer.
As folhagens já precisam de um cuidado a mais, além de dar água 2 vezes na semana eu sempre tiro as folhas que estão secando. Elas ficam em meu ambiente de trabalho, então me fazem companhia diariamente.

 

 

 

 

Suculentas
As suculentas gostam de bastante luminosidade e se inclinam facilmente para encontrar o melhor ângulo. Portanto, vire os seus vasos de tempos em tempos para que a planta receba luz em todas as suas partes.

 

 

 

 

 

Babosa
Conhecida também como Aloe vera.
Uma espécie de planta suculenta.
Cresce em climas tropicais.
Cultivada para usos agrícolas e medicinais. Também é usada para fins decorativos e cresce com sucesso dentro de casa em vasos.

 

 

 

 

Terrarium
Conhecido também como mini jardim.
Adaptação que trouxe mais praticidade para os amantes da jardinagem. Algumas espécies cultivadas em recipientes abertos ou fechados, que contam com a ajuda de alguns itens naturais, os quais colaboram para o crescimento e desenvolvimento da planta sem muito esforço.
O objetivo é criar um ecossistema independente ou que exija poucos cuidados, e ainda ter um belo objeto para acomodar em um local de destaque, seja dentro de casa, em um quintal ou até mesmo no escritório.
Se as espécies escolhidas por você forem espinhosas, não esqueça de montar o seu terrárium com as mãos devidamente protegidas, utilizando luvas de borracha.

Share

Leia mais sobre este conteúdo e outras informações na edição impressa.

GDIA