Itaipu e PTI fortalecem projetos de gestão pública no País, afirma Kassab
7 de novembro de 2018
7 de novembro de 2018

Novidades na prefeitura
Nosso colega Digão Monzon deixou o comando da Comunicação Social da Prefeitura de Foz do Iguaçu para assumir um posto importante na Fundação Cultural. Digão agradeceu o apoio dos colegas de trabalho e da imprensa e ruma para outra jornada. Rapaz bom e honesto, Digão não conseguiu levar adiante seu plano de trabalho porque, até agora, a prefeitura não conseguiu licitar uma agência de propaganda. Trocando em miúdos: deixaram-no quase dois anos sem um centavo para lidar com a tigrada. E olha que essa tigrada não é mole não.

 

Jahnke na prefa?
Nos bastidores da Câmara não se comenta outra coisa: o coronel Jahnke pede licença da Câmara para assumir uma secretaria importante. Com isso abre uma vaga para o primeiro suplente, Marcelinho Moura, assumir. Poderá ser o novo líder do prefeito?

 

Corte de árvores
Passou na Câmara o projeto que permite particulares cortarem árvores que correm o risco de cair. Mas antes precisa o aval da Secretaria do Meio Ambiente. Além, é claro, de pagar pelo serviço a uma empresa credenciada. Serviço que custa muito caro.

 

Entrevista bombástica
O traficante Marcelo Piloto reuniu a imprensa paraguaia para dar uma entrevista na manhã dessa terça. Piloto está preso em Assunção e responde por crimes no Brasil e no Paraguai. Ele disse textualmente: “Sou um comerciante de ilícitos, trafico armas e drogas”. Assim, fácil, como se fosse um comércio legal.

 

Cortina de fumaça
Piloto contou também que foi preso no Rio de Janeiro por assalto e cumpriu dez anos de prisão. Disse que lá aprendeu sequestrar, traficar e otras cositas más. Garantiu que não é chefe do Comando Vermelho e que os “verdadeiros bandidos que roubam bilhões”, como Sérgio Cabral, criam mitos, como uma cortina de fumaça para desviar a atenção de seus crimes.

 

Transição
Finalmente Ratinho Junior e Cida Borghetti se acertaram e marcaram o início da transição para 19 de dezembro. O grupo de transição será liderado pelo chefe da Casa Civil, Dilceu Sperafico, e será formado pelos secretários Silvio Barros (Desenvolvimento Urbano) e José Luiz Bovo (Fazenda); pelo controlador-geral do estado, Carlos Eduardo de Moura; e pelo procurador-geral do estado, Sandro Kozikoski.

 

Queda de braço
Faltam quase dois meses para a posse, mas os deputados já começaram a queda de braço para ver quem irá presidir a Assembleia Legislativa. Estão na disputa Ademar Traiano, Fernando Francischini, Alexandre Curi e Luiz Claudio Romanelli. O atual presidente, Ademar Traiano, briga pela reeleição, mas a Operação Quadro Negro pode derrubar sua pretensão.

Share

GDIA